NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


Aeroportos de SP têm atrasos e voos suspensos após falha em radar

Pane afetou pousos e decolagens; sistema foi reestabelecido às 9h20

Publicado Em 16/06/2018 - 14h56

Uma falha no sinal do radar de aproximação da Aeronáutica afetou voos nos principais aeroportos de São Paulo na manhã deste sábado (16).

Segundo a Infraero, o problema foi causado por instabilidade no sistema de tráfego aéreo do Decea (Departamento de Controle do Espaço Aéreo), órgão da FAB (Força Aérea Brasileira).

A partir das 8h15, o Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea adotou ações de contingenciamento entre as aeronaves nas áreas de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Curitiba. O sistema foi reestabelecido às 9h20.

No aeroporto internacional de Cumbica, em Guarulhos, as operações ficaram suspensas entre 8h12 e 9h29 por orientação do Decea. Foram registrados 70 atrasos em voos e três cancelamentos até as 13h.

Em Congonhas, em São Paulo, oito voos foram cancelados e 52 sofreram atraso.

 

JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO


Falha em radar cancela e atrasa voos em Cumbica, Congonhas e Viracopos

Erro no sistema de radar de aproximação de órgão da Força Aérea Brasileira alternou voos e tardou algumas decolagens em São Paulo

Leonardo Pinto E Isabela Palhares Publicado Em 16/06/2018 - 15h14

A operação aérea dos principais aeroportos de São Paulo foi afetada na manhã deste sábado, 16, por uma falha no sinal do radar de aproximação da Aeronáutica. Segundo a Infraero, houve "instabilidade de uma hora no sistema de trafego aéreo do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), órgão da Força Aérea Brasileira (FAB) responsável por manejar e orientar os voos nos aeroportos brasileiros.

O Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), do Decea, identificou o problema às 8h15 e teve que efetuar ações de contingenciamento entre as aeronaves nas áreas de São Paulo, Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF) e Curitiba (PR). O sinal do radar da Área de Controle do Terminal de São Paulo afetou o fluxo de tráfego aéreo, informou a FAB ao Estado.

Cerca de uma hora depois, o problema no radar já havia sido normalizado. No entanto, o hiato causado pela falha alterou o plano de voos das companhias aéreas para o restante do dia.

O Aeroporto de Guarulhos informou que até as 12h40 recebeu 39 voos atrasados de outros aeroportos e teve quatro chegadas canceladas. Entre a 0h e 12h deste sábado, o terminal teve 66 partidas com mais de 30 minutos de atrasos e duas canceladas. Apenas na última hora, seis decolagens atrasaram.

Congonhas e Viracopos, em Campinas, também foram afetados e apresentaram mudanças em seu quadro de voos.

A Infraero informou que suspendeu as operações de pouso e decolagem no aeroporto de Congonhas entre 8h13 e 9h27 por conta de "instabilidade no sistema de tráfego". Nesse período, oito voos foram cancelados e 52 atrasaram, entre chegadas e partidas.

O Aeroporto Internacional de Brasília divulgou no Twitter que um voo de Washington, nos Estados Unidos, com destino a Guarulhos, teve que pousar na capital por conta do sinal prejudicado no terminal de controle do aeroporto na metrópole paulista.

Situação nas companhias

A assessoria da companhia Azul confirmou que a falha impactou a operação e houve cancelamentos de 16 voos até o momento. "Em função de restrições no sistema de controle de tráfego aéreo em São Paulo, alguns voos da Azul foram cancelados ou atrasados. A companhia trabalha para minimizar os impactos e reforça que está prestando toda a assistência necessária", disse em nota a empresa. Segundo a Azul, os passageiros afetados estão sendo transferidos para outros voos da própria companhia.

A companhia Gol também disse que toda a sua operação da manhã foi afetada neste sábado, tanto dos voos que chegavam e partiam dos aeroportos de São Paulo, como os que tinham conexão na cidade. A empresa informou que nove voos, previstos para chegar nesses dois terminais, foram deslocados para outras cidades, como Curitiba e Rio de Janeiro.

