SAÚDE

Força Aérea presta apoio logístico em missão de apoio médico a indígenas

Três aeronaves e duas balsas foram usadas para que médicos pudessem realizar cirurgias em Iauaretê, no AM
Publicado: 31/03/2017 16:45
Imprimir
Fonte: Ala 8, por Tenente Lorena Molter
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Jussara Peccini

Três aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) e uma missão: garantir apoio médico especializado a populações indígenas em regiões isoladas do Alto Rio Negro, Noroeste do Amazonas. O apoio logístico torna viável a 38ª Expedição da Saúde, que se encerra neste sábado (01/04). A ação organizada pela ONG Expedicionários da Saúde iniciou na última sexta-feira (24/03), com apoio dos Ministérios da Saúde e da Defesa.

Força Aérea apoia missão dos Expedicionários da Saúde

Os atendimentos são realizados na região indígena de Iauaretê, localidade no norte da Amazônia, na fronteira com a Colômbia, com atendimento clínico, pediátrico e de média complexidade, como cirurgias oftalmológicas e clínica geral.

De acordo com dados divulgados pela pasta da Saúde, nos primeiros três dias da ação foram realizados mais de 800 atendimentos e 153 cirurgias (91 oftalmológicas e 62 gerais). A previsão é que sejam realizados mais de 300 procedimentos cirúrgicos até amanhã.
Balsas da COMARA foram utilizadas para transporte de material

O suporte logístico da FAB para transportar médicos e indígenas envolveu aeronaves C-105 Amazonas, do Esquadrão Arara (1°/9° GAV), C-130 Hércules, do Esquadrão Cascavel (1° GTT), e C-99, do Esquadrão Condor (1°/2° GT). Duas balsas da Comissão de Aeroportos da Região Amazônica (Comara) também foram usadas para transportar 15 toneladas de equipamentos, como a infraestrutura de atendimento, veículos e material.

Na primeira parte do transporte pelo rio, embarcações seguiram de Manaus até São Gabriel da Cachoeira (a 850 km da capital amazonense). No segundo trecho, balsas do Exértico foram usadas. Para concluir a viagem, do Porto de Urubuquara até Iauaretê (distante 1.105 km de Manaus), devido às dificuldades de navegação, foi necessário fazer um transbordo, ou seja, retirar toda a carga e encaminhá-la a outra parte do rio navegável onde outra balsa estava posicionada. As balsas da Comara seguiram até o local onde ocorreram os atendimentos.

Esquadrão Arara transporta indígenas para atendimento médicoTransporte de pacientes - O Esquadrão Arara fez o transporte de pessoal. Os militares da unidade aérea atuaram em Pari Cachoeira, também na área do Alto Rio Negro, e Iauaretê. A equipe transportou os médicos da ONG de São Gabriel da Cachoeira para o local dos atendimentos. Os pacientes passaram por uma triagem em Pari Cachoeira para então serem transferidos para Iauaretê. No total, foram transportados 177 passageiros, entre médicos e indígenas.

“É muito gratificante atuar em missões dessa natureza, pois nos sentimos parte de um todo disposto a ajudar o próximo. No final, o que importa são as pessoas, ajudar o próximo”, afirma o Tenente Lucas Luiz de Ávila, um dos pilotos da FAB envolvidos na operação.

Histórico - Em 2015, a Agência Força Aérea acompanhou o trabalho dos médicos em um hospital no meio da selva amazônica que realizou 237 cirurgias e 1.273 consultas médicas a índios da etnia Yanomami que vivem na região conhecida como Cabeça do Cachorro, localizada no Amazonas, na fronteira com a Venezuela.

Veja na reportagem do FAB em Ação: