NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


TV GLOBO - FANTÁSTICO


Fantástico mostra como será a posse de Jair Bolsonaro


Publicada em 31/12/2018 04:42

Nesta terça (1º), o presidente eleito se torna oficialmente o 38º presidente do Brasil. Ele e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, participarão de vários eventos.

PORTAL G1


Posse de Bolsonaro: veja como chegar e o que levar (ou não) para a Esplanada dos Ministérios

Cerimônia acontece na tarde desta terça (1º), na área central de Brasília. Público será revistado quatro vezes; sinal de celular será mantido na região.

Publicada em 30/12/2018 15:45

Responsável pela segurança da presidência da República, o Gabinete de Segurança Institucional estabeleceu regras rígidas para o acesso à posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL). A cerimônia está marcada para a tarde da próxima terça-feira (1º) na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

Como chegar

Por determinação do Gabinete de Segurança Institucional, o único acesso à Esplanada dos Ministérios será realizado pela Rodoviária do Plano Piloto (veja mapa abaixo).

A partir das 8h, no dia da posse, o bloqueio do Eixo Monumental vai começar na altura da rodoviária. Apenas os ônibus do transporte público poderão contornar o terminal rodoviário no trecho voltado para o Congresso.

O motorista que pegar a via S1 no trecho mais afastado terá de seguir, obrigatoriamente, para o Eixão Sul quando chegar à altura da rodoviária. Já quem está no sentido contrário do Eixão Sul, indo para a área central, terá de pegar o Buraco do Tatu e continuar até o Eixão Norte.

Veja os pontos autorizados de estacionamento mais próximos da Esplanada:

- Setores de Autarquia Sul e Norte

- Setores Bancário Sul e Norte

- Setores de diversão Sul e Norte

- Plataforma superior da Rodoviária de Brasília

- Shoppings Conjunto Nacional e Conic

- Estádio Nacional de Brasília e Ginásio Nilson Nelson

O que não levar

As forças de segurança farão revista no público em quatro pontos sucessivos. Como parte do esquema de segurança no dia, o GSI enumerou uma série de restrições de produtos e objetos que não poderão entrar na Esplanada. Veja a lista de itens proibidos:

- Apontadores de lasers

- Bebidas alcoólicas

- Animais

- Carrinhos de bebês

- Fogos de artifícios

- Armas

- Drones

- Bolsas e mochilas

- Objetos cortantes

- Produtos inflamáveis

- Máscaras

- Sprays

- Guarda-chuvas

- Garrafas

Os alimentos devem ser transportados em sacolas plásticas transparentes para facilitar a revista. O sinal de celular será mantido na região.

Desde quarta-feira (26), milhões de celulares com DDD 61 recebem instruções sobre as restrições na posse de Bolsonaro. Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o pedido para o envio das mensagens foi feito ao órgão pelo Comando de Operações Especiais do Exército.

Estrutura

Segundo o GSI, quem for evento terá apoio de saúde, pontos de distribuição de água, banheiros públicos e um telão na Praça dos Três Poderes com transmissão em tempo real.

Programe-se

Veja o cronograma informado pelo governo de transição para a posse de Bolsonaro em 1º de janeiro:

14h45 – Desfile do cortejo presidencial da Catedral de Brasília ao Congresso Nacional

14h50 – Chegada do cortejo presidencial ao Congresso Nacional

15h – Abertura da sessão solene de posse no plenário da Câmara dos Deputados

15h45 – Término da sessão solene de posse no plenário da Câmara dos Deputados

16h – Cerimônia de execução do Hino Nacional, seguida de salva de tiros e revista de tropas

16h15 – Desfile do cortejo presidencial do Congresso Nacional ao Palácio do Planalto

16h20 – Chegada do cortejo presidencial ao Palácio do Planalto

16h30 – Pronunciamento de Jair Bolsonaro

17h – Cumprimentos dos convidados internacionais

17h30 – Cerimônia de nomeação dos ministros de Estado

18h15 – Fotografia oficial

18h25 – Desfile do cortejo presidencial, com a faixa presidencial, do Palácio do Planalto ao Palácio Itamaraty

18h30 – Recepção oferecida por Jair e Michelle Bolsonaro

Segurança

As delegacias da Criança e do Adolescente, da Mulher e a 1ª (Asa Sul), 2ª (Asa Norte) e 5ª (Área Central) Delegacias de Polícia receberão reforço para atender durante todo o período da Operação Posse.

