CAPACITAÇÃO

No RJ, Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica forma 125 oficiais

Cerimônia de diplomação contou com a presença do ministro da Defesa e do Comandante da Aeronáutica
Publicado: 12/12/2016 10:20
Imprimir
Fonte: ECEMAR
Edição: Agência Força Aérea, por Ten Jussara Peccini

A Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR) diplomou 27 oficiais do Curso de Política e Estratégia Aeroespaciais (CPEA) e 98 oficiais do Curso de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (CCEM). As turmas incluíam oficiais de nações amigas: Argentina, Estados Unidos da América, República Dominicana e Togo.

A cerimônia militar realizada na sexta-feira (09/12) na Universidade da Força Aérea (UNIFA) contou com a presença do ministro da Defesa, Raul Jungmann, do Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, além do Embaixador da República Togolesa no Brasil, Koffi Assah.

“Caberá a nós levar a bom termo nossas missões de comando e assessoramento de mais alto nível em nossas Forças Singulares, no Ministério da Defesa e nas Nações Amigas, com a perspectiva de alcançar voos mais altos em nossas carreiras”, afirmou o orador das turmas, Coronel Intendente Luiz Fernando Moraes da Silva.

Para o Comandante Interino da Universidade da Força Aérea e Comandante da ECEMAR, Brigadeiro do Ar Arnaldo Augusto do Amaral Neto, o Comando da Aeronáutica confiou na maturidade e na capacidade de cada um dos oficiais-alunos, haja vista as tarefas atribuídas a eles na busca de soluções para as difíceis tarefas que se descortinam, visando à construção do futuro da Força Aérea Brasileira. “Em janeiro de 2017, teremos um novo modelo de Curso de Altos Estudos Militares, que em médio prazo, poderá se tornar padrão para todo o Ministério da Defesa. Tornam-se por essência modelo e inspiração”, adiantou o oficial-general sobre as mudanças no processo de capacitação do curso CPEA.

Comandante da Aeronáutica entrega diploma ao Tenente-Coronel Aviador Márcio

Aos oficiais do CCEM-P, o Comandante da Unifa afirmou que a FAB cobrará que as marcas do ensino forjadas nesse ano permaneçam indeléveis em suas vidas e recomendou que os formandos sejam “líderes arrojados, mantenham de maneira inquebrantável a ética e os valores castrenses.

Em seu discurso, o Brigadeiro Arnaldo dirigiu-se ainda aos formandos das nações amigas. Agradeceu o convívio fraterno e afirmou que a postura “exemplar contribuiu ainda mais para estreitar os laços de amizade entre os nossos países”.

Desafios atuais – No discurso que encerrou a cerimônia, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, abordou os grandes desafios do momento atual. “Estamos numa crise dura, difícil, prolongada. Mas conseguimos algumas conquistas com base no prestígio, com disciplina, com compromisso, com o trabalho de nossas Forças”, declarou. O ministro ainda defendeu que é preciso que se entenda as singularidades e especificidades da carreira militar, dedicação e o compromisso das Forças Armadas. “Tenho certeza que vamos superar este momento, sobretudo pelo respeito, pelo reconhecimento e pelo povo brasileiro nas tarefas e pelo desempenho e compromisso das nossas Forças, mormente a Força Aérea Brasileira”, afirmou.