NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


TV BRASIL


Forças Armadas promovem a Exposição da Independência


Da Redação | Publicada em 05/09/2022 08:00

A Exposição da Independência, em Brasília, também fez parte da abertura da Semana da Pátria. O evento, realizado pelas Forças Armadas, teve início na sexta-feira e encerrou ontem (4).

PORTAL AEROIN


Relíquias: Força Aérea transporta os Hinos Pátrios para o Bicentenário da Independência


Murilo Basseto | Publicada em 05/09/2022 20:00

Na última quinta-feira, dia 1º de setembro, a Força Aérea Brasileira (FAB), por meio do Primeiro Esquadrão de Transporte Aéreo (1º ETA) – Esquadrão Tracajá, transportou de Minas Gerais (MG) para Brasília (DF) os Hinos Pátrios.

As relíquias da história do Brasil serão colocadas em exposição para estudantes até o dia 15 de novembro, no Palácio do Planalto, em comemoração aos 200 anos de independência do Brasil.

Os 14 documentos, dentre eles os Hinos Nacional Brasileiro; da Aclamação de D. João VI; da Independência do Brasil; da Carta Constitucional; da Proclamação da República e da Bandeira Nacional, sendo alguns com aproximadamente 200 anos, foram recebidos pelo Secretário da Presidência da República, Daniel Costa Fernandes, e pelo Comandante da Base Aérea de Brasília (BABR), Coronel Aviador Jorge Marcelo Martins da Silva. Em seguida, foram escoltados pela FAB até o Palácio do Planalto.

O Secretário da Presidência da República destacou a importância de receber os materiais históricos: “É uma verdadeira honra para a Presidência da República receber essas partituras históricas nesse momento que marca o Bicentenário da Independência do Brasil. É uma data especial, onde, pela primeira vez, serão exibidas”.

Conforme comentou o Comandante da BABR, Coronel Martins, representar a FAB no recebimento dos hinos, foi de grande valia: “Já recebemos o Coração de Dom Pedro, agora os hinos históricos em comemoração aos 200 anos de Independência. É uma grande oportunidade participar dessas comemorações. Isso é muito importante para nós”.

De acordo com o Diretor-Executivo da Fundação Nacional de Artes (FUNARTE), Marcelo Nery Costa, os Hinos deixaram a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em abril deste ano, para uma exposição no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte (MG). Os manuscritos, após ficarem dois meses em exposição, foram levados para o Arquivo Público Mineiro, onde passaram por um trabalho de recuperação.

Segundo a bibliotecária da UFRJ, Suelen Dias, é um projeto de extensão da universidade colocar em exposição materiais históricos.

“É muito bom poder compartilhar com outras pessoas, com as escolas que vão visitar a exposição no Palácio do Planalto, mostrar a história do Brasil e também mostrar a história da nossa Instituição, da nossa escola de música, que no mês de agosto completou 174 anos. O objetivo é dar visibilidade”, finalizou Suelen.

As escolas interessadas em visitar a exposição no Palácio do Planalto devem entrar em contato com a coordenação de Relações Públicas da Presidência da República pelo e-mail: [email protected]

Bicentenário da Independência

O Bicentenário da Independência do Brasil será comemorado em 7 de setembro de 2022. Oficialmente, a data remete ao ano de 1822, quando ocorreu o evento conhecido como “Grito do Ipiranga”, às margens do riacho Ipiranga, na atual cidade de São Paulo.

Em 12 de outubro de 1822, o príncipe foi aclamado D. Pedro I, Imperador do Brasil, sendo coroado e consagrado em 1º de dezembro de 1822. Assim, o país passou a ser conhecido como o Império do Brasil.

PORTAL PODER AÉREO


Embraer conclui testes em voo da capacidade de combate a incêndios do C-390 Millennium


Da Redação | Publicada em 05/09/2022 14:00

A Embraer concluiu com sucesso os testes em voo da campanha de certificação do Sistema Modular Aerotransportável de Combate a Incêndios (MAFFS II, na sigla em inglês), que fornece ao C-390 Millennium a funcionalidade necessária para realizar a missão de Combate a Incêndio Florestal (CIF).

