AEDES AEGYPTI

Militares da FAB participam do esforço nacional contra o mosquito em todo o Brasil

O objetivo nesta sexta-feira é realizar um mutirão nas organizações militares
Publicado: 02/12/2016 07:00
Imprimir
Fonte: MD/Agência Força Aérea
Edição: Agência Força Aérea, Tenente Flávio Nishimori

Cerca de 80 mil militares das Forças Armadas participam, nesta sexta-feira (02/12), das ações do Dia Nacional de Combate ao Mosquito Aedes aegypti. Os efetivos da Marinha, do Exército e da Aeronáutica vão realizar um mutirão de limpeza nas 1.300 organizações militares espalhadas por todo o Brasil, incluindo quartéis, museus, clubes e escolas militares. O objetivo é chamar a atenção para os cuidados necessários contra o mosquito, além de eliminar possíveis focos de proliferação do Aedes nestes locais.

A FAB terá 7.444 militares envolvidos nas ações de combate ao mosquito em suas organizações militares. Outros 698 vão atuar em 210 escolas com palestras e procedimentos educativos de como combater o vetor. Estima-se que mais de 77 mil crianças serão impactatas com as informações e tornem se disseminadores em suas casas e regiões onde moram.

“A FAB, assim como as Forças Armadas, tem muita credibilidade. Isso é um fator de aproximação com a sociedade”, avalia o coordenador-geral das ações de combate ao Aedes aegypti no âmbito do Comando da Aeronáutica (COMAER), Coronel de Infantaria Paulo César Milaré.

Apenas na cidade do Rio de Janeiro, 33 escolas devem ser visitadas pela FAB e 14 mil alunos devem receber informações de combate ao mosquito. “As crianças levam informação importante para dentro de casa. A ideia é que elas ajudem a eliminar os possíveis criadouros e atuem também como disseminadoras das informações em suas comunidades”, complementa o militar.

O trabalho das Forças Armadas ao longo desse esforço nacional  ocorrerá ainda com a mobilização de seis mil homens e mulheres das Forças, média mensal, que serão empregados a partir das demandas da Sala Nacional de Coordenação e Controle ao Aedes aegypti. Esse contingente atuará em cerca de 200 municípios, incluindo todas as capitais e as cidades e entornos considerados endêmicos pelo Ministério da Saúde.

Essa fase do trabalho será realizada em uma ação coordenada com o Ministério da Saúde e as autoridades locais e terá visitas domiciliares dos efetivos das Forças Armadas, acompanhados de agentes de saúde, para inspecionar possíveis focos de proliferação, orientando moradores e, se for o caso, fazendo aplicação de larvicida em criadouros. A capacitação dos militares para atuar no combate ao transmissor da dengue, da chinkungunya e do zika vírus é realizada pelas secretarias municipais de saúde.

O uso de efetivo das Forças Armadas no enfrentamento ao mosquito é articulado a partir do pedido de apoio de estados, municípios e Ministério da Saúde.

A nova campanha do Ministério da Saúde, de conscientização para o combate ao mosquito, chama a atenção para as consequências das doenças causadas pela chikungunya, zika e dengue, além da importância de eliminar os focos do Aedes. “Um simples mosquito pode marcar uma vida. Um simples gesto pode salvar” alerta a campanha, veiculada na TV, rádio, internet, redes sociais e mobiliários urbano (ponto de ônibus, outdoor).

Além do conhecido Dia “D” serão realizadas ações para lembrar que toda sexta-feira é dia de eliminar focos no mosquito. A campanha traz como mote “Sexta sem mosquito. Toda sexta é dia do mutirão nacional de combate”.