NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO


Rabello diz que interesse da Boeing é reflexo de êxito da Embraer


Estadão Conteúdo Publicado Em 30/01 - 19h09

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro, considerou que uma associação entre Boeing e Embraer é reflexo de uma mudança na competição global do mercado de aeronaves e prova do êxito internacional da fabricante brasileira. Comparando o mercado à uma competição de futebol, o executivo considerou que Embraer “tem jogado muito bem com a Bombardier, concorrendo na série B do futebol”, do mercado de aeronaves regionais, enquanto a Boeing e a Airbus jogavam na série A, dos grande jatos. Ele lembrou, porém, que a série B deve ser ampliada, com a chegada de novos “times” que devem deixar a competição mais difícil, numa referência a novos entrantes que prometem ampliar a concorrência no segmento.

Por outro lado, ele considerou que o acordo entre Bombardier e Airbus elevou o nível dos times. “Agora entram jogadores da serie A para competir na série B. É como exportar o Neymar para jogar um jogo de interior, desequilibrou a organização comercial anterior”, disse, considerando natural as negociações da empresa norte-americana com a brasileira, já que as duas companhias “conversam há anos”. “Eles querem vir jogar no nosso time, não pode ser considerada uma invasão”, comentou, considerando que “manter o esquema nacional” se tornou mais complexo. Para ele, o interesse pela Embraer também reflete o êxito da fabricante brasileira, que se tornou visível e parte do jogo internacional e se tornou cobiçada. “É prova inequívoca do sucesso da companhia.”

Rabello reforçou as declarações do presidente Michel Temer sobre a operação, com ressalvas sobre os segredos tecnológicos desenvolvidos pelos brasileiros e para a permanência de investimentos e empregos no território nacional. Segundo o executivo, o BNDES tem acompanhado com atenção e realizado um estudo aprofundado sobre um potencial negócio e representantes da instituição participam de um grupo de trabalho do governo composto também por membros dos ministérios da Fazenda e da Defesa, além de outros atores da área jurídica, para avaliar os detalhes da operação. Segundo ele, o governo deve ouvir o grupo de trabalho, que alinhará as condições fundamentais para uma eventual aprovação do negócio.

 

PORTAL UOL


App de esportes expõe rotina de militares e agentes no Brasil

Corridas e caminhadas registradas por aplicativo de preparação física mapeiam a movimentação de forças de policiamento em fronteiras e presídios de segurança máxima brasileiros

Por Vitor Hugo Brandalise Publicado Em 29/01 - 23h34

Ao medir a distância, o percurso e a velocidade do usuário, o mais popular aplicativo de monitoramento de atividades físicas do mundo expõe rotinas de militares e de guardas de presídios de segurança máxima brasileiros em seus locais de trabalho.

A movimentação dos usuários do Strava fica à mostra de quem quiser ver na internet por meio do mapa Global Heat Map. O mapa de calor mostra as rotas mais frequentes de 27 milhões de pessoas, em um bilhão de atividades físicas compiladas entre 2015 e 2017 no mundo todo. Usuários do Twitter descobriram que alguns dos percursos mapeados revelam a localização de bases militares secretas dos Estados Unidos no Afeganistão, Síria e Iraque. O caso foi registrado em reportagem publicada neste domingo pelo Washington Post.

O Brasil é o país com terceiro maior número de usuários do Strava, segundo a empresa – e nenhuma regulamentação para agentes de segurança sobre o uso dos aparelhos. O equipamento mais popular a usar essa tecnologia é o Fitbit, uma pulseira que mede dados de desempenho físico, como calorias gastas, além da localização. Também o Apple Watch e aparelhos celulares podem ser usados para registrar os trajetos no Strava. Todos usam seu GPS embutido para marcar os caminhos do usuário.

No Brasil, o mapa do Strava aponta padrões de movimentação nos arredores de instituições de segurança. Os principais trajetos percorridos ficam marcados com linhas que vão do vermelho ao amarelo: quanto mais claras, mais movimentada é a rota. Uma das funções permite identificar se o usuário está a pé ou de bicicleta. O aplicativo também permite, em tese, identificar usuários por localidade.

A Piauí, inspirada pela reportagem do Washington Post, procurou bases militares e penitenciárias brasileiras no mapa de calor do Strava para identificar padrões de movimentação nas áreas externas e no interior deles.

É possível verificar, por exemplo, como é o movimento de guardas nos arredores de presídios de segurança máxima como os de Catanduvas, no Paraná (onde três agentes penitenciários foram mortos em emboscadas desde 2016), de Mossoró, no Rio Grande do Norte (onde está preso o traficante Fernandinho Beira-Mar), e de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. É visível a movimentação intensa, de usuários a pé, na entrada e no perímetro externo desses presídios. Em alguns casos, também dentro dos pátios e nos estacionamentos internos.

Procurado pela piauí, o Ministério da Justiça, responsável pelos presídios federais, não respondeu aos questionamentos sobre normas de segurança para aplicativos de geolocalização. Já o Exército informou que possíveis reflexos para a “segurança orgânica” das bases militares causadas pelo aplicativo Strava deverão ser “objeto de análise futura da Força Terrestre”.

