AMAZONAS

Força Aérea Brasileira garante o exercício de cidadania aos amazonenses

Durante a operação foram envolvidos 307 militares, em 55 locais de votação
Publicado: 11/09/2017 15:00h
Imprimir
Fonte: Ala 8, por Tenente Lorena Molter
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente João Elias

Força Aérea apoiou 2° turno das eleições suplementares do AmazonasA Força Aérea Brasileira (FAB) apoiou o segundo turno das eleições suplementares para governador do Estado do Amazonas no dia 27 de agosto. A Guarnição de Aeronáutica de Manaus ficou responsável pela Operação de Garantia da Votação e Apuração (GVA) no município de Manacapuru, distante cerca de 100 km da capital amazonense.

Para essa etapa da eleição, a Aeronáutica atuou com 307 militares, em 55 locais de votação. Na zona urbana, foram 26 locais; na zona rural ribeirinha, 22 pontos; e na zona rural terrestre, sete. A equipe envolvida na missão chegou a Manacapuru na sexta-feira (25/08) e retornou na segunda-feira (28/08).

De acordo com o Comandante do Grupo de Segurança e Defesa da Ala 8, Tenente-Coronel de Infantaria José Paulino Sobrinho Júnior, as áreas de atuação envolveram trabalho complexo. “Esses pontos realmente eram de difícil acesso, onde o comando e o controle é difícil e a logística mais ainda. Contudo, devido à experiência adquirida no primeiro turno, já que esta missão foi uma atuação inédita para a Força Aérea aqui no Amazonas, nós pudemos aperfeiçoar ainda mais nossas ações”, explicou.

307 militares participaram de missão das eleições suplementares do AMAs eleições no Estado do Amazonas envolveram 62 municípios. A Força Aérea atuou nos dois turnos do pleito em parceria com diversas agências de segurança pública. O Presidente do Tribunal Regional Eleitoral, Desembargador Yedo Simões, falou sobre a integração das Organizações. “Foi um sucesso absoluto. Neste momento, nós temos uma unidade de todas essas forças de segurança do País aqui envolvidas, tanto Exército, Aeronáutica, Marinha, Policia Federal, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar. Então, a união resultante inibiu muitas condutas, que contrariavam a legislação eleitoral, e eu penso que esse é um modelo de futuro. É um modelo que vai servir para as futuras eleições no Estado”, disse.

O Comandante da Ala 8, Major-Brigadeiro do Ar Waldeísio Ferreira Campos, fez um balanço da participação da Força Aérea nas eleições suplementares. “A vontade de atuar, a capacidade, que é traduzida pelo treinamento e pela pronta resposta não apenas de pForça Aérea apoiou os dois turnos das eleições suplementares do Amazonasessoal, mas de utilização dos meios colocados à disposição, o compromisso com a responsabilidade e a consciência de cumprir com a nossa destinação constitucional mostram que a participação da Força Aérea foi mais uma vez decisiva, considerando as dificuldades logísticas do Estado do Amazonas. As ocorrências foram mínimas e a tropa, outra vez, mostrou o seu valor, o valor da Força Aérea, não apenas realizando transporte aéreo logístico, mas também atuando na garantia da votação e da apuração, guarnecendo os locais de votação e protegendo o direito do cidadão de executar o seu ato cívico de votar com tranquilidade”, falou.