NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


PORTAL CAMPO GRANDE NEWS


Com focos controlados, brigadistas partem em retirada da Serra do Amolar

Pelo menos onze focos foram combatidos nesta segunda-feira (10)

Adriano Fernandes E Gabriel Neri | Publicada em 10/08/2020 22:30

Com onze focos combatidos nesta segunda-feira (10) os incêndios Serra do Amolar, foram enfim, controlados. As equipes de brigadistas, inclusive, já estão em retirada da região pantaneira. Hoje o transporte dos agentes até Corumbá foi feito pela aeronave Pantera, do Exército Brasileiro.

Além dos 13 brigadistas as aeronaves partem com os materiais utilizados no combate as chamas. No território em chamas no lado do Estado vizinho, Mato Grosso, o combate aos focos foi feito com lançamento de água pelas aeronaves do Corpo de Bombeiros local.

Nesta segunda-feira os militares da FAB (Força Aérea Brasileira) também fizeram voo de reconhecimento na Serrado Amolar, com a a aeronave Black Hawk para assegurar que novos focos não havia surgido

Em chamas – Só este ano o IHP (Instituto do Homem Pantaneiro) estima que 6 mil focos do incêndios atingira o Pantanal, 3,5 mil deles nas áreas adjacentes a cidade de Corumbá, a 419 km de Campo Grande.

A região dos Paiaguás é uma das áreas que está em situação mais crítica. Conforme o diretor presidente do IHP (Instituto do Homem Pantaneiro), Angelo Rabelo, por lá já são mais de 1 milhão de hectares queimados.

REVISTA AERO MAGAZINE


Ajuda humanitária no Líbano marca estreia internacional do KC-390

Viagem até Beiture marca a primeira missão real feita no exterior pelo cargueiro brasileiro

Gabriel Benevides | Publicada em 10/08/2020 22:15

Na próxima quarta-feira (12), o KC-390 Millenium da FAB realizará sua primeira missão real no exterior. O cargueiro brasileiro será enviado para o Líbano, com aproximadamente 5,5 toneladas de insumos hospitalares e alimentos, doados pelo Ministério da Saúde e da comunidade libanesa no Brasil.

Segundo o Itamaraty, a aeronave deveria ter partido nesta segunda-feira (10), mas por questões de logísticas, o voo humanitário teve a programação alterada em dois dias. O KC-390 já realizou algumas viagens ao exterior, mas ainda na fase de certificação. A entrada em serviço ocorreu em meio a grave crise de saúde gerada pela pandemia de covid-19, e agora a primeira missão internacional também será humanitária.

Em uma videoconferência nas redes sociais no último domingo (9), o Presidente Jair Bolsonaro anunciou a missão de ajuda ao Líbano, país que sofre uma grave crise política, social e econômica e que foi atingido por mais uma grande tragédia com a explosão das 2.700 toneladas de nitrato de amônio.

O material havia sido apreendido pelas autoridades do libanesas e estava armazenado de maneira irregular no principal porto da cidade. Um incêndio de grandes proporções atingiu o composto que explodiu e gerou uma violenta e poderosa onda de choque que destruiu parte da capital do país.

O governo brasileiro oficializou o envio de 300 ventiladores pulmonares e 100 mil máscaras cirúrgicas. Além disso, o Brasil oferecerá reforço para o atendimento de vítimas, por meio de 16 médicos, entre ortopedistas e anestesistas. Cada kit desastre doado conta com medicamentos como antibióticos, corticoide, analgésicos e insumos como ataduras, seringas e cateteres. A missão ainda contará com a presença do ex-Presidente Michel Temer (2016-2018), filho de libaneses, que vai chefiar a missão humanitária entre o Brasil e o Líbano.

PORTAL AEROFLAP


KC-390 da FAB decola nesta quarta-feira com 5,5 toneladas de suprimentos para o Líbano


Da Redação | Publicada em 10/08/2020 16:47

O Brasil enviará nesta quarta-feira (12), um KC-390 Millenium da FAB para o Líbano. A aeronave de transporte militar logístico vai decolar do Aeroporto Internacional de Guarulhos com 5,5 toneladas de medicamentos, insumos e equipamentos médico-hospitalares e alimentos.

A previsão inicial era que o KC-390 decolagem rumo a Beirute, capital do Líbano, hoje, segunda-feira (10), contudo por questões logísticas o voo foi adiado.

O presidente Jair Bolsonaro deixou à disposição do governo libanês um avião para prestar apoio humanitário ao país, após a forte explosão ocorrida na semana passada que matou 150 pessoas e deixou mais de 3 mil feridos.