Dois mísseis antiaéreos guiados a laser, capazes de abater aviões a até 7 km de distância, serão utilizados no evento. Os militares também usarão um radar portátil para identificar aeronaves voando a baixa altitude.

É a primeira vez que estes equipamentos são utilizados em uma posse presidencial. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do DF, este é o maior esquema de segurança já montado para um evento do tipo em Brasília – são mais de 3,2 mil policiais militares, civis, federais e bombeiros, além de integrantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica.

Também é a primeira vez em Brasília que a parte de baixo da Esplanada dos Ministérios será cercada por concertina, um arame farpado com lâminas. A cerca vai se estender da Procuradoria-Geral da República ao 1º Grupamento do Corpo de Bombeiros, localizado depois do Palácio do Planalto.

Para garantir o monitoramento aéreo completo, o espaço aéreo do DF será dividido em três círculos, com centro na Praça dos Três Poderes e raios distintos:

- Raio de 7,4 km: será proibida a circulação de toda e qualquer aeronave que não faça parte do esquema de segurança

- Raio de 46,3 km: os aviões que entrarem no espaço aéreo precisam de autorização expressa da FAB – o perímetro inclui o Aeroporto Internacional de Brasília

- Raio de 129,6 km: os aviões não precisam de autorização, mas devem informar o plano de voo previsto para aquele dia

Mais de 2,6 mil policiais militares trabalharão na região da Esplanada. Serão 36 agentes do Detran e dez viaturas e mais 364 militares do Corpo de Bombeiros e 27 viaturas prontos para a Operação.

Presidência faz último ensaio na Esplanada dos Ministérios para a posse de Bolsonaro

Presidente eleito Jair Bolsonaro tomará posse na próxima terça-feira (1º), a partir das 14h45. Esquema de segurança deve ser o maior já montado para eventos desse tipo.

Alexandro Martello | Publicada em 30/12/2018 14:34

O governo realizou neste domingo (30), na Esplanada dos Ministérios, o último ensaio para a posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro, marcada para terça-feira (1º).

O ensaio se deu sob forte esquema de segurança. A Esplanada foi fechada para o público na altura da Rodoviária de Brasília, com bloqueio do acesso aos ministérios e à Praça dos Três Poderes.

A expectativa do governo é de que 250 mil a 500 mil pessoas compareçam à cerimônia oficial.

No ensaio, figurantes ocuparam os lugares que, na terça-feira, caberão às autoridades, como Bolsonaro, à nova primeira-dama, Michelle Bolsonaro, ao vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão, e à mulher dele, Paula.

No ensaio, eles cumpriram o trajeto previsto para o dia da posse. Saíram da Catedral, passaram pelo Congresso Nacional, onde o figurante que representou Jair Bolsonaro leu o termo de posse.

Depois, seguiram para o Palácio do Planalto, onde houve a troca da faixa presidencial, e esperaram em silêncio um tempo equivalmente ao do discurso de posse.

O ministro Sérgio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional) afirmou que a festa "está pronta".

"Será segura. Certamente, vamos ter o dia 1º para coroar o processo democrático que se iniciou lá atrás, no primeiro turno [das eleições]", declarou.

No ensaio, não foi utilizado o tradicional Rolls-Royce conversível, fabricado em 1952. De acordo Etchegoyen, a decisão sobre o uso do carro aberto será tomada somente no dia da posse.

Também presente na entrevista, o futuro ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, disse que a decisão caberá ao presidente eleito. "O critério é: Jair Messias Bolsonaro", afirmou sobre o assunto.

A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federak classifica a operação do dia da posse como o maior esquema de segurança já montado para um evento do tipo em Brasília.

Foram escalados para atuar na posse mais de 3,2 mil policiais militares, civis, federais e bombeiros, além de integrantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica.

O dia do presidente eleito

Bolsonaro chegou a Brasília no sábado (29) e foi para a Granja do Torto, uma das residências oficias da Presidência. Ele não teve agenda pública neste domingo.

Um comboio saiu da Granja na hora do ensaio, para simular o esquema do dia da posse, mas Bolsonaro, como previsto, não estava dentro de nenhum dos carros.

Durante a manhã, apoiadores de Bolsonaro foram para a entrada da Granja do Torto com cartazes e bandeiras em homenagem ao presidente eleito.

Roteiro da cerimônia

A cerimônia oficial na terça-feira vai começar às 14h45, no horário de Brasília com o seguinte roteiro:

Um cortejo com o presidente eleito partirá da altura da Catedral de Brasília rumo ao Congresso Nacional.

Na sede do Legislativo, Bolsonaro abrirá a sessão solene de posse às 15h, e ficará no local até as 15h45. Depois, haverá a execução do hino nacional, seguida por uma salva de 21 tiros de canhão e revista às tropas.

O próximo passo da cerimônia é um percurso (ainda não se sabe se em carro aberto ou fechado) até o Palácio do Planalto, sede do governo, onde o presidente eleito se pronunciará no parlatório - voltado para a Praça dos Três Poderes.

Está previsto que, depois, Bolsonaro receba o cumprimento dos chefes de Estado presentes, ou de seus representantes. Às 17h30, segundo o cronograma, o presidente eleito comandará cerimônia de nomeação dos ministros de seu governo. Em seguida será feita a foto oficial.

Por fim, Bolsonaro seguirá em direção ao Palácio do Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores, onde participará, por volta das 18h30, do último ato da cerimônia: uma recepção oferecida por ele e sua esposa, Michele Bolsonaro, às autoridades presentes.

Medidas para a posse

Segurança - O Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República informou que ações de segurança serão realizadas de maneira conjunta entre órgãos federais e distritais. Ao todo, está prevista a atuação de mais de 2,6 mil policiais militares na Esplanada durante a posse presidencial, que efetuarão revistas nos populares em quatro pontos próximos à Rodoviária do Plano Piloto. Além deles, o GSI informou que a operação também vai contar com 350 militares e 25 viaturas do Corpo de Bombeiros e 36 agentes, com 10 viaturas, do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF).

Objetos proibidos - Foi definida uma lista do que não pode ser levado por quem quiser acompanhar o evento em Brasília. Será impedida a entrada de quem portar objetos como guarda-chuvas, fogos de artifício e apontadores laser, por exemplo.

Interdições de vias - As medidas também incluem a interdição das principais vias próximas à Esplanada dos Ministérios a partir de 29 de dezembro. No dia 1º, as vias N1 e S1 estarão interditadas desde as 8h a partir da Rodoviária do Plano Piloto. O desbloqueio só será realizado após o fim da cerimônia.

Atendimento de saúde - O governo também informou que cerca de 70 profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) estarão de plantão no evento, entre condutores de emergência, técnicos em enfermagem, enfermeiros, médicos e coordenadores de área. A estrutura de saúde contará com oito postos médicos, quatro ambulâncias básicas, duas ambulâncias avançadas e oito motolâncias. Também serão montados um posto móvel de regulação e uma unidade de atendimento a múltiplas vítimas. A operação ainda contará com o reforço do transporte aeromédico, resultado de uma parceria entre o Samu e o Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, informou o GSI.

Estacionamento - As seguintes áreas estão designadas para estacionamento no dia da posse:

Setores de Autarquia Sul e Norte.

