SEGURANÇA DE VOO

Psicólogos civis e militares são capacitados para atuarem no contexto da Aviação

Uma das atividades foi a visita ao Centro de Gerenciamento de Navegação Aérea
Publicado: 29/07/2017 07:00
Imprimir
Fonte: CGNA
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Elias

O Instituto de Psicologia da Aeronáutica (IPA), unidade da Força Aérea Brasileira (FAB) localizada no Rio de Janeiro (RJ), realizou, no período de 19 de junho a 14 de julho, o Curso de Psicologia da Aviação (CPAV). O objetivo foi preparar militares e civis psicólogos para atuarem no contexto da Aviação, mais especificamente na área da Segurança de Voo.

O curso abordou, além dos conceitos básicos de Prevenção e Investigação de Acidentes Aeronáuticos, outros campos do conhecimento, tais como Navegação Aérea, Aeronáutica Básica, Medicina Aeroespacial, Fatores Humanos e Atividades Operacionais. Uma das atividades foi a realização de uma visita às instalações do Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA) para que os profissionais se familiarizassem com os órgãos do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB).

Durante a visita, a equipe, composta por 16 alunas, sendo 12 da FAB, duas da Marinha do Brasil, uma do Exército Brasileiro e uma do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, foi recepcionada pelo Chefe da Divisão de Operações do Centro, Tenente-Coronel Aviador Sidnei Nascimento de Souza.

“A atuação do psicólogo é de suma importância para os pilotos e controladores, desde o processo de seleção, em que são analisados os perfis e as aptidões, até a execução das funções no decorrer da vida profissional. Nós, do CGNA, temos uma imensa satisfação em receber este seleto grupo. Colaborar para o desenvolvimento de pesquisas, que agregam valores e melhoraram a qualidade de trabalho dos nossos operadores, não tem preço”, ratificou o Tenente-Coronel Sidnei.

Durante a visita, o grupo ressaltou o grau de responsabilidade na atividade finalística do CGNA e salientou que o fator humano é essencial para a manutenção do alto desempenho do órgão. Segundo as especialistas, faz-se ideal um acompanhamento dos profissionais da psicologia junto aos aviadores e controladores de tráfego aéreo, atuantes no Centro, com vistas a mitigar possíveis impactos provenientes das diversas situações de estresse operacional e pessoal que possam surgir.

“Poder acompanhar as alunas do CPAV, numa visita ao CGNA, é uma oportunidade ímpar, pois aqui poderão ver de perto, e em tempo real, como é feito o Gerenciamento de Fluxo de Tráfego Aéreo. Elas sairão com outros conceitos sobre os profissionais da área e, consequentemente, compartilharão o tema em suas organizações”, afirmou a Coordenadora do curso, Primeiro-Tenente Psicóloga Ana Paula Lacerda de Oliveira.

Fotos: Sargento Roberta