PALESTRA

Odontoclínica de Brasília realiza palestra sobre Ozonioterapia

Método pode ajudar na cicatrização e na ação de descontaminação bucal
Publicado: 29/10/2019 12:17
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Tenente Cristiane
Edição: Agência Força Aérea - Revisão: Tenente-Coronel Santana

A Odontoclínica de Aeronáutica de Brasília  (OABR) promoveu, nessa segunda-feira (28),  em Brasília (DF), uma palestra sobre Ozonioterapia. O professor da Universidade de Brasília (UNB), Sérgio Bruzadelli Macedo, apresentou procedimentos que consistem na aplicação do gás na medicina e na odontologia.

Pesquisador do tema desde 1996,  o professor expôs artigos sobre as diversas aplicações do gás para efeitos terapêuticos, dentre eles, tratamento de sinusite, autismo e reparação tecidual.

Segundo o palestrante, o gás é a forma mais conhecida de aplicação da Ozonioterapia, mas a substância também pode ser administrada em meio a água e óleo. O uso da água e do óleo ozonizados, além do gás, acelera, por exemplo, a cura da infecção relacionada com o tratamento de canal, assim como é eficaz no combate a fungos que podem se aderir às próteses e dentaduras. O professor diz que a principal utilização está na ação germicida (bacterecida,  fungicidas e virustático). "A boca é a parte do corpo mais contaminada e há muitas aplicações nessa área", disse.

Ele ainda explicou que é possível aplicar a Ozonioterapia para melhorar a cicatrização de tecidos na boca e também para aliviar tensões musculares nas regiões do pescoço e ombros. "Há áreas musculares com muitos espasmos e o ozônio, por ter um efeito relaxante e analgésico, pode ser utilizado nas clínicas odontológicas",  explica.

A Tenente Dentista Mariana Caldas de Oliveira Mattos acompanhou a apresentação. "Aqui na OABR temos o incentivo à formação continuada. Por isso, ampliar o conhecimento para que  mais profissionais entendam a aplicação do gás ozônio nas variadas especialidades da odontologia é muito importante", disse.

O Major Dentista Harley de Macedo Cordeiro também assistiu à palestra. Para ele, a exposição cumpriu o objetivo. “A ideia é multiplicar o conhecimento sobre o assunto, pois temos a intenção de começar a utilizar o ozônio a partir de janeiro na OABR”, concluiu.

Fotos: Sargento Bianca Viol e Soldado Felipe Coelho / CECOMSAER