DIA DA INTENDÊNCIA

O apoio da Intendência na Operação COVID-19

Montagem de Hospital de Campanha e estrutura para produção e distribuição de refeições são algumas das atividades desenvolvidas
Publicado: 23/08/2020 09:00
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Tenente João Elias
Edição: Agência Força Aérea - Revisão: Tenente-Coronel Denys

Além do transporte aéreo de pessoal e de materiais por todo o País, a Força Aérea Brasileira (FAB) atua na Operação COVID-19 por meio da Intendência da Aeronáutica, que presta apoio logístico e administrativo nas ações desenvolvidas. Dentre algumas das atividades estão a montagem de Hospitais de Campanha (HCAMP) e o apoio de alimentação a caminhoneiros, com o emprego de profissionais de diversas Organizações Militares.

Hospitais de Campanha foram montados por militares da Intendência da Aeronáutica nas cidades de Natal (RN), Belém (PA) e Manaus (AM). Outras ações de logística de campanha ocorreram no Rio de Janeiro (RJ), em apoio ao Hospital de Força Aérea do Galeão (HFAG), para preparação de uma área de triagem de pacientes com suspeita de infecção pelo novo Coronavírus; e no Centro de Medicina Aeroespacial (CEMAL), onde foram realizados os exames médicos dos novos profissionais de saúde mobilizados pelo Comando da Aeronáutica (COMAER).

Entrega de mais de 50 mil refeições a caminhoneiros

Próximo ao Porto de Santos, em São Paulo, o Grupamento de Apoio Logístico de Campanha (GALC) montou uma estrutura para produção e distribuição de refeições a caminhoneiros que trafegam pela rodovia SP-055. Os equipamentos foram transportados do Rio de Janeiro (RJ) para a Base Aérea de Santos (BAST), na cidade de Guarujá (SP).

De acordo com o Comandante da BAST, Tenente-Coronel Aviador Francisco José Formaggio, o local foi escolhido por conta da proximidade de conexão com o Porto de Santos, que é considerado o maior do Brasil. “A maioria dos caminhões que trafegam naquela região faz parte da logística portuária, e muitos caminhoneiros encontram dificuldades em conseguir alimentos, já que alguns pontos estão com atendimento fechado ou bastante restrito”, ressaltou.

Além do GALC, participam da ação os Grupamentos de Apoio dos Afonsos (GAP-AF) e de São Paulo (GAP-SP), organizações subordinadas à Secretaria de Economia, Finanças e Administração da Aeronáutica (SEFA).

Para a viabilização destas ações e de diversas outras relacionadas à Operação COVID-19, a Intendência da Aeronáutica foi responsável pela obtenção de bens e serviços específicos, necessários ao preparo e emprego da Força Aérea Brasileira, sempre em consonância com as orientações e objetivos do COMAER, utilizando as boas práticas da administração pública.

Dia da Intendência

Em alusão ao dia 23 de agosto de 1945, data de criação do Serviço de Intendência da Aeronáutica, foi instituída esta data como o Dia da Intendência. Em 2020, a Intendência da Aeronáutica completa 75 anos. Ao longo desse tempo, progrediu acompanhando a evolução da FAB, estando cada vez mais apta a enfrentar os desafios que surgem a cada dia.

Além disso, atua numa área multidisciplinar, com responsabilidades nas áreas administrativa, contábil e financeira. Desenvolve, ainda, as atividades de contratos, compras, pagamento de fornecedores e de pessoal, controle interno, orçamentos, planejamento e logística, focando na otimização dos processos e buscando melhores resultados na aplicação de recursos.

A atividade da Intendência Operacional se faz presente nas ações de ajuda humanitária, calamidade pública, áreas de conflito e operações militares, como: Regresso à Patria Amada Brasil e COVID-19.

Entrevista com o Chefe do Centro de Controle Interno da Aeronáutica, Major-Brigadeiro Intendente Marcos Aurélio Pereira Silva, sobre a atividade de Intendência no âmbito do Comando da Aeronáutica:

Qual o cenário, na sua opinião, que os futuros Aspirantes Intendentes encontrarão ao longo de suas respectivas carreiras?

Com certeza, um cenário desafiador e, em consequência, extremamente gratificante, no qual o aprimoramento profissional será a chave primordial para o sucesso. A Intendência, devido ao grande conceito que possui perante o Alto-Comando e no âmbito do COMAER, está tendo novos desafios, como por exemplo as Chefias da CABE, das Bases Aéreas, das Adidâncias e do CAE, além de Assessores na Junta Interamericana de Defesa e no Colégio Interamericano de Defesa. Sendo assim, várias oportunidades estarão à disposição daqueles que se capacitarem para galgá-las. Ressalto que gostaria de estar no lugar desses privilegiados Oficiais Intendentes.

Quais são, em sua opinião, as principais qualidades, ou competências pessoais, que devem ser nutridas e aperfeiçoadas por um Oficial de Intendência?

Considerando os cenários profissionais de hoje – e também de um futuro que se avizinha cada vez mais rapidamente – acredito que o Oficial-Intendente deva mirar desafios constantemente, de forma a acumular experiências em torno de cada uma das dez competências, ou capacidades, às quais considero essenciais ao seu aprimoramento como especialista na função de prever e prover, quais sejam: (1) foco na missão; (2) planejamento e organização; (3) mentalidade de resolução de problemas; (4) gerenciamento de conflitos e antagonismos; (5) trabalho em equipe e colaboração; (6) relacionamento interpessoal; (7) aptidão para tecnologia; (8) responsabilidade e transparência na gestão; (9) foco em resultados e (10) mentalidade de inovação.

Confira, na íntegra, a entrevista com o Major-Brigadeiro Aurélio.

Fotos: Soldado A. Soares/CECOMSAER