OLIMPÍADAS

Universidade da Força Aérea abrigará dirigentes de delegações militares de cem países

Memorando de entendimento foi assinado durante reunião do Conselho Internacional do Esporte Militar
Publicado: 03/02/2016 15:05
Imprimir
Fonte: Ministério da Defesa

  Divulgação MDA partir de agosto, o Clube do Conselho Internacional do Esporte Militar (CISM) vai funcionar dentro da Universidade da Força Aérea (Unifa), no Campo dos Afonsos, no Rio de Janeiro. Ele abrigará dirigentes de delegações militares de cem países participantes dos Jogos Olímpicos. 

O memorando de entendimento que vai permitir a instalação do Clube CISM nos Jogos Olímpicos Rio 2016 foi assinado na terça-feira (02/02) durante a realização da reunião continental do CISM das Américas, em Bávaro, na República Dominicana.

O espaço contará com um centro de mídia onde serão realizadas coletivas de imprensa, encontros e entrevistas com atletas militares brasileiros e estrangeiros. O centro de mídia, a cargo do CISM, também divulgará os resultados da participação dos atletas militares nas provas olímpicas.

De acordo com o representante da delegação brasileira no CISM Américas, Major-Brigadeiro do Ar Carlos Augusto Amaral Oliveira, que firmou o acordo, o Clube CISM é uma oportunidade de promover o desporto militar, com países que são potências olímpicas e possuem atletas dentro do quadro de suas forças armadas. Ainda conforme oficial-general, a intenção é buscar novos países membros para compor o desporto militar.

"O desporto militar, especialmente em nosso País, vem despertando investimentos que são disseminados na sociedade, além de despertar o gosto pelo esporte e incentivar a prática esportiva", comentou.

Segundo uma lista prévia divulgada em janeiro pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB), dos 87 desportistas do Brasil já classificados para as Olimpíadas, 47 são militares, que integram o Programa Atletas de Alto Rendimento (PAAR) do Ministério da Defesa - representando 54% do total.

  Arquivo CECOMSAER/ Sargento Batista Dos 49 atletas de natação e atletismo que alcançaram índices para os jogos, 27 são militares, mas a lista de classificados nessas modalidades ainda poderá sofrer alterações, dependendo dos resultados da classificatória final a ser realizada nos meses de abril e julho, respectivamente.

A expectativa é de que a delegação brasileira nos Jogos Olímpicos tenha em torno de 420 atletas, dos quais 100 sejam militares. O objetivo do Departamento de Desporto Militar (DDM) do Ministério da Defesa é passar de cinco para 10 o número de medalhas conquistadas po
r esportistas ligados às Forças Armadas – dobrando, assim, as conquistas das Olimpíadas de Londres.

CISM - Fundado em 1948, o Conselho Internacional do Esporte Militar (CISM) é uma das maiores organizações multidisciplinares do mundo. O CISM organiza mais de 20 eventos desportivos para as forças armadas de seus 134 países membros, entre competições continentais, regionais e Jogos Mundiais Militares, com aproximadamente 30 modalidades.