A Latam afirmou em nota que, "devido a questões técnicas no radar responsável pelos aeroportos de São Paulo", oito voos da companhia foram impactados, sendo dois cancelados e seis alternados para Ribeirão Preto, Curitiba, Galeão (no Rio de Janeiro) e São José do Rio Preto. O comunicado enviado às 11h diz que "o funcionamento do radar já foi restabelecido e as operações da companhia estão sendo normalizadas".

A Avianca informou que teve 17 atrasos por causa da queda no sistema de radar.

 

JORNAL O GLOBO


Por problema em radar, aeroportos de SP suspenderam pousos e decolagens

Gol enviou para outros estados 9 aviões que pousariam na capital paulista. Na Latam, 2 vôos foram cancelados, e o destino de 6 foi alterado

Roberta Scrivano Publicado Em 16/06/2018 - 15h57

SÃO PAULO — Os aeroportos de São Paulo (Congonhas, Guarulhos e Viracopos) ficaram com pousos e decolagens suspensos por cerca de uma hora na manhã deste sábado. Internautas relataram nas redes sociais atrasos, filas enormes e superlotação nos terminais. Vôos com destino a São Paulo também registram atrasos, segundo as companhias aéreas. Por volta das 10h, as decolagens começaram a ser retomadas.

O Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), ligado ao Comando da Aeronáutica e responsável por questões técnicas como a ocorrida, não detalhou o motivo do problema. Apenas informou que entre as 8h15 e as 9h20 adotou "ações de gerenciamento de fluxo de tráfego aéreo" por causa de "um problema no sinal do radar da Área de Controle Terminal de São Paulo". "Por conta disso, alguns voos sofreram alterações", disse o órgão.

O GRU Airport, terminal de Guarulhos, informou que entre as 9h e as 10h, onze decolagens atrasaram e um pouso foi cancelado. Em Congonhas, os pousos e decolagens ficaram suspensos entre 8h13 e 9h27, informou a Infraero, que administra o terminal. Já em Viracopos, além de atrasos, dois vôos foram remanejados e um cancelado.

"Segundo o comandante do voo em que estou, o problema foi com o radar que controla o tráfego aéreo em São Paulo", contou um usuário do Twitter por volta das 9h. Na sequência, outro respondeu: "Estou no voo Latam 4530 e o comandante informou o mesmo e que não existe prazo para restabelecimento."

De acordo com a Gol Linhas Aéreas, todos os vôos que sairiam de São Paulo ou que tinham como destino a capital paulista, registraram atraso durante toda a manhã e nove dos que pousariam em Congonhas ou Guarulhos até as 10 horas foram enviados para outros aeroportos, entre eles os do Rio e de Curitiba. A Latam informou situação parecida. Até as 10 horas, seis vôos da companhia foram alternados para Ribeirão Preto, Curitiba, Galeão e São José do Rio Preto e outros dois tiveram de ser cancelados.

"O funcionamento do radar já foi restabelecido (às 10 horas), e as operações da companhia estão sendo normalizadas", disse a Latam em nota.

Internautas relatavam os reflexos em outras cidades: "Estou no voo 3289 da TAM e estamos parados em BH sem previsão de decolagem por causa deste problema no Aeroporto de Congonhas", disse um usário da rede Twitter. Outra contou às 10h40: "Estou no 1007 da Gol, que saiu 8h10 do Santos Dumont, foi ate Congonhas e voltou pro Galeão! Voltando agora para SP..."

A queda do serviço também virou motivo para os internautas direcionarem críticas ao Brasil: "Trago um estrangeiro para conhecer e investir no país. Estamos indo de Congonhas para Brasília para poder passear lá e quebra o radar aéreo de São Paulo. Que vergonha. Que vergonha", desabafou.

Procurada para falar sobre os motivos do problema, a ANAC não respondeu à reportagem até a publicação deste texto.

 

PORTAL UOL


Falha em radar afeta voos em Guarulhos, Congonhas e Viracopos


Publicado Em 16/06/2018 - 12h58

A operação aérea dos principais aeroportos de São Paulo foi prejudicada na manhã deste sábado (16) por uma falha no sistema de radar de aproximação da aeronáutica. Segundo a Infraero, houve uma "instabilidade no sistema de tráfego aéreo do Decea (Departamento de Controle do Espaço Aéreo), órgão da FAB (Força Aérea Brasileira) responsável por manejar e orientar os voos nos aeroportos brasileiros.