Setores Bancário Sul e Norte.

Setores de diversão Sul e Norte.

Plataforma superior da Rodoviária de Brasília.

Shoppings Conjunto Nacional e Conic.

Estádio Nacional de Brasília e Ginásio Nilson Nelson.

PORTAL R7


Posse de Bolsonaro terá mísseis antiaéreos e 3.200 policiais

Público que for à cerimônia deverá ficar atento às restrições: carrinhos de bebê, bolsas e garrafas estão proibidos. Serão 4 barreiras de revistas

Juliana Moraes | Publicada em 31/12/2018 05:00

A posse do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) na terça-feira (1º) vai contar com um dos maiores esquemas de segurança da história. Pela primeira vez, serão utilizados dois mísseis antiaéreos guiados a laser capazes de abater aviões a até 7 km de distância.

Mais de 20 aeronaves da FAB (Força Aérea Brasileira) vão fazer rondas em Brasília durante o dia da posse. Além disso, também será usado um radar portátil para identificar aeronaves que estiverem voando a baixa altitude.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, a Esplanada dos Ministérios deve receber de 250 a 500 mil pessoas para a posse. Para isso, mais de 2.600 policiais militares trabalharão no local.

O forte esquema de segurança vai contar ainda com ações conjuntas de órgãos federais e distritais: Exército, Polícia Federal, Secretaria da Segurança Pública, polícias militar e civil, Corpo de Bombeiros e Detran. Com isso, serão mais de 3.200 policiais militares, civis, federais e bombeiros, além de integrantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica.

O público só consegue acessar a Esplanada pela Rodoviária do Plano Piloto. A partir daí, somente a pé. O acesso por meio de bicicletas, skates e patins estão proibidos. Guarda-chuva, objetos cortantes, carrinho de bebê, bebidas alcóolicas, fogos de artifício, máscaras, garrafas, sprays, bolsas e mochilas também estão proibidos.

Quatro barreiras de revistas serão montadas a partir da Rodoviária do Plano Piloto e a Polícia Militar vai fazer fiscalização manual. As revistas ficam ainda mais rigorosas mais próximo ao Congresso Nacional.

Ao longo do percurso, serão usados ainda, aleatoriamente, detectores de metais. O público só pode passar pela fiscalização com frutas, pacotes de biscoitos e com sacolas, preferencialmente, transparentes.

Além disso, é a primeira vez que a parte de baixo da Esplanada dos Ministérios vai ser cercada por um arame farpado com lâminas, cuja instalação foi feita pelo Exército. A cerca vai da Procuradoria-Geral da República até o 1º Grupamento do Corpo de Bombeiros, que fica depois do Palácio do Planalto.

Lago Paranoá

A navegação no Lago Paranoá também fica limitada. Entre 30 de dezembro de 2018 e 02 de janeiro de 2019, fica proibida a permanência de embarcações a uma distância inferior a 100 metros da Ponte JK e a 50 metros das demais pontes e barragem do Lago Paranoá. Quem não respeitar os limites, vai ser tratado como ameaça à segurança.

Espaço aéreo

A defesa aérea e o tráfego aéreo também contarão com um esquema especial no Distrito Federal. Por meio de um decreto, foi autorizada a interceptação e o abate de aeronaves consideradas suspeitas ou hostis, que apresentem ameaça à segurança. A medida, no entanto, tem validade de 24 horas e entra em vigor a partir de zero hora do dia 1º de janeiro.

O espaço aéreo vai contar com áreas de exclusão e três níveis de restrição, sendo que nesses locais apenas aeronaves autorizadas vão sobrevoar. Caças, por exemplo, vão sobrevoar a área de segurança delimitada para impedir que aeronaves não autorizadas se aproximem.