A confirmação do envio do KC-390 aconteceu durante uma conferência presidencial entre Bolsonaro, Michel Aoun (Líbano), Emmanuel Macron (França), e Donald Trump (EUA).

“Nos próximos dias partirá do Brasil rumo ao Líbano uma aeronave da Força Aérea Brasileira, com medicamentos e insumos básicos de saúde, reunidos pela comunidade libanesa radicada no Brasil”, disse Bolsonaro durante a conferência.

No entanto, o Brasil enviará mais ajuda ao país, só que pelo mar. AO todo serão enviados 4 mil toneladas de arroz.

Entretanto, outras nações também estão na lista de ajuda para o Líbano, são eles os EUA, França, Rússia, Reino Unido, Alemanha, Egito e até Israel que não tem boas relações diplomáticas com o governo libanês.

OUTRAS MÍDIAS


FOLHA DE BARBACENA (MG) - FAB: Ex-sargento da Epcar de Barbacena doa parte de órgão para a filha


Agência Força Aérea | Publicada em 10/08/2020 11:51

A comemoração do Dia dos Pais este ano foi diferente para Maria Júlia Domingues Tran de Carvalho. A pequena de três anos desfruta, hoje, de atividades simples, comum a qualquer criança. Tudo por conta de um presente do seu pai que lhe devolveu a vida.

A história de luta da pequena Maria Júlia começou desde o ventre materno, quando foi diagnosticada com problemas cardíacos. Ela nasceu em julho de 2017, ano em que seu pai, o Sargento Especialista em Música Rafael Henrique Santos de Carvalho, ainda servia na Escola Preparatória de Cadetes do Ar (Epcar), em Barbacena.

Os cuidados que Maria Júlia necessitava só poderiam ser viabilizados em hospitais de grande porte. A família, então, realizou várias viagens à São Paulo (SP), o que tornou imprescindível a transferência do militar para a capital paulista.

Já em tratamento, Maria Júlia foi diagnosticada com outras complicações de saúde, que resultaram em cinco cirurgias, incluindo um procedimento no fígado. Era primordial a realização de um transplante. Ao conhecer a urgência e necessidade do procedimento, seus pais foram submetidos a diversos exames para chegar à escolha de quem seria o doador. Os resultados comprovaram a compatibilidade com o pai.

No dia 9 de setembro de 2019, pai e filha foram submetidos a uma cirurgia que durou dez horas, por meio da qual o militar doou à filha uma parte do seu fígado. “Eu sabia do peso da minha missão, não era somente um transplante, estava dando a vida para minha filha. Antes de ser pai, eu não sabia do que eu era capaz. Todas as lutas que passei só me deixaram mais forte. Com certeza, sou uma pessoa melhor, pois minha filha é tudo para mim. Agradeço a Deus e aos meus companheiros da FAB por todo o apoio!”, expressou, emocionado, o Sargento.

“O Rafael é um pai maravilhoso que se doou, ‘ao pé da letra’, à nossa filha. Sua dedicação é incrível. A paternidade o transformou, rendeu-lhe muito amadurecimento, aflorando o seu lado cuidadoso e amoroso”, externou a esposa do Sargento Rafael, Gabriela de Oliveira Tran.

Atualmente, Maria Júlia é uma menina cheia de saúde e energia e quem a vê não imagina como foi sua luta pela vida. O Dia dos Pais é o dia do seu herói, como ela mesma disse com um sorriso no rosto: “Meu pai é muito forte e valente. Amo do fundo do meu coração”.

TECNOLOGIA E DEFESA - Em detalhes, a produção das aeroestruturas do Gripen no Brasil


João Paulo Moralez | Publicada em 10/08/2020 14:50

Marcelo Lima, diretor-geral da Saab Aeronáutica Montagens, conversou conosco sobre os detalhes da produção das aeroestruturas para o Gripen E/F. A entrevista completa sai na revista Tecnologia&Defesa.

Qual é a missão da Saab Aeronáutica Montagens no programa do Gripen brasileiro?

O objetivo geral deste projeto é garantir a capacidade de montagem de aeroestruturas complexas para aeronaves militares supersônicas e comerciais no Brasil, transferido conhecimento em produção da Saab na Suécia, de forma sustentável.

O foco inicial é a produção das aeroestruturas para o pedido de 36 caças Gripen da Força Aérea Brasileira (FAB). No entanto, a fábrica estará pronta para a possibilidade de novas aquisições do Gripen pela FAB ou por outras forças aéreas no futuro e terá capacidade de crescimento para novos mercados tanto no setor militar e como no de aviação comercial.