Segundo a GRU Airport, concessionária que administra o Aeroporto Internacional de Guarulhos, às 9h29, o radar foi restabelecido e a situação está se normalizando no terminal. As operações no aeroporto ficaram suspensas, por orientação do Decea, entre 8h12 e 9h29. Durante esse período só Guarulhos teve 11 decolagens atrasadas e oito voos redirecionados para outros aeroportos.

Em Congonhas, dois voos foram cancelados - a situação começou a se normalizar a partir das 9h30.

No aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), o problema começou às 8h15, mas às 9h25, segundo a assessoria, a situação havia sido normalizada. Dois voos tiveram que ser remanejados, e um, cancelado.

Por meio de nota, a Aeronáutica informou que um problema no sinal do radar na Área de Controle Terminal de São Paulo resultou na interrupção de pousos e decolagens.

"O Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA) adotou, desde as 8h15 deste sábado (16/5), ações de contingenciamento entre as aeronaves nas áreas de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF) e Curitiba (PR).A adoção dessas ações de gerenciamento de fluxo de tráfego aéreo foi necessária devido a um problema no sinal do radar da Área de Controle Terminal de São Paulo (APP-SP), o qual foi totalmente restabelecido às 09:20. Por conta disso, alguns voos sofreram alterações, sempre tendo como objetivo a manutenção de um elevado nível de segurança das operações", diz a nota.

 

REVISTA VEJA


Falha em radar atrasa voos nos aeroportos da capital

Em Congonhas e Guarulhos, voos foram desviados ou sofreram atrasos. No Rio de Janeiro, dois voos que viriam à capital paulista foram cancelados

Publicado Em 16/06/2018 - 12h03

A operação aérea dos principais aeroportos de São Paulo foi prejudicada na manhã deste sábado (16) por uma falha no sistema de radar de aproximação da aeronáutica.

Segundo a Infraero, houve uma “instabilidade no sistema de trafego aéreo do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), órgão da Força Aérea Brasileira responsável por manejar e orientar os voos nos aeroportos brasileiros.

No Aeroporto de Guarulhos, pelo menos oito voos foram alternados e desviados para outros aeroportos e onze decolagens atrasaram, segundo a assessoria.

Em Congonhas, todos os voos sofreram atraso. Voos de outras cidades, com destino à capital paulista, também foram afetados. Em Viracopos, no Rio de Janeiro, dois voos foram cancelados e um, remanejado.

O sistema foi restabelecido por volta das 10h, mas até as 11h30, ainda havia registro de atrasos em vários aeroportos.

 

PORTAL G1


Problema em radar suspende pousos e decolagens em Guarulhos, Congonhas e Viracopos

Por volta das 9h20, radar foi restabelecido e a situação está normalizada nos aeroportos. Congonhas teve 52 voos atrasados.

Publicado Em 16/06/2018 - 09h50

Um problema em um radar suspendeu pousos e decolagens no aeroporto de Guarulhos, Congonhas e Viracopos no início da manhã deste sábado (16), por cerca de uma hora. Às 9h20, o radar foi reestabelecido. A situação foi normalizada nos aeroportos no começo da tarde.

A Aeronáutica - responsável pelo sistema - informou que o problema foi no radar da Área de Controle Terminal de São Paulo. Com isso, o Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA) disse que adotou, das 8h15 às 9h20, “ações de contingenciamento entre as aeronaves nas áreas de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Curitiba”. Em nota, o órgão disse ainda que “alguns voos sofreram alterações, sempre tendo como objetivo a manutenção de um elevado nível de segurança das operações”.

Segundo a assessoria do aeroporto de Guarulhos, 11 decolagens atrasaram e 8 voos foram alternados. Destes, um era um voo que vinha de Washington, nos Estados Unidos, e teve que pousar em Brasília. Entre 8h12 e 9h29 as operações ficaram suspensas em Guarulhos por orientação do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea).

A Infraero informou que, em Congonhas, suspendeu a operações de pouso e decolagem entre 8h13 e 9h27 por instabilidade no sistema de controle do espaço aéreo. Com isso, o aeroporto teve 8 cancelamentos e 52 atrasos superiores a 30 minutos, ambos entre partidas e chegadas.

Em Campinas, segundo a assessoria do Aeroporto de Viracopos, pousos e decolagens também foram suspensos por um período. Lá, dois voos foram remanejados e um cancelado. O problema começou às 8h15, mas às 9h26 a situação foi normalizada.

Em São Paulo, a Infraero gerencia o Aeroporto de Congonhas, na capital, e o de São José dos Campos. Os de Guarulhos e Viracopos possuem gestão privada.

A Latam Airlines Brasil informou que 8 voos da companhia foram impactados, sendo dois cancelados e seis alternados para Ribeirão Preto, Curitiba, Galeão e São José do Rio Preto.

A Gol informou que foram alternados 9 voos que estavam chegando nos aeroprotos de Congonhas e Guarulhos. Estes voos estavam em processo de aterissagem e foram deslocados para outros aeroportos.

 

Helicóptero cai em Espírito Santo do Dourado, MG, e deixa mortos

Segundo o Corpo de Bombeiros, plano de voo informava que quatro pessoas estavam na aeronave. Amigo das vítimas diz que apenas dois estavam a bordo no momento da queda.

Régis Melo, Juliete Gonçalves, Gustavo Oliva Publicado Em 16/06/2018 - 20h27

Um helicóptero caiu no início da noite deste sábado (16) em Espírito Santo do Dourado (MG), e deixou mortos. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o plano de voo da aeronave informava que quatro pessoas estavam a bordo. Um amigo das vítimas, que preferiu não se identificar, falou que duas pessoas estavam na aeronave no momento da queda. O helicóptero pertence a uma rede de bancos. As identidades dos passageiros ainda não foram confirmadas.

Ainda conforme os bombeiros, o helicóptero caiu próximo à rodovia MG-179, na zona rural do município, por volta das 19h. Equipes do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar foram para o local ajudar no resgate.

Segundo o capitão Ivan Santos Pereira Neto, dos bombeiros, a aeronave, identificada como Agusta A109 decolou de Nova Lima (MG), com destino ao aeroporto de Congonhas, em São Paulo (SP). O modelo tem autonomia de voo de 2h30.

Queda

Uma moradora da região registrou quando a aeronave caiu na região, já pegando fogo. Em contato com o G1, Sabrina Carvalho contou que ela e o marido ouviram a explosão e disse que a estrutura da varanda da casa em que moram chegou a tremer.

"Passou bem pertinho da minha casa, aí começou a tremer a estrutura metálica aqui da minha área, fazer bastante barulho mesmo. Meu marido saiu e falou que ele estava passando bem pertinho e piscando bastante, uma luz vermelha nele acendendo e apagando", conta Sabrina.

"Passaram uns segundos, a gente escutou aquele barulho de que tinha caído. Aí a gente já pegou o carro e foi lá, tinha explodido", completa a moradora.

O Centro de Comunicação Social da Aeronáutica informou que a investigação do acidente será realizada pelo Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa III), órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).

 

PORTAL R7


Helicóptero com quatro passageiros cai próximo a rodovia em MG

Equipes do Corpo de Bombeiros estão no local. Ao menos duas pessoas morreram e ainda não há informações sobre os outros passageiros

Márcio Neves Publicado Em 16/06/2018 - 22h40

Um helicóptero que levava quatro passageiros caiu e pegou fogo na noite deste sábado (16) próximo a rodovia MG-179 em Espírito Santo do Dourado, cidade a 418 km de Belo Horizonte.

De acordo com o Posto do Corpo de Bombeiros de Pouso Alegre, que atende a área, ao menos duas pessoas morreram. Não há informações sobre as outras vítimas e causas do acidente. Duas viaturas estão no local prestando atendimento.

Segundo apurou o R7, o piloto fez um contato com o a torre de controle de espaço aéreo de Brasília, informando que estava com problemas mecânicos.

