NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


AGÊNCIA BRASIL


Museu promove evento para celebrar aniversário de Santos Dumont

Museu Aeroespacial é o maior de aviação do hemisfério sul

Alana Gandra | Publicada em 05/08/2022 14:08

O Museu Aeroespacial (Musal) promove, neste domingo (7), a partir das 9h, um megaevento gratuito em comemoração ao aniversário de Alberto Santos Dumont, pai da aviação, ocorrido no dia 20 de julho e, também, ao Bicentenário da Independência do Brasil.

O diretor do museu, brigadeiro do ar R/1 Mauricio Carvalho Sampaio, informou à Agência Brasil que o evento faz parte de um grupo de programações que estão sendo desenvolvidas ao longo deste ano na Força Aérea, “visando trazer o público aqui para participar e conhecer o Museu Aeroespacial, a história da Força Aérea Brasileira e da aviação brasileira. E nada mais simbólico e grandioso do que nós, brasileiros, termos Santos Dumont, o pai da aviação, que há 149 anos criou o mais pesado que o ar. Ele conseguiu fazer com que a aeronave alçasse voo por meios próprios”.

Segundo o brigadeiro Sampaio, isso é “engrandecedor, porque depois disso veio todo o desenvolvimento da aviação. Se veem hoje continentes distantes sendo aproximados, fruto da aviação e do controle do mais pesado que o ar. Isso é muito importante. Nós da Força Aérea e do Museu Aeroespacial trabalhamos arduamente para cultuar e divulgar essa história”.

Atrações

Os portões do Musal serão abertos ao público para visitação às aeronaves e salas expositivas. Entre as atrações, destaque para demonstrações aéreas, balonismo, aeromodelismo, oficinas educativas, paraquedismo e praça de alimentação. Uma Praça de Alimentação instalada no local facilitará que as famílias passem o dia no local e conheçam a aviação.

“Nós temos uma gama de atividades voltadas à nossa população. São atividades que, no dia a dia, nós não conseguimos encontrar”, disse o brigadeiro.

Durante o evento, o público poderá conhecer a réplica do novo caça da Força Aérea Brasileira (FAB), o F-39 Gripen, que ficará exposta até o dia 22. Os visitantes poderão entrar na cabine da aeronave e conversar com o piloto, mediante agendamento no site do museu. “Imagina uma criança tendo a possibilidade de sentar na cadeira do piloto da aeronave de caça mais moderna da Força Aérea. É um momento muito marcante. Pode tirar fotos”, disse Mauricio Sampaio.

Em parceria com o Serviço Social do Comércio (Sesc), haverá oficinas educativas, exposições, brinquedos e atividades recreativas para crianças. Vários órgãos públicos estarão reunidos, como o Corpo de Bombeiros Militar e a Polícia Militar, com ações para o público.

Museu

O Musal é o maior museu de aviação do hemisfério sul. Sua missão é preservar e divulgar o patrimônio cultural da Aeronáutica brasileira, por intermédio de seu acervo. A unidade oferece ao público atividades culturais e educacionais, aproximando os visitantes de temáticas relacionadas à aviação e à história da Força Aérea Brasileira (FAB).

 

Solidariedade

Embora a entrada para o evento seja gratuita, o Musal sugere ao público que pratique solidariedade, levando um quilo de alimento não-perecível. Os mantimentos serão doados ao Instituto Casa Viva, organização atua em atendimento às necessidades da população em situação de vulnerabilidade social.

Haverá estacionamento nas proximidades do museu e um esquema especial de trânsito, que será divulgado no site do museu. O evento se estenderá até as 19h.

O Musal fica na Avenida Marechal Fontenelle, 2.000, no Campo dos Afonsos, zona oeste do município do Rio de Janeiro.

PORTAL AEROIN


Força Aérea participa do lançamento do edital para o Veículo Lançador brasileiro


Murilo Basseto | Publicada em 05/08/2022 17:30

Nesta última quarta-feira, dia 3 de agosto, em apoio ao avanço tecnológico da Indústria Aeroespacial, a Força Aérea Brasileira (FAB) participou da cerimônia de apresentação do Edital de Subvenção Econômica para Veículo Lançador de Satélites (VLS), realizada no Memorial Aeroespacial Brasileiro (MAB), em São José dos Campos (SP).

Um veículo de lançamento ou veículo lançador é um foguete espacial usado para transportar uma carga útil, a partir da superfície da Terra para o espaço exterior. Um sistema de lançamento inclui o veículo de lançamento, a plataforma de lançamento e outras infraestruturas.

Habitualmente a carga útil é um satélite artificial colocado em órbita, mas alguns voos espaciais são suborbitais enquanto que outros possibilitam a nave espacial de escapar completamente da órbita terrestre.

O projeto conta com o envolvimento do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), da Agência Espacial Brasileira (AEB) e com a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), empresa pública do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI).

A finalidade do chamamento público é o desenvolvimento de, ao menos, dois protótipos de Veículo Lançador com capacidade de lançarem, no mínimo, 5 kg de carga-útil na órbita equatorial, com a realização das operações de lançamento a partir do território nacional.

As empresas interessadas terão até o dia 26/09 para enviarem as propostas. Entre os critérios de avaliação de mérito estão: grau de inovação; experiência e conhecimento das empresas; consistência e clareza das propostas; impacto e risco tecnológico.

Representando o Comandante da Força Aérea Brasileira, o Diretor-Geral do  Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), Tenente-Brigadeiro do Ar Maurício Augusto Silveira de Medeiros, fez a abertura do evento, que contou com a presença do Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Paulo Cézar Rezende de Carvalho Alvim, do Presidente da Finep, Waldemar Barroso Magno Neto, do Presidente da AEB, Carlos Augusto Teixeira de Moura, além de Oficiais-Generais da Aeronáutica e outras autoridades.

O Ministro Paulo Alvim ressaltou que o anúncio da chamada é mais que um aporte de recursos – são ações estruturadas complementares que representam o fechamento de um ciclo de retomada sustentável do Programa Espacial Brasileiro.

“Não existe país que queira ser considerado desenvolvido que não tenha uma indústria Aeroespacial desenvolvida. A pandemia nos atrapalhou bastante, mas em momento algum paramos ou perdemos a perspectiva de onde queríamos chegar. E se chegamos até aqui é porque muitos brasileiros não abandonaram a Missão Aeroespacial Brasileira”, disse.

“A Indústria Aeroespacial tem significativo valor agregado. Quando um produto desses é desenvolvido, várias outras empresas se beneficiam dessa cadeia produtiva, e além disso, coloca o Brasil no mesmo patamar de outros países, que já estão com essa indústria bastante desenvolvida”, complementou o Tenente-Brigadeiro Medeiros.

Na ocasião, o Presidente da AEB, Carlos Moura, entregou ao Tenente-Brigadeiro Medeiros, o Programa Nacional de Atividades Espaciais (PNAE) para o período de 2022 a 2031.

PNAE

Resultado de um esforço conjunto, que se iniciou em 2019, com a instituição do Grupo de Trabalho GT-PNAE, por meio da Portaria AEB nº 107, de 13 de maio de 2019, surgiu o PNAE 2022-2031.

Nesse processo, atuaram, propositiva e construtivamente, diversas entidades públicas e privadas do Sistema Nacional de Desenvolvimento das Atividades Espaciais (o SINDAE): Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e unidades vinculadas, como o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE); Defesa, Aeronáutica e seus centros e institutos; associações representativas dos setores industriais e de ciência.

 

Ingressos gratuitos para o Domingo Aérea na AFA: veja a próxima data para reservar


Murilo Basseto | Publicada em 05/08/2022

Como o AEROIN já vem divulgando nas últimas semanas, o maior evento aéreo do país, Domingo Aéreo 2022 na Academia da Força Aérea (AFA), localizada na cidade de Pirassununga (SP), acontecerá no dia 21 de agosto de 2022, neste ano comemorando os 70 anos da Esquadrilha da Fumaça.

É importante ressaltar, a todos que pretendem comparecer, que o evento não tem fins lucrativos e a disponibilização de ingressos é gratuita, porém, os tickets são obrigatórios para a entrada no evento. A forma de aquisição gratuita é explicada nesta matéria. Também serão arrecadados alimentos não perecíveis para as entidades assistenciais citadas no site do evento, então, não se esqueça de levar a sua doação.

Ao longo de todo o dia, aficionados pela aviação ou aqueles que saem em busca de um programa diferente no final de semana poderão assistir à apresentação da Esquadrilha da Fumaça, que geralmente realiza duas demonstrações no mesmo dia, à Esquadrilha Halcones (Chile), ao avião multimissão Embraer KC-390 Millennium, ao caça A4 Skyhawk da Marinha do Brasil, ao T-25 Universal de instrução da AFA e aos recém-entregues T-27M, a versão modernizada do Tucano.

Na parte das atrações civis, haverá apresentações acrobáticas de aeronaves dos modelos North American T-6, DR-107 One Design, Sukhoi 26, Sukhoi 31, entre outros.

Também ocorrem atrações variadas no solo para diversão do público em geral, além da disponibilização de praça de alimentação ampla.

Antes de reservar seu ingresso gratuito para comemorar os 70 anos de atuação da Esquadrilha da Fumaça e ajudar a comunidade, é importante se atentar a alguns detalhes e regras importantes para que tudo ocorra como o previsto, e assim todos possam desfrutar de um momento agradável em família na AFA:

– A abertura do portão será às 08:00 da manhã no dia 21/08;

– Para obter o seu ingresso/ticket é necessário ser maior de 14 anos (menores do que essa idade não precisam de ingresso);

– Menores de 18 anos devem estar acompanhados de seus pais ou responsáveis;

– Após obter o seu ingresso/ticket é fundamental fazer a impressão para adentrar no local do evento;

– Atente-se ao preenchimento das informações cadastrais no site no momento da obtenção do seu ingresso/ticket, pois este será enviado via e-mail. Depois, caso não o tenha encontrado em seu e-mail, você poderá acessá-lo através do site, no menu “Meus ingressos”, utilizando o mesmo e-mail do credenciamento. É recomendada a criação de uma conta neste site para facilitar a gestão dos ingressos;

– Importante! O ingresso/ticket é individual e intransferível. Portanto, no dia do evento é imprescindível levar o seu ingresso/ticket impresso e um documento com foto para a liberação de sua entrada no evento;

– Os ingressos serão limitados e liberados por lotes que serão informados em momento oportuno no site do evento. Esta limitação se deve ao dimensionamento do espaço para a segurança da realização do evento;

– Estrangeiros que não possuem CPF devem solicitar o ingresso/ticket através do e-mail: contato.domingoaereoafa@gmail.com, enviando a fotocópia do passaporte ou documento de identificação válido para permanência no Brasil (sujeito à disponibilidade de ingressos). Estrangeiros com CPF realizam cadastro normalmente no site;

– A única via de acesso ao evento será pela  Estrada de Aguaí, s/nº – Jardim Bandeirantes – Pirassununga/SP – CEP: 13631-750;

– Devido a restrição de acesso, a organização sugere que se dê preferência aos meios de transportes coletivos (ônibus e vans) e compartilhamento de veículos;

– O estacionamento será gratuito para veículos motorizados, não havendo estacionamento para bicicletas. É importante salientar que o evento não se responsabilizará por quaisquer danos e/ou extravios de objetos materiais provocados por terceiros, como bolsas, capacetes e demais objetos pessoais deixados nos veículos;

– Todos os visitantes passarão por revista com detector de metais;

– Devido ao alto tráfego de visitantes durante o evento é comum cair a rede de internet e telefonia móvel. Portanto, é aconselhável levar dinheiro em espécie caso deseje adquirir alguns produtos e alimentos nas barracas disponíveis no local do evento;

– A organização sugere que seja redobrada a atenção aos riscos de uma possível insolação. Portanto, utilize protetor solar, camisa de manga comprida, bonés, gorros e afins. Não serão permitidos: guarda-sóis, sombrites, sombrinhas e/ou montagem de barracas que prejudiquem a visualização das demonstrações no local do evento.

DAS PROIBIÇÕES

– Não será permitido qualquer tipo de manifestação/propaganda político-partidária, como, por exemplo, camisas, bandeiras, santinhos, bonés de partido entre outros;

– Não será permitida a entrada de veículos contendo qualquer tipo de adesivação de cunho político;

– Não será permitido aos visitantes portar armamento de qualquer espécie, ainda que detenha autorização para o respectivo porte ou que esteja uniformizado e/ou de serviço;

– Não será permitida a entrada de bebidas alcoólicas, coolers ou qualquer tipo de alimento (exceto para lactentes).