É possível comentar, brevemente, como é o processo de produção de uma aeroestrutura, incluindo os desafios envolvidos nesse processo fabril?

A indústria aeronáutica tem características peculiares quando falamos em manufatura. Fabricar e posteriormente montar milhares de componentes de uma fuselagem, asa ou superfície de controle com critérios dimensionais rigorosos não é uma atividade simples. Essas peculiaridades começam ainda na fase de projeto, onde os direcionadores são, entre outros, a segurança e a performance – o que está intimamente ligado ao peso das aeroestruturas e a geometrias complexas. Por isso, temos demandas por métodos e processos fabris de alta precisão e tecnologia.

Podemos dividir a produção de aeroestruturas em fabricação de componentes, montagem dos segmentos e junção final.

Na Saab Aeronáutica Montagens estamos executando os processos de montagem dos segmentos aeroestruturais com componentes obtidos da cadeia de suprimentos da Saab, na Suécia. A junção final dessas aeroestruturas será feita na planta da Embraer em Gavião Peixoto (interior de São Paulo) e na sede da Saab Aeronautics, em Linköping, Suécia.  Para estes processos, são necessárias ferramentas de precisão, muitas vezes exclusivas da indústria aeronáutica ou mesmo exclusivas para um determinado tipo de aeronave.

Além dessas ferramentas, gabaritos de posicionamento com alta precisão dimensional são utilizados durante a montagem da aeronave.

Mesmo se tratando de um processo altamente tecnológico, a automatização não é a melhor opção para algumas montagens e trabalhos minuciosos, portanto, é necessário ter uma mão de obra altamente qualificada e especializada.

A produção de aeroestruturas exige elevado nível de qualidade para que as peças sejam intercambiáveis entre as aeronaves. De que forma a Saab Aeronáutica Montagens trabalhou para atingir altos níveis de qualidade?

Para garantir altos níveis de qualidade não só em seus produtos, mas em todo o negócio, foi implementado um Sistema de Gestão robusto baseado na AS9100 (norma de um sistema de gestão de qualidade), de forma a fundamentar os processos do negócio. Falando especificamente do produto, a Saab tem tradição, know-how e experiência que garantem a maturidade e robustez dos processos.

O processo de industrialização empregado para transferir e implementar requisitos técnicos de produto foi conduzido de forma estruturada, levando em consideração aspectos como riscos, ambiente de trabalho, mão de obra, competência, processos e verificações de qualidade. Ao final desta etapa, todos os processos são simulados e qualificados antes do início da produção, seguindo a seguinte sequência:

1. Planejamento de processos

2. Qualificação de processos

3. Aprovação de ferramentas específicos

4. Aprovação do primeiro artigo (First Article Inspection – FAI)

5. Produção em regime normal

Qual é a aeroestrutura mais complexa que será produzida na Saab Aeronáutica Montagens? É possível mencionar o seu tempo de produção e qual é a quantidade de peças usadas na sua construção?

Deve-se levar em conta diferentes aspectos quando analisamos a complexidade na produção de uma estrutura aeronáutica. Se levarmos em consideração o grau de precisão e sofisticação, a asa seria a aeroestrutura mais complexa feita aqui, por ser fabricada de material composto. Se levarmos em consideração o tempo de produção e a quantidade de peças, a fuselagem dianteira, com aproximadamente 2.000 horas distribuídas em nove meses e 1.200 peças, seria a estrutura mais complexa.

É possível comentar sobre uma previsão do início da produção das demais aeroestruturas (freios aerodinâmicos, fuselagem traseira, caixão das asas e fuselagem dianteira do Gripen F)?

A produção do cone de cauda e de partes da aeroestrutura da fuselagem dianteira já foram iniciadas em junho. No último trimestre de 2020 daremos início à produção dos freios aerodinâmicos. Já a produção da fuselagem traseira, do caixão das asas e da fuselagem dianteira do Gripen F terá início de forma sequenciada ao longo de 2021.

As aeroestruturas produzidas pela Saab Aeronáutica Montagens serão usadas nos caças encomendados pela Força Aérea da Suécia e em encomendas futuras de outros países?

O contrato atual contempla a produção de aeroestruturas para as aeronaves Gripen E/F brasileiras, além da produção do cone de cauda e freios aerodinâmicos para as aeronaves Gripen E a serem entregues para a Força Aérea Sueca. A Saab Aeronáutica Montagens faz parte da cadeia global de fornecimento da Saab, podendo ser usada para a produção de aeroestruturas de qualquer novo contrato da Saab.