ITA

Desafio de internacionalizar ensino e elevar nível da pós-graduação devem marcar próximos anos

Metas integram projeto de expansão da instituição tradicional que forma engenheiros brasileiros
Publicado: 26/02/2016 15:41
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea

O professor doutor Anderson Ribeiro Correia assumiu, nesta sexta-feira (26/02), em São José dos Campos (SP), a reitoria do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). Ele recebeu o cargo do professor doutor Fernando Toshinori Sakane, que esteve à frente da instituição interinamente nos últimos 11 meses. A cerimônia foi acompanhada pelo Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, pelo Diretor-Geral do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), Tenente-Brigadeiro Alvani Adão da Silva, por representantes de indústrias do segmento aeronáutico, universidades, institutos de pesquisa, agências financiadoras de pesquisa, professores, técnicos, alunos e ex-alunos do ITA.

“Acredito que minha contribuição neste período foi garantir que as obras de expansão não fossem interrompidas”, avalia o professor Sakane, que acumula 52 anos de experiência na instituição, contabilizados os cinco de aluno da instituição. Sakane também acompanhou o trabalho da comissão de alto nível que selecionou três dos 11 candidatos ao cargo de reitor. A lista tríplice foi enviada ao Comandante da Aeronáutica que efetuou a escolha. De acordo com Sakane, esta metodologia é um processo mais eficiente na seleção de quem estará à frente da instituição nos próximos quatro anos. “É bem transparente e melhor que outras formas de seleção porque o grupo é formado por profissionais com um objetivo específico”, analisa.

No discurso, o novo reitor, professor Anderson, expressou a “profunda satisfação e alegria” em assumir o cargo. “O ITA é amplamente reconhecido como expoente em suas áreas de atuação, por ter continuamente prestado elevada contribuição para a evolução tecnológica e industrial do Brasil, além de ter gerado inovações nas áreas de graduação e pós-graduação”, afirmou.

Anderson destacou a necessidade de modernizar a instituição. “Os valores da escola são incontestáveis, mas a engenharia dos próximos 30 anos é diferente da engenharia que era desenvolvida em 1950”, ressaltou. A continuidade das obras de expansão, a contratação de novos professores e técnicos, a manutenção física da escola, a renovação do ensino, as parcerias estratégicas relevantes, o incentivo a internacionalização e a busca de maior alinhamento com o Comando da Aeronáutica foram listados pelo reitor como as prioridades para a sua gestão, 2016-2019. Para este ano, ele projeta já ter resultados como concretizar parcerias de atividades de inovação com o Cecompi e o Parque Tecnológico de São José dos Campos, novos acordos de dupla titulação com universidades europeias e norte-americanas, ofertas de novos cursos online, entre outros. 

Projeto de expansão - Para o Comandante da Aeronáutica, o ITA concentra “os melhores cérebros” do País de uma área envolvida diretamente com o crescimento brasileiro. Por isso, o projeto de expansão da instituição - uma decisão do governo, que prevê aumento de número de vagas e ampliação da estrutura, entre outras iniciativas - tem relevância não apenas para o ITA, o DCTA, a Força Aérea, mas para todo o Brasil.

“O ITA é essencial para o futuro do País. Se considerarmos o passado, o que vimos ontem no lançamento do E-2 e os aviões sobrevoando, este é o futuro dos precursores do ITA. Mas certamente temos outros desafios à frente e que os brasileiros deverão sentir orgulho dessa turma que hoje está passando pelo ITA”, expressou o Tenente-Brigadeiro Rossato.

O ITA - Idealizado pelo Marechal do Ar Casimiro Montenegro Filho, o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) foi criado em janeiro de 1950 para apoiar o desenvolvimento aeronáutico no País. É um dos institutos do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), subordinado ao Comando da Aeronáutica, localizado em São José dos Campos (SP).

Na graduação, oferece seis cursos de engenharia aeronáutica, aeroespacial, mecânica, civil aeronáutica e computação. O ensino é integral e a instituição oferece alimentação e moradia para os alunos. Aqueles que optam pela carreira militar também recebem remuneração durante os estudos.

No último vestibular, cerca de 12 mil candidatos disputaram as 140 vagas, contabilizando uma competitividade de 90 candidatos por vaga.

Assista à entrevista com as propostas do novo reitor do ITA: