INTERNACIONAL

Em São Paulo, FAB promove Encontro sobre Financiamento a Projetos de Defesa

Abertura do evento foi realizada pelo Ministro da Defesa, Raul Jungmann
Publicado: 18/10/2017 15:50
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Tenente Emília Maria

A Secretaria de Economia, Finanças e Administração da Aeronáutica (SEFA), por meio de sua Diretoria de Economia e Finanças (DIREF), realiza terça e quarta-feira (17 e 18/10), o II Encontro Internacional sobre Financiamento a Projetos de Defesa. O objetivo é debater temas relacionados à base industrial de defesa. Para isso, reuniram-se integrantes da indústria de defesa, organismos internacionais de financiamento e membros do setor acadêmico.

Ministro da Defesa realizou a abertura oficial do eventoA abertura do evento foi realizada pelo Ministro da Defesa, Raul Jungmann, que destacou a importância da indústria e seu impacto na economia do País. “Discutir esses temas é da maior relevância por se tratar de um campo essencial em muitas áreas. A base industrial de defesa gera 60 mil empregos diretos e 200 mil indiretos. Além disso, sem essa base, é muito difícil manter a soberania”, defendeu.

Para o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato, que participou do encontro, os debates ajudam a colocar o Brasil no mercado internacional. "A indústria de defesa é relativamente nova no Brasil com a expressão que tem hoje. Quando buscamos soluções para o sistema de financiamento, colocamo-nos no mercado internacional, pois quem vai comprar um produto nosso quer saber como financiá-lo", explicou.

Comandante da Aeronáutica falou sobre Reestruturação e projetos estratégicosO Tenente-Brigadeiro Rossato apresentou ao público as informações sobre a
Reestruturação e os projetos estratégicos da FAB e resumiu a necessidade do processo: “a mudança incomoda, causa desconforto, mas é absolutamente necessária para a perenidade de qualquer organização”. Sobre os projetos estratégicos, o comandante destacou as vantagens das aquisições do Gripen NG e do KC-390, além do programa espacial, que ganhou novo fôlego com o lançamento do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC). "Os satélites podem gerar eficiência na segurança pública e crescimento econômico, potencializar o programa nacional de banda larga, melhorar o planejamento e o gerenciamento de infraestruturas diversas como transportes, energia elétrica, recursos hídricos e minerais, além de ser suporte ao planejamento urbano, entre outros benefícios para toda a sociedade", pontuou o comandante.

O Diretor de Economia e Finanças da Aeronáutica, Major-Brigadeiro Heraldo Luiz Rodrigues, falou sobre a nova estrutura administrativa da Diretoria, apresentou suas responsabilidades e atuação em novos projetos de gestão. O oficial-general explicou que um dos principais projetos é o envolvimento da DIREF na criação de empresas estatais e parcerias público-privadas. O Diretor de Finanças da Aeronáutica, Major-Brigadeiro Heraldoobjetivo é que essas empresas passem a tratar da navegação aérea, de aspectos do setor aeroespacial e da rede de comunicações integrada do Comando da Aeronáutica. “A cada fórum de discussão como este, conseguimos colocar nossos posicionamentos e fortalecer nossa participação na área”, disse.

O Diretor-Geral do Centro de Pesquisa e Tecnologia da Boeing no Brasil, Antonini Puppin Macedo, destacou os principais motivos para se buscar a presença internacional. “A presença de mercado é importante para manter o acesso às tecnologias e alavancar recursos”, disse. Além disso, explicou que existe uma grande competição por talentos de classe mundial e ter acesso a eles é fundamental. “No mundo, existem 1,6 trilhões de dólares disponíveis para pesquisas em parceria e o Brasil precisa estar inserido nesse contexto e se esforçar para conseguir boas parcerias”, enfatizou.

Bengt Janér, representante da empresa Saab e diretor do Programa Gripen no Brasil, apresentou as diversas parcerias da fabricante do Gripen NG – novo caça da FAB – com empresas e profissionais brasileiros, destacando um dos aspectos principais da aquisição da aeronave, a transferência de tecnologia, e atualizou os números de profissionais brasileiros envolvidos no projeto. "Cerca de 57 engenheiros estão em treinamentos práticos e teóricos na Saab no momento. Mais de 104 profissionais já voltaram ao Brasil e a maioria trabalha no Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen, em Gavião Peixoto (SP). Até 2024, mais de 350 brasileiros vão participar de cursos e treinamentos na Suécia", relatou o empresário.

No segundo dia do Encontro, serão debatidas parcerias na área de indústria de defesa, em palestras como “Oportunidades de parceria para a estruturação de compensações comerciais no Brasil”, da Confederação Nacional da Indústria (CNI/SENAI), e no painel “Como fortalecer as oportunidades de parceria no setor de Defesa”. Veja programação completa.

Fotos: Tenente Heitor Nascimento / CECOMSAER

Assista ao vídeo e veja como foi o primeiro dia do Encontro: