NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


TV GLOBO - FANTÁSTICO


Eventos extremos afetam equilíbrio do Pantanal


Fantástico | Publicada em 16/08/2020 21:34

No Pantanal, fogo, chuva, vendaval e destruição. Eventos extremos que têm afetado o equilíbrio da maior planície alagável do planeta.

MINISTÉRIO DA DEFESA


Operação Covid-19: Militares reforçam trabalhos no combate ao novo coronavírus


Ten Fraga | Publicada em 16/08/2020 19:12 | Atualizado em 16/08/2020 19:19

Desde o início da pandemia do novo coronavírus no Brasil, as Forças Armadas atuam na descontaminação em áreas públicas. O Comando Conjunto Leste desinfectou, por meio do 1º Batalhão de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear (1º Btl DQBRN), em 11 de agosto, as instalações em instituição militar de ensino médio da Força Aérea Brasileira (FAB), localizada na cidade de Barbacena, Minas Gerais.

Solidariedade

Já o Comando Militar do Sudeste, por intermédio de militares do 22º Batalhão Logístico Leve (B Log L), sediado em Barueri, São Paulo, auxiliou o Hemocentro do Hospital São Lucas, com doação de sangue, nos dias 10 e 11 de agosto. A iniciativa integra o projeto "BLog Solidário", que arrecadou e doou cerca de 3 toneladas de alimentos e 300 peças de roupas e cobertores. Agora, com a participação de mais de 100 doadores de sangue, aproxima ainda mais o Exército da sociedade civil nas ações de apoio à população.

Operação Covid-19

O Ministério da Defesa ativou, em 20 de março, o Centro de Operações Conjuntas, para atuar na coordenação e no planejamento do emprego das Forças Armadas no combate ao novo coronavírus. Nesse contexto, foram ativados dez Comandos Conjuntos, que cobrem todo o território nacional, além do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), de funcionamento permanente. A iniciativa integra o esforço do governo federal no enfrentamento à pandemia.

As demandas recebidas pelo Ministério da Defesa, de apoio a órgãos estaduais, municipais e outros, são analisadas e direcionadas aos Comandos Conjuntos para avaliarem a possibilidade de atendimento. De acordo com a complexidade da solicitação, tais demandas podem ser encaminhadas ao Gabinete de Crise, que determina a melhor forma de atendimento.

Forças Armadas apoiam combate a focos de queimadas no Pantanal


Assessoria De Comunicação Social (ascom) | Publicada em 16/08/2020 21:41

Brasília (DF), 16/08/2020 - O Pantanal, maior planície alagada do mundo, tem sofrido com a maior seca dos últimos anos, o que tem ocasionado aumento no número de focos de queimadas na região. Diante desse cenário, o Ministério da Defesa deflagrou a Operação Pantanal, em 25 de julho. A iniciativa é em apoio ao Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, onde estão concentrados 65% do bioma.

As ações foram conduzidas pelo Comando do 6º Distrito Naval, reunindo esforços da Marinha, do Exército, da Aeronáutica, do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul, do Ibama/Prevfogo e da Polícia Militar Ambiental.

Inicialmente, o relatório do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (CENSIPAM) apontava 21 pontos de queimadas nos municípios de Ladário, Corumbá, Miranda e Aquidauana, municípios sul-mato-grossenses. Ao longo dos trabalhos, os índices iniciais foram ultrapassados, passando para o total de 32 pontos. Todavia, após três semanas de atividades de aeronaves, brigadistas e militares, os pontos de queimadas foram controlados e seguem em monitoramento na Serra do Amolar, Nabileque e nas proximidades da Reserva Indígena Kadiwéu, onde não há foco de fogo aparente, nessa região que representa dois terços do bioma.

