NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


PORTAL DEFESANET


FAB: A primeira torre de controle remota (R-TWR)

Estrutura da R-TWR foi instalada na Ala 12, em Santa Cruz, RJ, e é composta por 16 câmeras interligadas a 14 monitores de alta definição, que proporcionam uma visão de 360 graus da área a ser controlada

Publicada em 20/10/2019 06:56

O dia 18 de outubro de 2019 ficará marcado para a história do Controle do Espaço Aéreo Brasileiro. Neste dia entra em operação no aeródromo de Santa Cruz, zona oeste do Rio de Janeiro, a primeira Torre de Controle Remota (do inglês, Remote Air Traffic Services R-TWR) da América Latina.
 
Para o Diretor-Geral do Departamento de Controle do Espaço Aéreo, Tenente-Brigadeiro do Ar Jeferson Domingues de Freitas, o DECEA vem desenvolvendo projetos voltados para a qualidade e a segurança dos usuários. “O objetivo é tornar o setor de transporte aéreo mais rápido, eficiente e econômico”.
 

A partir desta nova modalidade de operação, a visualização do controlador de tráfego aéreo (ATCO) da torre de controle convencional será substituída pela visualização em monitores que reproduzem imagens de um conjunto de câmeras posicionadas próximas da pista, proporcionando uma visão de 360° ao controlador.
 
Foram aproximadamente seis meses de construção em um tempo recorde para equipar a torre e tornar exequível esta nova tecnologia, a primeira a ser estabelecida no Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB).

A estrutura fixada em Santa Cruz (Ala 12) é composta por 16 câmeras fixas, sendo duas com a tecnologia Pan Tilt Zoom (PTZ), a partir da qual será possível a mudança de enquadramento, ou seja, o aumento da imagem até 24 vezes para dar mais nitidez a objetos localizados a quilômetros de distância.
 
Estes equipamentos, fixados na área externa, estão interligados a 14 monitores de 55 polegadas de altíssima definição, que proporcionam uma visão 360 graus da área a ser controlada.
 
“Foi sem dúvida um imenso desafio, que demandou o máximo esforço dos profissionais e das empresas envolvidas. Um ponto positivo dessa solução é a visualização a partir de displays de controle, que permitem a integração entre os sistemas existentes, aumentando significativamente a consciência situacional do controlador de tráfego aéreo”, - detalhou o Presidente da Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA), Major-Brigadeiro Engenheiro Fernando Cesar Pereira Santos.
 
Outro benefício com a utilização da R-TWR será a expertise operacional que será agregada à Força Aérea Brasileira, ou seja, este conjunto de habilidades e conhecimentos do sistema e da tecnologia será o suporte técnico para o processo de estruturação normativa.
 
Em tempo oportuno serão disponibilizadas publicações que norteiem o processo de implantação da modalidade remota do serviço de controle de aeródromo à comunidade aeronáutica.
 
Na R-TWR será realizada amesma atividade de controle prestada em uma torre convencional: informação de voo, prestação do serviço de alerta, autorização para pousos, decolagens e cruzamentos, orientação para o taxiamento de aeronaves, além da disponibilização de quaisquer informações necessárias à condução segura das operações aéreas, como dados meteorológicos e informações aeronáuticas.
 
No futuro, o novo conceito tornará possível o gerenciamento e controle de tráfego aéreo a regiões de difícil acesso, como nos estados e municípios da Região Norte do país.
 
“Não devemos julgar nossos dias pela colheita, mas sim pelas sementes que foram plantadas. Hoje, com a inauguração a primeira R-TWR do Brasil, temos a plena convicção de que uma bela semente foi plantada, que renderá excelentes frutos para o futuro do SISCEAB em termos de economicidade e eficiência nas operações”, completou o Major-Brigadeiro Fernando.

JORNAL CORREIO DO POVO


Ministro participa de entrega de medalhas a brasileiros nos Jogos Mundiais Militares

Osmar Terra acompanha as competições na China

Publicada em 20/10/2019 20:04

Como parte da sua agenda na China, o ministro da Cidadania, Osmar Terra, acompanha as competições dos Jogos Mundiais Militares. Na manhã deste domingo, desembarcou em Wuhan e, no fim da tarde, acompanhou a competição de natação, ao lado do secretário especial do Esporte, Décio Brasil, e ainda participou da cerimônia de entrega de medalhas aos atletas brasileiros que subiram ao pódio.

O Time Militar Brasil conquistou seu segundo ouro nos Jogos Mundiais Militares – o primeiro, na véspera, foi da judoca Rafaela Silva – com a equipe masculina de revezamento 4 x 100m livre. Marco Ferreira, André Calvelo, Fernando Scheffer e Pedro Spajari completaram a prova em 3min14s36 e receberam as medalhas das mãos do ministro Osmar Terra, quando o hino nacional brasileiro tocou pela primeira vez no Wuhan Sports Center Natatorium.

