ESPAÇO

Pesquisadores produzem guia para calibração de sensores orbitais

Doutoranda no IEAV, uma das autoras trabalha agora na caracterização do satélite CBERS-4
Publicado: 04/07/2015 08:00
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea

  DivulgaçãoPesquisadores brasileiros acabam de lançar um guia sobre os procedimentos necessários para garantir a qualidade e a acurácia das informações fornecidas por satélites.

O livro Calibração de sensores orbitais foi produzido por Flávio Jorge Ponzoni (do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – Inpe), Cibele Teixeira Pinto (Inpe e Instituto de Estudos Avançados – IEAV), Rubens Augusto Camargo Lamparelli (Universidade Estadual de Campinas – Unicamp), Jurandir Zullo Junior (Unicamp) e Mauro Antonio Homem Antunes (Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – UFRJ).

Resultado de anos de estudo, o livro chega ao público no momento em que crescem as demandas por sensoriamento remoto: para investigação de fenômenos climáticos, monitoramento de florestas, estimativas de produtividade de culturas agrícolas e muitas outras aplicações.

“Percebemos a necessidade de desenvolvimento na área de calibração. Porque, quando conhecemos dados sobre a calibração do sensor, conseguimos utilizar as imagens não só como fotografias, mas também como dados radiométricos. E, por meio deles, podemos caracterizar espectralmente alvos de interesse, chegando, assim, à quantificação das variáveis descritas”, disse à Agência Fapesp Flávio Jorge Ponzoni.

Vários de seus autores fazem parte do Working Group on Calibration and Validation, grupo de trabalho do Comitee on Earth Observation Satellites (CEOS), entidade à qual o Brasil se filiou em 2009. O objetivo do grupo é definir metodologias e procedimentos a serem adotados pelos diferentes países proprietários de sensores de observação da Terra, permitindo a comparação de dados obtidos em diversos lugares do planeta.

O mesmo procedimento usado para calibrar sensores em satélites pode ser executado em sensores embarcados no avião. “Com o guia é possível fazer uma avaliação mais completa, com possibilidade de explorar todo o procedimento com melhor qualidade das informações”, explica o professor Ruy Morgado do Instituto de Estudos Avançados (IEAV).

Formação qualificada – Cibele, uma das autoras do livro, iniciou sua carreira acadêmica dentro do Instituto de Estudos Avançados (IEAV), um dos institutos do Departamento de Ciência e Tecnologia da Aeronáutica (DCTA) localizado em São José dos Campos (SP).   Acervo pessoal

No segundo ano de graduação, em 2006, a estudante foi convidada pelo professor doutor Ruy Morgado, físico nuclear que trabalha com sensoriamento remoto na divisão de geointeligência do IEAV, para os estudos de iniciação científica. “Eu aceitei, pois acreditava que seria uma grande oportunidade para testar técnicas e teorias aprendidas em sala de aula e ampliar o conhecimento. Foi durante a iniciação científica que comecei a me qualificar na área que atuo atualmente”, lembra Cibele.

Depois seguiu para o mestrado no INPE. “O processo seletivo é concorrido. Entretanto, eu me sentia preparada para essa nova etapa, pois tinha experiência adquirida com a Iniciação Científica”, explica.

Atualmente, ela está nos Estados Unidos realizando parte da pesquisa de doutorado na South Dakota State University. Lá, é orientada pelo pesquisador doutor Dennis Helder, que tem focado os estudos nos sensores da série Landsat, cuja utilização dos dados dos sensores a bordo nestas plataformas da série é considera um exemplo de sucesso. No Brasil, ela é orientada pelos pesquisadores do Inpe, Flávio Jorge Ponzoni, e do IEAV, Ruy Morgado.

Como resultado de nove anos de estudos e qualificação, hoje Cibele é responsável pela caracterização da câmera Mux do CBERS-4, satélite sino-brasileiro de observação da terra lançado em dezembro de 2014. Caracterizar significa verificar o funcionamento e estabelecer os parâmetros de calibração da imagem.

De acordo com o professor Morgado, esta é uma área muito específica em que há poucos profissionais especializados, tanto no Brasil como no exterior. “A Cibele foi formada dentro do IEAV. É a resposta do trabalho de capacitação, orientação e formação desenvolvido aqui dentro”, avalia Morgado.

Calibração de sensores orbitais
Autores: Flávio Jorge Ponzoni, Cibele Teixeira Pinto, Rubens Augusto Camargo Lamparelli, Jurandir Zullo Junior, Mauro Antonio Homem Antunes
Editora: Oficina de Textos

Mais informações: www.ofitexto.com.br/calibracao-de-sensores-orbitais/p


*Com informações da Agência FAPESP