Os ensaios, conduzidos na unidade da Embraer em Gavião Peixoto, no interior do Estado de São Paulo, representam avanço importante na campanha de certificação dessa capacidade junto ao Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI). Após a certificação, a capacidade de combate a incêndios estará disponível aos operadores da aeronave.

O MAFFS II é um sistema de combate a incêndio capaz de descarregar até 3.000 galões de água (aproximadamente 11.300 litros), com ou sem retardante de fogo, de acordo com o critério de nível de cobertura padrão do solo e em diversos tipos de terrenos.

Projetado para fazer interface com o Sistema de Manuseio de Carga (ou Cargo Handling System – CHS, na sigla em inglês), o MAFFS II pode ser rapidamente instalado ou removido do compartimento de carga da aeronave a partir de seu próprio trailer. O sistema de combate a incêndio requer apenas energia elétrica da aeronave para seu funcionamento.

A conclusão destes ensaios, que incluíram diversos lançamentos em voo, além de comprovar a capacidade de integração do sistema com a aeronave, também demonstra os excelentes aspectos de qualidade de voo e manobrabilidade, extremamente necessários a esse tipo de operação em baixas velocidades.

O C-390 Millennium e sua configuração de reabastecimento aéreo, o KC-390, são a nova geração de aeronaves multimissão de transporte militar que oferecem mobilidade e capacidade de carga incomparáveis, rápida reconfiguração, alta disponibilidade, e conforto aprimorado, bem como gerenciamento otimizado de custos operacionais reduzidos ao longo de seu ciclo de vida, tudo em uma única plataforma.

Sobre a Embraer

Empresa aeroespacial global com sede no Brasil, a Embraer atua nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A Companhia projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer Serviços & Suporte a clientes no pós-venda.

Desde sua fundação, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

PORTAL AEROFLAP


Restos de caça F-5 desaparecido há 40 anos são encontrados na Lagoa dos Patos (RS)


Gabriel Centeno | Publicada em 05/09/2022 13:00

O misterioso desaparecimento de um caça F-5E Tiger II da Força Aérea Brasileira (FAB) pode finalmente ter chegado ao fim, 40 anos depois de seu sumiço. Um pescador e um velejador encontraram partes do jato supersônico que sumiu na Lagoa dos Patos em 1982. 

O acidente, contado em outra matéria deste portal, completou quatro décadas neste ano. Em 28 de julho de 1982, um par de caças F-5 do Esquadrão Pampa (1º/14º GAv, unidade da Base Aérea de Canoas) decolava para uma missão de dogfight, operação que sempre fez parte da rotina da unidade. As aeronaves voaram para uma das áreas de treinamento sobre a Lagoa dos Patos e começaram o combate. 

Em um dos F-5, de matrícula FAB 4831, estava o Tenente Aviador Edson Luiz Chiapetta Macedo. Aquele seria seu último voo. Em algum momento do treinamento, o Tenente Edson sofreu uma desorientação espacial e mergulhou com o caça na Lagoa. O outro F-5 regressou à Canoas e a FAB iniciou as buscas imediatamente. Durante duas semanas, a Força Aérea, a Polícia e o Corpo de Bombeiros procuraram pelo F-5, achando apenas pequenos pedaços. 

O mistério foi se perpetuando, com a população criando teorias e suposições sobre o acidente, algumas que mencionavam deserção e até extraterrestres. Mas toda essa história encontrou um novo capítulo, provavelmente um de seus últimos, há cerca de um mês, quando o pescador Josoé Ortiz, de Palmares do Sul, acabou capturando um dos pedaços do avião em uma de suas redes para a pesca tainhas. 

Josoé então entrou em contato com um colega que buscava dar um fim ao mistério. Cristian Yanzer é piloto de linha aérea e velejador. Em entrevista ao AEROFLAP, ele conta que quando criança, presenciou vários destes treinamentos aéreos enquanto pescava com seu pai na Lagoa do Casamento. 

Por volta dos 12 anos, o aviador, que hoje tem 44 anos, conheceu a história do piloto e o avião da FAB desaparecido naquelas águas. “Ser piloto de caça era um sonho de criança e frequentei a BaseAérea de Canoas grande parte da minha adolescência, sempre escutando sobre o 4831”, conta Yanzer.  As peças encontradas por Josoé foram identificadas por Yanzer como pedaços do painel e da fuselagem do F-5.