Os brasileiros do revezamento 4 x 200m medley levaram a prata e as brasileiras do 4 x 100m livre ficaram com a medalha de bronze. O ministro falou sobre a alegria em participar desse momento. “Foi a primeira competição que eu pude presenciar aqui na China, então é uma grande emoção ver o Brasil receber o ouro. O esporte é um grande cartão de visitas do país, e nossos atletas nos representam muito bem. Tivemos excelentes resultados nos Jogos Pan Americanos e Parapan Americanos de Lima e, agora, os Jogos Mundiais Militares são a última oportunidade de mostrar a nossa pujança no esporte antes das Olimpíadas de Tóquio.”

Até o momento, o Brasil conquistou 16 medalhas. Dessas, 15 tiveram a participação de atletas beneficiados pelo programa Bolsa Atleta, seja em modalidades individuais ou em esportes coletivos. O governo federal investe no esporte como fator de desenvolvimento social, afirmou o ministro, que em conversa com os medalhistas lembrou que são exemplos para as gerações futuras. “O esporte é uma ferramenta maravilhosa. Apostamos muito nele para melhorar o país. Além dos avanços nas áreas econômica e social que o governo de Jair Bolsonaro está realizando, a área esportiva se destaca e queremos que o Brasil siga sendo uma potência esportiva”, afirmou.

“É muito bom levar motivação, interagir com os nossos atletas. Eles demonstram superação a cada dia, e os resultados estão aí”, afirmou o secretário Décio Brasil. “Ficamos felizes de ver que o apoio garantido pelo governo federal com o Bolsa Atleta e o Programa Atletas de Alto Rendimento das Forças Armadas traz resultados e aponta um bom desempenho para Tóquio”, completou.

A delegação brasileira, composta por 346 atletas, compete em 29 das 32 modalidades dos Jogos Mundiais Militares. A competição vai até o próximo dia 27. Nesta segunda-feira, o ministro e o secretário Décio Brasil acompanham mais competições na torcida pelos atletas do Time Militar Brasil.

PORTAL AIRWAY


FAB inaugura primeira torre de controle remota da América Latina

Estrutura montada na base aérea de Santa Cruz é composta por 16 câmeras interligadas que proporcionam uma visão de 360 graus da área a ser controlada

Thiago Vinholes | Publicada em 20/10/2019

A Força Aérea Brasileira (FAB) inaugurou na última sexta-feira (18/10) a primeira torre de controle remota em um aeródromo na América Latina, na base aérea de Santa Cruz (Ala 12), no Rio de Janeiro (RJ). O início das atividades na nova instalação foi anunciado durante a cerimônia alusiva ao Dia do Aviador e da FAB, realizada em Brasília (DF).

A partir desta nova instalação, a visualização do controlador de tráfego aéreo da torre de controle convencional será substituída pelo acompanhamento de monitores que reproduzem imagens de um conjunto de câmeras posicionadas próximas da pista, proporcionando aos controladores uma visão abrangente da área controlada.

O sistema instalado na Ala 12 é composto por 16 câmeras fixas, sendo duas com a tecnologia Pan Tilt Zoom (PTZ), que permite a mudança de enquadramento e aumento da imagem em até 24 vezes para dar mais nitidez aos objetos localizados a quilômetros de distância. A construção da nova torre levou cerca de seis meses, informou a FAB.

O Comandante do Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Santa Cruz, Major Aviador Bruno Michel Marcondes Alves, explica que as câmeras PTZ podem, ainda, acompanhar aeronaves, automaticamente, ou bandos de pássaros e animais nas pistas de táxi e de pouso e decolagem, o que contribui para a redução do risco de colisão com a fauna. “O sistema permite, ainda, a realização de vistorias sobre as pistas, além da visualização de posições estratégicas, como, por exemplo, pontos de espera”, acrescenta o Major.

As câmeras, fixadas na área externa, estão interligadas a 14 monitores de 55 polegadas de alta definição, que proporcionam uma visão de 360 graus da área a ser controlada.

“Foi sem dúvida um imenso desafio, que demandou o máximo esforço dos profissionais e das empresas envolvidas. Um ponto positivo dessa solução é a visualização a partir de displays de controle, que permitem a integração entre os sistemas existentes, aumentando, significativamente, a consciência situacional do controlador”, detalhou o presidente da Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA), Major-Brigadeiro Engenheiro Fernando Cesar Pereira Santos.

A utilização da torre remota ainda vai permitir a FAB acumular experiência para elaborar publicações que orientem o processo de implantação da tecnologia em outros aeródromos pelo País.

Na torre remota, serão realizadas as mesmas atividades de controle de uma torre convencional: informação de voo, prestação do serviço de alerta, autorização para pousos, decolagens e cruzamentos, orientação para o taxiamento de aeronaves, além da disponibilização de quaisquer informações necessárias à condução segura das operações aéreas, como dados meteorológicos e informações aeronáuticas.