A divisão do espaço aéreo do DF fica assim: no raio de 7,4 KM, fica proibida a circulação das aeronaves que não fazem parte do esquema de segurança. No raio de 46,3 km, as aeronaves precisam de uma autorização expressa da FAB. O espaço inclui o Aeroporto Internacional de Brasília. Já no raio de 129,6 Km, não precisa de autorização, mas é necessário informar o plano de voo para o dia.

Confira o passo a passo da posse de Bolsonaro

AGÊNCIA BRASIL


Responsáveis pela posse dizem que a festa está pronta e será segura”


Luciano Nascimento | Publicada em 30/12/2018 20:03

Sob um forte esquema de segurança, a equipe responsável pela cerimônia de posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro, realizou neste domingo (30), na Esplanada dos Ministérios, o último ensaio para a cerimônia, que será realizada no dia 1º de janeiro. 

Após o ensaio, o atual ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Sérgio Etchegoyen, disse que os preparativos para a cerimônia estão prontos e que não houve grandes alterações em relação ao previsto no primeiro ensaio.

“A festa está pronta, será segura e certamente vamos ter um dia primeiro para coroar o processo democrático que se iniciou lá atrás no primeiro turno [das eleições] no dia 7 de outubro”, disse o ministro durante coletiva com jornalistas. 

Questionado se já havia uma decisão sobre a utilização do desfile em carro aberto no tradicional Rolls-Royce, Etchegoyen disse não haver decisão sobre o uso do automóvel e que dependerá da vontade do presidente eleito.

No primeiro ensaio, realizado no último domingo (23), o dublê que interpretou Bolsonaro fez o trajeto da Catedral Metropolitana até o Congresso em carro aberto. No ensaio deste domingo, o desfile foi realizado em carro fechado.

“A decisão do carro aberto ou fechado será decidida pelo presidente da República em conversa com o general [Augusto] Heleno [futuro comandante do GSI], já no dia da posse e conforme as circunstâncias indicarem”, afirmou. “A nossa responsabilidade, a minha e a do general Heleno, é garantir que a vontade de 58 milhões de brasileiros se concretize e para isso é preciso dar segurança”.

Etchegoyen voltou a afirmar que são esperadas para a posse entre 250 a 500 mil pessoas. O ministro disse também que não há confirmação sobre a realização de uma cerimônia ecumênica na Catedral de Brasília.

“Somos um país grande, com significado no mundo, uma democracia importante que vai comemorar a posse de um presidente eleito. A nossa responsabilidade é apenas garantir que a festa esteja segura”, repetiu. “Toda posse é um período de esperança, independente de quem esteja assumindo, a posse é sempre um momento de esperança. Essa festa tem que ser garantida com as melhores condições de segurança”.

Ensaio

O ensaio de hoje fez o mesmo trajeto que Bolsonaro deve seguir no dia 1º de janeiro. Pouco depois das 14h30, o dublê do presidente eleito e a comitiva presidencial, com cavalos e policiais em carros e motos, saíram da Catedral em direção ao Congresso Nacional.

Além do desfile em carro fechado, desta vez o público não teve acesso ao ensaio. O acesso à Esplanada foi interditado na altura da Rodoviária de Brasília, com bloqueio aos ministérios e à Praça dos Três Poderes.

Pelo cronograma, o desfile do cortejo presidencial da Catedral até o Congresso ocorrerá por volta das 14h45, com previsão de início da sessão solene de posse no Plenário da Câmara dos Deputados às 15h.

Após o Congresso, foi encenada a ida do presidente ao Palácio do Planalto, para a passagem da faixa presidencial e, por último, o cortejo chegou ao Itamaraty, onde será realizada uma recepção para convidados e diplomatas.

A previsão é que Bolsonaro chegue ao Planalto às 16h30 e receba a faixa presidencial logo em seguida. Na sequência, deverá fazer um pronunciamento oficial à nação. A recepção no Itamaraty está prevista para começar as 19h, após Bolsonaro ter recebido os cumprimentos de chefes de Governo e Estado e ter nomeado os novos ministros no Salão Nobre do Palácio do Planalto.

General Heleno

Presente na coletiva de jornalistas, o futuro ministro do GSI, Augusto Heleno, também falou sobre a cerimônia de posse. Ao ser questionado sobre a presença de militares à paisana entre o público que deverá comparecer para a posse, Heleno desconversou. “Ações de segurança e de inteligência têm um caráter sigiloso. Outro dia me perguntaram quantos vão ter na Esplanada: eu não contei. Falei de brincadeira. E se eu soubesse não diria”, disse.

O futuro ministro também comentou mensagem de Bolsonaro em uma rede social, na qual o presidente eleito disse que pretende garantir por meio de decreto a posse de armas de fogo aos cidadãos sem antecedentes criminais.

O general disse que a liberação do porte de armas era uma das promessas de campanha de Bolsonaro e comparou a liberação com o uso de automóveis. De acordo com Heleno, desde que a posse seja concedida a quem está habilitado legalmente, ela é semelhante à permissão para conduzir automóveis.

“Ela se assemelha à posse de um automóvel. Muita gente argumenta que a posse da arma vai aumentar a criminalidade. Os dados são muito polêmicos em relação a outros países e se formos considerar o número de vítimas... não vou dizer o número, mas se pegar vai ver que está em torno de 50 mil vítimas de acidentes de automóvel. Se você for considerar isso, vamos proibir o pessoal de dirigir. Ninguém pode sair de casa com o carro, porque alguém está correndo o risco de morrer com um motorista irresponsável”, disse.

PORTAL METROPOLES (DF)


Último ensaio da posse atrai curiosos e tem segurança reforçada

A cerimônia vai ocorrer na próxima terça-feira (1º/1). Neste domingo (30/12), últimos detalhes foram acertados

Publicada em 30/12/2018 15:02 | Atualizado em 30/12/2018 16:47

A Esplanada dos Ministérios recebe, na tarde deste domingo (30/12), o último ensaio para a cerimônia de posse presidencial, que ocorrerá nesta terça-feira (1º/1). O desfile de preparação começou por volta das 14h40 e contou com um carro fechado, o tradicional Rolls Royce surgiu apenas no Congresso Nacional.

A programação começou em frente à Catedral. De lá, o cortejo seguiu pela Esplanada dos Ministérios até chegar ao Palácio do Planalto, em frente à Praça dos Três Poderes. O forte esquema de segurança ficou evidente durante o 2º ensaio, com forte presença de militares e agentes das forças de segurança.

A segurança foi reforçada e alguns curiosos foram impedidos de acompanhar o treinamento das forças armadas.

Em torno do circuito da posse, estão localizados os pórticos onde estão os detectores de metal que serão utilizados na cerimônia deste terça (1º). O acesso da população à Esplanada dos Ministérios será exclusivamente pela Rodoviária do Plano Piloto. A partir deste ponto, as pessoas que quiserem assistir à posse terão que descer a Esplanada a pé. Não serão permitidos o acesso com bicicletas, skates e patins, por exemplo.

A lista de proibições também inclui guarda-chuva, objetos cortantes, máscaras, carrinhos de bebês, fogos de artifício, bebidas alcoólicas, garrafas, sprays, além de bolsas e mochilas. Quatro linhas de revistas serão montadas a partir da Rodoviária do Plano Piloto, com fiscalização manual da Polícia Militar. Quanto mais próximo ao Congresso Nacional, mais rigoroso fica o controle.

Jornalistas, mesmo os credenciados para a cerimônia, tiveram dificuldade para acessar à Esplanada dos Ministérios. A reportagem do Metrópoles, por exemplo, foi barrada em dois pontos distintos: próximo à Catedral Metropolitana e ao Palácio do Itamaraty. Militares do Exército pareciam desorientados sobre critérios de acesso ao ensaio.