PRÓXIMO LOTE DE INGRESSOS

Até a presente data, três lotes de ingressos já foram abertos e se esgotaram. O quarto lote está programado para ser aberto nesta segunda-feira, dia 8 de agosto de 2022, a partir das 19h00. Outros lotes ainda poderão ser disponibilizados posteriormente, mas é recomendado garantir o quanto antes, já que haverá um limite máximo.

A reserva do ingresso e o posterior acesso para consulta e impressão são feitos através do site Sympla, em que a página oficial do Domingo Aéreo AFA 2022 pode ser acessada neste link. Os ingressos costumam ser liberados gradativamente a cada 15 minutos, portanto, caso você não consiga às 19h00, retorne a cada 15 minutos para nova consulta.

REVISTA AERO MAGAZINE


FAB promove simpósio de segurança operacional

Em parceria com a RIOgaleão, a FAB vai promover um simpósio para promover a segurança operacional

Redação | Publicada em 05/08/2022 20:25

Em parceria com a RIOgaleão, a FAB vai promover um simpósio para promover a segurança operacional

Na próxima terça-feira (9), o Destacamento de Controle do Espaço Aéreo (Dtcea-GL) e a concessionária que administra o aeroporto internacional do Rio de Janeiro (GIG) realizam uma nova edição do Simpósio Integrado de Segurança Operacional do Rio de Janeiro. 

O evento volta ao modelo presencial, após um hiato de dois anos devido à pandemia de covid-19. Ele será realizado no auditório do Terminal de Cargas (Teca) e terá a mediação de Rodrigo Moser, Especialista da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). 

A programação contará com palestras de referência da aviação brasileira, para disseminar o conhecimento sobre as melhores práticas e a modernização dos serviços de tráfego aéreo, em benefício da segurança operacional. Renomados especialistas do setor estarão presentes para debater temas relacionados à concepção de risco no incremento da segurança operacional.

Uma das participantes é a CEO do Grupo Med+, empresa que atua em serviços de urgência e emergência aeroportuária. Bruna Lívia estará em um painel sobre “Mulheres da Aviação”, com outras especialistas do setor. A executiva irá expor suas experiências e cases, além de dar dicas para inspirar outras mulheres que também desejam seguir carreira na aviação. 

“Acreditamos que esse assunto é de extrema importância para a sociedade e para a área em que atuamos. Com essas discussões, queremos mostrar que as mulheres estão conquistando cada vez mais seu espaço dentro do setor”, afirmou a gestora.

 

 

Museu Aeroespacial ganha helicóptero de ataque russo

AH-2, helicóptero de fabicação russa, cumpria a missões de ataque na região norte do pais

André Magalhães | Publicada em 05/08/2022 18:40

AH-2, helicóptero de fabicação russa, cumpria a missões de ataque na região norte do pais

O Museu Aeroespacial (Musal), o maior museu de aviação do Brasil, recebeu hoje (5) um helicóptero de ataque AH-2 Sabre, utilizado pela Força Aérea Brasileira.

A equipe do Musal transmitiu. em uma live na conta oficial no Instragram, a chegada do helicóptero que agora fará parte do seu valioso acervo aeronaútico.

Os helicópteros Ah-2 Sabre tiveram uma vida curta na FAB, operando por apenas doze anos. Com uma série de problemas logísticos a FAB está perto de concluir a desativação dos helicopteros de fabricação russa. Em fevereiro, foi anunciada a aposentadoria das aeronaves, operadas pelo Esquadrão Poti (2º/8º GAv), a partir de Porto-Velho, RO.

O Brasil comprou 12 unidades do helicóptero Mi-35Mem 2008, em um acordo de transação comercial com a Rússia. O Mi-35M é derivado do helicóptero Mi-24, sendo considerado um dos mais poderosos helicópteros de ataque de todos os tempos. Se destacando principalmente por sua robustez e o poder de fogo.

Aeronave é equipada com um canhão de 23mm e ainda pode lançar foguetes e mísseis ar-solo. O AH-2 Sabre é equipado com o sistema eletrônico e óptico Giro-estabilizado GOES-342, que permite a detecção e a identificação de alvos por meio de imagem TV.

Por se tratar de uma aeronave de ataque, medidas de defesa também estão inclusas, como flares (sistemas contra misseis infravermelhos), RWR (Radar Warning Receiver), dentre outras.

As aeronaves participaram de algumas importantes operações no Brasil como, por exemplo, ações de defesa na Copa do Mundo de 2014. Porém, seus custos operacionais e problemas logísticos inviabilizaram sua operação no médio e longo prazo.

 

 

PORTAL CAVOK


FAB prestes a concluir aposentadoria do helicóptero de ataque AH-2 Sabre


Diego Alves | Publicada em 05/08/2022 09:32

Força Aérea Brasileira (FAB) está “aposentando” o helicóptero de ataque AH-2 Sabre (Mil Mi-35M Hind), versão de exportação do lendário Mi-24. Os 12 helicópteros recebidos pelo Esquadrão Poti foram entregues em quatro lotes com três aeronaves cada e, atualmente, acumulam mais de 8 mil horas de voo.

O vetor representou um enorme ganho operacional para o Esquadrão Poti, que passou a voar uma aeronave genuinamente de ataque, preenchendo uma lacuna operacional que existia na FAB antes da sua chegada.

Há 12 anos, no dia 17 de abril de 2010, ocorreu, na Base Aérea de Porto Velho (RO), a cerimônia oficial de incorporação dos helicópteros Mi-35M na Força Aérea Brasileira (FAB).

Adquiridos como parte de uma compensação que o governo brasileiro fez, na época, após a Rússia retirar os embargos de importação da carne produzida no Brasil. Naquele momento, o vetor foi muito bem-vindo, apesar das críticas de que o mesmo deveria ser empregado pelo Exército Brasileiro e não pela Força Aérea.

Desenvolvido a partir do helicóptero russo Mi-24, o Mi-35M incorpora várias inovações tecnológicas, mantendo as características principais de seu antecessor, que são o poder de fogo, a blindagem e a robustez.

A Força Aérea Brasileira (FAB) estimava altamente as características de voo dos helicópteros de transporte / ataque russos Mi-35M, de acordo com Serviço Federal da Rússia.

“O comando e os pilotos das Forças Aéreas Brasileiras estimam muito as características de combate, confiabilidade e fácil manutenção do Mi-35M nas condições extremamente difíceis dos trópicos amazônicos”, disse Valeria Reshetnikova, porta-voz da Cooperação Técnica Militar do Serviço Federal Russo e divulgado pela agência russa TASS.

Ainda em 2021, conforme relatado anteriormente pela Russian Helicopters, a companhia iria reparar os helicópteros de combate Mi-35M da Força Aérea Brasileira. Os contratos correspondentes foram assinados pela Russian Helicopters Holding (parte da Rostec State Corporation) em novembro-dezembro de 2020 com a empresa brasileira Indústria de Aviação e Servisos (IAS), empresa autorizada da Força Aérea Brasileira.

Entretanto, a invasão da Ucrânia pela Rússia, acabou dificultando a execução dos processos de manutenção e modernização dos mesmos. Apesar de Brasília manter um razoável relacionamento com Moscou, a ordem para desativação das aeronaves foi dada.

Ainda em 2021, O respeitado portal brasileiro de assuntos militares DefesaNet publicou que os helicópteros AH-2 Sabre (Mi-35) poderiam estar sendo vendidos para a Líbia em uma operação triangular com os Emirados Árabes Unidos.

O DefesaNet citou a publicação francesa Intelligence Online como a fonte. Segundo segue, em informe datado do dia 12 de fevereiro, está em negociação uma operação triangular para que as forças do General Khalifa Haftar (Libyan National Army), recebam um número não especificado dos helicópteros russos Mi-35 (AH-2 Sabre), operados pela Força Aérea Brasileira – FAB.

Obviamente, o Comando da Aeronáutica negou tal negociação. Como já observamos em outro artigo, o Mi-35 foi um ponto fora da curva dentro da Força Aérea Brasileira. Por serem tão poucos exemplares (12 unidades), formarem apenas um esquadrão e terem uma manutenção e logística totalmente diferente da doutrina, o AH-2 apesar de ser formidável, talvez não fosse um vetor necessário.