No futuro, o novo conceito tornará possível o gerenciamento e controle de tráfego aéreo em regiões de difícil acesso, como nos estados e municípios da região Norte do Brasil.

Não devemos julgar nossos dias pela colheita, mas sim pelas sementes que foram plantadas. Hoje, com a inauguração da primeira torre remota do Brasil, temos a plena convicção de que uma bela semente foi plantada, que renderá excelentes frutos para o futuro do SISCEAB, em termos de economicidade e eficiência nas operações”, completou o Major-Brigadeiro Fernando.

A primeira torre de controle remoto do mundo foi instalada no aeroporto de Bodø, na Suécia. O sistema vem sendo testado no país desde 2015, mas somente nesta última semana foi declarado totalmente operacional para ser utilizado na aviação comercial.

OUTRAS MÍDIAS


AEROFLAP - FAB realiza cerimônia para comemorar o Dia do Aviador


Agência Força Aérea | Publicada em 20/10/2019 15:57

A cerimônia militar realizada na Ala 1, em Brasília (DF), nesta sexta-feira (18/10), celebrou o Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira (FAB). A solenidade, presidida pelo Comandante Supremo das Forças Armadas, o Presidente da República Jair Bolsonaro, foi marcada pela entrega da Medalha da Ordem do Mérito Aeronáutico (OMA).

O Ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, acompanharam o Presidente na imposição da comenda aos Estandartes das Organizações agraciadas.

Participaram, ainda, da cerimônia Embaixadores estrangeiros de Nações Amigas acreditados junto ao Governo Brasileiro; Ministros de Estado; o Comandante da Marinha do Brasil em exercício, Almirante de Esquadra Celso Luiz Nazareth; o Comandante do Exército Brasileiro, General de Exército Edson Leal Pujol; o ex-Ministro da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro Lélio Viana Lôbo; o ex-Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato; o Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, Tenente-Brigadeiro do Ar Raul Botelho; Senadores e Deputados Federais; membros do Almirantado, do Alto-Comando do Exército e do Alto-Comando da Aeronáutica, de ontem e de hoje; autoridades integrantes dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário; Ministros militares e civis do Superior Tribunal Militar; Oficiais-Generais da Marinha, do Exército e da Aeronáutica; Adidos Militares acreditados junto ao Governo Brasileiro; Presidentes, Diretores e Representantes de Empresas Aéreas, Aeroportuárias e da Indústria Aeroespacial Brasileira; Membros Honorários da FAB e demais autoridades.

Durante seu discurso, o Presidente da República destacou as atividades e os diversos serviços da Força Aérea prestados ao País. Lembrou da história da Aeronáutica Brasileira, citando Alberto Santos-Dumont e seu 14 BIS, bem como um dos mais recentes projetos da Força, a aeronave multimissão KC-390.

Pontuou, ainda, o transporte de órgãos executado pela Força Aérea, demonstrando como exemplo de sucesso o caso da menina Alícia Alves Silva, de 9 anos, que recebeu um coração transportado pela FAB. “A Aeronáutica é muito mais do que uma guardiã da nossa Constituição, a Aeronáutica também é vida”, declarou.

O Comandante da Aeronáutica exaltou a inspiração, o comprometimento e a atitude de Alberto Santos-Dumont, ideais deixados como herança aos integrantes da FAB. Relembrou fatos que marcaram a história da Força, como a participação de brasileiros da 1ª Esquadrilha de Ligação e Observação e do 1º Grupo de Aviação de Caça na Segunda Guerra Mundial. “Cabe a todos nós avançar, rumo ao futuro, mantendo o inabalável compromisso com os destinos da Força Aérea, unidos em torno do projeto de desenvolvimento desta pujante nação”, enfatizou o Tenente-Brigadeiro Bermudez.

Reconhecimento

Condecorado com a medalha no grau Grande-Oficial, o Senador da República Carlos Viana destacou que o reconhecimento incentiva a continuidade do trabalho em favor da Aeronáutica Brasileira. “Sinto-me honrado com essa comenda, de uma Instituição renomada como a Força Aérea”, afirmou.

Para os militares, a imposição da OMA representa um marco na trajetória profissional. “É motivador estar na carreira e ser homenageado. Tenho bastante orgulho de pertencer à FAB”, ressaltou o Major-Brigadeiro do Ar Alcides Teixeira Barbacovi, agraciado com o grau Grande-Oficial.

O Coronel Aviador Luiz Cláudio Macedo Santos, condecorado com a OMA no grau Oficial, disse que é uma alegria ter a medalha aos 34 anos de carreira. “Um reconhecimento por todos esses anos de serviço. Uma satisfação muito grande receber tão valiosa honraria”, comentou.

