ASAS ROTATIVAS

Aviação é homenageada em evento na Ala 1, em Brasília (DF)

Eventos foram realizados, ainda, em Campo Grande (MS), Santa Maria (RS) e Manaus (AM)
Publicado: 04/02/2019 16:00
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Tenente Jonathan Jayme
Edição: Agência Força Aérea - Revisão: Capitão Landenberger

O Dia da Aviação de Asas Rotativas foi comemorado nesta segunda-feira (04/02) em cerimônia militar realizada na Ala 1, em Brasíla (DF). A solenidade, presidida pelo Ministro do Superior Tribunal Militar (STM), Tenente-Brigadeiro do Ar William de Oliveira Barros, homenageou a aviação criada oficialmente em 1964 e que apresenta fatos marcantes desde 1957, quando foram incorporados os primeiros helicópteros H-13 à frota da Força Aérea Brasileira (FAB).

Durante o evento, foi lida a Ordem do Dia alusiva à data, assinada pelo Comandante de Preparo, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Egito do Amaral, que relembrou a primeira missão real de busca e salvamento em combate da FAB. "Tudo ocorreu durante uma missão de Paz da ONU [Organização das Nações Unidas], no sul do Congo. Voando em um H-19 Chicksaw, o então Tenente Milton Naranjo e o Sargento Wilibaldo Moreira Santos, sem hesitação, arriscaram suas vidas para socorrer os tripulantes e quatro freiras que, com outro H-19, haviam pousado em emergência em uma savana sob domínio rebelde", diz o texto.

Hoje, essa aviação conta com oito esquadrões em todo o país, que utilizam aeronaves modernas com características que possibilitam chegar em locais de difícil acesso, executando missões de transporte e de busca e salvamento, além de diversas outras de sua responsabilidade dentre as missões da FAB.

As missões são executadas por helicópteros largamente testados em combate, como os H-60 Black Hawk, os AH-2 Sabre e os H-36 Caracal, os quais, juntos, formam a linha de frente do emprego operacional da Aviação de Asas Rotativas.

A Ordem do Dia também destaca a recente chegada das aeronaves H-60 em Campo Grande. "Possibilitará a cobertura SAR em uma área de extrema relevância na fronteira oeste, em virtude da dificuldade de acesso à região pantaneira e do elevado tráfego de aeronaves particulares e de tráfegos ilícitos que circulam naquele espaço aéreo", ressalta o texto do Comandante de Preparo.

Homenagens

Além de Brasília, outras cidades que possuem organizações subordinadas ao Comando de Preparo também realizaram eventos. Na Ala 5, em Campo Grande (MS), a cerimônia militar foi presidida pelo Tenente-Brigadeiro Egito e contou com a presença de autoridades militares e civis.

Na solenidade, foi realizada a imposição da Medalha Mérito Operacional Brigadeiro Nero Moura, concedida a comandantes de esquadrões de voo de Asas Rotativas em prol da operacionalidade da FAB.

“Apesar da inegável importância de se operar helicópteros modernos, deve-se ressaltar que, na história, nenhuma missão bem sucedida ocorreu sem contar com a competência e a abnegação dos tripulantes que optaram por estarem sempre prontos para fazer a diferença, seja recuperando militares isolados, engajando contra forças de superfície inimigas ou transportando pessoal e material, a exemplo do que ocorreu no Congo, mas também nos diversos compromissos institucionais em tempo de paz”, reforçou o Tenente-Brigadeiro Egito na Ordem do Dia.

Desde 1971, a antiga Base Aérea de Santa Maria, hoje Ala 4, conta com o Esquadrão Pantera (5º/8º GAV), equipado com helicópteros H-60 Black Hawk. A unidade é responsável por cumprir ações de defesa aérea, escolta, ataque, apoio aéreo aproximado, evacuação aeromédica, transporte aéreo logístico, infiltração e exfiltração aérea e busca e resgate, operando 24 horas por dia. Na cerimônia militar semanal da Organização Militar, realizada na alameda do Comando, a data foi homenageada com a leitura da Ordem do Dia pelo oficial mais antigo da aviação de Asas Rotativas presente na Guarnição, o Tenente-Coronel Aviador Marcos Afonso de Carvalho Quintella.

A Ala 8, sediada em Manaus (AM), também celebrou o Dia da Aviação de Asas Rotativas. Na ocasião, militares do Esquadrão Harpia (7°/8° GAV) receberam homenagens pela data. A cerimônia aconteceu no hangar do Esquadrão Arara (1°/9° GAV) e reuniu integrantes das organizações da Guarnição de Aeronáutica de Manaus.

A bordo das aeronaves H-60 Black Hawk, o Esquadrão realiza missões na Amazônia e em outras partes do Brasil e do exterior quando demandado. “O 7°/8° GAV é sediado em Manaus, desde 1986, justamente para empregar os versáteis vetores na Região Amazônica. Nenhuma outra unidade atua tão intensamente no controle, realizando missões de busca e resgate; na defesa, transportando agentes de segurança pública para inibir ilícitos; na integração, transportando agentes, remédios, vacinas, urnas de votação, realizando evacuações aeromédicas; entre outras ações de apoio às comunidades de difícil acesso. Os helicópteros operados pelo Esquadrão são essenciais para garantir a soberania nacional e a cidadania da população brasileira na Amazônia”, explicou o comandante do Esquadrão Harpia, Tenente-Coronel Aviador Ivan Fernandes Faria.

Acesse a página especial para saber mais sobre a Aviação de Asas Rotativas.

Assista ao vídeo em homenagem à Aviação de Asas Rotativas

Colaboraram: Tenente Barbieri/Ala 5, Seção de Comunicação Social da Ala 4 e Tenente Lorena Molter/Ala 8

Fotos: Soldado T. Amorim/CECOMSAER e Cabo Silveira/Ala 5