RIO 2016

Comitê Olímpico Brasileiro elogia parceria com as Forças Armadas

Programa de Atletas de Alto Rendimento reforçou o número de atletas nos Jogos Olímpicos
Publicado: 22/08/2016 15:00
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Ten Cynthia Fernandes
Edição: Agência Força Aérea, por Ten Emília Maria

“Foi fundamental a participação das Forças Armadas na formação do Time Brasil”. A afirmação é do diretor-executivo do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Marcus Vinícius Freire, que admite a importância dos resultados dos atletas militares. Das 19 medalhas conquistadas pelo Brasil, 13 foram garantidas por atletas do Exército, Marinha e Aeronáutica. A Força Aérea Brasileira contabilizou quatro conquistas no quadro de medalhas, entre 39 atletas competidores.

Nesta edição da Olimpíada, dos 465 atletas do Time Brasil, 145 eram das Forças Armadas. O número representa 31% do total, em diversas modalidades como atletismo, judô, natação, ginástica artística, handebol e outros. Todos os egressos participam de um processo seletivo público e voluntário, cujo contrato pode durar até oito anos, no qual os atletas recebem salário e infraestrutura para treinamento. Assim, cerca de 600 atletas já foram incorporados, muitos a níveis sulamericano, panamericano e olímpico.

Segundo o representante do COB, desde 2011 um trabalho a seis mãos vem sendo desenvolvido junto com os ministérios da Defesa e dos Esportes, através do Programa de Atletas de Alto Rendimento. O resultado é nítido, com 68% das medalhas conquistadas por atletas militares. “São seis anos de parceria que eu considero que continue por mais 100”, declarou.

“Sem esse apoio, eu certamente não teria chegado a essa medalha de ouro”, afirma o campeão olímpico do salto com vara, Thiago Braz, que é Sargento da Aeronáutica.

A 13ª medalha das Forças Armadas veio da conquista do terceiro lugar no taekwondo, na categoria acima dos 80 quilos, pelo terceiro sargento da Aeronáutica Maicon Siqueira. "Nunca sonhei que um dia disputaria uma Olimpíada na vida. Por isso agradeço muito aos meus amigos e à minha família", disse ao final da disputa. "Por mais que eu tente te explicar, é uma sensação única. É um sonho. Não tem como explicar como é estar aqui. É um momento único. Por mais que fale palavras bonitas, não tem como descrever".

Atualmente, 670 militares fazem parte do Programa Atletas de Alto Rendimento, sendo que 76 são militares de carreira e outros 594 temporários.O ingresso do atleta nas Forças Armadas é voluntário. A convocação para integrar o PAAR é feita mediante edital público e inclui prova de títulos (currículo esportivo/resultados/ranking nacional). Os atletas são incorporados com a graduação de terceiro sargento e incorporam todos os direitos inerentes à função.

Modalidades - Durante os Jogos do Rio, os militares participaram das disputas de 27 modalidades, o que corresponde a 64% dos esportes das Olimpíadas. As Forças Armadas estiveram presentes nas provas de atletismo, basquete feminino, ginástica artística, hipismo adestramento, hóquei sobre grama, natação, judô, levantamento de peso, tiro esportivo, tiro com arco, taekwondo, vôlei de praia, maratona aquática, lutas, ciclismo pista, ciclismo estrada, handebol, vela, esgrima, boxe, remo, saltos ornamentais, nado sincronizado, canoagem slalom, badminton, triatlo e pentatlo moderno.

Com informações do Ministério da Defesa.