NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


TV GLOBO - JORNAL NACIONAL


Jornal Nacional - Levantamento da PF mostra caminho dos traficantes de armas

Fronteira com Argentina e Paraguai é a principal via de entrada de armas no ilegais no Brasil. Quase todas armas entram no Brasil por via terrestre.

Publicado Em 10/01 - 22h18

A fronteira com Argentina e Paraguai é a principal rota de entrada de armas ilegais que chegam ao Brasil. Um levantamento da polícia federal mostra o caminho dos traficantes que trazem esse armamento.

No Complexo da Maré, no Rio, traficantes se exibem em alta velocidade. Com armas pesadas na mão, fazem vídeos de um passeio intimidador.

A Polícia Federal diz que não só o tráfico de drogas está fortemente armado. Pistolas e fuzis vêm de outros países para abastecer também grupos criminosos envolvidos em roubos de carga, banco e carros fortes.

Um estudo da PF concluiu que a maior parte das armas apreendidas no Brasil vem do Paraguai e dos Estados Unidos como mostrou o jornal “O Estado de S.Paulo”.

O Jornal Nacional teve acesso à integra desse diagnóstico.

Quase todas armas entram no Brasil por via terrestre. O caminho é a tríplice fronteira: cidades do Brasil, do Paraguai e da Argentina. Mas também existem rotas do Brasil com o Uruguai, com a Bolívia, Colômbia e Suriname.

Pequenos aviões saem da Bolívia ou do Paraguai com armas para o interior de São Paulo e Minas Gerais. Por terra, o trajeto é Paraguai-Paraná ou Mato Grosso do Sul. E a partir daí as armas são distribuídas para o Rio de Janeiro e São Paulo.

Quase dez mil armas foram rastreadas em 2016 e 2017. E a PF fez nove mil pedidos de rastreamento de armas a outros países nos últimos três anos.

A PF descobriu que os bandidos estão se valendo de uma nova modalidade: a chamada remessa expressa. As armas são compradas desmontadas nos Estados Unidos e chegam no Brasil em peças avulsas, em pequenas encomendas, para despistar as autoridades.

Mas é difícil saber exatamente quantas armas são apreendidas no país, o banco de dados específico, o Sinarm, não está atualizado.

O diretor de Combate ao Crime Organizado da PF, Eugênio Ricas, diz que num país continental como o Brasil, com 15 mil quilômetros de áreas de fronteiras, a fiscalização presencial é difícil.

“É uma dimensão continental. Então, a forma mais eficaz que a Polícia Federal tem para fiscalizar, para mapear o tráfico de armas, o tráfico de drogas, é justamente fazendo essas operações, fazendo rastreamento das armas a partir do momento que a arma é fabricada até o momento em que a arma é apreendida em algum ponto aqui do Brasil”, disse.

Isabel Figueiredo, ex-diretora da Secretária Nacional de Segurança Pública, diz que é preciso ir além: investir em bancos de dados e em inteligência policial para frear o tráfico, motivo de queixas constantes dos governos estaduais, que lidam diretamente com o problema da criminalidade.

“Há hoje no país uma certa deficiência na inteligência sobre armas. Acho que a inteligência e a melhoria dos sistemas de informação são fundamentais, uma ação mais coordenada entre a Polícia Federal e a polícia dos estados. Hoje, arma não é um assunto de grande preocupação na maioria das polícias dos estados, precisa passar a ser, as polícias como um todo, as polícias investigativas, têm que entender que inteligência em armas de fogo é algo fundamental para a gente conseguir controlar a criminalidade violenta no país”, disse.

 

SBT


PF descarta hipótese de sabotagem em acidente aéreo que matou Teori

Um relatório sobre a investigação foi apresentado nesta quarta-feira para a presidente do STF, Cármen Lúcia

Publicado Em 10/01

Falha humana. Essa é a principal linha de investigação do acidente que matou o ministro Teori Zavascki e outras quatro pessoas, há quase um ano. A Polícia Federal trabalha nas últimas perícias do caso. Até o momento, não há indícios de sabotagem.

Matéria completa: https://youtu.be/IkxbRpKbDfk

 

JORNAL VALOR ECONÔMICO


PF diz à Cármen Lúcia que concluirá em 8 meses inquéritos no STF


Luísa Martins Publicado Em 10/01 - 13h10

O diretor-geral da Polícia Federal (PF), Fernando Segovia, informou nesta quarta-feira à presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, que pretende concluir neste ano todos os processos relacionados à Operação Lava-Jato que tramitam na Corte. "Nos comprometemos a concluir a maioria deles em até oito meses", disse Segovia a jornalistas após a reunião.