Ao menos três helicópteros com agentes de segurança fizeram o monitoramento da área. O público foi barrado na altura da Catedral Metropolitana. Ao final do ensaio da posse presidencial no Palácio do Planalto, os generais Etchegoyen e Heleno darão entrevista aos jornalistas, na Praça dos Três Poderes.

JORNAL DE BRASÍLIA


Tudo o que você precisa saber sobre as posses de Bolsonaro e Ibaneis

Operação com grande aparato das forças de segurança conta com atiradores de elite, caças aéreos, detectores de metais e restrições em terra, água e ar

Jéssica Antunes | Publicada em 30/12/2018 15:50

Atiradores de elite, caças com autorização para abater, revistas com detectores de metais, restrições em terra, água e ar. O primeiro dia de 2019 mobilizará grande aparato das forças de segurança na capital do país para a posse do 38º presidente do Brasil. Jair Messias Bolsonaro (PSL) deve assumir oficialmente a cadeira do Palácio do Planalto por volta das 15h. Bem antes disso, o novo chefe do Executivo local, Ibaneis Rocha (MDB), passará por cerimônia.

O Jornal de Brasília reúne tudo o que você precisa saber para as duas solenidades, repletas de regras e limitações, especialmente na área da Esplanada dos Ministérios, onde são esperadas mais de 500 mil pessoas. O Centro Integrado de Operações de Brasília (Ciob), da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social (SSP-DF), funcionará ininterruptamente, com 30 agências integradas, para monitorar toda a área em que os dois eleitos tomarão posse.

Neste domingo (30), as forças de segurança fizeram o último ensaio geral. Turistas e simpatizantes, ainda sem restrição completa, acompanharam a movimentação e aproveitaram para fotografar cada movimento dos militares.

Confira as agendas

Tanto o novo governador do Distrito Federal quanto o presidente do Brasil terão agenda cheia no dia 1º de janeiro. Pela manhã, Ibaneis Rocha (MDB) passará a ocupar oficialmente a cadeira do Palácio do Buriti. À tarde é a vez de Jair Bolsonaro (PSL) receber o cargo em grande solenidade.

GOVERNADOR DO DF, IBANEIS ROCHA (MDB):

O dia da posse do governador mais votado da história do Distrito Federal começará às 8h, em uma missa de Ação de Graças no Santuário Dom Bosco, na Asa Sul. De lá, ele partirá para a solenidade que dará lugar aos 24 deputados distritais eleitos na Câmara Legislativa (CLDF).

No mesmo local, o emedebista tomará posse às 10h30. Uma hora mais tarde, ele participa da cerimônia de transmissão do cargo no Palácio do Buriti. Está marcada para 12h o ato solene de posse do secretariado na Praça do Buriti. O sexto governador eleito pelas urnas para comandar o DF anunciou cerca de 60 nomes para assumir secretarias, empresas e autarquias da capital. 

O Regimento de Polícia Montada e motociclistas do Batalhão de Trânsito serão responsáveis por escoltar a comitiva do novo chefe do Executivo durante todo o trajeto. Agentes da Divisão de Operações Especiais e de Operações Aéreas da Polícia Civil ficarão de prontidão durante as solenidades. O Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar fará varredura antibomba em todos os locais por onde passará o novo governador. O trânsito na via S1 sofrerá intervenções para deslocamentos.

PRESIDENTE DA REPÚBLICA, JAIR BOLSONARO (PSL):

A agenda de Jair Bolsonaro começa às 14h25, quando fará cortejo da a Catedral Metropolitana de Brasília até o Congresso Nacional. No local, ele será recebido pelos presidentes da Câmara e do Senado. Está marcada para 15h o início da solenidade de posse no plenário da Câmara dos Deputados.

Depois, ele se deslocará para o Palácio do Planalto acompanhado com a salva de 21 tiros de canhão e desfile das tropas do Exército Brasileiro. Ainda não está definido se Bolsonaro manterá a tradição de desfilar a bordo do Rolls-Royce presidencial.

No Planalto, o novo presidente fará pronunciamento oficial por volta de 16h30. Como 38º presidente da República, ele ainda terá a missão de nomear os ministros e receber as autoridades antes de encerrar o dia.

Itens proibidos 

Quem for à Esplanada dos Ministérios precisa ficar atento às restrições. A partir da Rodoviária do Plano Piloto, quatro linhas de revistas pessoais serão montadas pela Polícia Militar para examinar o máximo de pessoas possível. Detectores de metal em todo o percurso também serão utilizados para checar a população. Sinais de celulares não serão bloqueados, mas aparelhos controladores de drones não funcionarão.

São proibidas bebidas alcoólicas, qualquer tipo de garrafa, guarda-chuvas, apontadores laser, animais, mochilas e bolsas e máscaras. Também não poderão passar pessoas com fogos de artifício, armas de fogo, objetos cortantes e carrinhos de bebê. Ambulantes não serão permitidos. Copo com água serão distribuídos em barracas espalhadas pelo local. De casa, a população só poderá levar pacotes de biscoitos e frutas.

Para garantir a segurança, 2,6 mil policiais militares, 350 militares do Corpo de Bombeiros, 36 agentes do Detran e 25 viaturas de resgate serão mobilizados. Atiradores de elite estarão estrategicamente posicionados no terraço do Palácio do Planalto e em monumentos da Praça dos Três Poderes.

MOBILIDADE: TERRA, CÉU E ÁGUA

Interdições em terra. O trânsito sofrerá intervenções. As vias da N1 e S1 da Esplanada estão bloqueadas desde sábado (29) do 1º Grupamento do Corpo de Bombeiros até o Buraco do Tatu. Somente pessoas credenciadas e envolvidas na organização da cerimônia podem circular pelo local.

Neste domingo (30), o bloqueio se estendeu às vias N2 e S2. À meia noite de segunda-feira (31), o bloqueio se estenderá à alça leste da Rodoviária. A opção para o motorista é pegar as vias L2 Sul e Norte, L4 Sul e Norte.

No dia 1º de janeiro, a interdição começa na Rodoviária do Plano Piloto às 8h. No mesmo horário, parte da Via L4, no sentido norte/sul será bloqueada entre a Vila Planalto e a Procuradoria Geral da República. O trânsito será desviado para o Setor de Clubes Sul.

Interdições no ar. O espaço aéreo do DF terá três níveis de restrição no dia da posse. Em um raio de 7,4 quilômetros, só aeronaves militares autorizadas poderão voar. O Aeroporto de Brasília fica dentro de uma das zonas restritas e qualquer pouso ou decolagem deverá passar pelos oficiais da FAB.

Descumprimentos podem acabar em tragédia. Caças e artilheiros munidos de mísseis teleguiados estarão a postos para serem acionados e até mesmo para abater quem for contra as regras. No terminal, as polícias Federal, Civil e Militar serão responsáveis pela segurança.

Interdições na água. O Lago Paranoá também ficará restrito. Embarcações que naveguem a menos de 100 metros da Ponte JK e a menos de 50 metros das pontes das Garças e Costa e Silva serão consideradas ameaças pela Marinha do Brasil.

Saiba mais

» Não deve chover na terça-feira (1º de janeiro). Segundo o Instituto Brasileiro de Meteorologia e Estatística (Inmet), a temperatura máxima pode chegar a 27 ºC.
» Apesar de ser feriado, o Eixão do Lazer não funcionará no dia das posses.
» No dia das posses, a Companhia do Metropolitano (Metrô-DF) funcionará das 7h às 20h.
» Linhas de ônibus serão reforçadas das 9h às 12h e das 16h às 19h.
» A lateral do Ginásio Nilson Nelson será reservada para manifestações políticas favoráveis a Bolsonaro.
» Do outro lado, no estacionamento do Pavilhão do Parque da Cidade, se reunião manifestantes contrários ao presidente.