No penitenciária estadual de Tremembé, a 150 quilômetros de São Paulo, para onde são levados criminosos notórios como o médico Roger Abdelmassih e o banqueiro Edemar Cid Ferreira, é possível ver com clareza a movimentação de usuários do Strava dentro dos limites do complexo. O percurso mais frequente é de pouco menos de 300 metros, feito principalmente a pé, entre o primeiro prédio após o portão de entrada e o pátio da administração do presídio, passando pela horta e por galpões onde os detentos trabalham.

Ainda no presídio de Tremembé, outro trajeto preferencial dos usuários do Strava circunda o perímetro do Centro de Progressão Penitenciária, em caminhadas de cerca de 1 250 metros. O percurso também ocorre dentro dos muros do complexo, à vista de pelo menos sete torres de observação.

Em locais de importância militar para o Brasil, como a tríplice fronteira com a Colômbia e o Peru, há pontos de movimentação visíveis mesmo em lugares remotos e postos de segurança avançados dentro de área de floresta amazônica.

Em Tabatinga, no Amazonas, conhecida rota do tráfico de cocaína no Norte do país, há trajetos frequentes de usuários do Strava nos arredores do Comando de Fronteira e na Vila Militar. Um dos percursos tem cerca de 1 100 metros de extensão e circunda dois quarteirões, perto do Hotel de Trânsito de Oficiais do Exército instalado na cidade.

ImagemAs imagens do satélite mostram lugares onde há circulação frequente de usuários do Strava em pontos mais isolados na Amazônia, como os postos de Segurança de Cucuí, na tríplice fronteira com a Colômbia e a Venezuela, e de Maturacá, a sudeste, onde há um aeródromo militar.

ImagemAo contrário das Forças Armadas norte-americanas, que estimularam o uso do Fitbit por soldados em 2013 para melhorar sua forma física, o Exército brasileiro diz não ter parceria nem com o equipamento, nem com o aplicativo. Porém, no ano passado, o Strava divulgou no seu site na internet a Corrida da Infantaria de Fortaleza, no Ceará, “em parceria com o 23º Batalhão de Caçadores”.

Em resposta aos questionamentos da Piauí sobre a regulação desses aplicativos, a Força afirmou que “o equipamento não faz parte do material fornecido oficialmente pela cadeia de suprimento do Exército Brasileiro” e, como não é “peça obrigatória do militar em atividade física”, atualmente considera o uso uma responsabilidade do militar, individualmente.

 

JORNAL DO COMMERCIO (PE)


Peças do Globocop são encontradas por moradores de Brasília Teimosa

Eles mergulharam no mar em busca dos destroços do Globocop para colaborar com as investigações

Jc Online Publicado Em 30/01 - 13h57

Partes aeronave do Globocop foram encontradas na manhã desta terça-feira (30), na praia de Brasília Teimosa, na Zona Sul do Recife. Moradores do bairro mergulharam no mar, na área em que aconteceu o acidente, em busca de outras peças que ainda poderiam estar submersas; Dentre os destroços estava a peça que prendia o cinto de segurança e uma peça que parece ser o painel de controle e rádio do helicóptero, fragmento fundamental para a perícia.

Após uma semana do incidente aéreo que matou duas pessoas e deixou um sobrevivente em estado grave, as investigações ainda continuam na busca de encontrar a falha que o helicóptero apresentou. Para isso, todas as partes da aeronave devem ser analisadas.

Mesmo após buscas intensas das equipes da Força Aérea Brasileira (FAB) e do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa), ainda restaram peças submersas no mar. Os mesmos homens que ajudaram no resgate das vítimas do acidente, estão empenhados em continuar colaborando com as investigações.

De acordo com Ronaldo, um dos moradores da localidade, todos os dias eles mergulham no mar em busca de mais pedaços; nesta manhã puderam ajudar mais uma vez encontrando outras parte do Globocop.

Para situações como esta, o Seripa alertou, por meio de nota, que "todas as peças, partes e demais itens dos destroços da aeronave envolvida em acidente aeronáutico são importantes para investigação". Caso alguém encontre alguma parte dos destroços do helicóptero, deve entrar em contato com o Seripa por meio do telefone 21297277.


Estado de saúde do único sobrevivente

Miguel Brendo Pontes Simões, de 21 anos, ainda respira com a ajuda de aparelhos e está sedado. Ele está internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital da Restauração, no Recife, desde o dia da queda, na última terça-feira (23).

O rapaz foi submetido a uma cirurgia de emergência no mesmo dia do acidente. Ele perdeu o baço e recebe doações de sangue.

De acordo com a assessoria de imprensa do Hospital da Restauração (HR), a pressão arterial do jovem foi estabilizada, mas ele ainda precisa de ventilação mecânica para respirar, além de medicamentos para facilitar a circulação sanguínea.


Missa do sétimo dia

O piloto Daniel Galvão, uma das vítimas do acidente com o Globocop, foi homenageado nesta terça-feira (30), na missa de 7º dia. A homenagem ocorreu às 10h30, na capela da Vila Militar da Aeronáutica, bairro de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife.

Além de Daniel, a 1ª sargento da Força Aérea Brasileira (FAB), Lia Maria Abreu de Souza, também foi vítima do acidente. Ela foi sepultada na cidade de Magé, no Rio de Janeiro.


Acidente

O acidente ocorreu por volta das 6h da terça-feira (23), quando o Globocop sobrevoava a Praia de Brasília Teimosa, na Zona Sul do Recife. A aeronave fazia imagens ao vivo para o programa da Globo Nordeste, Bom dia Pernambuco, quando perdeu altitude.

A aeronave pertencia à empresa Helisae Helicópteros do Nordeste. No momento do acidente estavam na aeronave, o comandante do helicóptero, o piloto Daniel Galvão; a 1ª sargento da FAB, Lia Maria, que não era funcionária e havia sido convidada pela empresa para fazer a viagem; e o único sobrevivente, Miguel Brendo Ponte de Simões, operador de sistemas, responsável por transmitir as imagens para a emissora de TV.

 

PORTAL G-1


Emoção marca missa de sétimo dia em homenagem a piloto que morreu na queda do Globocop

Emoção marca missa de sétimo dia em homenagem a piloto que morreu na queda do Globocop

Publicado Em 30/01 - 12h43

A emoção tomou conta de parentes e amigos durante a missa de sétimo celebrada em homenagem ao piloto Daniel Galvão, de 36 anos, que morreu na queda do Globocop, ocorrida na terça-feira (23), no mar da Praia do Pina, na Zona Sul do Recife. A cerimônia ocorreu na manhã desta terça-feira (30), na Capela da Vila da Aeronáutica, em Boa Viagem, também na Zona Sul.

Também morreu no acidente a 1ª sargento Lia Maria de Souza, 34 anos. O corpo dela foi velado no Recife e depois seguiu para o Rio de Janeiro. As duas vítimas foram lembradas durante a Santa Missa do domingo (28) pelo Padre Marcelo Rossi, que pediu orações para eles.

A missa começou às 10h30. Cerca de 50 pessoas participaram da cerimônia. Antes do início da solenidade religiosa, o pai do comandante Daniel, Geraldo Galvão, lembrou que o filho adorava a aviação.

Ele também reiterou que ele tinha o costume de ajudar em casa. "Lamentamos muito a morte dele. Ele era um homem muito bom", declarou, muito emocionado.
Ajuda

Nesta terça, o Hospital da Restauração (HR), no Derby, no Recife, divulgou novo boletim sobre o estado de saúde do único sobrevivente do acidente. O operador de sistemas Miguel Brendo Pontes, 21 anos, permanece internado em estado grave. Houve evolução no quadro clínico, mas o rapaz ainda respira com a ajuda de aparelhos.

Desde o dia do acidente, Miguel recebeu muita transfusão de sangue. Por isso, familiares e amigos deram inícioa uima campanha de doação. O objetivo é repor o estoque do hospital, onde o rapaz está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Para fazer a doação de sangue, é necessário ir até o posto de coleta do HR, que fica no bairro do Derby, na área central da capital pernambucana. Sangue de todos os tipos podem ser doados no local, que funciona de domingo a sexta, das 7h às 17h30. Na ocasião, deve ser mencionado o nome de Miguel como beneficiário da doação.

Na missa de sétimo dia em homenagem ao piltodo Daniel, nesta terça, o comandante Wagner Monteiro, dono da empresa proprietária do Globocop, ressaltou a importância das doações de sangue para Miguel. E fez um apelo para as pessoas continuatrem ajudando o filho. "E faço um pedido para que a população vá ao hospital para ajudar Miguel", afirmou.

O acidente

Segundo informações da Infraero, o Globocop decolou do hangar, localizado ao lado do Aeroporto Internacional do Recife, no bairro da Imbiribeira, na Zona Sul da capital pernambucana, às 5h50 (horário local) da terça (23). A aeronave decolou com destino ao litoral.

Imagens da câmera instalada em um semáforo da Avenida Boa Viagem registraram o momento da queda do Globocop. Nas imagens, é possível ver que o helicóptero cai em diagonal no mar, passando por trás de uma construção. No vídeo ampliado, ainda nota-se que parte da aeronave pode ter se soltado durante a queda. A cauda do Globocop foi encontrada quebrada na terça (23).

Todos os destroços recolhidos foram levados para a Base Aérea da Aeronáutica, na Zona Sul da capital pernambucana, onde passam por análise. Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o helicóptero estava regularizado.

A Aeronáutica pede que qualquer item encontrado, que se relacione ao helicóptero, seja entregue no posto policial mais próximo ou na sede do Seripa II, que fica na Avenida Armindo Moura, número 500, em Boa Viagem. Outras informações podem ser repassadas pelo telefone (81) 2129-7277.

Imagem
 

Investigação

As polícias Civil e Federal abriram inquéritos para investigar o caso. Segundo o delegado da Polícia Federal Dário Sá Leitão, responsável pela investigação, a fuselagem vai ser periciada com calma para se chegar à conclusão dos motivos do acidente.

A Polícia Civil informou, na quinta-feira (25), que as investigações ficaram a cargo da Polícia Federal. A PF apontou, na ocasião, que não havia recebido nada oficial, portanto, não poderia repassar novas informações.
 

Pacote de privatizações do governo Temer prevê 75 projetos para 2018

Governo espera arrecadar mais de R$ 28 bilhões com a privatização da Eletrobras, Casa da Moeda e Lotex, além de leilões de aeroportos, ferrovias e rodovias e portos.

Por Darlan Alvarenga, G1, São Paulo Publicado Em 30/01 - 06h06

Apesar das dúvidas envolvendo a realização da privatização da Eletrobras e de leilões nas áreas de ferrovias, rodovias e aeroportos, o governo federal mantém a previsão de concluir 75 projetos de desestatização em 2018. O pacote inclui privatizações, concessões, arrendamentos e prorrogações de contratos em vigor e outras modalidades de transferência do controle ou gestão para a iniciativa privada.

Dos 75 projetos, 15 contemplam a venda total ou de participações acionárias em estatais. Na maioria dos projetos de concessão, o governo federal prevê receber outorga ou bônus – dinheiro que reforçará o seu caixa.

Além da venda da estatal de energia, há planos para se desfazer também da Casa da Moeda e das estatais CODESA, CASEMG e CEASAMINAS.

Segundo levantamento do G1, os governos federais, estaduais e municipais têm ao menos 238 projetos de desestatização em curso para oferecer à iniciativa privada.


Veja a lista completa de projetos federais, estaduais e municipais à venda

Imagem

 

Embora não exista uma previsão oficial de arrecadação com os leilões, o governo divulgou uma expectativa para alguns projetos - a soma chega a R$ 28,5 bilhões. Somente com a privatização da Eletrobras, o governo estima levantar ao menos R$ 12,2 bilhões.


Os projetos em que já foi divulgada estimativa de arrecadação são:

Eletrobras: R$ 12,2 bilhões
15ª Rodada de blocos de petróleo: R$ 4,8 bilhões
4ª Rodada do pré-sal: R$ 4,65 bilhões
Aeroporto Zumbi dos Palmares (AL): R$ 2,06 bilhões
Ferrovia Norte-Sul: R$ 1,63 bilhão
Malha Paulista (ALL/Rumo): R$ 1,28 bilhão
Lotex: R$ 922 milhões
Aeroporto de Vitória: R$ 720 milhões
Aeroporto de Várzea Grande/MT: R$ 204 milhões

O secretário especial do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Adalberto Santos de Vasconcelos, afirma, entretanto, que, mais do que receitas extras, o objetivo do programa é atrair investimentos e garantir a sustentabilidade de estatais que hoje dependem de aportes de recursos do Tesouro.

"Vai entrar dinheiro dos leilões de óleo e gás, da Eletrobras, de aeroportos... Cada valor de outorga vai depender da definição final da modelagem financeira", diz.


R$ 132,7 bilhões em investimentos

Caso todos os projetos atraiam interessados e saiam do papel, a previsão é de R$ 132,7 bilhões em investimentos ao longo dos próximos anos.

Vasconcelos espera ainda mais projetos em alguns setores. "Nas áreas portuária e de rodovias vão aumentar", afirma.

O secretário destaca que 70 projetos já foram concluídos no governo Temer, incluindo leilões de aeroportos, de energia e de petróleo, que garantiram R$ 28 bilhões em outorgas e R$ 142 bilhões em investimentos previstos para os próximos anos.

Do total de R$ 132,7 bilhões em novos investimentos previstos com os 75 projetos em curso, a maior parte (R$ 71 bilhões) dependerá da capacidade do governo de tirar do papel as licitações de ferrovias, que se arrastam hás anos. A avaliação dos analistas de mercado é que a incerteza motivada pela eleição deverá adiar para 2019 os leilões.

O governo promete publicar o edital da ferrovia Norte-Sul ainda neste trimestre. "A Ferrogrão já foi colocada em consulta pública. Temos também 5 prorrogações de concessões, e elas vão sair", diz o secretário.

Mais de 40 em fase inicial

Apesar do otimismo do governo, mais de 40 projetos ainda se encontram na fase inicial. Ou seja, ainda não passaram por consulta pública, análise do Tribunal de Contas da União (TCU) e não possuem previsão de data para a publicação do edital.

A previsão oficial é que ao menos 19 projetos sejam leiloados ainda no 1º trimestre. Na fila de espera estão os leilões de 6 distribuidoras subsidiárias da Eletrobras nas regiões Norte e Nordeste, da rodovia de Integração do Sul e o da ferrovia Norte-Sul. O único com data já marcada, entretanto, é o da 15ª Rodada de licitações de blocos de petróleo, agendado para 29 de março.

Eletrobras

Já a privatização da Eletrobras segue uma incógnita, em meio à suspensão determinada pela Justiça e aos questionamentos de parlamentares, que defendem que o assuntoe o modelo de venda seja debatido no Congresso Nacional.

"Estamos seguindo o cronograma e a perspectiva de sair este ano permanece", diz Vasconcelos. "O modelo é aumento de capital por venda de ações. Isso está definido desde o início. Como isso será operacionalizado é uma questão que o governo ainda vem trabalhando."