Gratidão é, também, o sentimento do Suboficial Especialista em Eletrônica Alessandro Barreto de Oliveira. “É um sonho, uma realização pessoal. São mais de 30 anos serviços prestados à Força Aérea e fiquei muito feliz com essa indicação”, disse o militar, condecorado no grau Cavaleiro.

Inovação

Durante a cerimônia, foi apresentada a primeira Torre de Controle de Aeródromo remota. O sistema, implantado na Ala 12, em Santa Cruz, no Rio de Janeiro (RJ), é composto por câmeras fixas interligadas a monitores de alta definição, com visão de 360 graus da área de controle. No futuro, o novo conceito tornará possível o gerenciamento e o controle de tráfego aéreo em regiões de difícil acesso. Além da implementação da Torre de Controle remota, outros dois projetos recentes da FAB – as aeronaves F-39 Gripen e KC-390 – foram lembrados durante o evento como símbolos do avanço tecnológico da Força Aérea. Uma réplica em tamanho real do Gripen foi exposta no Pátio de Formaturas da Ala 1.

A figura de Santos-Dumont e um aviador da FAB representaram a evolução da Aeronáutica no país e, juntos, entregaram ao Tenente-Brigadeiro Bermudez a Ordem do Dia alusiva ao Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira. Ao final do evento, a tropa desfilou em continência ao Presidente da República, ao som da canção Bandeirantes do Ar. Compuseram o desfile Oficiais e Cadetes da Academia da Força Aérea, militares do Grupo de Segurança e Defesa de Brasília e integrantes do efetivo da Ala1.

Data Comemorativa

O dia 23 de outubro foi instituído como o Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira por ser a data em que Alberto Santos-Dumont realizou o primeiro voo com o 14 BIS, o aparelho mais pesado que o ar. O fato histórico ocorreu no Campo de Bagatelle, em Paris, em 1906, quando o brasileiro percorreu 60 metros, voando a cerca de dois metros do solo, perante mais de mil espectadores e da Comissão Oficial do Aeroclube da França.

AEROFLAP - FAB inicia a operação da primeira Torre de Controle de Aeródromo Remota


Pedro Viana | Publicada em 20/10/2019 15:04

O dia 18 de outubro de 2019 ficará marcado para a história do Controle do Espaço Aéreo Brasileiro. Nesta data, entrou em operação no aeródromo de Santa Cruz, no Rio de Janeiro (RJ), a primeira Torre de Controle Remota da América Latina. A apresentação ocorreu durante a cerimônia alusiva ao Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira, ocorrida em Brasília (DF).

Para o Diretor-Geral do Departamento de Controle do Espaço Aéreo, Tenente-Brigadeiro do Ar Jeferson Domingues de Freitas, o DECEA vem desenvolvendo projetos voltados para a qualidade e  segurança dos usuários. “O objetivo é tornar o transporte aéreo mais rápido, eficiente e econômico”.

A partir desta nova modalidade de operação, a visualização do controlador de tráfego aéreo da torre de controle convencional será substituída pelo acompanhamento de monitores que reproduzem imagens de um conjunto de câmeras posicionadas próximas da pista, proporcionando ao controlador uma visão abrangente.

Foram, aproximadamente, seis meses de obras para equipar a torre e tornar exequível esta nova tecnologia, a primeira a ser estabelecida no Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB).

A estrutura, instalada em Santa Cruz, na Ala 12, é composta por 16 câmeras fixas, sendo duas com a tecnologia Pan Tilt Zoom (PTZ), a partir da qual será possível a mudança de enquadramento, ou seja, o aumento da imagem até 24 vezes, para dar mais nitidez a objetos localizados a quilômetros de distância.

O Comandante do Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Santa Cruz, Major Aviador Bruno Michel Marcondes Alves, explica que as câmeras PTZ podem, ainda, acompanhar aeronaves, automaticamente, ou bandos de pássaros e animais nas pistas de táxi e de pouso e decolagem, o que contribui  para a redução do risco de colisão com a fauna. “O sistema permite, ainda, a realização de vistorias sobre as pistas, além da visualização de posições estratégicas, como, por exemplo, pontos de espera”, acrescenta o Major.

As câmeras, fixadas na área externa, estão interligadas a 14 monitores de 55 polegadas de altíssima definição, que proporcionam uma visão de 360 graus da área a ser controlada.

“Foi sem dúvida um imenso desafio, que demandou o máximo esforço dos profissionais e das empresas envolvidas. Um ponto positivo dessa solução é a visualização a partir de displays de controle, que permitem a integração entre os sistemas existentes, aumentando, significativamente, a consciência situacional do controlador”, detalhou o Presidente da Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA), Major-Brigadeiro Engenheiro Fernando Cesar Pereira Santos.

Outro benefício com a utilização da torre será a expertise operacional que será agregada à Força Aérea Brasileira, ou seja, este conjunto de habilidades e conhecimentos do sistema e da tecnologia será o suporte técnico para o processo de estruturação normativa.

Em tempo oportuno, serão disponibilizadas publicações que norteiem o processo de implantação da modalidade remota do serviço de controle de aeródromo à comunidade aeronáutica.

Na torre remota, serão realizadas as mesmas atividades de controle de uma torre convencional: informação de voo, prestação do serviço de alerta, autorização para pousos, decolagens e cruzamentos, orientação para o taxiamento de aeronaves, além da disponibilização de quaisquer informações necessárias à condução segura das operações aéreas, como dados meteorológicos e informações aeronáuticas.

No futuro, o novo conceito tornará possível o gerenciamento e controle de tráfego aéreo em regiões de difícil acesso, como nos Estados e Municípios da Região Norte do país.

“Não devemos julgar nossos dias pela colheita, mas sim pelas sementes que foram plantadas. Hoje, com a inauguração da primeira torre remota do Brasil, temos a plena convicção de que uma bela semente foi plantada, que renderá excelentes frutos para o futuro do SISCEAB, em termos de economicidade e eficiência nas operações”, completou o Major-Brigadeiro Fernando.

FOLHA DE BOA VISTA (RR) - Mais de cinco mil pessoas visitaram a Base Aérea neste domingo

O evento é realizado em alusão ao Dia do Aviador, comemorado em 23 de outubro, dia em que Santos Dumont fez o primeiro voo de avião

Dina Vieira | Publicada em 20/10/2019 14:35

Um dia de muito lazer foi proporcionado a mais de cinco mil pessoas que passaram pela Base Aérea de Boa Vista (ALA 7) nesse domingo, 20, durante o tradicional evento “Portões Abertos”.

A engenheira Elaine Medeiros levou toda a família para conhecer o trabalho da Força Aérea, como forma de incentivar ainda mais o filho que sonha em ser piloto. “É a primeira vez que trago meus filhos aqui e estamos gostando muito, até porque o sonho do meu filho é ser piloto e essa é uma forma de incentiva-lo a seguir nessa carreira profissional quando crescer”, comentou.

Durante o dia, foram realizados quatro voos panorâmicos, onde cerca de 20 participantes que doaram 1 quilo de alimento não perecível, que serão entregues a instituições sociais, foram sorteados e puderam sentir a emoção de voar.

O evento contou ainda com praça de alimentação, brinquedoteca com brinquedos infláveis, apresentação dos cães do canil da ALA 7, apresentação da Banda de música da ALA 7, exposição de aeronaves civis e militares, e exposição do Clube do Fusca e Motoclube de Roraima.

Para autônoma Raisa da Costa, essa foi a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre aviação e proporcionar um lazer diferente para a família. “Veio a família inteira, já vimos muitas coisas que superaram nossas expectativas”, frisou.

O comandante da Ala 7, coronel Newton de Abreu, explicou que a comemoração além do lazer traz um lado social.

“Temos aqui diversos serviços de cidadania e saúde oferecidos por instituições parceiras, que dão a oportunidade para que os visitantes façam exames médicos e participem de outras atividades, além de conhecer um pouco da nossa rotina diária a serviço da proteção do espaço aéreo brasileiro. Contamos com a parceira de instituições como a Polícia Militar, Exército, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal”, pontuou.

O evento é em alusão ao Dia do Aviador. No dia 23 de outubro de 1906, o brasileiro Alberto Santos Dumont se tornou o primeiro ser humano a voar. A bordo do 14-Bis, sua criação, Dumont fez um voo no Campo Bagatelle, na França, que ficaria registrado como o inicio de uma grande revolução nos meios de transporte na Terra: o avião.

No dia 23 de outubro será realizada a tradicional formatura alusiva ao Dia do Aviador, e no dia 30 a formatura em comemoração aos 35 anos da Ala 7 em Roraima.

DEFESA TV - Força Aérea Brasileira é pioneira ao inaugurar Torre de Controle Remota na América Latina


Publicada em 20/10/2019 09:45

O dia 18 de outubro de 2019 ficará marcado para história do Controle do Espaço Aéreo Brasileiro. Nesta data, entrou em operação no aeródromo de Santa Cruz, no Rio de Janeiro (RJ), a primeira Torre de Controle Remota da América Latina.

A apresentação ocorreu durante a cerimônia alusiva ao Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira, ocorrida em Brasília (DF).

Para o Diretor-Geral do Departamento de Controle do Espaço Aéreo, Tenente-Brigadeiro do Ar Jeferson Domingues de Freitas, o DECEA vem desenvolvendo projetos voltados para a qualidade e  segurança dos usuários. “O objetivo é tornar o transporte aéreo mais rápido, eficiente e econômico”.

A partir desta nova modalidade de operação, a visualização do controlador de tráfego aéreo da torre de controle convencional será substituída pelo acompanhamento de monitores que reproduzem imagens de um conjunto de câmeras posicionadas próximas da pista, proporcionando ao controlador uma visão abrangente.

