OPERACIONAL

Transportex testa novas técnicas para a aviação de transporte da FAB

O objetivo é aumentar a segurança das operações em ambientes hostis
Publicado: 14/08/2014 14:52
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea

C-130 durante decolagem  Tenente Enilton / Agência Força AéreaVoos mais baixos, flexibilidade nos horários de lançamentos de carga ou de paraquedistas e maior análise de inteligência para operar em ambientes hostis. Essas são algumas das novidades testadas durante o exercício operacional da aviação de transporte da Força Aérea Brasileira, a Transportex, que até o próximo dia 26 de agosto reúne cerca de 600 militares em Campo Grande (MS).

“Nós pretendemos evoluir a doutrina da aviação de transporte da FAB para que ela fique mais próxima possível da doutrina internacional empregada pela OTAN”, afirma o Tenente-Coronel Mauro Cezar de Azevedo Pereira, Chefe da Seção de Doutrina e Estudos da Quinta Força Aérea (V FAE). A atualização permite que os esquadrões de transporte estejam aptos a realizar missões, em qualquer lugar do mundo, com padrões compatíveis aos atuais procedimentos realizados na área.

Base Aérea com as aeronaves do exercício  Sgt Bruno Batista / Agência Força AéreaPara testar as novas técnicas, um cenário de combate foi montado no Mato Grosso do Sul, onde há a simulação de ameaças no solo e no ar com a utilização de radares e sistemas de lançamento de mísseis portáteis. São situações que podem surgir durante a missão e exigir a aplicação de medidas evasivas. A atividade coloca em prova não só a atuação da tripulação, mas os sistemas de autodefesa das aeronaves C-130 Hércules e C-105 Amazonas. A coleta e análise das lições aprendidas após cada evento apontam os acertos e os ajustes necessários para aperfeiçoar as técnicas.

Um dos procedimentos que passa por adaptações são os voos à baixa altura. “Os voos agora são mais baixos e mais rápidos para que a aeronave fique o menos exposta possível às ameaças inimigas”, explica o Tenente-Coronel Cezar. Os horários dos lançamentos também estão menos rígidos para que seja realizada a análise das “janelas de oportunidades” e o melhor momento para realizar a manobra. A atualização das técnicas empregadas na aviação de transporte da FAB vem sendo estudadas desde a participação do Primeiro Esquadrão do Grupo de Transporte de Tropa (1º GTT) no exercício operacional canadense de guerra aérea, a Maple Flag, em 2012.

“Para o piloto é sempre interessante essas inovações e aperfeiçoamento para estar alinhado com as novas técnicas utilizadas no mundo inteiro. Hoje, por exemplo, a gente tem que voar muito mais rápido para fugir de radares, é um voo diferente que exige maior perícia e experiência. Com a Transportex, podemos treinar de forma integrada com os esquadrões de transporte e unificar as técnicas”, comenta o piloto da aeronave C-130 Hércules, Tenente Rafael Portela Santos do 1º GTT.

Assunto(s): , , ,