A aeronave envolvida no acidente, um Agusta A109S de prefixo PR-JMB, estava com sua documentação em regularidade na ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) e havia decolado da cidade de Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte, com destino a cidade de São Paulo.

O helicóptero pertencia a uma empresa do setor de logística e mineração e tinha capacidade para 7 passageiros.

O Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) foi acionado e já mobilizou equipes que seguiram para o local para investigar as causas do acidente na manhã deste domingo (17).

Aeronave já pertenceu ao grupo JBS

O helicóptero envolvido no acidente também já foi palco de um escândalo político, pois anteriormente a aeronave pertencia ao grupo JBS, do empresário Joesley Batista, e foi utilizado em passeios do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral e sua mulher, Adriana Ancelmo.

 

Problema nos radares de aeroportos causou transtornos

Foram registrados atrasos, cancelamentos e voos tiveram de ser alterados na manhã deste sábado. A FAB informa que o problema foi no sinal do radar

Ingrid Navarro Publicado Em 16/06/2018 - 12h01

Um problema nos radares dos aeroportos de Congonhas, Guarulhos e Viracopos causou cancelamentos e atrasos de voos na manhã deste sábado (16). Ao menos três voos foram cancelados.

De acordo com o painel de voos da Infraero do aeroporto de Congonhas, dos 72 voos programados até às 10h, houve 12 atrasos e dois cancelamentos. Já no aeroporto de Guarulhos, 11 voos previstos para decolarem atrasaram, e oito foram alternados para outros aeroportos. Em Viracopos, segundo o painel de voos, houve uma partida cancelada.

Procurada, a FAB (Força Aérea Brasileira) informou que "o Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA) adotou, desde as 8h15 deste sábado (16), ações de contingenciamento entre as aeronaves nas áreas de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF) e Curitiba (PR). A adoção dessas ações de gerenciamento de fluxo de tráfego aéreo foi necessária devido a um problema no sinal do radar da Área de Controle Terminal de São Paulo (APP-SP), o qual foi totalmente restabelecido às 9h20. Por conta disso, alguns voos sofreram alterações, sempre tendo como objetivo a manutenção de um elevado nível de segurança das operações."

Por meio de nota, a Latam Airlines Brasil informa que, "devido a questões técnicas no radar responsável pelos aeroportos de São Paulo na manhã deste sábado, oito voos da companhia foram impactados, sendo dois cancelados e seis alternados para Ribeirão Preto, Curitiba, Galeão e São José do Rio Preto. O funcionamento do radar já foi restabelecido, e as operações da companhia estão sendo normalizadas".

A Azul informou, também por meio de nota, que "em função de restrições no sistema de controle de tráfego aéreo em São Paulo, alguns voos da Azul foram cancelados ou atrasados. A companhia trabalha para minimizar os impactos e reforça que está prestando toda a assistência necessária, conforme prevê a resolução 400 da Anac. Os clientes estão sendo reacomodados em outros voos da própria Azul. Em caso de dúvidas, a empresa orienta fazer contato com a Central de Atendimento no 40031118 (para capitais e regiões metropolitanas) e 08008871118 (para demais localidades). Foram cancelados 16 voos até o momento.

Em contato com a GOL Linhas Aéreas, a empresa informou que nove voos da companhia foram alterados para outros aeroportos. Até o momento, na Avianca não retornou o contato da Agência Record.

 

AGÊNCIA BRASIL


Aeroportos de São Paulo ficam sem operar por mais de uma hora


Publicado Em 16/06/2018 - 10h53

O desligamento de um radar de controle de voos às 8h12 deste sábado (16) fez com que os aeroportos de Guarulhos, Congonhas e Viracopos ficassem fechados para pousos e decolagens no início da manhã deste sábado (16), por pouco mais uma hora.

Segundo a GRU Airport, concessionária que administra o Aeroporto Internacional de Guarulhos, às 9h29, o radar foi restabelecido e a situação está se normalizando no terminal. Durante esse período só Guarulhos teve 11 decolagens atrasadas e oito voos redirecionados para outros aeroportos.