Com a significativa redução dos focos em Mato Grosso do Sul, as ações foram estendidas à porção norte do Pantanal, que corresponde a um terço do bioma. De acordo com o mapeamento realizado por satélites, atualmente grande parte dos pontos de queimadas está concentrada na região de Poconé, Barão de Melgaço, em Mato Grosso, e uma área em Porto Jofre, na fronteira dos dois estados.

Atuação em Poconé

Há dez dias operando a partir de Poconé, no aeródromo do Sesc Pantanal, Forças Armadas somam esforços com Corpo de Bombeiros de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e Ibama.

Aeronaves das Forças Armadas realizam diariamente voos de reconhecimento, transporte de pessoal, material e mantimentos para as áreas mais isoladas e críticas quanto aos focos de incêndios. O Super Cougar (UH-15) da MB e o Black Hawk (UH-60) da FAB cumprem ações em locais que, devido à peculiaridade da região, o acesso não seria possível por vias terrestres ou fluviais. Duas aeronaves Air Tractor do Corpo de Bombeiros lançam água e, até o momento, foram despejados quase dois milhões de litros.

Mais de 320 profissionais estão envolvidos na Operação, entre eles, 12 Fuzileiros Navais do 3º Batalhão de Operações Ribeirinhas, com curso de combate a incêndios florestais, empregados diretamente na linha de frente, em um trabalho conjunto com brigadistas do Ibama e Bombeiros Militares do Corpo de Bombeiros dos dois estados. Ao longo dos dias, as equipes terrestres trabalham dia e noite, cumprindo, muitas vezes, medidas urgentes, como aceiros e patrulhamento do local para inibir as chamas.

Além deste ano registrar índices pluviométricos muito baixos, a intensidade do vento prejudica o trabalho do pessoal em terra e a fumaça dificulta o sobrevoo das aeronaves. Mesmo diante desse cenário, entre outros desafios, os resultados são positivos, haja vista que patrimônios históricos, parques, casas e estradas já foram preservados. As atividades seguem em andamento nesta semana.

PORTAL AEROFLAP


FAB resgata brigadistas que combatem incêndio no Pantanal


Pedro Viana | Publicada em 16/08/2020 08:00

O Esquadrão Pantera (5º/8º GAV), sediado na Ala 4, em Santa Maria (RS), resgatou, nesta sexta-feira (14), brigadistas do Corpo de Bombeiros Militar dos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Eles combatiam os focos de incêndios na região Centro-Oeste, por meio da Operação Pantanal, deflagrada pelo Ministério da Defesa, quando acionaram apoio da Força Aérea Brasileira (FAB).

Os militares estavam em uma área, quando as chamas se aproximaram e alastraram com rapidez. Em busca de local seguro para se abrigarem, foram surpreendidos por uma área de pântano, onde começaram a afundar. O helicóptero foi acionado e efetuou o resgate de seis homens.

A aeronave Black Hawk decolou da sede do Centro de Coordenação da Operação Pantanal, em Poconé (MT), às 11 horas e voou até a posição dos brigadistas para realizar o resgate.

O helicóptero manteve o voo pairado, próximo ao solo para facilitar o acesso dos brigadistas até a aeronave, enquanto o homem de resgate SAR (do inglês, Search and Rescue – Busca e Salvamento), com apoio dos Bombeiros, desceu até área do pântano para o resgate.

Ao final, o Esquadrão retornou com os militares para a sede. Toda a operação teve duração de 25 minutos na cena de ação.

A tripulação do helicóptero era formada por cinco militares, sendo dois pilotos, dois mecânicos e um homem de resgate. Esta foi a primeira missão real realizada pelo piloto, Tenente Aviador Paulo Sergio Martins Júnior. Para ele, é gratificante e recompensador, trabalhar para salvar vidas.

“Atuar em um resgate como este mostra que toda exigência durante os treinamentos é de extrema importância, especialmente por ajudar as pessoas em momentos de dificuldades”, conta.

Operação Pantanal

O Centro de Coordenação da Operação está instalado no aeródromo do SESC Pantanal, em Poconé (MT), ponto estratégico para o emprego dos meios de Força Aérea.

