ELEIÇÕES 2014

Tarauacá é ponto estratégico para distribuição das urnas no Acre

Aeroporto da cidade é usado para reabastecimento remoto. O combustível chega ao tanque do avião C-105 Amazonas
Publicado: 23/10/2014 21:37
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea

C-105 Amazonas é abastecido em Cruzeiro do Sul, no  Acre  Tenente Jussara/ Agência Força AéreaDa cidade de Tarauacá, no Acre, partiram na manhã desta quinta-feira (23) dois helicópteros H-60 Black Hawk da Força Aérea Brasileira para a distribuição das urnas em localidades de difícil acesso na região. O ponto é considerado estratégico por estar no meio do caminho entre as duas cidades mais conhecidas e populosas do estado do Acre: a capital, Rio Branco, e Cruzeiro do Sul.

“A grande vantagem de reabastecer nesta região é o aumento exponencial do nosso alcance, inclusive nossa eficiência em horas de voo. Assim, conseguimos cumprir o planejamento proposto pelo Tribunal Regional Eleitoral”, explica o Tenente Alfonso Bittencourt.  “Se tivéssemos que vir de Rio Branco, sem poder reabastecer aqui, a gente teria que fazer uma comunidade de cada vez”, compara o piloto ao explicar o processo que consiste em recolher urnas e equipes em polos regionais e distribuir para as comunidades na mata.

O local é usado para o abastecimento remoto dos helicópteros. A medida permite aumentar a autonomia das aeronaves e dar mais agilidade ao processo de distribuição. O combustível é retirado do tanque do avião C-105 Amazonas, que é abastecido em Cruzeiro do Sul, e transferido para um tanque flexível, também conhecido como plot, com ajuda de uma motobomba. “Temos capacidade para 20 mil litros aqui”, explica o abastecedor Sargento Renato Osvaldo do Nascimento.

O kit de abastecimento do Sétimo Comando Aéreo Regional, de Manaus, retira cerca de três mil litros em 50 minutos. O procedimento também pode ser feito diretamente do avião para o helicóptero. O método é usado com frequência em função das peculiaridades da região, como na Operação Gota, realizada com o Ministério da Saúde.

As equipes levam medicamentos para a vacinação de indígenas e comunidades ribeirinhas em toda a Amazônia. A segurança do local é feita por homens do Batalhão de Infantaria de Aeronáutica Especial de Manaus (BINFAE). 

imagens/original/23233/img_2030.jpg