SEGURANÇA DE VOO

Em Londrina, FAB promove evento de padronização de instrução aérea

Julgamento de pilotagem será um dos temas. As inscrições para o estágio vão até sexta-feira (30/10)
Publicado: 29/10/2015 09:30
Imprimir
Fonte: SERIPA V

  A gestão de risco aliada ao treinamento baseado em cenário, para aprimorar o julgamento e a tomada de decisão do piloto na cabine da aeronave, será o foco de uma das palestras do Estágio de Padronização de Instrução Aérea (EPIA). O evento, promovido pelo Quinto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA V), acontecerá nos dias 5 e 6 de novembro, na cidade de Londrina (PR). O estágio é gratuito e os interessados podem se inscrever até a próxima sexta-feira (30/10) acessando o link.

A palestra “Julgamento de Pilotagem e Processo Decisório” será proferida pelo Chefe do SERIPA V, Tenente-Coronel Aviador Luís Renato Horta de Castro. O militar relaciona o nível de julgamento do piloto à qualidade da instrução aérea recebida no Brasil. “Atualmente, o futuro piloto cumpre programas e missões constantes dos manuais de cursos, que recomendam o treinamento de exercícios, focam no instrutor e buscam atingir os mínimos regulamentares”, explica.

Por muitos anos, acreditou-se que o bom julgamento era consequência natural da experiência de voo acumulada. No entanto, as estatísticas mostram que erros de julgamentos também são cometidos por pilotos experientes. Assim, conclui-se que o adequado julgamento é resultado de habilidades treinadas e aplicadas independente de experiência previamente adquirida.

O julgamento de pilotagem acontece na mente do piloto, quando ele escolhe entre as várias alternativas, a melhor ação para determinada circunstância. Segundo o palestrante, muitos profissionais acreditam em suas habilidades acima da média, porém poucos conseguem o desempenho melhor que seus pares na cabine da aeronave, o mesmo também se aplica aqueles considerados abaixo da média. “Pilotos competem por oportunidades, co
m base em atributos centrados na personalidade, atitude, e acima de tudo, profissionalismo”, afirma o chefe do SERIPA V.


As estatísticas referentes à Aviação de Instrução no Brasil indicam que 14,48% dos acidentes ocorrem em consequência do julgamento de pilotagem. Os dados são do Centro Nacional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA).

O foco na instrução deve se voltar para o aluno, levando-o a exercer, desde cedo, o papel de gestor da tomada de decisão, estimulando-o a ter iniciativas. A proposta é criar uma metodologia que integre o gerenciamento com o treinamento baseado em cenário, formando hábitos eficazes e eficientes pelo reflexo condicionado. “Essa é a vida real, muito mais complexa e duradoura que um cheque, prova ou banca de exames”, comenta o palestrante.

 
O Chefe do SERIPA V ainda ressalta que o treinamento baseado em cenário não substitui a instrução tradicional, porém refina, como um sistema focado em segurança. Neste caso, a instrução de voo englobaria três fases, com destaque para os exercícios mecânicos (habilidade de mão e pé), a identificação de perigos e o gerenciamento, com cenários reais e mais complexos que no treinamento convencional.

 

Serviço

Evento: Estágio de Padronização da Instrução Aérea

Data: 5 e 6 de novembro de 2015

Local: Universidade Norte do Paraná (UNOPAR) - Londrina (PR)

Mais informações pelo telefone (51) 3462-1333.