Participam da operação embarcações e helicópteros da Marinha, do Exército e da Aeronáutica; Fuzileiros Navais com curso de incêndio florestal; e agências federais e estaduais.

PORTAL IG - ÚLTIMO SEGUNDO


Helicóptero resgata militares cercados por fogo em incêndio; veja

Caso ocorreu durante tentativa de apagar fogo que dura três semanas na região do Pantanal. Helicóptero que resgatou militares atravessou cortina de fumaça

Redação | Publicada em 16/08/2020 10:14

Um helicóptero da Força Aérea Brasileira foi enviado à cidade de Paconé, no Mato Grosso, para resgatar seis militares que ficaram cercados por chamas nesta sexta-feira (14) ao tentar combater incêndios que atingem a região do Pantanal há semanas .

Imagens do momento do resgate, acionado pelos militares, foram registradas por um dos socorridos. É possível ver o helicóptero pousando e os homens subindo no local. Antes da descida, o helicóptero, que já ajudava nas buscas, lançou água no local para conseguir pousar.

Nenhum dos militares teve ferimentos. O vento forte que atingia a região do incêndio pode ter sido responsável por intensificar as chamas e cercar os brigadistas no local. O incêndio na região do Pantanal continua a queimar hectares de terra no Centro-Oeste. Até o momento, 200 mil deles foram atingidos.

OUTRAS MÍDIAS


PORTAL PONTA PORÃ INFORMA - Militares ficam encurralados pelas chamas durante incêndio no Pantanal de MT e são resgatados por avião


Tião Prado | Publicada em 16/08/2020 08:10

Uma equipe de militares que atuam no combate ao incêndio no Pantanal, em Poconé, ficou encurralada pelo fogo nessa sexta-feira (14). De acordo com o Corpo de Bombeiros, eles pediram socorro e um avião que já estava em voo de combate e um helicóptero da Força Aérea Brasileira (FAB) foram até o local para resgatá-los. Até agora mais de 200 mil hectares já foram devastados pelo fogo que começou há três semanas, na região.

O avião passou pela cortina de fumaça e localizou o ponto exato onde os militares estavam. Foi lançado um pouco de água e, em seguida, os seis militares foram resgatados, sem ferimentos.

O Corpo de Bombeiros informou que, durante a manhã de sexta-feira, os brigadistas foram surpreendidos pela velocidade com que as linhas de fogo avançavam em direção ao setor norte do hotel Sesc Porto Cercado devido ao vento e ficaram rodeados pelas chamas.

Já no período da tarde duas linha de fogo que também avançavam em direção ao hotel Sesc Porto Cercado foram combatidas pela equipe de operações aéreas do Corpo de Bombeiros, que usou duas aeronaves de combate a incêndio, em conjunto com as equipes terrestres que realizaram aceiros para a contenção das chamas.

Ao todo, 104 pessoas trabalham na contenção do incêndio que dura mais de duas semanas no Pantanal mato-grossense. São 41 militares do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso, 12 do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul, oito militares da FAB, 23 da Marinha, 16 funcionários do Sesc e quatro da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

As equipes contam com o apoio de três aviões e dois helicópteros.

Este é o maior incêndio ocorrido no Pantanal nos últimos 14 anos.

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) apontam que nos 13 primeiros dias deste mês foram registrados mais focos de queimadas no Pantanal do que durante todo o agosto de 2019. É menos da metade do tempo, mas o número absoluto já apresenta uma alta de 53%.

Desde o dia 1º deste mês, em 2020, são 2.578 pontos de calor. Em todo o mês de agosto do ano passado foram 1.684, de acordo com a base do Inpe.

Mato Grosso está em primeiro lugar no ranking de focos de incêndio no país e aplicou R$ 14,3 milhões em multas por queimadas ilegais, de janeiro a julho deste ano, de acordo com dados da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema).