ESPAÇO

Centro de Lançamento de Alcântara reúne especialistas para debater projetos espaciais

Primeira reunião do Grupo Interfaces de Lançamento de 2019 acontece durante a semana
Publicado: 07/05/2019 17:25
Imprimir
Fonte: CLA, por Tenente Huxley
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Gabrielli - Revisão: Capitão Monteiro

O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) sedia, desde segunda-feira (6), a primeira reunião de 2019 do Grupo de Interfaces de Lançamento (GIL 1/ 2019). Os participantes se encontram periodicamente com a finalidade de tratar, de forma sistemática e permanente, questões relacionadas com as interfaces de lançamento das operações espaciais realizadas ou a serem realizadas nos centros de lançamento da Força Aérea Brasileira (FAB) - além do CLA, há também o Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), em Parnamirim (RN). 

Além do efetivo de operações espaciais do CLA e do CLBI, participam do GIL 1/ 2019, integrantes do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), da Agência Espacial Brasileira (AEB), da Comissão de Coordenação e Implantação de Sistemas Espaciais (CCISE), do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), do Instituto de Estudos Avançados (IEAv) e do Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI). 

Até a próxima sexta (10), serão discutidos assuntos como o cronograma de lançamentos no Brasil e no exterior para 2019 e para os próximos anos; situação atual para realização da Operação Igaratá no CLA e para o andamento dos projetos VS-50 e VLM-1; o processo de transferência de tecnologia do VSB-30 para a indústria, entre outros. 

A CCISE, ao longo da semana, deve apresentar o modelo de utilização comercial do CLA envolvendo parceiros, benefícios e necessidades de preparação do Centro e um resumo do andamento das atividades dos Grupos de Trabalho do Comitê de Desenvolvimento do Programa Espacial Brasileiro (CDPEB).

Em paralelo, também ocorre no CLA a Reunião de Acompanhamento de Interface (RAI) da Operação Igaratá, envolvendo equipes do IAE e do Centro. A operação deve ocorrer no segundo semestre deste ano, com o lançamento de um foguete VSB-30 carregado com experimentos científicos e tecnológicos da carga útil denominada Microg2.

“É fundamental para o DCTA estar reunido com todas as organizações envolvidas diretamente com as atividades de lançamento espacial no país. Assim, podemos traçar um diagnóstico da área, alinhar estratégias e definir ações futuras conjuntas em prol do Programa Espacial Brasileiro”, explica o Chefe do Subdepartamento Técnico do DCTA, Brigadeiro Engenheiro Augusto Luiz de Castro Otero.

GIL

O Grupo se reúne periodicamente nos centros de lançamentos brasileiros pelo menos duas vezes ao ano, com duração definida em agenda contendo apresentações, discussões e visitas às instalações operacionais da unidade que sedia a atividade.

Fotos: Cabo Rodrigo Scanavino / CLA