INTEGRAÇÃO

FAB realiza Ação Cívico-Social em comunidade no Amazonas

A expectativa é atender cerca de 250 pacientes em três dias de ACISO
Publicado: 14/12/2017 17:00h
Imprimir
Fonte: CECOMSAER, por Tenente Iris Vasconcellos
Edição: Major Alle

“É um menino”. Foi com um sorriso que Clarice Gomes Galvão, grávida de oito meses e meio, recebeu a notícia do sexo do filho que espera. O anúncio foi feito pela médica ginecologista, Tenente Hanna de Miranda Dias, nesta quarta-feira (13/12) – primeiro dia da Ação Cívico-Social (ACISO) que a Força Aérea Brasileira (FAB) realiza em Iauaretê (AM), comunidade localizada na fronteira entre Brasil e Colômbia, distante cerca de 1100 km da capital Manaus.

“Esse tipo de momento reacende a nossa paixão pela medicina. É muito gratificante poder dar oportunidade a quem não tem acesso”, destaca a Tenente Hanna Dias.

Até a próxima sexta-feira (15/12), oito profissionais de saúde integrantes da Ala 8, sediada em Manaus, vão realizar atendimentos para a população local em diversas especialidades, como ginecologia, pediatria e odontologia, na Escola Estadual Pamuri Mahsã Wi’i.

“A expectativa é receber cerca de 250 pacientes”, ressaltou o ortopedista, Tenente Lucas Inoue Coutinho. Segundo ele, os moradores de Iauaretê têm pouco acesso a médicos especialistas. “Depois que eu realizo os atendimentos, é muito comum ouvir o paciente dizer que é a primeira vez que foi ao ortopedista”, comenta.

Iauaretê possui cerca de quatro mil habitantes, principalmente indígenas da etnia Tucano, distribuídos em cerca de 45 comunidades. De acordo com os médicos da Ação Cívico-Social, os principais problemas de saúde da população são os decorrentes de verminosa e malária.

Patriciane Rodrigues levou as duas filhas, Jose (1 ano) e Jociane (7 anos), para consulta com a pediatra, Tenente Amanda Duarte de Souza. “É muito importante quando os médicos de fora vêm para cá. Eles facilitam nosso acesso a medicamentos e explicam a causa dessas dores. Minhas filhas estavam se queixando muito de gripe e falta de apetite”, constata Patriciane.

A médica entregou xarope e vitaminas e passou uma receita de medicamentos. “A pediatria é muito sobre prevenção. Então, aqui nós conseguimos passar orientações que, às vezes, as crianças e os pais não teriam acesso”, explica a Tenente Amanda.

Já a dermatologista, Tenente Jhully Anne Monteiro, participou de mais de 30 ações como esta em oito anos como médica da FAB. Para ela, a mobilidade é uma vantagem para integrar e ajudar a população da região amazônica.

“A FAB tem um potencial muito grande nas mãos porque vai a lugares que ninguém mais vai. Por exemplo, locais muito distantes que são esquecidos. O que a instituição leva para a população é essencial”, afirma.  

Logística

Para realizar esse tipo de ação social, é necessário um grande trabalho de logística. Na ACISO de Iauaretê, foram mobilizadas duas aeronaves do Esquadrão Cobra (7° ETA), sediado em Manaus: o C-98 Caravan e o C-97 Brasília. Juntos, os dois aviões transportaram 615 kg de mantimentos, entre medicamentos e equipamentos, da capital amazonense para Iauaretê.

Com o desejo de trabalhar com a integração da região Amazônica, desde a época como aluno da Escola de Especialistas, o Sargento Filipe Lessa Lima destacou a importância e o reconhecimento que o trabalho da FAB na região representa. “Essa é uma das missões mais gratificantes que um militar pode realizar”, ressalta o Sargento Lessa, que é integrante da tripulação da aeronave C-98 Caravan.

Já o piloto do C-97 Brasília, Tenente Ricardo Camillo Pinto, que transportou os profissionais de saúde de Manaus para Iauaretê, ressaltou o que esse tipo de missão representa. “Só quem vem para cá sabe o quão isolada é a região amazônica e o quanto a população necessita do apoio da saúde. O atendimento médico e odontológico é muito precário. Quando nós trazemos essa equipe, nós vemos como as pessoas precisam desse apoio. E é muito gratificante ver as coisas acontecendo”, finaliza.

Dimensão 22: Integrar o território é uma das missões da Força Aérea Brasileira, juntamente com Controlar e Defender. Para saber mais sobre o cenário tridimensional de 22 milhões de quilômetros quadrados de responsabilidade da FAB, clique aqui.