DIA DA SAÚDE

Comandante-Geral do Pessoal fala sobre Serviço de Saúde da FAB

Saiba mais sobre a atuação do COMGEP em relação ao Serviço de Saúde da FAB
Publicado: 30/11/2018 09:00
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Ten Emília Maria
Edição: Agência Força Aérea - Revisão: Capitão Landenberger

Tenente-Brigadeiro Bermudez fala sobre o Sistema de SaúdeO Comando-Geral do Pessoal (COMGEP) teve papel fundamental na Reestruturação da Saúde da FAB, além de coordenar uma grande campanha em prol da doação de sangue. Nesta entrevista, o Comandante-Geral do Pessoal e futuro Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, fala sobre os dois temas.

Agência FAB – O senhor poderia explicar como se deu a readequação da subordinação das Organizações de Saúde da Aeronáutica?

Tenente-Brigadeiro Bermudez - A Reestruturação da Saúde na Aeronáutica ocorreu na esteira da Reestruturação de todo o Comando da Aeronáutica (COMAER), ou seja, como forma de otimizar as gestões administrativa e operacional no âmbito do Sistema de Saúde da Aeronáutica (SISAU). Como efeito dessa readequação, algumas Organizações de Saúde da Aeronáutica (OSA), particularmente as de 2º Escalão, que antes pertenciam às Bases Aéreas ou Escolas de Formação, tiveram que ter suas linhas de subordinação readequadas à nova realidade. Diante da nova situação, o Comando-Geral do Pessoal redefiniu as linhas de subordinação de todas as OSA de 2º Escalão. Dessa forma, essas OSA passaram à subordinação dos Hospitais de Aeronáutica ou de Força Aérea, OSA de 3º e 4º Escalão respectivamente.

COMGEP teve papel fundamental na reestruturação da Saúde da FABAgência FAB – Como o senhor avalia os resultados dessa readequação?

Tenente-Brigadeiro Bermudez - Os resultados dessa Reestruturação já são evidentes. Hoje as OSA de 2º Escalão mantêm contato direto com os Hospitais de Área, como são chamados os Hospitais de Aeronáutica e de Força Aérea, e esses, por outro lado, mantêm controle sobre os Esquadrões de Saúde. Esse contato direto e esse controle ocorrem na forma de fluxos de processos, de acompanhamento de ações, solicitações e autorizações diversas, sem, contudo, interferir na autonomia dos comandantes. Essa nova sistemática tem permitido uma melhor supervisão das ações da saúde por parte da DIRSA e do próprio COMGEP, visto que, agora, todos os grandes processos das OSA de 2º Escalão estão na alçada de responsabilidade dos Hospitais de Área, da DIRSA, órgão técnico da saúde, bem como do COMGEP, órgão definidor das estratégias na saúde, facilitando e dando rapidez às ações, principalmente no tocante ao atendimento das necessidades dos Esquadrões de Saúde, que são nossa “ponta de lança” no atendimento médico-hospitalar.

Agência FAB – A otimização no atendimento às demandas pode ser considerada, então, o grande benefício da reestruturação?

Tenente-Brigadeiro Bermudez - Atualmente, as demandas dessas OSA chegam ao conhecimento do COMGEP de forma mais célere e, de maneira análoga, seu atendimento também se dá com mais rapidez. Tudo isso facilitou o Comando e Controle da gestão administrativa e da assistência à saúde na Aeronáutica, contribuindo diretamente com os princípios da Reestruturação no COMAER, que exigem a especialização nas ações administrativas e operacionais, além de proporcionar o aumento na qualidade do atendimento aos usuários do SISAU.

Campanha de doação de sangue mobilizou COMGEPAgência FAB – O COMGEP coordenou e incentivou a realização de uma grande campanha de doação de sangue. Como surgiu a iniciativa?

Tenente-Brigadeiro Bermudez - A campanha “Você era a gota que faltava. Doe Sangue. Doe Vida!” teve início em agosto de 2017, capitaneada pelo Comando-Geral do Pessoal. Naquela ocasião, em coordenação com a Fundação Hemocentro de Brasília, foi programada uma palestra inicial para conscientização do efetivo, proferida por profissionais da própria Fundação. Já naquele momento inicial ficou clara a motivação das pessoas pela importância e relevância do assunto, atestada pelos questionamentos e esclarecimentos de dúvidas levantadas por grande parte dos participantes. Ato contínuo, no dia 9 de agosto, 30 militares voluntários compareceram ao Hemocentro no primeiro dia de doação propriamente dita. Nesse primeiro dia, compareceram militares do COMGEP e da Diretoria de Ensino da Aeronáutica (DIRENS).

Doação de sangue acontece mensalmenteAgência FAB – Então, depois desse início, a campanha evoluiu e passou a ter um cronograma constante?

Tenente-Brigadeiro Bermudez - Sim. Nos meses subsequentes, todas as demais Organizações da Guarnição de Aeronáutica de Brasília participaram e continuam participando, com voluntários dessa campanha, e, de lá para cá, as doações vêm ocorrendo de forma sistemática, todas as segundas quartas-feiras de cada mês, sendo motivo de muita satisfação para nós do COMGEP, por percebermos que nossos efetivos de fato se engajaram na missão. Até mesmo aqueles que já tinham o costume de doar sentiram-se mais incentivados a fazerem parte de uma iniciativa tão nobre como essa, partindo da instituição em que trabalham. Além desses, pessoas que nunca haviam doado sangue perceberam o valor e a importância desse ato e se transformaram em doadores. Isso tudo demonstra o espírito altruísta dos integrantes da Força Aérea Brasileira, demonstrando total desprendimento no sentido de fazer o bem sem olhar a quem. E não há bem maior do que a vida. Por isso, como enunciado no título da campanha, ressalto: “Quem doa sangue doa vida”.

Assista ao vídeo em homenagem ao Dia do Serviço de Saúde da Aeronáutica