A União tenta reverter na Justiça decisão liminar (decisão provisória) que suspendeu o artigo da medida provisória 814, que permite a privatização da Eletrobras. Paralelo a isso, o presidente Michel temer decidiu no dia 19 assinar projeto de lei com regras para a privatização da Eletrobras.

A agência de classificação de risco Moody"s avaliou como "bastante difícil" a privatização da Eletrobras ainda neste ano "devido à evolução de processos políticos". Segundo o relatório, as incertezas incluem requerimentos para reorganização de negócios como a separação da Eletronuclear e da Itaipu, além de uma saída bem sucedida da companhia do negócio de distribuição de energia.

Apesar das dificuldades de concretizar os projetos, o governo avalia que a privatização é um caminho sem volta. "O processo de privatização não tem mais volta. O governo não tem mais condições de tirar recursos do caixa para investir em infraestrutura. E não podemos mais ter empresas estatais dependentes do Orçamento", resume o secretário especial do PPI.

 

Operação no Jacarezinho em busca de suspeitos pela morte de policiais deixa três mortos no Rio

Mais de 300 agentes participam da ação, que conta com a participação de delegacias especializadas. Diversas trocas de tiros ocorreram ao longo da manhã. Na Rocinha, duas pessoas morreram em operação da polícia.

Por Bom Dia Rio Publicado Em 30/01 - 06h45

Uma grande operação da Polícia Civil na comunidade do Jacarezinho, na Zona Norte do Rio, na manhã desta terça-feira (30), deixou três suspeitos mortos e outros sete suspeitos presos. Os agentes visam cumprir mandados de prisão contra traficantes e suspeitos de homicídios, entre eles os criminosos apostados como responsáveis pelas mortes do delegado Fábio Monteiro e do policial Bruno Guimarães Buhler, conhecido como Bruno Xingu.

Por causa da operação, o espaço aéreo no Rio ficou fechado pela manhã para o tráfego de helicópteros e aeronaves. Apesar da restrição, os aeroportos Santos Dumont e Tom Jobim operavam normalmente nesta manhã.

O delegado foi morto e o corpo encontrado na mala do seu carro, no início desse mês, na comunidade do Jacarezinho. Xingu era lotado na Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) e morreu após ser baleado em agosto do mês passado durante uma operação realizada na comunidade.

A operação começou por volta das 6h30 e logo na chegada dos policiais foi possível ouvir fogos de artifícios, que normalmente são usados por criminosos para avisar aos comparsas sobre a chegada da polícia na favela.

Um intenso tiroteio ocorreu assim que os agentes entraram na comunidade. Ao longo da manhã, diversas trocas de tiros ocorreram na comunidade.

São mais de 300 agentes participando da ação, que conta com a participação de equipes especializadas como a Divisão de Homicídios (DH) e a Delegacia do Combate às Drogas (Dcod).

Rocinha/Zona Sul

Esta terça-feira (30) é o sétimo dia seguido de confrontos na Rocinha, em São Conrado, Zona Sul do Rio. Pela manhã, dois suspeitos foram mortos durante uma ação da Polícia Militar. Os dois chegaram a ser socorridos e levados para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, mas não resistiram.

Um morador de 42 anos foi baleado de raspão na cabeça na Rua 2, por volta das 9h. A vítima trabalha como entregador de jornal e estava voltando do trabalho. Com os criminosos a polícia apreendeu um fuzil AK-47.

Entenda os crimes contra policiais no Jacarezinho:

O delegado Fábio Monteiro foi morto no dia 12 de janeiro, quando dirigia na Avenida Dom Helder Câmara e na localidade conhecida como Buraco do Lacerda. Ele foi abordado por homens armados com pistolas. O delegado levou primeiro um tiro na perna. Depois foi executado com vários tiros: pelo menos cinco tiros nas costas e um na cabeça.

De acordo com depoimentos de testemunhas à DH, Fábio Monteiro chegou a tentar despistar os criminosos:

“Sou motorista”, disse o delegado, com o vidro abaixado.

Policial do Core

O policial Bruno Xingu era lotado na Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil. Ele foi baleado no pescoço e socorrido no Hospital Geral de Bonsucesso. Bruno entrou na polícia em 2010 e desde 2014 estava na Core, a tropa de elite da Instituição. Apelidado de Xingu, ele foi classificado pela corporação como “um exímio atirador”.

 

Aeronáutica recebe outras peças do Globocop retiradas do mar no Recife

Material encontrado seguiu, nesta terça (30), para a sede do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, na Zona Sul da cidade.

Por G1 Pe Publicado Em 30/01 - 18h51

O Segundo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa II) recebeu, nesta terça-feira (30), outros destroços do Globocop, helicóptero que presta serviços à TV Globo que caiu no Recife no dia 23 de janeiro, deixando dois mortos e um ferido. Segundo a Força Aérea Brasileira (FAB), as peças, assim como as outras já recolhidas, foram encaminhadas à sede do Seripa II, no bairro de Boa Viagem, na Zona Sul da cidade.

A FAB, no entanto, não informou quantas ou quais peças foram entregues. Ainda assim, a Aeronáutica ressaltou a importância de todos os destroços coletados para que os investigadores possam mapear os destroços e entender o que motivou a queda do helicóptero.

