CERIMÔNIA

FAB realiza homenagem de despedida ao Tenente-Brigadeiro Alvani Adão da Silva

Oficial-General se despede do serviço ativo após 46 anos de dedicação à FAB
Publicado: 26/01/2018 17:00h
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Ten Cristiane dos Santos
Edição: Major Alle - Revisão: Major Alle

Oficiais-Generais prestam homenagem a militar, na Ala 1, em BrasíliaCom quase 46 anos na Força Aérea Brasileira (FAB), o Tenente-Brigadeiro do Ar Alvani Adão da Silva despediu-se do serviço ativo. A cerimônia alusiva à data foi realizada na Ala 1, em Brasília (DF), nesta sexta-feira (26/01), e contou com a presença do Ministro da Defesa, Raul Jungmann, e do Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato. Também compareceram à solenidade Oficiais-Generais da Marinha do Brasil, do Exército Brasileiro, membros do alto comando da Aeronáutica, autoridades dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, além de representantes da indústria aeroespacial e de empresas aéreas.

Ministro da Defesa Raul Jungmann chega a cerimônia de despedida O Tenente-Brigadeiro Alvani agradeceu a presença das autoridades e, especialmente, aos colegas da Turma de 1972 do Curso de Formação de Oficiais Aviadores da Academia da Força Aérea (AFA), o qual concluiu em primeiro lugar. O Oficial-General fez um balanço positivo de sua passagem pela instituição. “Sobre as asas da FAB, eu conheci o Brasil, cheguei às capitais mais importantes de todos os continentes e construí uma família da qual me orgulho muito. Se eu tivesse que recomeçar, faria tudo de novo, da mesma forma”, garantiu.

Comandante da Aeronáutica participa da homenagem ao Oficial-GeneralEle ainda destacou a participação nos mais diversos projetos da FAB. “Tive o privilégio de, ao longo dessa caminhada, participar das mais importantes transformações da Força Aérea que conformaram no que ela é hoje e o que será amanhã, como o Programa AM-X, a modernização dos F-5, a aquisição do C-105, o desenvolvimento do KC-390 e a aquisição do F-X”, destacou.

O Ministro da Defesa, Raul Jungmann, declarou que a capacitação dos militares brasileiros não deixa nada a dever às melhores Forças Armadas do mundo. “O Tenente-Brigadeiro Alvani é um exemplo do que afirmo. Foi um auxiliar fundamental nas temáticas de interesse do Brasil. De fato, não posso me referir a ele como uma perda porque, o convívio na Defesa e na Força Aérea, foi, sobretudo, de ganhos. Não existe perda, mas sim uma despedida”, complementou o Ministro.

Oficial-General e sua esposa em cerimônia em Brasília (DF)O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, lembrou que a bem-sucedida carreira do Oficial-General é resultado de muita dedicação. “O militar é submetido a uma série de desafios e sacrifícios que forjam o seu caráter; valores que o acompanham por toda a sua existência. Cada militar trilha a sua trajetória, constrói o seu legado. A história do Tenente-Brigadeiro Alvani evidencia, por si só, as suas escolhas, o esforço, a abnegação e a total dedicação à Força Aérea Brasileira”, afirmou.

Na cerimônia de despedida, em gesto de reconhecimento e respeito, o Oficial-General recebeu das mãos do Comandante da Aeronáutica a insígnia de Tenente-Brigadeiro do Ar e, do Cadete Aviador Caio Augusto Bezerra de Castro, o espadim. Já do conterrâneo da Turma de 72, Capitão Reformado  Glauco Férius Constantino de Oliveira, auferiu a espada que o acompanhou durante toda a carreira.

Fotos Sd Wilham Campos

imagens/original/35861/180126wil0822-wilhan_campos.jpg
imagens/original/35861/180126wil0834-wilhan_campos.jpg
imagens/original/35861/180126wil0875-wilhan_campos.jpg
imagens/original/35861/180126wil0907-wilhan_campos.jpg
imagens/original/35861/180126wil8564-wilhan_campos.jpg
imagens/original/35861/180126wil8578-wilhan_campos.jpg