AJUDA HUMANITÁRIA

Força Aérea Brasileira realiza transporte de 230 voluntários para Salvador

Passageiros são da Organização Voluntários do Sertão que leva atendimento a pessoas carentes
Publicado: 28/04/2018 18:04
Imprimir
Fonte: BASV, por Ten Pérsia
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Cristiane - Revisão: Major Alle

FAB transportou Voluntários do SertãoNa tarde deste sábado (28), o Boeing 767 do Esquadrão Corsário (2º/2º GT), sediado na Ala 11, no Rio de Janeiro (RJ), realizou o transporte de um grupo de 230 voluntários para Salvador (BA). Os passageiros fazem parte da Organização Voluntários do Sertão. O destino final do grupo é a cidade de Santaluz, a 288 quilômetros da capital baiana, onde se juntarão a outros 120 profissionais, totalizando, assim, 350 pessoas.

O objetivo da Organização Voluntários do Sertão é promover assistência social, saúde, segurança alimentar, nutricional e promover o voluntariado com acompanhamento dos indicadores de transformação social. Atualmente, o programa realiza atendimento médico, odontológico, pequenas cirurgias e palestras. A equipe é formada por médicos, dentistas, enfermeiros, psicólogos, cozinheiros, motoristas, auxiliares administrativos, dentre outros.

Esquadrão Corsário realizou o transporte dos voluntários

O grupo é oriundo de várias regiões do Brasil, mas o embarque aconteceu em Campinas e no Rio de Janeiro. Para o Comandante da Aeronave, Major Aviador André Luís Zanchettin, uma missão como essa é sempre gratificante e complementou: “Em algumas regiões brasileiras, o acesso é difícil e essa é uma ferramenta para ser utilizada em prol da população” disse.

O projeto teve início em 2000, pela iniciativa do empresário Doreedson Pereira, conhecido como Dorinho, com a distribuição de brinquedos e cestas básicas em Condeúba, sua cidade natal, no sertão da Bahia. Desde então, já mobilizou cerca de três mil voluntários e realizou mais de 300 mil atendimentos às pessoas carentes.

O empresário falou da importância do apoio da Força Aérea Brasileira (FAB). “É essencial este apoio da FAB porque são pessoas voluntárias, que estão se doando, e nós não teríamos condições de pagar passagens aéreas. Se não tivéssemos esse apoio, viríamos de ônibus e levaríamos entre dois e três dias para chegarmos. Seria muito desgastante para os profissionais. Temos só a agradecer por este apoio que faz benefício a tantas pessoas”, explica Doreedson Pereira.

A cada ano, uma cidade do Sertão do Brasil recebe o atendimento dos voluntários. A médica gastroenterologista Patrícia Marinho Costa de Oliveira participa do projeto desde 2012. Ela explica que se considera “uma pessoa com muitas oportunidades na vida e se sente alegre em poder retribuir, de alguma forma, a um país com tanta desigualdade social”, afirma. Ao ser perguntada sobre o que a faz participar da ação todos os anos, ela diz de maneira emocionada: “Não tem como dizer não. É muito forte”.

Para Marina Stevaux Nascimento, médica dermatologista, que está participando pela primeira vez, trata-se de uma importante experiência de vida. “Espero aprender bastante e ajudar em tudo que tiver ao meu alcance”.

Fotos: Capitão Matos/Ala 11, Sargento Gustavo/Ala 14 e Roosevelt Cássio

imagens/original/36071/_dsc0081.jpg
imagens/original/36071/img-20180428-wa0010.jpg