Ele informou à ministra, ainda, que a PF "praticamente dobrou" o número de delegados, investigadores e peritos, justamente para dar celeridade aos processos que correm junto ao Supremo. "Eram nove delegados e agora temos 17. Também ampliamos o número de peritos, já que vários inquéritos aguardam laudos periciais. Esperamos que, no menor prazo possível, essas investigações sejam concluídas", afirmou.

Segundo a PF, mais de 200 inquéritos estão pendentes de conclusão hoje no STF, metade deles relacionados à Lava-Jato. Um deles atinge o presidente Michel Temer (MDB), suspeito de beneficiar a empresa Rodrimar na edição do chamado Decreto dos Portos. "Esse inquérito está em andamento. A PF enviou as perguntas e agora aguarda as respostas para que seja tomado um novo prazo na investigação", afirmou. O relator desse inquérito no Supremo é o ministro Luís Roberto Barroso.

Questionado se a PF teme que uma aceleração nas investigações possa influenciar diretamente nas eleições de 2018, Segovia negou. "A investigação é o nosso atributo maior. Temos que fazer a investigação e entregar à sociedade e ao poder Judiciário todos os fatos relacionados. Trabalhamos para o povo brasileiro e para a Justiça, e queremos a conclusão para o bem ou para o mal", disse.

Morte de Teori

Outro assunto tratado entre Cármen e Segovia foi a investigação sobre o acidente que matou o ministro do STF Teori Zavascki, em 19 de janeiro do ano passado. Um ano após a queda do avião em Paraty, no Rio de Janeiro, o delegado Rubens Maleiner fez um breve relato das apurações à presidente da Corte. "Fizemos diversos exames periciais e atos investigatórios diversos. Os elementos que atingimos até agora conduzem a um desfecho não intencional", disse o delegado, salientando que as apurações ainda não foram concluídas.

"Ainda dependemos de algumas perícias para fechar uma posição. Existe um conjunto de fatores que podem ter levado àquele trágico desfecho e que dizem respeito a condições meteorológicas, trajetórias e alturas desempenhadas pelo piloto e regras de tráfego aéreo", afirmou Maleiner. Ao ser questionado se a hipótese mais provável, portanto, é falha humana, o delegado disse que "esta é a linha principal", mas que as investigações ainda precisam avançar.

 

JORNAL ZERO HORA


Chuva fecha aeroporto Salgado Filho por uma hora, e raio fere funcionário

No período, pousos e decolagens não foram realizados no complexo

Publicado Em 10/01 - 17h23

As operações no Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, ficaram suspensas na tarde desta quarta-feira (10) por cerca de uma hora. Conforme a assessoria da Fraport, que administra o complexo desde o início do ano, pousos e decolagens não foram realizados no período em razão do grande volume de chuva que atingiu a Capital — nove voos atrasaram. No momento, o aeroporto está operando normalmente, segundo a empresa.

O funcionário de uma terceirizada, a Dnata, ficou ferido devido à queda de um raio que atingiu uma aeronave que estava na pista do aeroporto, perto do trabalhador. Ele foi levado para atendimento médico em um hospital e passa bem, conforme a Fraport.

A companhia alemã assumiu o controle do Salgado Filho no último dia 2. Vencedora de leilão realizado pelo governo federal em 2017, a empresa arrematou o Salgado Filho por R$ 382 milhões. O contrato de concessão tem validade de 25 anos, e há possibilidade de prorrogação por mais cinco.

 

PORTAL G-1


Polícia Federal não encontra ‘ato intencional’ na morte do ministro Teori Zavascki, diz delegado

Ministro estava em aeronave de pequeno porte que caiu no litoral fluminense em janeiro de 2017. Investigações sobre o acidente ainda não terminaram.

Por Renan Ramalho, G1, Brasília Publicado Em 10/01 - 13h12

O delegado Rubens Maleiner disse nesta quarta-feira (10) que, até o momento, a Polícia Federal não encontrou qualquer elemento a indicar “ato intencional” na queda do avião, em janeiro do ano passado, que matou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki.

Em entrevista à imprensa, o delegado ressalvou que as investigações sobre o episódio ainda não terminaram, mas que até agora, a hipótese de falha humana é a “linha principal” das apurações.

“A possibilidade de um ato intencional contra aquele voo foi bastante explorada em diversos exames periciais e atos investigatórios diversos e nenhum elemento nesse sentido foi encontrado, pelo contrário. Os elementos que atingimos até agora todos conduzem a um desfecho não intencional e trágico naquele voo”, afirmou.