Em Congonhas dois voos foram cancelados. Já em Campinas, segundo a assessoria do Aeroporto de Viracopos, houve dois remanejamentos de voos e um cancelamento.

A Aeronáutica esclareceu, por meio de nota divulgada pela assessoria de imprensa, que um problema no sinal do radar na Área de Controle Terminal de São Paulo, resultou na interrupção de pousos e decolagens.

"O Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA) adotou, desde as 8h15 deste sábado (16/5), ações de contingenciamento entre as aeronaves nas áreas de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF) e Curitiba (PR).A adoção dessas ações de gerenciamento de fluxo de tráfego aéreo foi necessária devido a um problema no sinal do radar da Área de Controle Terminal de São Paulo (APP-SP), o qual foi totalmente restabelecido às 09:20. Por conta disso, alguns voos sofreram alterações, sempre tendo como objetivo a manutenção de um elevado nível de segurança das operações", diz a nota.

*Texto ampliado às 12h48 para acréscimo de nota divulgada pela Aeronáutica

 

PORTAL TERRA


Falha em radar cancela e atrasa voos em Cumbica, Congonhas e Viracopos

Erro no sistema de radar de aproximação de órgão da Força Aérea Brasileira alternou voos e tardou algumas decolagens em São Paulo

Leonardo Pinto E Isabela Palhares Publicado Em 16/06/2018 - 15h16

A operação aérea dos principais aeroportos de São Paulo foi afetada na manhã deste sábado, 16, por uma falha no sinal do radar de aproximação da Aeronáutica. Segundo a Infraero, houve "instabilidade de uma hora no sistema de trafego aéreo do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), órgão da Força Aérea Brasileira (FAB) responsável por manejar e orientar os voos nos aeroportos brasileiros.

O Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), do Decea, identificou o problema às 8h15 e teve que efetuar ações de contingenciamento entre as aeronaves nas áreas de São Paulo, Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF) e Curitiba (PR). O sinal do radar da Área de Controle do Terminal de São Paulo afetou o fluxo de tráfego aéreo, informou a FAB ao Estado.

Cerca de uma hora depois, o problema no radar já havia sido normalizado. No entanto, o hiato causado pela falha alterou o plano de voos das companhias aéreas para o restante do dia.

O Aeroporto de Guarulhos informou que até as 12h40 recebeu 39 voos atrasados de outros aeroportos e teve quatro chegadas canceladas. Entre a 0h e 12h deste sábado, o terminal teve 66 partidas com mais de 30 minutos de atrasos e duas canceladas. Apenas na última hora, seis decolagens atrasaram.

Congonhas e Viracopos, em Campinas, também foram afetados e apresentaram mudanças em seu quadro de voos.

A Infraero informou que suspendeu as operações de pouso e decolagem no aeroporto de Congonhas entre 8h13 e 9h27 por conta de "instabilidade no sistema de tráfego". Nesse período, oito voos foram cancelados e 52 atrasaram, entre chegadas e partidas.

O Aeroporto Internacional de Brasília divulgou no Twitter que um voo de Washington, nos Estados Unidos, com destino a Guarulhos, teve que pousar na capital por conta do sinal prejudicado no terminal de controle do aeroporto na metrópole paulista.

Situação nas companhias

A assessoria da companhia Azul confirmou que a falha impactou a operação e houve cancelamentos de 16 voos até o momento. "Em função de restrições no sistema de controle de tráfego aéreo em São Paulo, alguns voos da Azul foram cancelados ou atrasados. A companhia trabalha para minimizar os impactos e reforça que está prestando toda a assistência necessária", disse em nota a empresa. Segundo a Azul, os passageiros afetados estão sendo transferidos para outros voos da própria companhia.

A companhia Gol também disse que toda a sua operação da manhã foi afetada neste sábado, tanto dos voos que chegavam e partiam dos aeroportos de São Paulo, como os que tinham conexão na cidade. A empresa informou que nove voos, previstos para chegar nesses dois terminais, foram deslocados para outras cidades, como Curitiba e Rio de Janeiro.

A Latam afirmou em nota que, "devido a questões técnicas no radar responsável pelos aeroportos de São Paulo", oito voos da companhia foram impactados, sendo dois cancelados e seis alternados para Ribeirão Preto, Curitiba, Galeão (no Rio de Janeiro) e São José do Rio Preto. O comunicado enviado às 11h diz que "o funcionamento do radar já foi restabelecido e as operações da companhia estão sendo normalizadas".

A Avianca informou que teve 17 atrasos por causa da queda no sistema de radar.

 

JORNAL HOJE EM DIA (MG)


Helicóptero cai a 400 Km BH; bombeiros confirmam pelo menos dois mortos


Patrícia Santos Dumont Publicado Em 16/06/2018 - 22h31

Pelo menos duas pessoas morreram após a queda de um helicóptero, que decolou de Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, na noite deste sábado (16). O acidente aconteceu próximo ao município de Espírito Santo do Dourado, a cerca de 400 quilômetros da capital mineira, no Sul de Minas. De acordo com a Central de Controle de Voo de Brasília, a aeronave tinha como destino o Aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

Segundo informações preliminares do Corpo de Bombeiros, o local da queda fica próximo de uma mata. Após o acidente, a aeronave teria pegado fogo, que se espalhou pela vegetação. "Não há registros de sobreviventes", informou a corporação, que realiza buscas no local à procura das vítimas.

Quatro passageiros constavam no plano de voo da aeronave, que pertence ao Banco Bradesco. Os bombeiros não confirmam, porém, se dois deles teriam desembarcado antes do acidente ou se podem estar entre os mortos.

No último contato do piloto com a torre de controle, na capital federal, ele teria informado sobre problemas mecânicos e dificuldades para pouso. O piloto teria declarado emergência e, em seguida, reportado a queda do helicóptero.

A aeronave, modelo Agusta A109S fabricado em 2010, está regular, conforme a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), já que o Certificado de Aeronavegabilidade (CA) tem validade até junho de 2022.

193

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais informou que foi acionado via 193 e também pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) - Organização Militar do Comando da Aeronáutica.

A região onde a aeronave caiu fica às margens da MG-179, em Espírito Santo do Dourado, em local de difícil acesso o que, conforme os bombeiros, estaria dificultando o resgate e confirmação de possíveis vítimas.

Cenipa

A Cenipa informou que investigadores do Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa III) irão iniciar, neste domingo (17), um processo de investigação. O objetivo, de acordo com o órgão federal, é coletar dados: fotografar cenas, retirar partes da aeronave para análise, reunir documentos e ouvir relatos de pessoas que possam ter observado a sequência de eventos.

 

OUTRAS MÍDIAS


TORCEDORES.COM - Eduardo Lass defende o Brasil no Mundial Militar de Triathlon


Rodrigo Nascimento Publicado Em 16/06/2018 - 22h23

Um dos principais nomes do Triathlon aqui no Brasil, o paranaense Eduardo Lass irá representar o país no Mundial Militar, competição que será realizada neste fim de semana na Suécia, e contará com mais de 170 atletas.

O triatleta Eduardo Lass (Tradener) disputa neste domingo (17) o Mundial Militar de Triathlon, na cidade de Lidkoping, na Suécia. O 3º sargento da Força Aérea Brasileira é um dos 175 atletas de 24 países que disputarão a prova na distância olímpica com vácuo (1,5km de natação, 40km de ciclismo e 10km de corrida). A competição vai até segunda-feira (18).

Além do atleta, que é natural de Curitiba, o Brasil será representado por Diogo Sclebin, Danilo Pimentel, Vittoria Lopes, e Luiza Cravo, da Força Aérea brasileira. Bia Neres e Luma Guillen integram o Exército Brasileiro.

“O Brasil tem sempre bons resultados no Mundial Militar. Mais importante do que o resultado individual é o desempenho por equipes, então não só eu mas como os outros brasileiros militares triatletas vamos lutar na disputa por equipes tanto no masculino, quanto no misto”, comentou Eduardo Lass.

No mês passado, em llhabela (SP), Eduardo Lass se classificou para o Mundial XTerra, que será realizado no Havaí, em outubro.