Foram, aproximadamente, seis meses de obras para equipar a torre e tornar exequível esta nova tecnologia, a primeira a ser estabelecida no Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB).

A estrutura, instalada em Santa Cruz, na Ala 12, é composta por 16 câmeras fixas, sendo duas com a tecnologia Pan Tilt Zoom (PTZ), a partir da qual será possível a mudança de enquadramento, ou seja, o aumento da imagem até 24 vezes, para dar mais nitidez a objetos localizados a quilômetros de distância.

O Comandante do Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Santa Cruz, Major Aviador Bruno Michel Marcondes Alves, explica que as câmeras PTZ podem, ainda, acompanhar aeronaves, automaticamente, ou bandos de pássaros e animais nas pistas de táxi e de pouso e decolagem, o que contribui  para a redução do risco de colisão com a fauna. “O sistema permite, ainda, a realização de vistorias sobre as pistas, além da visualização de posições estratégicas, como, por exemplo, pontos de espera”, acrescenta o Major.

As câmeras, fixadas na área externa, estão interligadas a 14 monitores de 55 polegadas de altíssima definição, que proporcionam uma visão de 360 graus da área a ser controlada.

“Foi sem dúvida um imenso desafio, que demandou o máximo esforço dos profissionais e das empresas envolvidas. Um ponto positivo dessa solução é a visualização a partir de displays de controle, que permitem a integração entre os sistemas existentes, aumentando, significativamente, a consciência situacional do controlador”, detalhou o Presidente da Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA), Major-Brigadeiro Engenheiro Fernando Cesar Pereira Santos.

Outro benefício com a utilização da torre será a expertise operacional que será agregada à Força Aérea Brasileira, ou seja, este conjunto de habilidades e conhecimentos do sistema e da tecnologia será o suporte técnico para o processo de estruturação normativa.

Em tempo oportuno, serão disponibilizadas publicações que norteiem o processo de implantação da modalidade remota do serviço de controle de aeródromo à comunidade aeronáutica.

Na torre remota, serão realizadas as mesmas atividades de controle de uma torre convencional: informação de voo, prestação do serviço de alerta, autorização para pousos, decolagens e cruzamentos, orientação para o taxiamento de aeronaves, além da disponibilização de quaisquer informações necessárias à condução segura das operações aéreas, como dados meteorológicos e informações aeronáuticas.

No futuro, o novo conceito tornará possível o gerenciamento e controle de tráfego aéreo em regiões de difícil acesso, como nos Estados e Municípios da Região Norte do país.

“Não devemos julgar nossos dias pela colheita, mas sim pelas sementes que foram plantadas. Hoje, com a inauguração da primeira torre remota do Brasil, temos a plena convicção de que uma bela semente foi plantada, que renderá excelentes frutos para o futuro do SISCEAB, em termos de economicidade e eficiência nas operações”, completou o Major-Brigadeiro Fernando.

AGÊNCIA DEFESA - Piloto do TIME MILITAR BRASIL conquista a primeira medalha para o Brasil nos 7º Jogos Mundiais Militares


Publicada em 20/10/2019

O capitão aviador Frederico de Brito Machado, da Força Aérea Brasileira, conquistou neste sábado (19) a primeira medalha para o Brasil nos 7o Jogos Mundiais Militares (7JMM), que ocorrem em Wuhan, na China, desde o dia 14 até o dia 28 deste mês.

O capitão Brito ficou em segundo lugar na prova conhecida como Rally Aéreo, que faz parte da modalidade Pentatlo Aeronáutico Militar, assim como outras seis provas: tiro, natação, esgrima, basquete, corrida com obstáculos e orientação.

O rally consiste de uma navegação aérea a uma altura entre 450 a 750 pés – algo em torno de 130 a 230 metros – a uma velocidade média aproximada de 200 km/h, em terreno desconhecido pelo piloto e utilizando apenas o auxílio de um mapa, um transferidor e uma régua de tempo. O voo exige um planejamento minucioso das equipes participantes, onde o tempo é restrito e os pontos de controle são marcados segundo a segundo no relógio da equipe de arbitragem. Para os 7o Jogos, a aeronave utilizada foi um Nanchang Cj-6.