A compra do Mi-35 pela Força Aérea Brasileira (FAB) em 2008 pegou toda a imprensa especializada de surpresa. Pegou de surpresa porque ninguém esperava. Nem a própria FAB. Foi uma compra política, uma imposição do Kremlin para suspender o embargo a carne brasileira. Embargo esse que também foi político, não sanitário. Acontece que a balança comercial pendia para o Brasil e o governo russo ordenou um equilíbrio, obrigando Brasília a aquisição de produtos russos.

As informação inicial é de que a FAB irá estocar boa parte dos vetores.

OUTRAS MÍDIAS


AGÊNCIA FORÇA AÉREA - Veja como a FAB atua na defesa e controle do espaço aéreo da Amazônia

Força Aérea emprega radares, satélites e aeronaves, 24 horas por dia, em ações que garantem a soberania do País

Redação | Publicada em 05/08/2022 16:44

A Força Aérea Brasileira (FAB) é a responsável pelo Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro (SISDABRA), que atende às necessidades do Brasil para controlar e exercer ações contra movimentos aéreos em circulação pelo Espaço Aéreo Brasileiro que estejam em confronto com os interesses nacionais ou em desacordo com as regras e normas em vigor, tanto em tempo de paz como em um eventual conflito.

O Sistema é constituído de um conjunto de organizações que têm em comum a realização de atividades, ou a posse de meios que podem ser empregados em benefício da finalidade de assegurar o exercício da soberania no Espaço Aéreo Brasileiro. A participação no SISDABRA não está restrita às Forças Armadas. Eventualmente, poderão integrar-se a ele órgãos das Forças Auxiliares, dos Governos Federal, estaduais e municipais, organismos regionais e, até mesmo, entidades não governamentais.

Operação Yanomami

A FAB atua ininterruptamente no combate à atividade ilegal de garimpo em terras indígenas, integrando a Operação Yanomami. As missões são realizadas em atendimento à Polícia Federal e a outros órgãos de segurança e fiscalização. A exemplo disso, desde o dia 22 de julho, as aeronaves C-105 Amazonas e H-60 Black Hawk são empregadas em ações como destruição de estruturas e equipamentos de garimpo, apreensão de munição, transporte de equipes de Policiais Federais e de outros agentes, totalizando cerca de 60 horas de voo.

A Força Aérea mantém alertas de defesa no espaço aéreo que compreende a Terra Indígena Yanomami, operando a partir de Boa Vista (RR) e cumprindo ações de policiamento do espaço aéreo 24 horas por dia.

Somente no ano de 2022, foram realizadas 34 interceptações de aeronaves nas proximidades de Boa Vista, incluindo a região mencionada. Além disso, a FAB conduziu, entre outras, missões de transporte aéreo logístico para a infiltração e exfiltração de Policiais Federais, transporte de cestas básicas para os brasileiros indígenas Yanomamis, completando mais de 230 horas de voo em 2021 e 2022, em suporte a outras agências

Operação Ostium

De forma permanente e conjunta com Órgãos de Segurança Pública do Brasil e de países vizinhos e em cumprimento ao Decreto nº 5.144 de 16 de julho de 2004, a FAB mantém a Operação Ostium, com o objetivo de coibir voos irregulares que possam estar ligados a crimes. Nos últimos três anos, foram realizadas, em todo o Brasil, 652 interceptações com aeronaves da Força Aérea Brasileira em eventos relacionados com missões de Defesa Aérea dentro da Operação Ostium.

Em 2021, as interceptações em eventos relacionados com missões de Defesa Aérea, como parte da Operação, resultaram em cerca de 1.680 kg de drogas apreendidas. Desde 2017, a quantidade totaliza mais de 7,2 toneladas de entorpecentes tirados de circulação. Apenas em 2022, interceptações ocasionaram a apreensão de mais de uma tonelada de drogas.

Radares

A vigilância do espaço aéreo brasileiro é realizada 24 horas por dia pela FAB por meio de uma rede de radares que cobre o território continental do País, além de partes do Oceano Atlântico. Em complemento ao controle de tráfego realizado por meio desses equipamentos, a FAB utiliza aeronaves R-99 e E-99 para monitorar o espaço aéreo brasileiro. O Alerta Aéreo Antecipado ou AEW (do inglês Airborne Early Warning), disponível nos E-99, é uma tecnologia que permite detectar outros aviões, distinguindo, a grandes distâncias, aeronaves amigas e inimigas.