Há cinco anos ele navega pela região do acidente, tentando achar respostas para as várias perguntas sobre o desaparecimento do 4831 e seu piloto. Mas diz que sem os achados de Josoé, teria levado anos. “Foi a pista crucial pois ele estava pescando muito perto dos destroços… O acaso acabou ajudando”, pontua.

“Ele recolheu pequenos pedaços do painel e algumas partes da fuselagem. A maioria cabe na palma da mão ou pouco mais. Mas foi o suficiente pra me dar a certeza que ele estava nas proximidades do local de impacto.”

No dia 11/08, Yanzer aproveitou a boa meteorologia e partiu com veleiro Vikyng, equipado com sonar de varredura lateral (sidescan), para sondar a área. “Reflexos metálicos visíveis na tela do equipamento indicavam muitas peças, algumas grandes, espalhadas pelo leito da Lagoa, em um local distinto do que esperávamos, e a cerca de 100m do local onde suas redes estavam colocadas.”

Ele entrou em contato com o Quinto Comando Aéreo Regional através do Coronel-Aviador (R1) Antonio Biasus, ex-comandante do Esquadrão Pampa e contemporâneo do aviador desaparecido. Em reunião com o Major-Brigadeiro Rivero, comandante da organização militar, Yanzer combinou que tentaria registrar imagens dos destroços antes que a FAB, ao lado da Marinha do Brasil, fossem ao local. 

Finalmente no dia 01/09, Yanzer e sua esposa Andrea encontraram o maior pedaço do F-5 4831. Quarenta anos depois de ir para o fundo da lagoa, uma parte do pós-combustor de um dos motores General-Electric J85-GE-21 voltou à superfície.

“Ao ancorar no local para preparar o almoço, senti que a âncora havia prendido em algo. Quando começamos a levantar âncora, para nossa surpresa, esta peça de cerca de 0,90m e mais de 100kg apareceu e deu muito trabalho para amarrar ao barco, que é pequeno para esse tipo de peça.”

Com os achados e a localização exata, FAB e Marinha começaram seus movimentos. Yanzer contou ao AEROFLAP que, nesta segunda-feira (01), a Marinha “fará o primeiro acesso ao local e em seguida os mergulhadores farão a faina [tarefa] de recolher os destroços. Haverá um briefing da operação com a tripulação do navio e mergulhadores para apresentar os resultados das sondagens e orientar suas ações.”

Ele conta que depois de recuperados, os restos do 4831 serão encaminhados à BACO e ao Esquadrão Pampa. “Possivelmente serão tratados pelo CENIPA que possivelmente adicionará informações ao relatório final.”

A expedição do Comandante Yanzer, batizada de “Missão Tigre na Lagoa”, tem contudo, um objetivo especial. “O mais importante, na minha opinião, será o alento a família do Aviador que junto à FAB finalmente poderá dar um local de descanso e quem sabe um funeral militar a esse guerreiro.”

“Sofreram muito todos esses anos a angústia de um ciclo nunca encerrado. Rezo para que eles encontrem alento nesse momento”, respondeu, ao ser questionado se tinha contato com a família do Tenente Chiapetta. 

Relatando os resultados de sua última navegação em busca do 4831, Yanzer exaltou o aviador. “Na minha leiga observação dos destroços, sinto que, com a fibra de herói brasileiro e a garra de caçador do Pampa, aguerridamente tentou, até o fim, trazer seu caça de volta pra casa, infelizmente, perdendo a vida na peleia, indo pelear nos páramos do infinito celeste.”

Um dos vários mistérios e histórias da Lagoa dos Patos chega ao fim, 40 anos depois. 

