PREPARO

Comandante da Aeronáutica visita as instalações do Exercício Operacional Tápio, na ALA 5

Adestramento ocorrerá até o dia 4 de setembro, na Ala 5 - Base Aérea de Campo Grande, com envolvimento de diversos Esquadrões Aéreos, Unidades de Infantaria da Força Aérea e militares da Marinha do Brasil e do Exército Brasileiro
Publicado: 02/09/2020 20:11
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Tenente Cristiane
Edição: Agência Força Aérea - Revisão: Tenente-Coronel Santana

O Exercício Operacional Tápio (EXOP Tápio), realizado pela Força Aérea Brasileira (FAB), na Ala 5, em Campo Grande (MS), está na reta final, com término previsto para o próximo dia 4 de setembro. Com o objetivo de avaliar o progresso da atividade até o momento, o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, o Comandante de Preparo, Tenente-Brigadeiro do Ar Luiz Fernando de Aguiar, o Comandante Militar do Oeste, General de Exército Fernando José Sant´Ana Soares e Silva, dentre outras autoridades, visitaram, nesta terça-feira (01), as instalações da Organização Militar onde ocorre o adestramento.  

O Exercício teve início no dia 17 de agosto e emprega aeronaves de Aviações distintas em ações que visam a adestrar os Esquadrões Aéreos, Unidades de Infantaria da Força Aérea, militares da Marinha do Brasil e do Exército Brasileiro, em um contexto operacional de missão de paz da Organização das Nações Unidas (ONU), potencializando a capacidade de interoperabilidade entre as Forças Armadas do Brasil.

A realização deste tipo de Exercício é de grande relevância para a manutenção operacional da FAB, conforme explica o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro Bermudez. "O EXOP Tápio é fundamental para garantir a continuidade da capacitação e a progressão operacional de nossas equipagens. Está na sua terceira edição e nós já temos indicadores que comprovam excelentes resultados atingidos até o momento", afirmou.

O Comandante de Preparo, Tenente-Brigadeiro Aguiar, explicou como o Exercício foi planejado. "Estamos treinando bem e, com os equipamentos que temos, levamos a atualidade do treinamento de países de primeiro mundo para dentro de um cenário como este e, verdadeiramente, estamos em condições de empregar, se necessário for", reforçou.

O Comandante da Ala 5 e Diretor do EXOP Tápio, Brigadeiro do Ar Luiz Cláudio Macedo Santos, falou sobre a estrutura montada para o treinamento. "Nós focamos o Exercício justamente na manutenção das capacidades operacionais das nossas Unidades Aéreas e de Infantaria, justamente visando ao pronto emprego, em situações rotineiras do dia a dia. Tudo aquilo que nós treinamos tem aplicação prática", disse.

A programação contou com uma apresentação geral, visita às células de cenários, à Unidade Celular de Saúde (UCS) e também o acompanhamento da execução de uma Missão Aérea Composta (COMAO, do inglês Composite Air Operation), onde várias aeronaves decolam em um curto espaço de tempo para cumprir Ações de Força Aérea, visando a um objetivo comum.

INTEROPERABILIDADE

O EXOP Tápio conta com o envolvimento das três Forças Armadas. Por parte da Força Aérea, participam os Esquadrões Aéreos das Aviações de Transporte, Caça, Asas Rotativas, Reconhecimento e Busca e Salvamento; o Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento (PARA-SAR); a Brigada de Defesa Antiaérea (BDAAE); e Grupos de Defesa Antiaérea (GDAAE). A Marinha do Brasil emprega militares do Grupamento de Mergulhadores de Combate (GRUMEC); do Batalhão de Operações Especiais dos Fuzileiros Navais (Tonelero); do 3º Pelotão de Operações Ribeirinhas; do Grupamento de Fuzileiros Navais de Manaus; do Batalhão de Controle Aerotático; e da Defesa Antiaérea. Já o Exército Brasileiro atua com efetivo do 25º e 26º Batalhões de Infantaria Paraquedista; do Comando de Operações Especiais; e do 8º Grupo de Artilharia de Campanha Paraquedista, além do 1º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral do Oeste, que atua como observador.

Esta edição do Exercício tem como diferencial as medidas adotadas para combate e prevenção à COVID-19. O treinamento conta com a execução de um Plano de Biossegurança, instalação de uma Unidade Celular de Saúde (UCS), aeronaves adaptadas para Evacuação Aeromédica, locais designados para eventual isolamento social e um Esquadrão de Saúde equipado para receber pacientes com agravamento do quadro clínico. Todas essas ações fazem parte do planejamento de saúde elaborado para o Exercício.

Confira como foi a visita.

Fotos: Soldados Avalhaes e Azuaga / Ala 5

Vídeo: Soldado Chagas / CECOMSAER

imagens/original/40816/200901ASO__Anderson_Soares_4.jpg
imagens/original/40816/201030ASO__Anderson_Soares_9.jpg
imagens/original/40816/IMG_3545.JPG
imagens/original/40816/Vip_day_IRIS__8.jpg
imagens/original/40816/_MG_3268.JPG
imagens/original/40816/_MG_3276.JPG