INTENDÊNCIA

FAB acumula quase 50 anos de experiência em Contabilidade de Custos

Informações consolidam uma gestão transparente dos recursos da Força Aérea
Publicado: 20/08/2018 00:00
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Tenene Cristiane dos Sant
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Felipe Bueno - Revisão: Major Alle

A FAB está presente em 22 milhões de km², controlando, defendendo e integrando o território nacional, mas quanto se investe nisso? A resposta está no Custo COMAER, elaborado pela Subdiretoria de Contabilidade (SUCONT) da Diretoria de Economia e Finanças da Aeronáutica (DIREF).

Segundo o Subdiretor de Contabilidade, Brigadeiro Intendente Marcos Aurélio Pereira Silva, o Custo COMAER procura, de forma transparente e direta, indicar à sociedade brasileira o consumo de recursos financeiros para o cumprimento da missão da Força Aérea. “Desde a década de 1970, o COMAER efetua o registro dos seus gastos. E, com o surgimento de novas ferramentas, como o Sistema de Informação de Custos do Governo Federal (SIC), tornou-se possível produzir estas informações e subsidiar os gestores e o Alto-Comando da FAB no processo de tomada de decisão”, complementa o Brigadeiro Aurélio.

O diferencial do gerenciamento contábil da Força Aérea está na possibilidade de acompanhar o consumo de recursos. Pela análise mensal do Demonstrativo Gerencial de Custos (DGC), cada organização pode acompanhar, mensalmente, a evolução das suas despesas referentes à mão-de-obra militar, à depreciação de bens móveis permanentes e ao consumo de bens e serviços em todas as atividades por ela desempenhadas.

O Chefe da Divisão de Contabilidade Gerencial (SUCONT-1), Tenente-Coronel Intendente Giovanni Magliano Júnior, complementa: “Aos nossos gestores, permite mensurar os gastos e identificar em quais atividades os esforços estão concentrados. Ao cidadão, por meio de indicador de dispêndio associado à cadeia de valor, traduz números complexos em valores de fácil compreensão, o que contribui para a transparência do gasto público”, conclui.

Foto: Sargento Bruno Batista/CECOMSAER.

Leia essas e outras reportagens no NOTAER de agosto: