NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


PORTAL UOL


Para Morgan Stanley e William Blair, é hora de comprar Embraer


Bloomberg - Felipe Saturnino E Fabiola Moura | Publicada em 25/09/2018 09:00

(Bloomberg) -- A Embraer pode já ter sido punida o suficiente.

Os American Depositary Receipts da empresa acumulam queda de cerca de 33% desde o pico no início deste ano, derrubados pelo que alguns investidores e analistas consideraram como um valor muito baixo da oferta feita pela Boeing.

"As expectativas podem ter sido excessivas, particularmente dos analistas brasileiros", disse Nicholas Heymann, da William Blair, em entrevista. A realidade é que os US$ 3,8 bilhões oferecidos pela Boeing por 80% da divisão comercial da Embraer é um preço justo, disse ele.

No mês passado, o Morgan Stanley elevou a recomendação para a Embraer, ao apontar que as ações estão de volta ao valor registrado antes do anúncio do negócio entre as empresas, em 21 de dezembro. O Santander também elevou o preço-alvo para os ADRs da Embraer para de US$ 19 para US$ 21,60, em razão do seu limitado potencial de queda.

Em relatório de 13 de agosto, o Credit Suisse considerou um exagero a onda de venda ao reiterar sua recomendação outperform. As ações oscilaram pouco desde então.

Risco político

Neste momento, o acordo entre as empresas ainda é um memorando de entendimento e enfrenta risco político. O governo brasileiro detém uma golden share na Embraer, o que lhe dá poder de veto sobre um possível negócios - e existem as eleições presidenciais à vista.

Enquanto o primeiro colocado nas pesquisas, Jair Bolsonaro (PSL), disse ser favorável ao acordo com a Boeing, desde que "seja bom para ambas as partes," o segundo colocado, Fernando Haddad (PT), disse que buscaria formas de reverter o acordo, pois está sendo feito às pressas e sem "diálogo com a população."

O mercado está agora precificando o risco excessivo de que o negócio possa ser bloqueado e atribuindo muito pouco valor às divisões de aviação executiva e de defesa da Embraer, disse o Morgan Stanley.

Supondo que o acordo seja fechado, analistas e investidores ainda estão tentando entender como será a "nova Embraer". De acordo com a proposta, a empresa brasileira terá uma participação de 20% na joint venture de aeronaves comerciais com a Boeing e manterá suas operações de jatos executivos e de defesa.

A Embraer "é uma empresa significativamente diferente agora", disse George Ferguson, analista da Bloomberg Intelligence em entrevista. "A venda deixa a Embraer com menos lucro e fluxo de caixa e será um desafio retornar aos níveis anteriores."

Os analistas do Credit Suisse reiteraram sua classificação outperform às ADRs, prevendo que a empresa se beneficiará da venda cruzada e da alavancagem da Boeing junto aos fornecedores.

"Esperamos que o acordo pendente continue a impulsionar as ações, dada a natureza transformacional da parceria", disse o Credit Suisse.

PORTAL G1


Voo da FAB leva 230 venezuelanos de Roraima ao Paraná e Rio Grande do Sul

Avião decolou de Boa Vista com destino ao Sul do país nesta terça-feira (25), na 10ª etapa de interiorização. Venezuelanos irão ficar nas cidades de Curitiba, Porto Alegre, Canoas, Esteio e Cachoeirinha.

Alan Chaves E Emily Costa | Publicada em 25/09/2018 10:04 | Atualizado em 25/09/2018 10:04

Um voo da Força Aérea Brasileira (FAB) transferiu mais 230 venezuelanos de Roraima. A aeronave decolou de Boa Vista na manhã desta terça-feira (25) levando imigrantes que irão viver no Paraná (90) e Rio Grande do Sul (140).

De Boa Vista o avião, que decolou às 8h58 (hora local), vai para Porto Alegre, onde deve chegar às 13h40, e depois a Curitiba onde o pouso está previsto para às 16h40. De lá os imigrantes serão levados de ônibus às cidades de destino.

Devem ficar 90 imigrantes em Curitiba, 70 em Porto Alegre, 21 em Canoas, nove Esteio e 40 Cachoeirinha. Com exceção da última que vai receber apenas homens sozinhos, todas as outras irão acolher famílias de imigrantes.

O embarque foi acompanhado pelo prefeito da cidade de Cachoeirinha (RS), Miki Breier (PSB) e pelo ministro de Desenvolvimento Social Alberto Beltrame. Na tarde de segunda-feira ele também esteve na entrega de 40 toneladas de leite para abrigos de refugiados sem-teto em Roraima.

"A interiorização é uma forma de aliviar a pressão aqui no estado, na capital e em Pacaraima. Ela diminui essas tensões, abre espaços nos abrigos e reduz as pessoas em situação de rua", comentou Beltrame.

Ele disse ainda que conversou com refugiados e que entre eles o sentimento é de gratidão.

"Conversando com eles, o sentimento é a gratidão ao governo brasileiro e sobretudo ao povo brasileiro pela receptividade, pela solidariedade que todos os brasileiros, de modo geral, tem emprestado a essa situação de uma grave crise humanitária", disse o ministro.

Esta é a 10ª etapa do processo de interiorização do Governo Federal. Até agora, 17 voos foram realizados desde abril e oito estados do país e o Distrito Federal receberam venezuelanos que migraram para Roraima em busca de melhores oportunidades de vida e trabalho. Agora já são 2.206 venezuelanos interiorizados.

De acordo com a Casa Civil, responsável pelo processo, todos os imigrantes têm documentação como CPF e carteira de trabalho, foram vacinados, submetidos a exames de saúde e aceitaram participar voluntariamente do processo.



A iniciativa conta com apoio da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), da Agência da ONU para as Migrações (OIM), do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Para aderir à interiorização, o ACNUR identifica os venezuelanos interessados em participar e cruza informações com as vagas disponíveis e o perfil dos abrigos participantes. A agência assegura que os indivíduos estejam devidamente documentados e providencia melhoras de infraestrutura nos locais de acolhida. A OIM atua na orientação e informação prévia ao embarque, garantindo que as pessoas possam tomar uma decisão informada e consentida, sempre de forma voluntária, além de realizar o acompanhamento durante todo o transporte.

Desde 2015, Roraima recebe um número crescente de venezuelanos que fogem, principalmente, da escassez de comida e remédios. Em três anos e meio já são mais de 75 mil pedidos de refúgio ou residência temporária só em Roraima.

Com essa chegada inesperada de milhares de venezuelanos, 10 abrigos foram abertos em Boa Vista e na fronteira com capacidade para 5 mil pessoas. As unidades, no entanto, já estão cheias e ainda há venezuelanos em situação de rua no estado.

Em razão disso, e da crescente tensão entre brasileiros e venezuelanos, que culminou em 18 de agosto com ataques a acampamentos e a expulsão de 1,2 mil imigrantes de Pacaraima, na fronteira, o governo federal decidiu agilizar a interiorização, transferindo até 400 venezuelanos por semana para fora do estado.

Embraer diz que não pode assegurar prazo para conclusão de negociações com Boeing

Acordo prevê a criação de uma joint venture que assumirá o controle de aviação comercial da empresa brasileira.

Por Reuters | Publicada em 25/09/2018 09:49

A Embraer disse nesta terça-feira (25) que não pode estimar um prazo para conclusão das negociações envolvendo a parceria com a norte-americana Boeing e disse ser "incabível" relacionar o processo eleitoral à combinação pretendida.

"O objetivo das partes é fechar a operação com a maior brevidade possível. Entretanto, trata-se de processo complexo no qual as partes vêm negociando os contratos que podem concretizar a operação", disse a Embraer em comunicado ao mercado, ao esclarecer notícia veiculada na imprensa.

O memorando de entendimento entra e Boeing e a Embraer prevê a criação de uma joint venture que assumirá o controle de aviação comercial da empresa brasileira.

Reportagem do jornal Valor Econômico da véspera informou que as empresas tentam fechar o negócio antes de 2019, e que os executivos entendem que todo o processo seria retardado se a finalização ficar para o ano que vem.

O acordo de união dos negócios da Boeing e Embraer para a criação de uma nova empresa na área de aviação comercial, avaliada em US$ 4,75 bilhões, foi anunciado em julho. Pelo memorando, a companhia americana terá 80% de participação e a brasileira, 20% na joint venture. A transação, entretanto, ainda depende do aval dos acionistas – entre os quais está o governo brasileiro – e dos órgãos reguladores do mercado brasileiro e americano.

RN terá 8.292 agentes de segurança trabalhando nas eleições de 2018

Plano operacional foi apresentado nesta terça-feira (25), no Gabinete de Gestão Integrada da Secretaria de Segurança do Estado.

G1 Rn | Publicada em 25/09/2018 18:18

O Rio Grande do Norte terá 8.292 homens trabalhando na segurança das Eleições 2018. O plano operacional foi apresentado nesta terça-feira (25), no Gabinete de Gestão Integrada da Secretaria de Segurança do Estado, e começa a ser executado a partir das 15h do sábado (6).

Serão 30 agentes da Força Nacional, 378 policiais civis, 221 policiais rodoviários estaduais, 112 guardas municipais, 60 policiais cedidos ao Tribunal de Justiça, que vão fazer a segurança de juízes eleitorais, 2.885 policiais no interior, 1.297 PMs em Natal e Região Metropolitana, 100 bombeiros e nove peritos. Além destes, haverá ainda 3.200 militares das forças armadas, totalizando as 8.292 pessoas envolvidas no trabalho.

Na próxima quinta-feira (27), às 14h, no plenário do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte, a Justiça Eleitoral vai reunir os representantes das áreas da segurança, para apresentação dos procedimentos que serão usados nas eleições. O Ministério Público Eleitoral também vai participar do evento.

PORTAL R7


Buscas por pilotos desaparecidos em Linhares ganham reforço e continuam nesta quarta

Segundo o Corpo de Bombeiros Militar do Estado (CBMES), os trabalhos terão reforço das companhias de Nova Venécia, Colatina e São Mateus

Folha Vitória | Publicada em 25/09/2018 21:44

Continuam nesta quarta-feira (26) as buscas pelo piloto Maike Estefaneli Barcelos e pelo o empresário Douglas Siqueira, desaparecidos após decolarem em uma aeronave de pequeno porte no município de Linhares na última sexta-feira (21). Segundo o Corpo de Bombeiros Militar do Estado (CBMES), os trabalhos terão reforço das companhias de Nova Venécia, Colatina e São Mateus.

Durante esta terça-feira (25), o Corpo de Bombeiros, em parceria com a Polícia Militar Ambiental, realizou buscas em solo nas áreas de vegetação no Norte do Espírito Santo. De acordo com o CBMES, as procuras foram feitas com base em triangulações de sinais recebidos dos telefones celulares dos desaparecidos. O Núcleo de Operações e Transporte Aéreo (Notaer) tem ajudado as ações com o uso de helicóptero.

Maike e Douglas estavam a bordo de uma aeronave modelo Trike, que é uma asa delta motorizada. De acordo com informações de familiares, Maike iniciou a viagem a partir de um ponto do bairro Laguna, em Linhares. Ele seguia para a cidade baiana para participar de um evento nacional de pilotos de aeronaves.

Membros da família de Maike informaram que o mesmo poderia pegar duas rotas para chegar ao destino. A primeira, levaria 30 minutos de Linhares até o balneário de Guriri, em São Mateus, de onde ele poderia seguir sobrevoando o litoral até o destino.

Na segunda rota, Maike teria um tempo aproximado de 1h30 de viagem, partindo de Linhares e seguindo uma linha reta até o município de Mucuri. Neste caso, o piloto sobrevoaria a reserva da Mata Atlântica. O pai de Maike acredita que esta tenha sido a rota escolhida pelo filho.

Amigos envolvidos nos trabalhos de buscas dizem suspeitar que os desaparecidos estejam em uma reserva ambiental de Sooretama, no Norte do Estado. Familiares e amigos pedem que qualquer informação sobre Maike seja passada pelos contatos: (27) 99841-5349, (27) 99839-8502 ou (27) 99950-0293.

PORTAL TERRA


Operação conjunta das Forças Armadas, PF e Receita mira Porto de Itaguaí, no Rio

Cerca de 4 mil contêineres e cem embarcações foram auditados e revistados desde segunda, quando a ação foi deflagrada contra tráfico de drogas e de armas

Paulo Roberto Netto | Publicada em 25/09/2018 23:05

SÃO PAULO - Cerca de 4 mil contêineres do Complexo Portuário de Itaguaí, na região metropolitana do Rio de Janeiro, foram auditados durante operação conjunta das Forças Armadas, Polícia Federal e Receita Federal. A fiscalização, iniciada na segunda-feira, 24, visa o combate ao tráfico de drogas e de armas.

De acordo com balanço divulgado nesta terça-feira, 25, pelo Comando Militar do Leste, foram realizadas 406 revistas pessoais e de veículos. Os militares, auditores e policiais cercaram o porto e revistaram cerca de cem embarcações desde segunda, incluindo um navio mercante. Pelo menos sete embarcações foram notificadas pela Marinha do Brasil, que realiza bloqueio e cerco marítimo na Baía de Sepetiba.

O CML, no entanto, não informa se drogas ou armas foram apreendidas durante as fiscalizações. Ao todo, mais de 4 mil contêineres foram auditados desde o início da operação.

Ao todo, participam da ação 700 militares das Forças Armadas, 50 servidores da Receita Federal e 12 policiais federais. Além disso, helicópteros e embarcações militares também foram deslocadas para os trabalhos no porto.

A operação prossegue durante a noite desta terça e ao longo da manhã desta quarta-feira, 26, sem previsão para conclusão.

GAZETA ONLINE (ES)


Bombeiros usam cães farejadores durante buscas a piloto e amigo

Para auxiliar nas busca do piloto Mayke Stefanelli Barcelos e pelo empresário Douglas Siqueira Lana, o trabalho agora conta com os cães farejadores do Corpo de Bombeiros. Áreas da Reserva Natural da Vale são investigadas para delimitar o local onde a asa-delta motorizada pode ter caído

Loreta Fagionato | Publicada em 25/09/2018 13:41 | Atualizado em 25/09/2018 13:41

No quarto dia de buscas pelo piloto Mayke Stefanelli Barcelos e pelo empresário Douglas Siqueira Lana, que desapareceram na última sexta-feira (21) durante um voo de asa-delta motorizada que saiu de Linhares e seguia para Mucuri, na Bahia, o Corpo de Bombeiros começou a usar um novo recurso: os cães farejadores.

Os bombeiros tentam delimitar o local onde a aeronave pode ter caído com a informação de que o piloto e o empresário teriam mudado de rota no meio do caminho quando passavam ao norte pela Reserva Natural da Vale, entre Linhares e Sooretama. Eles teriam retornado e seguido pelo sudeste com destino ao local de onde decolaram, em uma pista no bairro Jardim Laguna. Com o possível local mais definido, as equipes do Núcleo de Operações e Transporte Aéreo (NOTAer), da Polícia Ambiental, bombeiros com cães farejadores e também pilotos amigos de Mayke realizam as buscas pela terra e pelo ar.

O tenente-coronel Ferrari, do Corpo de Bombeiros, organiza as buscas pelos desaparecidos diretamente do Aeroporto de Linhares. De acordo com ele, são realizados dois trabalhos, um de investigação e um de buscas, que são paralelos e complementares.

“A investigação restringe a área de buscas. Temos equipes em campo de militares e de civis voando com paramotor, além do NOTAer, para fazer buscas conforme uma hipótese das investigações que a gente já fez, com dados das torres de telefonia que nos apontaram uma possibilidade de que a aeronave poderia ter tentado voltar de onde decolou. As equipes que saíram a campo em direção a Sooretama estão investigando outros relatos para nos dar outra hipótese de rota que foi seguida. Essa investigação confirma ou descarta relatos e a gente consegue traçar e fazer as buscas em cima dessas hipóteses”, explicou.

Ferrari afirmou que estão delimitando essa nova hipótese com o auxílio dos dados de torres de telefonia. “A torre registra o telefone do Mayke ao norte da torre às 6h16 (de sexta-feira). Às 7h01, ao sudeste da torre, registra o telefone do Douglas. Então isso dá a hipótese que eles tentaram voltar”, destacou.

Além disso, os relatos de moradores da região ajudam a definir onde a asa-delta motorizada possa ter caído. Buscas foram realizadas em Córrego Farias, localidade do interior de Linhares, após uma pessoa dizer que viu a asa de uma aeronave entrar em uma área de mata. Agora, as buscas estão mais concentradas na região da Reserva Natural da Vale, em Sooretama. “Nós estamos procurando casas na mesma rota para saber até onde se viu ou se ouviu essa aeronave seguindo próximo à BR 101 sentido Norte”, informou o tenente-coronel.

INVESTIGAÇÕES

A equipe de reportagem do Gazeta Online acompanhou o trabalho do Corpo de Bombeiros em uma localidade do interior de Sooretama, ao redor da reserva, na manhã desta terça-feira (25). Os militares conversaram com moradores da região para investigar por onde Mayke e Douglas sobrevoaram antes de desaparecer. Como as informações não foram conclusivas, não foi necessário soltar os cães farejadores para realizarem buscas no local. Durante esta tarde, os bombeiros continuam as buscas e devem levar os cães para auxiliar nos trabalhos.

BUSCAS

Amigos e familiares de Mayke e Douglas ficam no Aeroporto de Linhares não apenas para acompanhar as buscas, mas também para ajudar no trabalho. O pai de Mayke, Jonas Barcelos, também pilota e contou que já sobrevoou a reserva em busca do filho.

“Já são quatro dias sem notícias. Já voei por umas quatro horas e nada. Venho todo dia ajudar nas buscas. Voar é nosso hobby e ajudou na união da família. Perdi minha esposa há sete anos em um acidente de moto, foi muito triste para todos nós. Comecei a pilotar e o Mayke foi o primeiro a criticar, mas depois tomou gosto por voar e se tornou piloto também. Isso nos uniu muito. Ele é um piloto experiente e um homem forte, guerreiro. Tenho certeza que ele está em algum lugar de mata muito fechado e não conseguiu sair sozinho, mas estamos em busca dele e vamos encontrá-lo”, afirmou Jonas.

Ouça o áudio da reportagem:

JORNAL DO SENADO


Próximo presidente da República precisará investir nas Forças Armadas


Agência Senado | Publicada em 25/09/2018 09:41 | Atualizado em 25/09/2018 16:58

O Brasil gasta 1,5% do Produto Interno Bruto em defesa. O presidente que assumir o Palácio do Planalto em 2019 vai encontrar as Forças Armadas carentes de novos investimentos. Veja detalhes na última reportagem da série sobre os desafios do novo governo.