NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


JORNAL VALOR ECONÔMICO


Saúde condiciona agenda presidencial


Andrea Jubé, André Guilherme Vieira E Paula Selmi Publicada Em 16/12 - 5h00

Após o terceiro procedimento cirúrgico a que se submeteu em 46 dias, o presidente Michel Temer deve ter alta da equipe médica do Hospital Sírio-Libanês hoje no fim da manhã em São Paulo. Aos 77 anos, Temer pretende mostrar-se bem disposto e até discursar na posse do novo ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (PMDB-MS), programada para o meio da tarde, quando alertará que a reforma da Previdência não sairá da pauta da Câmara. Ele tem a agenda repleta de compromissos até o Natal, mas que podem ser reconsiderados.

Ontem, em entrevista coletiva, o médico Roberto Kalil Filho, coordenador da equipe médica responsável pelo presidente, disse que Temer submeteu-se a um procedimento de desobstrução da uretra bem sucedido e deve ter alta hoje na hora do almoço. Kalil esclareceu que Temer tem condições de viajar. Ressaltou que "não é recomendável", enquanto estiver usando a sonda uretral, o que vai se estender por três semanas.

De fato, por recomendação médica, foi adiada a viagem que Temer faria ao Sudeste Asiático, de 5 a 13 de janeiro, por se tratar de um roteiro de longa distância e exaustivo. Ele visitaria quatro países e faria reuniões com empresários: os destinos eram Vietnã, Singapura, Timor Leste e Indonésia.

Temer ainda tem previsão de viagem a Alagoas, na quarta-feira (dia 20), para solenidade de entrega de residências do Minha Casa, Minha Vida, ao lado do ministro das Cidades, Alexandre Baldy, e de lideranças do PP. Mas o compromisso deve ser cancelado, porque implica novo deslocamento aéreo.

Em um mês e meio, o presidente passou por dois procedimentos urológicos - no dia 27 de outubro e na quarta-feira - e um cardiológico, todos no Sírio-Libanês. Auxiliares presidenciais afirmam que o risco de entupimento das artérias coronárias foi solucionado na cirurgia realizada em 24 de novembro, com a implantação de um stent.

Os compromissos de Temer estão todos pendentes de autorização médica. Hoje, além da posse de Marun, ele participaria da assinatura de um empréstimo bilionário do governo do Rio de Janeiro com o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) no Planalto.

Ao longo da próxima semana, estão previstos a promoção de oficiais-generais e almoço de confraternização com as Forças Armadas e o comparecimento à convenção nacional do PMDB na terça-feira. Na quinta-feira, Temer comanda a reunião de cúpula do Mercosul para transmissão da presidência pro tempore ao Paraguai. Para completar, há a recepção ao presidente da Guiana, Davi Granger.

Kalil relatou ontem que Temer ficou um dia a mais internado por questão de segurança, já que tomou antiagregantes após o procedimento, que aumentam os riscos de sangramento. "No entanto, o presidente tem um estado de saúde ótimo e já deve seguir amanhã [hoje] para Brasília com agenda normal", afirmou.

O médico urologista Miguel Srougi, responsável pelo procedimento, declarou que os três grandes problemas de saúde do presidente já foram resolvidos: estenose diurética, sangramento de prótasta e complicações coronárias.

"O primeiro está estável e o presidente está seguro. Mas é um problema que pode vir a ocorrer novamente daqui dois ou três anos", explicou Srougi. Ele acrescentou que foram feitas biópsias na próstata e bexiga apenas como precaução e que o risco de tumor foi descartado.

Temer recebeu ontem no hospital a visita do presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, e do seu advogado e amigo Antonio Cláudio Mariz de Oliveira; falou por telefone com ministros e auxiliares, acompanhando à distância as articulações sobre os ajustes no relatório da reforma da Previdência.

Com expectativa de ser finalmente empossado, Carlos Marun disse ontem ao Valor que vai começar a trabalhar desde já na articulação política, com foco prioritário na votação da reforma da Previdência. Marun que foi ponta de lança do governo nos movimentos para arquivar as denúncias contra Temer, cumpriu ontem sua última missão como parlamentar: a apresentação do relatório final da final da CPI mista da JBS, em versão amenizada.

 

PORTAL G-1


Pernambuco assina protocolo para receber a primeira indústria estrangeira de munições do Brasil

Protocolo de intenções entre o governo do estado e a empresa suíça Ruag foi assinado, nesta sexta-feira, no Recife. Previsão é produzir primeiros projéteis de armas de fogo em 2018.

Thays Estarque Publicada Em 15/12 - 15h03

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), assinou, nesta sexta-feira (15), no Recife, o protocolo de intenções para a construção da fábrica da Ruag Indústria e Comércio de Munições Ltda, da Suíça. Ela será a primeira empresa estrangeira do segmento de projéteis e armas de fogo a atuar no Brasil. A previsão é começar a produzir as primeiras balas em 2018.

Fundada em 1995, a empresa europeia conta com 12 fábricas em todo o mundo. São, ao todo, quase 9 mil funcionários. No estado, o investimento inicial previsto é de R$ 58,5 milhões.

Segundo a presidente da Ruag no Brasil, Maria Vasconcelos, a linha de produção pode ser ampliada. E, com essa possível expansão, o investimento em Pernambuco pode chegar até R$ 250 milhões. O local da fábrica ainda não foi definido.

A empresa fabrica mais de 1.600 tipos de munições. Em Pernambuco, a meta é começar a trabalhar na produção de calibres para armas pequenas como 9 mílimetros, ponto 40 e 380. A expectativa inicial de vendas chega a R$ 10 milhões por ano.

A proposta inicial da Ruag é abrir 40 vagas de emprego em Pernambuco. Durante a solenidade de assinatura do protocolo de intenções, Maria Vasconcelos informou que esse número pode aumentar.

“Não fabricamos apenas munições. Nós temos varias divisões. Uma vez estabelecida no país, existe a possibilidade de crescimento em outras áreas. Isso vai aumentar o número de funcionários”, observou.

Para o grupo suíço, a instalação da fábrica terá impactos positivos em Pernambuco. A tendência, na avaliação dos empresários, é incentivar outras companhias a escolher o país e o estado para implantar empreendimentos.

Para Maria Vasconcelos, a Ruag quebrou um tabu. "Todo mundo queria vir, mas, em determinado momento, isso parou. O Brasil, que era mania, virou fobia. Todo mundo se retraiu por sentir dificuldades em relação à burocracia. Nós insistimos e, agora, mostramos o que Brasil é possível, que o estado de Pernambuco é possível”, completou.

Segundo o presidente da Ruag, Cristoph Eisenhardt, Pernambuco foi o estado escolhido por causa de incentivos fiscais e em virtude da localização estratégica do Porto de Suape, o mais próximo da Europa. “Essa é uma indústria que requer talentos e pessoas capacitadas. Encontramos boas universidades e o Porto Digital”, observou.

Para o governador Paulo Câmara, a escolha de Pernambuco é um motivo de comemoração. Ele acredita que o ambiente econômico do estado foi um dos principais pontos de atração para a empresa.

Câmara destacou que esse é um investimento de porte, pioneiro e que, com certeza, vai contribuir para a geração de emprego e renda. "Ter um polo de defesa vai nos dar respostas mais rápidas quanto ao combate à violência. São respostas que nos trarão tecnologia e inovação nessa área para nós tenhamos a possibilidade de estarmos mais aparelhados", declarou.

Cerimônia

A solenidade de assinatura também contou com a presença do Ministro da Defesa, Raul Jungmann, de representantes das Forças Armadas e da Polícia Militar. O ministro avaliou a ocasião como um momento histórico para o Brasil.

“Isso representa centenas de empregos de qualidade, tecnologia e a possibilidade que nosso estado e o Nordeste venham a ancorar uma cadeia de investimentos na área de produtos de defesa", declarou.

Segundo ele, para o Brasil, isso significa uma saudável competição. "Até aqui, nós tínhamos um monopólio de, aproximadamente, 80 anos. Isso é importante, porque agrega conhecimento, tecnologia e produtos de qualidade”, destacou.

 

Polícia investiga possível crime de homicídio em queda de avião no Pantanal de MS em 2016

Acidente aconteceu em setembro de 2016, em uma fazenda em Miranda (MS), em que o piloto de 36 anos morreu ao decolar.

Publicada Em 15/12 - 21h14

A Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado (Deco) investiga possível crime de homicídio na queda do avião bimotor na fazenda Novo Horizonte, em Miranda, região do Pantanal de Mato Grosso do Sul, e resultou na morte do piloto Marcos Davi Xavier, de 38 anos, em setembro de 2016.

Os peritos do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) estiveram no local do acidente e depois de constatarem falha de manutenção, transferiu a investigação para a Polícia Civil.

“Esse crime também é de falsidade ideológica que deve ser punido. O atentado à segurança de voo dos diversos componentes que foram encontrados irregulares nessa aeronave”, afirmou Ana Claudia Medina, delegada da Deco.

Segundo o perito criminal Domingos Sávio, o laudo apontou que os cabos que deveriam ter sido trocados na manutenção preventiva acabaram travando no voo e impossibilitando o piloto de controlar a aeronave.

“Esse travamento que tinha nas roldanas e os cabos de aço que já estavam rompidos previamente em várias partes deles, apenas um ou outro estavam intactos, simplesmente por falta de manutenção”, afirmou o perito.

Outra irregularidade constatada foi em relação à documentação. O mesmo avião sofreu acidente em 2013 na mesma fazenda e não foi comunicado a Anac

“Constava apenas na documentação, mas na prática não foi feita [caderneta individual de voo]. Nós detectamos rebites não aeronáuticos e até mesmo massa plástica na aeronave”, explicou Sávio.

Acidente

Moradores da região disseram, na época, ter visto o avião voando baixo. Um funcionário da fazenda Novo Horizonte disse que o avião explodiu antes de chegar ao solo.

O contato com o avião foi perdido no dia 19 de setembro de 2016. A aeronave caiu em uma área de brejo a cerca de 30 km da entrada da fazenda. Na madrugada do dia seguinte, um helicóptero da Força Aérea Brasileira (FAB) localizou o corpo do piloto e os destroços da aeronave.

O local do acidente era de difícil acesso, em uma região alagada, a cerca de 52 quilômetros da área urbana. A força-tarefa da polícia encontrou asas das aeronaves a 250 metros e 450 metros.

 

AGÊNCIA REUTERS


Embraer sees 2024 commercial launch for Uber flying cabs


Publicada Em 15/12 - 15h26

SAO PAULO (Reuters) - A network of electric aircraft Uber Technologies Inc is developing with Embraer SA is likely to launch commercially in 2024, the Brazilian planemaker’s chief executive said on Friday, adding a year to the latest forecast from the ride-hailing company. 

Embraer Chief Executive Paulo Cesar de Souza told journalists the business model and financial commitments of the partnership have not been defined. Uber Chief Product Officer Jeff Holden said last month that a paid, intra-city flying taxi service could start in 2023.

Souza said the companies would soon determine specifications of the proposed vertical take-off and landing (VTOL) aircraft.

Engineers are projecting one-tonne vehicles transporting a pilot and four passengers at an altitude of 800 to 1,000 meters (2,600-3,300 feet), Souza said. The aircraft will be powered by batteries that can charge in as little as five minutes between flights, he added.

The project has provided an outlet for engineering resources at Embraer, whose newest planes — a military cargo jet and a new generation of passenger jets — are well into their flight testing campaigns.

Some 65 international delegations have shown interest in the KC-390 military transport aircraft that will enter the Brazilian Air Force next year, Souza said.

The transition to a new commercial jet line-up is pressuring operations, but Souza said Embraer would meet the bottom end of its 2017 profit margin and aircraft delivery targets.

 

PORTAL DEFESANET


Assinatura do Contrato de Licenciamento do Radar M60, produto de defesa com tecnologia nacional


Publicada Em 15/12 - 10h30

No dia 13 de dezembro, no Quartel-General do Exército, foi realizada a assinatura do contrato de licenciamento e certificação do Radar SABER M60, entre o Exército Brasileiro e a EMBRAER Defesa. A certificação é o resultado de uma parceria entre as instituições no desenvolvimento de tecnologia nacional de defesa para a criação de um equipamento destinado a integrar um sistema antiaéreo visando a proteção de pontos e áreas sensíveis.

Na presença do Comandante do Exército, General de Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas; do presidente da EMBRAER Defesa e Segurança, Jackson Schneider; e de oficiais-generais da Instituição; o Chefe do Departamento de Ciência e Tecnologia do Exército (DCT), General de Exército Juarez Aparecido de Paula Cunha, assinou o contrato de licenciamento do Radar SABER M60 com o presidente da Savis Bradar (empresa controlada pela EMBRAER), Nilson Santin.

“O Radar SABER M60 é, realmente, um caso de sucesso!”, afirmou o chefe do DCT, General Juarez. Já o presidente da EMBRAER Defesa e Segurança ressaltou o orgulho da parceria com o Exército e explicou que, a partir desse licenciamento, o radar será comercializado para outros países e a tecnologia gerada poderá ser aproveitada em prol do Brasil. “Hoje é um momento importante para a EMBRAER, para o Exército e para o País”, completou.

RADAR SABER M60

O SABER M60 é utilizado pelas tropas brasileiras desde 2012, e foi empregado inclusive nas operações em prol dos grandes eventos sediados pelo Brasil nos últimos anos. Ele permite rastrear alvos em um raio de 60 quilômetros, transmitindo informações em tempo real para um Centro de Operações de Artilharia Antiaérea (COAA).

O equipamento também está integrado ao Sisdabra (Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro) da Força Aérea Brasileira. O radar foi desenvolvido pela BRADAR, empresa controlada pela EMBRAER Defesa e Segurança, em parceria com o Centro Tecnológico do Exército.

Leve, o M60 pode ser facilmente transportado para qualquer local do território nacional ou empregado em missões de paz no exterior. Sua instalação para entrar em operação pode ser feita em menos de 15 minutos e por apenas três pessoas. Outro ponto importante é que o radar pode ser integrado a sistemas de armas baseados em mísseis ou canhões antiaéreos.

O Radar SABER M60 possui baixo peso e elevada mobilidade, é acondicionado em caixas de transporte, podendo ser transportado por viaturas, aviões de pequeno porte, helicópteros, trens e embarcações, pode ser instalado no alto de edificações, e suporta a operação em todas as condições climáticas do território brasileiro. Estas características o tornaram indicado para emprego em operações de defesa externa, bem como em Operações de Garantia da Lei da Ordem e em Operações de Manutenção de Paz.

 

OUTRAS MÍDIAS


OLHAR DIRETO (MT)


Equipe do Seripa investiga causas da queda de avião que matou família de Mato Grosso

Wesley Santiago

Publicada em 15/12 - 17h55

Uma equipe do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa VI), ligado ao Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), esteve no local da queda do avião que matou uma família de Mato Grosso, próximo a cidade de Juruena, no último dia 09 de dezembro. A intenção é tentar descobrir o que teria motivado a tragédia.

Segundo a assessoria de imprensa da Força Aérea Brasileira (FAB), os trabalhos que competiam ao órgão terminaram com a entrega dos corpos para as autoridades responsáveis e aos familiares, na última quinta-feira (14). A última atualização é a de que o Seripa VI, que atende a região, foi até o local para fazer o que chamam de ação inicial, com a intenção de verificar as causas do acidente.

O velório de Leandro Ferreira Pascoal, Franciele da Costa Resseto Pascoal e do filho deles, de apenas um ano e sete meses, foi marcado por muita comoção de familiares e amigos, na manhã desta sexta-feira (15), em Juara (700 quilômetros).

Os corpos foram resgatados na quinta-feira e encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML) de Juara. Os três morreram em um desastre aéreo no ultimo sábado (9) e os destroços do avião foram encontrados na terça-feira (12), durante o fim da tarde, por equipes da Força Aérea Brasileira (FAB).

De acordo com a assessoria da Força Aérea, o resgate dos corpos iniciou-se na quarta-feira por volta das 12h45. Uma das dificuldades apontadas no resgate das vítimas seriam as condições meteorológicas, as características da mata extremamente impediam que os paraquedistas chegassem até o local exato.

Segundo o sargento Nildener Valmiraldo Santos, que encontrou a aeronave acidentada, a dificuldade de busca na região amazônica são as matas fechadas, o aru (nuvens baixas que sobem pela manhã devido a umidade da floresta), a grande altura das árvores e as elevações do solo, dando poucas referências para observação. A situação da meteorologia não ajudou nos primeiros dias.

"Nós, observadores, ficamos atentos a qualquer coisa diferente que ocorre no terreno, e de imediato comandamos a curva na aeronave para verificar o possível objeto de busca. A emoção e vontade de encontrar é nítida nos olhares de toda tripulação dia após dia de busca. Quando comandado a curva, até os observadores que estão no descanso voltam-se para as janelas, tentando ajudar de alguma forma", explica o militar.

Entenda o caso

De acordo com a família, Leandro era um piloto experiente e saiu com sua esposa e filho de Colniza para Juara no ultimo sábado, 9, onde encontraria os outros parentes. No entanto, eles não chegaram e após uma hora de atraso os familiares procuraram as autoridades denunciando a preocupação com o desaparecimento.

 

PCI CONCURSOS (SP)


Aeronáutica divulga Estágio de Adaptação à Graduação de Sargento para 2019

As provas serão aplicadas em diferentes Estados e a previsão é que todo o processo de seleção dure aproximadamente um ano.

André Fortunato

Publicada em 15/12 - 14h25

Foi divulgado pelo Comando da Aeronáutica recentemente o edital de abertura do Exame de Admissão ao Estágio de Adaptação à Graduação de Sargento do ano de 2019 (EA EAGS). A organização desta seleção será responsabilidade da Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR) de Guaratinguetá, no Estado de São Paulo.

Poderão inscrever-se candidatos de ambos os sexos, com nível Médio concluído e Curso Técnico de nível Médio. Também é necessário não ter menos de 17 anos e nem 25 anos completos até 31 de dezembro de 2019.

As inscrições serão recebidas no período de 8 de janeiro a 6 de fevereiro de 2018, por meio do preenchimento do formulário de solicitação, o qual será disponibilizado no endereço eletrônico ingresso.eear.aer.mil.br. Para ter as mesmas homologadas é necessário efetuar o pagamento de taxa no valor de R$ 60,00.

Existem ao todo 183 vagas, as quais estão distribuídas entre as especialidades de Eletrônica (30); Administração (40); Enfermagem (45); Eletricidade (14); Informática (20); Laboratório (5); Obras (8); Pavimentação (8); Radiologia (5) e Topografia (8).

Os alunos admitidos farão jus à remuneração fixada em lei; além dos benefícios de alimentação; alojamento; fardamento; assistência médico-hospitalar e dentária.

A classificação dos candidatos acontecerá, primeiramente, por meio de provas escritas, as quais deverão ser aplicadas no dia 22 de abril de 2018 nos municípios de Belém - PA; Recife - PE; Fortaleza - CE; Natal - RN; Rio de Janeiro - RJ; Belo Horizonte - MG; São Paulo - SP; São José dos Campos - SP; Campo Grande - MS; Canoas - RS; Santa Maria - RS; Curitiba - PR; Brasília - DF; Manaus - AM; Porto Velho - RO e Boa Vista - RR.

Em seguida acontecerá a convocação para a concentração intermediária, a qual será composta pelas etapas de exame de aptidão psicológica; teste de avaliação de condicionamento físico; prova prática da especialidade e validação documental. A previsão é que todo o período de classificação dure aproximadamente um ano.

A validade desta seleção de oito dias contados a partir da Concentração Final, e para mais informações basta consultar o edital disponível em nosso site.

 

NOVO NOTÍCIAS (RN)


Câmara concede título de cidadão natalense ao comandante do Esquadrão Gavião da FAB

Publicado em 15/12

O comandante do Esquadrão Gavião, 1º do 11º Grupo de Aviação, tenente-coronel aviador Alexandre de Carvalho Ribeiro, foi agraciado com o título de cidadão natalense, a maior honraria concedida pela Câmara Municipal de Natal, nesta quinta-feira (14). O título foi entregue em cerimônia realizada no auditório do comando do esquadrão, na Base Aérea de Natal, com a presença de membros da corporação e de autoridades militares e civis.

Natural do Rio de Janeiro, o militar de 44 anos ingressou na Força Aérea Brasileira (FAB) em 1994 e, há dois anos, coordena a unidade aérea responsável pela formação dos novos pilotos de helicópteros, também conhecidos como aeronaves de asas rotativas. Além de pilotos, o Esquadrão Gavião forma mecânicos de helicópteros e atua em missões de busca e salvamento (SAR). Criado em 1967, o Centro de Instrução e Emprego de Helicópteros (CIEH), teve início na cidade do Guarujá/SP. Em 2006, o "Gavião" foi transferido para a Base Aérea de Natal, onde permanece atuando até hoje. No momento, conta com um efetivo de 121 militares, contando com os estagiários.

Reconhecido pelas ética a valores militares, o militar que já pertenceu à esquadrilha de fumaça, ressaltou a importância do título concedido pelo legislativo municipal. "É uma honra e um orgulho muito grande pertencer à sociedade que tanto acolheu a mim e à minha família de forma harmônica, mostrando uma união incomparável e um bem-estar. Então, hoje, eu fico muito feliz de ser escolhido natalense. É uma alegria muito grande", externou o novo cidadão natalense. Ele destacou, também, que leva saudades, amigos e, principalmente, vontade de voltar a Natal, porque, em janeiro de 2018, ele irá trabalhar no gabinete do comandante da Aeronáutica.

Franklin Capistrano, vereador decano da Câmara e propositor do título, destacou que o tenente-coronel Alexandre prestou importantes e renomados serviços à comunidade de Natal. Ele falou ainda sobre a importância da FAB para a capital potiguar. "A Aeronáutica surgiu com a cidade do Natal. Na época em que a Base Aérea de Parnamirim foi construída pelos americanos, na época da segunda-guerra, aqui era Natal. A Base teve grande influência nos costumes, hábitos e cultura dos natalenses. Esta cidade sempre reconheceu e homenageou as instituições que aqui estão, como também, aqueles que vieram para cá e deixaram um trabalho realizado", pontuou.

Para o brigadeiro do ar Luiz Guilherme Silveira de Medeiros, que assumiu no dia 12 de dezembro deste ano o comando da Ala 10, a honraria concedida ao homenageado foi merecida. "O tenente-coronel Alexandre é uma pessoa extremamente competente, bastante dinâmica e que teve uma integração muito grande com a sociedade local, não só no ciclo de Natal e Parnamirim, mas em todo o Rio Grande do Norte. E tamanha é a sua capacidade que está sendo indicado para servir junto ao gabinete do Comandante da Aeronáutica. Ele é uma pessoa agradável, de bom caráter e que com certeza, vai levar isso pelo resto da vida no coração", comentou.

O brigadeiro falou, ainda, sobre o reconhecimento da população pela FAB. "Nos locais que a gente passa, as homenagens mostram não só a integração com a sociedade civil, afinal nós também somos cidadão, às vezes do país inteiro, já que estamos em todas as regiões. Esse tipo de representação é muito importante para nós da Força Aérea".

 

SÓ NOTÍCIAS (MT)


Equipe da Aeronáutica chega em Sinop na 2ª e deve liberar funcionamento de equipamentos do aeroporto 

Publicada em 15/12 - 15h21

Uma equipe do Grupo Especial de Inspeção em Voo (GEIV) da Força Aérea Brasileira chegará na próxima segunda-feira para iniciar as analises dos Indicadores de Percurso de Aproximação de Precisão (PAPIs), Rotas de Navegação Área (Rnav) e liberação definitiva da Estação Prestadora de Serviço de Telecomunicações e de Tráfego Aéreo (EPTA), no aeroporto municipal presidente João Batista Figueiredo.

De acordo com um dos representantes da União das Entidades de Sinop (Unesin), a aeronave do Geiv fará um sobrevoo de aproximação para concluir os trabalhos de homologação dos equipamentos. Após isso, a Estação Prestadora de Serviço de Telecomunicações e de Tráfego Aéreo poderá auxiliará no controle do tráfego aéreo, serviço de informações de voos e demais atividades.

A prefeitura e Unesin (União das Entidades de Sinop) estão trabalhando, desde o início do ano, com apoio de uma empresa de consultoria para atender as exigências da Aeronáutica e reforçar a segurança e estrutura no aeroporto. Além dos equipamentos, a unidade também recebe melhorias na cerca operacional (ao redor da pista) de 5,2 mil metros, com investimentos de R$ 163 mil do governo estadual em materiais. É previsto aumento da pista de 1.600 para 2.300 para receber aeronaves maiores.

 

CANAL TECH (SP)


MCTIC apresenta programa Internet para Todos em Bauru, no interior de SP

Publicada em 15/12 - 15h27

Por meio de GIlberto Kassab, o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) apresentará no sábado (16) o programa Internet para Todos na cidade paulista de Bauru. Seu objetivo é levar a conectividade para 40 mil regiões de todo o Brasil que ainda não têm acesso à internet.

O programa, que é uma iniciativa de inclusão social, tem início previsto para começar já em janeiro de 2018, e a conexão oferecida a essas localidades será feita usando o Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), que está em órbita terrestre desde maio de 2017.

Tudo isso está sendo feito em parceria com o programa Governo Eletrônico - Serviço de Atendimento ao CIdadão (Gesac), outra iniciativa do MCTIC que justamente oferece internet banda larga via terrestre e satelital a telecentros, escolas, hospitais, postos de saúde, aldeias indígenas, postos de fronteira e quilombos. Seu foco se dá em regiões remotas e onde há vulnerabilidade social.

O satélite SGDC é o primeiro geoestacionário brasileiro de uso civil e militar. O projeto recebeu investimentos de R$ 2,7 bilhões do Governo Federal, e espera-se que permaneça operacional por 18 anos.