FAB realizou missões inéditas no exercício TÁPIO 2022


Gabriel Centeno | Publicada em 05/09/2022 17:00

A quinta edição do Exercício Conjunto Tápio, que aconteceu na Base Aérea de Campo Grande (BACG), no Mato Grosso do Sul (MS), a Direção do Exercício (DIREX) trouxe uma série de novidades, como o Reabastecimento em Voo entre a aeronave KC-130 Hércules e os helicópteros H-36 Caracal, a Escolta de Comboio com apoio do Exército Brasileiro (EB), o Ponto Avançado de Reabastecimento e Rearmamento (FARP, do inglês Forward Arming and Refueling Point) e, ainda, a recuperação de uma pessoa por meio de uma Rede de Apoio à Fuga e Evasão/Linha de Apoio à Fuga e Evasão (RAFE/LAFE).

O Co-Diretor da EXCON Tápio 2022, Tenente-Coronel Aviador Ulysses Nepomuceno Guimarães, destaca o incremento das simulações no Exercício, ampliando a operacionalidade dos militares da Força Aérea Brasileira (FAB). “Com o objetivo de sempre evoluir durante as edições do Exercício e proporcionar um treinamento mais complexos e dinâmico para as nossas tripulações, na edição 2022 do EXCON Tápio, buscamos inserir mais quatro missões no cenário”, comenta o Oficial.

REVO entre KC-130 e H-36

A primeira missão inédita na Tápio foi o Reabastecimento em Voo de aeronaves de asas rotativas. “Essa técnica foi treinada pelos nossos pilotos no início do segundo semestre de 2022, em um Exercício Técnico específico onde treinaram a técnica do Reabastecimento em Voo envolvendo um KC-130, do Esquadrão Gordo, com o H-36 Caracal, dos Esquadrões Falcão e Puma”.

“Agora, no EXCON Tápio, o grande desafio era inserir essa técnica no contexto operacional, exigindo grande coordenação das nossas tripulações para que uma Força-Tarefa de Busca e Salvamento em Combate (CSAR) possa planejar e fazer uso da capacidade de reabastecimento em voo para aumentar a autonomia e o alcance das aeronaves de asas rotativas”, explica. 

Escolta de comboio

A segunda missão foi a escolta de comboio. O COMPREP realizou um estudo doutrinário, desenvolvendo as Táticas, Técnicas e Procedimentos (TTPs), fazendo com que, durante o EXCON Tápio 2022, fosse possível a realização da missão.

“A escolta de comboio é a realização de um Apoio Aéreo Aproximado em proveito de um comboio de viaturas, o qual estaria transportando materiais ou até militares de um ponto a outro de uma área de operações. Aqui, tivemos o apoio do Exército Brasileiro compondo um comboio de seis viaturas do tipo Marruá e as aeronaves A-29, A-1M e R-99, provendo toda a cobertura e apoio de fogo”, conta o Oficial.

Conforme o Tenente-Coronel Guimarães, a realização da missão foi considerada fundamental pela DIREX, por ter exigido uma coordenação estreita entre o líder das formações das aeronaves de caça com o comandante do comboio, assessorado pelo sensoriamento das aeronaves de reconhecimento, propiciando grande consciência situacional e segurança para o comboio.

FARP

A terceira novidade nesta edição foi a implementação do Ponto Avançado de Reabastecimento e Rearmamento (FARP, do inglês Forward Arming and Refueling Point).

“No exercício, fizemos de duas formas: a primeira utilizando o Aeródromo de Bonito (MS), realizando o reabastecimento usando a aeronave C-105 ou SC-105 Amazonas reabastecendo aeronaves de asas rotativas, o H-36 e o H-60, onde reabastecemos diretamente dos tanques das aeronaves de asas fixas para os helicópteros. A outra forma foi utilizando viaturas do Exército Brasileiro, onde os caminhões reabasteceram os helicópteros em pontos remotos pré-planejados no terreno”, conta. 

RAFE/LAFE

A última missão inédita, e cumprida na Tápio, foi a chamada Rede de Apoio à Fuga e Evasão/Linha de Apoio à Fuga e Evasão (RAFE/LAFE). “Em um cenário simulado tínhamos um piloto que ejetou em uma área hostil, além da Linha Limite de Resgate da Força-Tarefa CSAR. Esse piloto foi inserido nesta Rede de Apoio à Fuga e Evasão e, com apoio das Forças Especiais, do Exército Brasileiro, chegaria até uma região em que tal militar seria conduzido de volta para as linhas amigas”, detalha o Co-Diretor da Tápio 2022.