DQBRN

FAB conclui participação em exercício internacional em ações de resposta a evento químico

Durante o exercício foram realizadas diversas palestras e demonstrações práticas com vítimas de acidentes
Publicado: 04/09/2017 17:09
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Tenente João Elias

O Instituto de Medicina Aeroespacial (IMAE), o Esquadrão Puma (3º/8º GAV) e o Hospital de Força Aérea do Galeão (HFAG) concluíram, na sexta-feira (01/09), o treinamento de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear (DQBRN) que foi realizado no Rio de Janeiro (RJ) e reuniu representantes de 18 países. O Segundo Exercício de Assistência e Proteção para a América Latina e Caribe (EXBRALC II 2017) teve como objetivo capacitar e treinar agências militares e civis dos diversos países envolvidos no exercício em ações de resposta a um evento químico.

Os alunos puderam assistir a uma demonstração de um acontecimento químico, em que foram realizadas ações de primeira resposta, envolvendo resgate e triagem de vítimas, detecção do agente e descontaminação. Em seguida, planejaram o exercício final. No exercício, os instrutores do IMAE ficaram responsáveis pela supervisão dos alunos que realizaram a Evacuação Médica de uma vítima que necessitava de atendimento emergencial mais complexo, encapsulando-a e embarcando-a na aeronave H-36, que simulou um voo até um hospital de referência. “Logo após o treinamento são definidos os pontos positivos e as oportunidades de melhoria com os alunos, com o objetivo de otimizarem os procedimentos”, explicou o Chefe da Divisão Técnica do IMAE, Major Farmacêutico William Lyra Rocha.

Durante toda a semana foram realizadas diversas atividades, como palestras e demonstrações práticas sobre “Classificação e gestão médica das vítimas dos agentes de guerra química”, “Descontaminação de pessoas em operações médicas” e “Resposta multiagencial integrada a um incidente químico”.

De acordo com o oficial de operações do Esquadrão Puma, Major Leonardo Teles Gomes, o exercício tem grande importância para o esquadrão porque, além de permitir treinar os pilotos e a tripulação, permite a interoperabilidade entre as forças nas missões de DQBRN. “Nós já fomos instruídos visando ao apoio dos jogos olímpicos e paralímpicos e toda essa doutrina que foi realizada anteriormente vem sendo mantida pelo esquadrão de forma que, no caso de um acidente real, como está sendo simulado nesse exercício, possamos ter pessoal capacitado e adestrado para cumprir esse tipo de missão”, ressaltou.

Já o Coordenador da Seção de MDQBRN, do Ministério da Defesa, Coronel Aviador Reformado Júlio Sadao Takamura, o EXBRALC II 2017 eleva ainda mais o alto padrão da FAB. “Durante o Exercício, foram realizados transporte de feridos por meio de Evacuação Aeromédica, com o emprego de helicóptero do 3º/8º GAV, cuja tripulação trajou vestimenta adequada, protegida como deve ser, demonstrando uma realidade a perseguir para atuar no campo real. Da mesma forma, a equipe de instrutores do IMAE orientou, de maneira firme e profissional, sobre os procedimentos de segurança adotados e os cuidados médicos e operacionais no transporte de feridos. E os alunos do IMAE e do HFAG se esforçaram para assimilar os ensinamentos”, concluiu.