O emprego desta tecnologia é indispensável em um cenário de operações aéreas, em face da flexibilidade de posicionamento da aeronave juntamente com a capacidade de detecção de tráfegos à baixa altura, permitindo realizar a cobertura radar das áreas de interesse do Comando da Aeronáutica (COMAER), além do controle das aeronaves, independentemente da estrutura de Comando e Controle existente no solo.

Estas informações são reunidas em Brasília (DF), no Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), que pode, de acordo com a necessidade, acionar aeronaves de Defesa Aérea em qualquer região do País. A participação da Força Aérea Brasileira envolve também o monitoramento de tráfegos aéreos, de forma a colaborar com informações aos integrantes do SISDABRA.

Satélites

A FAB utiliza ainda os sistemas de satélites controlados pelo COMAE, e que receberão o reforço dos satélites integrantes do Projeto Lessonia, recentemente lançados, ampliando as possibilidades de monitoramento no País, além de apoio às operações de vigilância e controle das fronteiras.

O Sistema de Vigilância da Amazônia (SIVAM), por exemplo, é composto por 27 radares localizados em Barcelos (AM), Belém (PA), Boa Vista (RR), Cachimbo (PA), Conceição do Araguaia (PA), Cruzeiro do Sul (AC), Eirunepé (AM), Guajará-Mirim (RO), Imperatriz (MA), Jacareacanga (PA), Macapá (AP), Manaus (AM), Manicoré (AM), Palmas (TO), Porto Esperidião (MT), Porto Velho (RO), Rio Branco (AC), Santarém (PA), São Félix do Araguaia (MT), São Félix do Xingu (PA), São Gabriel da Cachoeira (AM), São Luís (MA), Sinop (MT), Tabatinga (AM), Tefé (AM), Vilhena (RO) e Tiriós (PA).

Destruição de pistas

A FAB participa também da destruição de pistas de pouso clandestinas. No entanto, ela depende, antes de tudo, da conclusão de investigações a serem realizadas pelos órgãos competentes, não sendo uma atuação única por parte do Comando da Aeronáutica. Assim, ressalta-se o caráter de trabalho interagências no combate aos ilícitos em território nacional. Importante destacar que compete à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), regular e fiscalizar as atividades de aviação civil e de infraestrutura aeronáutica e aeroportuária.

Meios Aéreos

Especificamente tratando-se da proteção e coibição de ilícitos na Região Amazônica, a FAB emprega aeronaves das aviações de Caça, Asas Rotativas, Transporte e Reconhecimento. Entre as aeronaves utilizadas estão os caças A-29 Super Tucano – empregados, por exemplo, para interceptações e destruição de pistas clandestinas; os helicópteros H-60L Black Hawk – empregados para apoio a equipes fiscalizadoras ou forças de segurança e também destruição de pistas clandestinas, entre outras missões; e aeronaves radar E-99 e R-99, que complementam a cobertura de radares de solo.

Ágata Amazônia

Exemplo recente da intensificação das ações na região Amazônica foi a participação da FAB na Operação Ágata Conjunta Amazônia – outra operação interagências – no primeiro semestre de 2022. Ao todo, foram empregadas 14 aeronaves das aviações de Caça, Asas Rotativas, Transporte e Reconhecimento em ações preventivas e repressivas contra crimes como contrabando, descaminho e narcotráfico, além de exploração mineral e garimpo ilegais, praticados na faixa de fronteira.

A FAB também utilizou os sistemas de satélites controlados pelo COPE, que possibilitaram o monitoramento de mais de 225 mil km² da Floresta Amazônica, auxiliando na localização de possíveis ilícitos e crimes ambientais.

A intensificação das ações da Operação Ágata Conjunta Amazônia resultou em apreensões de equipamentos de garimpo ilegal, além de flagrantes de degradação ambiental por meio dos patrulhamentos fluviais, terrestres e aéreos realizados durante o mês de março na região da tríplice fronteira, entre São Gabriel da Cachoeira (AM) e Tabatinga (AM).

A Operação, que também reforçou o controle aduaneiro e apoiou indígenas e demais residentes na faixa de fronteira, ocorreu de modo articulado entre militares da Marinha do Brasil, do Exército Brasileiro e da Força Aérea Brasileira, realizando ações preventivas e repressivas junto à Polícia Federal, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Amazonas (SSP-AM).