SEMINÁRIO

Evento Internacional aborda sistemas de combate da aeronave F-39 Gripen

Seminário contou com palestras sobre tecnologias e gestão operacional da nova aeronave da FAB
Publicado: 01/04/2019 21:32
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Ten Cristiane dos Santos
Edição: Agência Força Aérea - Revisão: Major Alle

O II Seminário Internacional de Sistemas de Combate foi realizado nesta segunda-feira (01/04), no Rio de Janeiro (RJ). O evento, promovido pela Revista Força Aérea em parceria com a FAB, tratou do novo vetor de combate, o F-39 Gripen, e contou com a presença do Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez; do Comandante da Força Aérea Sueca, Major-General Mats Helgesson; além de oficiais-generais e oficiais das Forças Armadas Brasileiras.

Quatro palestrantes falaram sobre os assuntos relacionados ao novo jato. O Major Aviador Nadav Even, da Força Aérea Israelense, abordou o emprego do datalink em combate. “Quando pensamos em caças, temos três objetivos: melhorar a eficiência da operação, manter a sobrevivência e aumentar a capacidade letal. A coleta de dados é o primeiro passo para atingir esses objetivos. Ainda, depois de coletar as informações, é preciso processar, fundir e distribuí-las em uma interface automática”, ressaltou.

Segundo o oficial, atualmente, as informações são projetadas para o piloto e ele tem que decidir o que é importante. “A proposta é que o datalink permita a conectividade de dados, como acontece nas redes sociais, onde é possível compartilhar conhecimento de forma automática. Estamos falando em compartilhar dados como nível de combustível, quantidade de flyer, ameaças, modo de navegação, por exemplo”, complementou.

O Tenente-Coronel Jacobus Boschoff tratou sobre as contramedidas eletrônicas da nova aeronave da FAB. O palestrante abordou os sistemas de missão tática voltados para a consciência situacional. “Nós precisamos ter a capacidade realçada, pois temos um espaço aéreo congestionado. É muita informação; precisamos ajudar o piloto na tomada de decisão e otimizar o combate efetivo”, afirmou.

O Comandante da Escola de Voo da Força Aérea Sueca, Tenente-Coronel Aviador Jonas Rohlén, abordou o treinamento de pilotos de caça, que é obrigatório para todos os militares oficiais suecos. O palestrante apresentou os critérios de seleção e formação dos pilotos e destacou a preparação tanto dos alunos quanto dos instrutores. "Nós queremos que os instrutores conheçam cada indivíduo e saibam até onde podem chegar. Aumentamos a dificuldade das tarefas, visando atingi-las com sucesso e autoconfiança, sem promover estresse desnecessário. É importante o instrutor se conhecer e conhecer o seu aluno para compreender a necessidade dele”, ressaltou.

O seminário ainda contou com a palestra do Major Aviador Jonas Jakobsson, piloto de ensaios em voo do Gripen, que explanou sobre displays, configurações e capacidades da aeronave.

O Chefe da Terceira Subchefia do Estado-Maior da Aeronáutica, Major-Brigadeiro do Ar Jefson Borges, acompanhou o evento e fez um balanço positivo. “Muito interessante como os temas tratados foram correlacionados: a fusão de dados, a transferência de informações entre as aeronaves, a análise de elementos, a formação dos pilotos, o funcionamento da guerra eletrônica do Gripen e, por fim, a apresentação dos dados. Tudo isso é muito importante para a sociedade entender as capacidades que a nova aquisição da FAB trará para o país”, concluiu.

Fotos: Cabo André Feitosa / CECOMSAER