A Aeronáutica também pede que qualquer outro item relacionado ao helicóptero que for encontrado seja entregue no posto policial mais próximo ou na sede do Seripa II, que fica na Avenida Armindo Moura, número 500, em Boa Viagem. Outras informações podem ser repassadas pelo telefone (81) 2129-7277.

Luto e solidariedade

Na manhã desta terça (30), parentes e amigos do piloto Daniel Galvão, 36, uma das vítimas fatais do acidente, participaram de uma missa em homenagem ao comandante. A celebração religiosa ocorreu na Capela da Vila da Aeronáutica, em Boa Viagem, também na Zona Sul.

A queda do helicóptero também provocou a morte da 1ª sargento Lia Maria de Souza, de 34 anos. O corpo dela foi velado no Recife e depois seguiu para o Rio de Janeiro. As duas vítimas foram lembradas durante a Santa Missa do domingo (28) pelo Padre Marcelo Rossi, que pediu orações para eles.

Também nesta terça (30), o Hospital da Restauração, na área central do Recife, informou que Miguel Brendo Pontes Simões, único sobrevivente da queda do Globocop no Recife, permanece internado em estado grave. Houve evolução no quadro clínico, mas o rapaz ainda respira com a ajuda de aparelhos.

Desde o dia do acidente, Miguel recebeu muita transfusão de sangue. Por isso, familiares e amigos deram início a uma campanha de doação. O objetivo é repor o estoque do hospital, onde o rapaz está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Para fazer a doação de sangue, é necessário ir até o posto de coleta do HR, que fica no bairro do Derby, na área central da capital pernambucana. Sangue de todos os tipos pode ser doado no local, que funciona de domingo a sexta, das 7h às 17h30. Na ocasião, deve ser mencionado o nome de Miguel como beneficiário da doação. (Veja vídeo acima)

O acidente

Segundo informações da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), o Globocop decolou do hangar, localizado ao lado do Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes - Gilberto Freyre, no bairro da Imbiribeira, na Zona Sul da capital pernambucana, às 5h50 (horário local) do dia 23 de janeiro. A aeronave decolou com destino ao litoral.

Imagens da câmera instalada em um semáforo da Avenida Boa Viagem registraram o momento da queda do Globocop. Nas imagens, é possível ver que o helicóptero cai em diagonal no mar, passando por trás de uma construção. No vídeo ampliado, ainda nota-se que parte da aeronave pode ter se soltado durante a queda. A cauda do Globocop foi encontrada quebrada no dia do acidente.

Todos os destroços recolhidos foram levados para a Base Aérea da Aeronáutica, na Zona Sul da cidade, onde passam por análise. Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o helicóptero estava regularizado.

Investigação

As polícias Civil e Federal abriram inquéritos para investigar o caso. Segundo o delegado da Polícia Federal Dário Sá Leitão, responsável pela investigação, a fuselagem vai ser periciada com calma para se chegar à conclusão dos motivos do acidente.

A Polícia Civil informou, na quinta-feira (25), que as investigações ficaram a cargo da Polícia Federal. A PF apontou, na ocasião, que não havia recebido nada oficial, portanto, não poderia repassar novas informações.

 

PORTAL R7


Mulheres são aceitas pela primeira vez na Academia Militar das Agulhas Negras


Coluna Do Fraga Publicado Em 30/01 - 15h38

Mais um reduto tipicamente associado ao sexo masculino rende-se ao empoderamento feminino.

Pela primeira vez na história, a Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende, está recebendo mulheres para o curso de preparação de oficiais de carreira das armas de Infantaria, Cavalaria e Artilharia. Antes, elas estavam restritas apenas às áreas de Saúde e Comunicações.

Quarenta ingressaram, no ano passado, na Escola de Preparação de Cadetes do Exército, em Campinas, mas apenas 34 vão fazer história. Três pediram desligamento ao longo do curso, duas foram reprovadas e uma optou, depois, pela Academia da Força Aérea.

Para se adaptar aos novos tempos, os militares construíram banheiros femininos e contrataram ginecologistas.

 

PORTAL METROPOLES (DF)


Aeronáutica lança concurso com salários de até R$ 10 mil

São cinco editais distintos para as 54 vagas oferecidas. Inscrições podem ser feitas entre 1° e 28 de fevereiro

Laísa Lopes Publicado Em 30/01 - 11h04

ImagemEstão abertas as inscrições para o concurso de nível superior da Aeronáutica, que oferece 54 vagas por meio de cinco editais distintos para exercício em 2019. Os salários chegam a R$ 10.637,51.

As oportunidades são para dentistas, farmacêuticos, oficiais engenheiros, capelães e oficiais de apoio (administração, análise de sistemas, enfermagem, fisioterapia, pedagogia, psicologia, jurídico e serviço social).

Para concorrer às vagas de dentista, engenheiro e farmacêutico, os candidatos precisam ter no máximo 35 anos até 31 de dezembro de 2019. Já para os postos de oficiais de apoio, é necessário ter até 31 anos na mesma data. E para os cargos de capelão, entre 30 e 40.

As inscrições devem ser feitas no site da Aeronáutica entre 1º e 28 de fevereiro. A taxa custa R$ 130.

Segundo edital, a realização das provas está prevista para 6 de maio de 2018. Elas serão aplicadas em Brasília, Belém, Recife, Jaboatão dos Guararapes (PE), Fortaleza, Natal, Parnamirim (RN), Salvador, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Lagoa Santa (MG), São Paulo, Guarulhos (SP), Campo Grande, Porto Alegre, Canoas (RS), Curitiba e Manaus.

 

JORNAL DIÁRIO DO NORDESTE


FAB abre incrições para concurso com 54 vagas em diversas áreas

Exames contemplam 22 profissões de nível superior; inscrições iniciam no dia primeiro de fevereiro

Publicado Em 30/01 - 14h35

A Força Aérea Brasileira (FAB) lançou cinco editais para exames de admissão que contemplam 22 profissões de nível superior. Ao todo, foram abertas 54 vagas. As inscrições para os processos seletivos estarão disponíveis de 01 a 28 de fevereiro deste ano e serão encerradas às 15h. A taxa de inscrição é de R$ 130.

Para participar dos exames de admissão de Dentistas, Engenheiros e Farmacêuticos, os candidatos deverão possuir no máximo 36 anos até o dia 31 de dezembro de 2019. Para participar do exame de admissão ao Estágio de Adaptação de Oficiais de Apoio, os candidatos deverão possuir no máximo 32 anos até o dia 31 de dezembro de 2019. Para o exame de admissão ao Estágio de Instrução e Adaptação para Capelães, os candidatos devem ter entre 30 e 40 anos de idade até 31 de dezembro de 2019.

Os processos seletivos são compostos de provas escritas (língua portuguesa, conhecimentos especializados e redação), inspeção de saúde, exame de aptidão psicológica, teste de avaliação do condicionamento físico, prova prático-oral (somente para dentistas e farmacêuticos) e validação documental.

As provas escritas ocorrerão no dia 06 de maio de 2018. Se aprovado em todas as etapas, o candidato fará o curso/estágio no Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica (CIAAR), em Belo Horizonte (MG), durante aproximadamente 17 semanas. Após a conclusão do curso/estágio com aproveitamento, o aluno será nomeado Segundo-Tenente, no caso dos capelães, e Primeiro-Tenente, no caso das outras especialidades.

Para obter mais informações, consulte os editais e a página do CIAAR.

 

OUTRAS MÍDIAS


AGÊNCIA ANBA - Fim do embargo abre oportunidades no Sudão

Estados Unidos levantaram embargo econômico ao país africano em outubro do ano passado. Segundo a embaixada sudanesa em Brasília, há interesse em parcerias no setor aeronáutico.

André Barros Publicado Em 30/01 - 07h00

São Paulo – O fim do embargo econômico ao Sudão, levantado pelos Estados Unidos em outubro do ano passado, abriu oportunidades de investimentos e de exportação de produtos brasileiros no país africano. A expectativa da embaixada do Sudão em Brasília é aumentar a corrente comercial entre os dois países, que no ano passado somou pouco mais de US$ 42 milhões, de acordo com dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

Nesta segunda-feira (29), Abdelmoniem Yousif, novo conselheiro da embaixada, e Khalid Mustafa, que deixa o cargo após dois anos para retornar ao seu país natal, estiveram reunidos com o presidente da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, Rubens Hannun, o diretor geral da entidade, Michel Alaby, e o assessor de projetos especiais, Tamer Mansour, em São Paulo. Em entrevista à ANBA, o conselheiro contou que o Sudão tem interesse especial na indústria aeronáutica brasileira.

“Nós temos a Sudan Airways e buscamos uma cooperação com a Embraer”, afirmou o conselheiro, sem fornecer detalhes. A área de logística, segundo ele, oferece muitas oportunidades de investimento, tanto na área aeronáutica, quanto marítima e ferroviária.

Os conselheiros destacaram que o país possui projetos prontos, em busca de investidores, em diversos setores. Segundo eles, o Ministério do Desenvolvimento local e as secretarias estaduais podem auxiliar os interessados. Há oportunidades nas áreas de mineração, agricultura, ovinocultura e telecomunicações, além da já citada logística.

No que diz respeito a exportações do Sudão para o Brasil, os conselheiros citaram o óleo de gergelim, a goma arábica e o hibisco como produtos com grande potencial. No sentido contrário, veem nas máquinas agrícolas, equipamentos ferroviários, aviões, açúcar e produtos farmacêuticos e veterinários como boas opções aos empresários brasileiros.

“Queremos exportar mais ao Brasil”, destacou Mustafa. No ano passado, as importações brasileiras de produtos do Sudão somaram pouco mais de US$ 500 mil, de acordo com dados do MDIC compilados pela Câmara Árabe – uma redução de 45% na comparação com 2016.


Feira de Cartum

Segunda-feira (29) foi também o último dia da Feira Internacional de Cartum, na capital sudanesa. Em uma semana, o estande brasileiro, patrocinado pela Câmara Árabe, recebeu boa visitação. “Em especial nos últimos dois dias”, destacou Fernanda Baltazar, executiva de negócios internacionais da entidade, presente todos os dias na feira.

Além da presença institucional da Câmara Árabe, uma importadora local ocupou os 15m² do estande Brasil, representando quatro marcas brasileiras: Fame, fabricante de chuveiros elétricos; Baterias Moura; Mundial, fabricante de tesouras e facas; e Mondial, fabricante de eletrodomésticos como ventiladores e baterias.

Segundo Fernanda, a Moura fechou um contêiner que chegará nas próximas semanas ao Sudão. A aceitação às outras marcas também foi positiva: “A Fame exporta chuveiros desde 2015 e essa participação ajudou a consolidar a ideia de chuveiros elétricos, item que não é muito comum no Sudão. No geral, o produto brasileiro é bem conhecido e muito forte por aqui”, contou.

A executiva da Câmara Árabe disse que autoridades sudanesas, como o vice-presidente e ministros, visitaram o estande do Brasil na feira. “A participação na Feira de Cartum faz muito sentido, pois temos produtos muito procurados e bem aceitos pelo público local”, resumiu.

 

REVISTA TECNOLOGIA E DEFESA - ALA 2 em Anápolis será a primeira base do EDS KC390.


Por Roberto Caiafa Publicado Em 30/01

Durante cerimônia de passagem de Comando da ALA 2, em Anápolis (Goiás), no último dia 30 de janeiro, o tenente-brigadeiro-do-ar Antônio Carlos Egito do Amaral, comandante do Comando de Preparo (COMPREP) confirmou aquela base como a escolhida para a implementação oficial do novo jato de transporte militar da Força Aérea Brasileira, o KC390, da Embraer Defesa & Segurança.

A localização central de Anápolis e região, em relação ao restante do Brasil, ganha maior importância com essas decisões.

Na ALA 2, os cargueiros terão como vizinhos de hangar os novíssimos caças Saab F-39 Gripen E/F do Esquadrão Jaguar (1º GDA).

Jatos de reconhecimento do Esquadrão Carcará (1°/6° GAV), e aeronaves de alerta aéreo antecipado (AEW&C) e Sensoreamento Remoto (ISR) do Esquadrão Guardião (2°/6° GAV) completam um pacote de alta tecnologia, a chamada “bala de prata da FAB“. A ALA 2 é defendida contra ataques aéreos pelo Terceiro Grupo de Defesa Antiaérea (3º GDAAE).

E não é só isso. As movimentações empresariais e políticas em torno da cidade fervilham.

Anápolis e sua região de influência estão se movimentando há anos em busca de oportunidades no setor industrial de Defesa, tanto que foi anunciado pela Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), no final de janeiro, o lançamento do Comitê da Indústria de Defesa e Segurança de Goiás (Comdefesa-GO), uma iniciativa conjunta com a Associação Comercial e Industrial de Anápolis (ACIA).

Uma das estratégias do Comdefesa-GO é a criação de um Polo da Indústria de Defesa, local para receber empresas goianas e novas empresas a serem instaladas no espaço (exatamente como a proposta da anunciada fábrica da Caracal, que aparentemente ainda não vingou).

Outra frente de trabalho do grupo será a busca de aprovação junto ao governo de uma política de fomento ao setor, visando à instalação em Goiás do Centro de Aquisições do Ministério da Defesa.

Anápolis dispõe de logística privilegiada com acesso a diversos modais de transporte (aéreo e rodoferroviário) sendo assim capaz de suprir com agilidade e rapidez equipamentos e suprimentos (víveres, munições, peças, saúde, engenharia, logística operacional) para as tropas localizadas em todas as regiões do território nacional e de outros países da América do Sul.

Exatamente onde o EDS KC390 entra como ferramenta de trabalho fundamental. A partir de centros de distribuição localizados no entorno da ALA 2, será possível a Força Aérea, Exército e Marinha, mais o Ministério da Defesa, atender demandas logísticas operacionais em qualquer parte do território nacional.

O KC390 trabalharia como aeronave tronco, transportando os grandes volumes para os diversos “clientes” até os aeródromos mais distantes capazes de recebê-lo.

De lá as cargas seriam fracionadas para aviões de transporte menores (ou helicópteros), capazes de pousar em pistas ainda mais distantes de qualquer infraestrutura aeroportuária.

Exatamente o conceito que o Exército Brasileiro adotou ao adquirir o C-23 Sherpa para emprego na Amazônia.

COMPREP, KC390 e o Grupo FOX

O COMPREP tem um importante papel no atual processo de “redesenho” da Força Aérea Brasileira. Além de planejar e organizar todas as mudanças decididas pelo comando da instituição, com foco na parte operacional mas sem esquecer da formação profissional, também reúne, entre outros núcleos de excelência da Força, o Grupo FOX, criado para planejar e efetuar o recebimento/entrada em serviço da nova aeronave de combate F-39 (designação oficial do Saab Gripen E/F) prevista para começar suas entregas no 2º semestre de 2019 (na Suécia).

O grupo atua desde janeiro de 2017 no COMPREP, em Brasília (DF), na coordenação de implantação do avião, um sofisticado sistema de armas com alto nível de complexidade e grande conteúdo tecnológico agregado.

Em termos de novos conhecimentos e ideias doutrinárias, as atribuições desse grupo de pilotos é algo de grande responsabilidade e exige alto preparo profissional.