Placar dos Jogos

Confira abaixo o placar dos jogos durante os últimos três dias:

• Futebol Masculino
Brasil (0) x Bahrain (1)
Quartas de final dia 23

• Futebol Masculino
Brasil (0) x França (0)
Quartas de final dia 23

• Futebol Feminino
Brasil (0) x Korea (3)
Semifinais dia 24

• Vôlei Feminino
Brasil (0) x China (3)
Semifinais dia 21

• Vôlei Feminino
Brasil (3) x Canadá (0)
Semifinais dia 21

19 de outubro (até 21h45, horário local)

• Natação feminino
50m livre Larissa 4º 25, 62 (eliminatórias)
50m livre Etienne 6º 25,68 (eliminatórias)
400m livre Vivi 7º 4:18,93 (eliminatórias)
400m livre Manu 10º 4:28,22 (eliminatórias)

• Natação masculino
100m costas Guilherme Basseto 2º 54,70 (MEDALHA PRATA)
50m livre Pedro Spajari 2º 22,54 (MEDALHA PRATA)
4×200 Revezamento Nado Livre (MEDALHA DE PRATA)

• Vôlei de Praia masculino
Saymon /Guto (2) x Shrestha/Sunar NEP (0) – 21×9 e 21×15

• Pentatlo Militar feminino
Tiro Equipe feminino
1º China, 2º Dinamarca, 3º BRASIL, 4º Rússia

• Pentatlo Aeronáutico
Rally Aéreo, Cap Av Brito, MEDALHA DE PRATA
China medalha de ouro, Finlândia bronze

• Ciclismo feminino
Prova CRI, Polegatch 5º 22,06
Prova de CRI, Paparella 14º

• Ciclismo masculino
Prova Contra Relógio, Prado 7º
Prova Contra Relógio, Gohr 9º

• Hipismo
Parcial por equipes – 1º Itália, 2º Rússia, 3º BRASIL, 4º França

• Golfe feminino
Brasil assume a liderança logo no 1º dia com 7 strokes de vantagem sobre os EUA.
3º Sgt Miriam 1º lugar
3º Sgt Clara 3º lugar

• Basquete feminino
BRA (87) X ALE (33)
Amanhã BRA x EUA

• Judô feminino
Até 57kg Rafaela Silva (MEDALHA OURO)

DE FATO (MG) - Itabirano é esperança de medalha para o Brasil nos Jogos Mundiais Militares

Talles Silva compete no salto em altura na competição que acontece na China

Rodrigo Andrade | Publicada em 20/10/2019

Aberto oficialmente na última sexta-feira (18), em Wuhan, na CHina, os Jogos Mundiais Militares reúnem atletas de exércitos, marinhas e aeronáuticas de diversas nações. A delegação brasileira tem 352 representantes e uma das esperanças de medalhas é o itabirano Talles Silva, 28 anos, um dos principais nomes do país no salto em altura.

Talles Silva é sargento temporário da Aeronáutica e foi convocado para compor a delegação brasileira. O itabirano está em Wuhan desde o início da última semana, se ambientando ao país asiático e, principalmente, ao fuso horário de 11 horas em relação ao Brasil. Ele compete na próxima terça-feira (22), às 8h20, no horário brasileiro, 19h20 na China.

O itabirano chega à China com moral após o título do Troféu Brasil de Atletismo, principal competição de atletismo do país. Para garantir a medalha de ouro, ultrapassou o sarrafo a 2,21 metros, sua melhor marca no ano até aqui.

A obsessão de Talles está nas Olimpíadas de Tóquio, em 2020. A tarefa não é fácil. Para garantir sua segunda participação na maior competição esportiva do mundo, o atleta terá que saltar para 2,33 metros, marca que nunca alcançou em toda carreira. Outro caminho é acumular pontos o suficiente nas competições que disputar, incluindo os Jogos Militares.

Brasil na China

Os 352 atletas que compõem a delegação brasileira na China competirão em 29 modalidades. Serão 12 dias de jogos, que tiveram início no dia 16 e prosseguem até o próximo dia 27.

A missão do Brasil é terminar a competição entre os três primeiros países no quadro de medalhas. Em 2011, quando sediou os Jogos, o Brasil foi o campeão geral. Quatro anos depois, em 2015, o país ficou na segunda colocação.

O SUL - A Força Aérea Brasileira inaugurou a primeira torre de controle operada à distância na América Latina


Marcello Campos | Publicada em 20/10/2019 06:51

Em um feito enaltecido pela Aeronáutica como “histórico” para o segmento no País, o aeródromo de Santa Cruz, no Rio de Janeiro, inaugurou a primeira torre de controle de tráfego aéreo operada remotamente da América Latina. Nessa modalidade, a visualização do controlador na torre convencional é substituída pelo acompanhamento de monitores que reproduzem imagens de câmeras próximas à pista.

Segundo a FAB (Força Aérea Brasileira), foram aproximadamente seis meses de obras para equipar a torre e tornar exequível esta nova tecnologia, a primeira a ser estabelecida no Sisceab (Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro).

A estrutura é composta por 16 câmeras fixas, sendo duas com a tecnologia PTZ (Pan Tilt Zoom), a partir da qual será possível a mudança de enquadramento, ou seja, o aumento da imagem até 24 vezes, para dar mais nitidez a objetos localizados a quilômetros de distância.

