NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


PORTAL G1


Passagem do dirigível Zeppelin pelo Rio completa 90 anos no domingo

Reportagem especial do RJ2 nesta sexta (22) relembrou alguns momentos da histórica visita e as lembranças que ficaram na memória de muitos cariocas.

Paulo Mário Martins | Publicada em 22/05/2020 20:03

A passagem do dirigível Zeppelin pelo Rio de Janeiro completa 90 anos. Uma reportagem especial do RJ2 nesta sexta-feira (22) relembrou alguns momentos da histórica visita e as lembranças que ficaram na memória de muitos cariocas.

O hangar onde o dirigível ficou guardado, em Santa Cruz, na Zona Oeste, ainda existe. Atualmente, o galpão é utilizado para conserto de aviões da Força Aérea Brasileira (FAB).

O espaço, construído especialmente para receber o Zeppelin, tem 274 metros de comprimento, 58 de altura e 58 metros de largura.

Imagens da época mostram que o Zeppelin chegou ao Rio e a cidade parou para ver a novidade cruzar o céu.

O dirigível pesava 10 toneladas, era movido a hidrogênio e usava tripas de animais para evitar que o gás escapasse.

A viagem começou na Alemanha. Até o Brasil foram 3 dias e meio de viagem. De navio, o mesmo percurso levava 10 dias de navio. Como curiosidade, atualmente um voo entre a Alemanha e o Rio de Janeiro dura 11 horas.

O Zeppelin era um luxo com padrão primeira classe. Ele tinha 10 cabines duplas, lavabos, banheiros, restaurante, cozinha e o serviço usava louça de luxo. O Zeppelin transportou brasileiros ilustres como o presidente Getúlio Vargas e Heitor Villa-Lobos.

AEROFLAP


Multimissão em serviço no Litoral Brasileiro


André Magalhães | Publicada em 22/05/2020 09:58

A ação dos pilotos que integram a Aviação de Patrulha, que em 22 de maio comemora sua data, é vigiar, 24 horas por dia, uma área de aproximadamente 13,5 milhões de quilômetros quadrados. O nascimento da Aviação de Patrulha ocorreu em 1942, quando o país se tornou alvo de sucessivos afundamentos de navios mercantes brasileiros por submarinos alemães e italianos. A partir de então, a Força Aérea Brasileira (FAB) iniciou as atividades de cobertura de todo o Litoral nacional. Hoje, os Esquadrões Orungan (1°/7° GAV), sediado em Santa Cruz, no Rio de Janeiro (RJ); Phoenix (2°/7° GAV), em Canoas (RS); e Netuno (3°/7° GAV), em Belém (PA), compõem a Aviação de Patrulha da FAB. Duas aeronaves são operadas: P-95 Bandeirulha e P-3AM Orion.

Dentre as atuações da Aviação de Patrulha, estão, ainda, a detecção e identificação de navios mercantes, de pesquisa e pesqueiros, e o repasse de informações às autoridades competentes em razão de irregularidades como pesca ilegal ou exploração da biodiversidade da Zona Econômica Exclusiva. As aeronaves de Patrulha atuam também como meio de Busca e Salvamento, como na Operação Paso Drake, quando houve envolvimento nas buscas ao C-130 da Força Aérea Chilena que desapareceu a caminho da Antártida, com 38 pessoas a bordo, em dezembro de 2019.

De acordo com o Comandante do Esquadrão Phoenix, Tenente-Coronel Aviador Miguel Ângelo Côrtes Salvio Junior, “a Aviação de Patrulha possui capacidades específicas que se constituem de características do Poder Aeroespacial, como alcance, flexibilidade e versatilidade, mobilidade e pronta-resposta”.

 Comandante do Esquadrão Netuno, Tenente-Coronel Aviador Marcos Okiyama, reforça que a Patrulha, desde sua criação, é uma aviação combatente, que protege e garante a soberania brasileira. “Estamos em permanente alerta, patrulhando nossos mares e prontos para localizar e auxiliar qualquer embarcação que necessite de ajuda”, garante.

Carta de Agradecimento

Em dezembro de 2019, o Esquadrão Orungan atuou na Operação Paso Drake, na busca ao avião C-130 Hércules da Força Aérea do Chile que desapareceu a caminho da Antártica, com 38 pessoas a bordo. Devido a esse apoio, o Comandante da Força Aérea Chilena, General do Ar Arturo Merino Núñez enviou ao Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, uma carta de agradecimento.

Junto com cumprimentá-lo atenciosamente, queria fazer chegar a nome de todos os homens e mulheres da Força Aérea do Chile e particularmente em meu nome, os mais sinceros e profundos agradecimentos, por toda a oportuna atuação e eficiência que entregaram incondicionalmente na procura e resgate, do avião C-130, destacando especialmente o importante esforço humano, profissional e tecnológico, que empregaram em encontrar a nossos queridos camaradas e amigos (Q.E.P.D.).

Da mesma forma, devemos reconhecer a capacidade dos seus meios aéreos e o grande apoio humano demonstrado por vossa instituição, na qual permitiu agilizar a procura dos nossos 38 mártires desaparecidos, esforços que sem dúvida nenhuma, ajudarão no possível atenuar essa grande dor e dar um pouco de tranquilidade a cada família afetada por este trágico acidente.

Aproveitando esta oportunidade, desejo-lhe expressar meus votos de apreço pessoal e consideração, solicitando da mesma maneira lhe fazer chegar os agradecimentos a cada uma das pessoas que colaboraram intensamente de alguma forma nesta árdua, dolorosa e triste labor, mas que nos deixa uma grande satisfação, destacando o importante e essencial que são as Forças Aéreas irmãs, unidas por um fim em comum.

Arturo Merino Núñez
General do Ar
Comandante em Chefe

Assista à homenagem ao Dia da Aviação de Patrulha


Da Redação | Publicada em 22/05/2020 09:59

O Dia da Aviação de Patrulha é comemorado em 22 de maio e faz referência à primeira ação marcada pelo batismo de fogo da Força Aérea Brasileira (FAB). O vídeo mostra a evolução histórica ocorrida desde 1942 nas atividades de patrulha marítima, vigilância e proteção das riquezas do Brasil.

Assista ao videoclipe em homenagem ao Dia da Aviação de Patrulha. A produção é uma homenagem a todos os militares que têm a responsabilidade de vigiar 24 horas por dia uma área de aproximadamente 13,5 milhões de quilômetros quadrados sobre o litoral brasileiro.