SEGURANÇA DE VOO

Base Aérea de Belém educa crianças sobre os riscos de brincadeiras à aviação

Estudantes aprenderam como podem ajudar os aeronavegantes a trabalhar com segurança
Publicado: 30/06/2015 09:00
Imprimir
Fonte: BABE

Visita aos Esquadrões de voo da BABE  Cabo Maxson / 3º/7º GAVUm grupo de quarenta crianças que mora e estuda nas redondezas da Base Aérea de Belém (BABE) visitou a organização para conhecer o trabalho dos militares e entender como ajudar os aeronavegantes a trabalhar com segurança.

As crianças, estudantes do quinto ano da Escola Estadual de Ensino Fundamental Sagrada Família, tiveram palestras sobre como certas práticas podem causar riscos à aviação, como apontar raio laser a cabines de aeronaves e soltar pipas perto de aeroportos. A programação fez parte de um conjunto de ações promovidas pela Infraero nos bairros do entorno do Aeroporto Internacional de Belém, com o objetivo de reduzir a incidência de fatores de risco à aviação relacionados às brincadeiras infantis.

Durante a visita, o Coordenador de Segurança Operacional da Infraero em Belém, Carlos Vital, explicou que soltar pipas pode gerar uma série de condutas proibidas, como a transposição da área operacional para buscar o brinquedo. Destacou, também, que incidir raio laser na direção das aeronaves prejudica a visão dos pilotos; e que o acúmulo de lixo implica na proliferação de pássaros nas proximidades dos aeroportos.

“Todo ano realizamos essas ações com o intuito de promover a conscientização sobre segurança de voo entre a comunidade do entorno. As crianças, além de conhecerem os reais riscos das brincadeiras do dia a dia, também se tornam multiplicadoras das informações entre as suas famílias e seus amigos, gerando, assim, um ambiente mais seguro", disse

Na próxima semana, a programação continua com a ação Troque sua pipa por uma bola, quando representantes do Primeiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA I), da BABE e da Infraero irão visitar os bairros das proximidades para realizar a troca do brinquedo de risco por um brinquedo seguro para que as crianças possam se divertir durante as férias.

“Visualizar as consequências das brincadeiras, como a pipa, permite que os alunos tenham consciência dos danos que podem causar aos aviadores. Por meio dessa reflexão, elas poderão colocar em prática as recomendações dadas e orientar os demais colegas”, disse a professora Maria Gizele de Lima Borges.