O Comandante do Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Santa Cruz, Major Aviador Bruno Michel Marcondes Alves, explica que as câmeras PTZ podem, ainda, acompanhar aeronaves, automaticamente, ou bandos de pássaros e animais nas pistas de táxi e de pouso e decolagem, o que contribui para a redução do risco de colisão com a fauna:

“O sistema permite, ainda, a realização de vistorias sobre as pistas, além da visualização de posições estratégicas, como, por exemplo, pontos de espera”, acrescenta o Major.

As câmeras, fixadas na área externa, estão interligadas a 14 monitores de 55 polegadas de altíssima definição, que proporcionam uma visão de 360 graus da área a ser controlada.

Outro benefício com a utilização da torre será a expertise operacional que será agregada à Força Aérea Brasileira, ou seja, este conjunto de habilidades e conhecimentos do sistema e da tecnologia será o suporte técnico para o processo de estruturação normativa.

Futuramente, serão disponibilizadas publicações que norteiem o processo de implantação da modalidade remota do serviço de controle de aeródromo à comunidade aeronáutica.

Na torre remota, serão realizadas as mesmas atividades de controle de uma torre convencional: informação de voo, prestação do serviço de alerta, autorização para pousos, decolagens e cruzamentos, orientação para o taxiamento de aeronaves, além da disponibilização de quaisquer informações necessárias à condução segura das operações aéreas, como dados meteorológicos e informações aeronáuticas.

Esse novo conceito tornará possível o gerenciamento e controle de tráfego aéreo em regiões de difícil acesso, como nos Estados e Municípios da Região Norte do país.

Manifestações

“Foi sem dúvida um imenso desafio, que demandou o máximo esforço dos profissionais e das empresas envolvidas. Um ponto positivo dessa solução é a visualização a partir de displays de controle, que permitem a integração entre os sistemas existentes, aumentando, significativamente, a consciência situacional do controlador”, detalhou o presidente da Comissão de Implantação do Ciscea, major-brigadeiro Fernando Cesar Pereira Santos.

“Não devemos julgar nossos dias pela colheita, mas sim pelas sementes que foram plantadas. Hoje, com a inauguração da primeira torre remota do Brasil, temos a plena convicção de que uma bela semente foi plantada, que renderá excelentes frutos para o futuro do SISCEAB, em termos de economicidade e eficiência nas operações”, completou o major-brigadeiro.

Para o tenente-brigadeiro Jeferson Domingues de Freitas, diretor-geral do Decea (Departamento de Controle do Espaço Aéreo), o órgão vem desenvolvendo projetos voltados para a qualidade e segurança dos usuários: “O objetivo é tornar o transporte aéreo mais rápido, eficiente e econômico”.

TRANSPONDER 1200 (COL) - Inauguran la primera torre de control remota de Latinoamérica


Erick Cerqueira | Publicada em 20/10/2019

Fue inaugurada por la Fuerza Aérea Brasileña (FAB) el pasado viernes 18 de octubre en la Base Aérea de Santa Cruz, en Río de Janeiro, la primera torre de control remota de Latinoamérica. La estructura de la torre remota (R-TWR) consiste en cámaras interconectadas con monitores de alta definición, proporcionando una vista virtual panorámica del área a ser controlada.

Según las autoridades brasileñas, se necesitaron aproximadamente seis meses de construcción para equipar la torre y hacer posible esta nueva tecnología, la primera que se estableció en el Sistema de Control del Espacio Aéreo Brasileño (SISCEAB). A partir de este nuevo modo de operación, la vista del controlador de tránsito aéreo de la torre de control convencional será reemplazada por la vista en los monitores, que reproducen imágenes de un conjunto de cámaras ubicadas cerca de la pista.

La estructura está compuesta por dieciséis cámaras fijas, dos de ellas con tecnología Pan Tilt Zoom (PTZ), desde la cual será posible cambiar el encuadre, es decir, ampliar la imagen hasta veinticuatro veces para enfocar objetos ubicados a kilómetros de distancia. Las cámaras, fijadas fuera de la sala de control, están interconectados a catorce monitores de muy alta definición de 55″ pulgadas, que proporcionan una vista de 360º grados del área de la terminal.

En la torre remota se realizará la misma actividad de control proporcionada en una torre convencional; a su debido tiempo, señaló la fuerza aérea, se proporcionará toda la información para guiar el proceso de implementación del modo remoto de servicio de control de aeródromo a la comunidad aeronáutica en general.

Un beneficio de la utilización de la torre remota (R-TWR) será la experiencia operativa que se agregará a la Fuerza Aérea Brasileña (FAB) para el proceso de estructuración normativa del nuevo sistema; en el futuro, la intención es expandir el nuevo concepto, lo que permitirá gestionar y controlar el tráfico aéreo en aeropuertos y aeródromos en regiones de difícil acceso en el país sudamericano, como los ubicados en pequeñas ciudades en el interior de la Amazonía brasileña.