A declaração foi feita após uma reunião de Maleiner com a presidente do STF, Cármen Lúcia, que pediu a investigação da PF após a morte de Zavascki. O ministro estava entre os passageiros de uma aeronave de pequeno porte que caiu no litoral fluminense na tarde do dia 19 de janeiro de 2017.

Teori era relator dos processos da Lava Jato no STF. Com a morte dele, os processos ficaram sob os cuidados do ministro Edson Fachin, definido como novo relator por sorteio eletrônico.

Além da Polícia Federal, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), ligado à Força Aérea Brasileira (FAB), também apura as causas do acidente. Segundo Maleiner, o objetivo da Aeronáutica tem caráter preventivo, enquanto que a PF busca eventuais condutas de pessoas responsáveis.

Para o delegado, ainda faltam perícias para uma “posição mais efetiva” sobre as causas do acidente. “É um conjunto de fatores que podem ter levado aquele desfecho e repito, que dizem respeito somente às condições meteorológicas, as trajetórias e alturas desempenhadas pelo piloto naquela tentativa de aproximação de Paraty e o cotejo disso com regras do tráfego aéreo com relação à condição de voo, visual e por instrumentos, essas são as linhas principais”, afirmou.

O delegado não quis fixar um prazo para o fim das investigações: “Estamos próximos de terminar”, disse.

 

Florianópolis entra em estado de atenção por causa da previsão de mais chuvas

Com alagamentos na SC-405, no Sul da Ilha, tráfego dentro da Base Aérea do município foi liberado de forma temporária.

Publicado Em 10/01 - 15h29

A prefeitura de Florianópolis entrou em estado de alerta por causa do volume de chuvas previsto pelo Epagri/Ciram para as próximas horas, entre 80 mm e 120 mm. Desde segunda-feira (8) já choveu 100 mm na cidade.

Uma das medidas tomadas para tentar minimizar os transtornos foi a liberação temporária do tráfego de veículos por dentro da Base Aérea da capital, após acordo entre os militares e a prefeitura.

Isso porque uma lâmina de água de até 20 centímetros dificultava o trânsito de veículos no km 2,6 da SC-405 no bairro Rio Tavares, conforme informações da Polícia Militar Rodoviária (PMRv).
Em 2 dias, Florianópolis registra volume de chuva próximo do esperado para o mês inteiro

Em 2 dias, Florianópolis registra volume de chuva próximo do esperado para o mês inteiro

Nesta quarta, por causa da previsão de mais chuvas, foi convocada uma reunião de emergência pela prefeitura a fim de definir estratégias de emergência. Caminhões e veículos de todas as secretarias foram colocados em regime de alerta para facilitar deslocamentos emergenciais.

A maior preocupação, segundo a administração municipal, é com alagamentos e deslizamentos, sobretudo nas rodovias estaduais da capital bem como bueiros entupidos, buracos que se abrem nas ruas e os engarrafamentos no trânsito.

A previsão é que a intensidade da chuva diminua a partir de sábado (13).

Conforme a PMRv, embora não haja interdição na SC-405, no Rio Tavares, os cuidados ao trafegar pela rodovia são indispensáveis, como a redução de velocidade, sob risco de inundação do veículo e do motor. Com isso, foram formadas longas filas de veículos na região durante a tarde.

Ainda no Rio Tavares, na SC-405, no km 1.200 também há uma lâmina de água sobre a rodovia. No bairro Armação, na SC-406, no km 45.500, houve queda de pedras no acostamento no sentido Centro, mas o material foi removido antes das 17h.

De acordo com a PMRv, no Sul da Ilha, também havia pontos com acúmulo de água no bairro Costeira do Pirajubaé, na SC-401, no km 30.500 e no km 32.300, no sentido Centro.

No Norte da Ilha, no bairro Saco Grande, próximo ao Centro Administrativo, na SC- 401, havia fila do km 2.000 ao km 15.000, devido à água na rodovia.

A passagem pela Base Aérea foi permitida na tarde desta quarta, no sentido Sul da Ilha. A liberação também vale para esta quinta-feira (11), das 7h às 10h, no sentido Centro, e das 15h às 18h, no sentido Sul da Ilha. Nesse período, equipes da Polícia Rodoviária Estadual (PMRv) e de militares da Base Aérea darão suporte ao trânsito.

A Defesa Civil do estado emitiu um alerta nesta quarta para a possibilidade de alagamentos, inundações e deslizamentos. O risco maior é nas cidades litorâneas e próximas ao litoral. A previsão do tempo aponta para chuva persistente até sexta-feira (12), especialmente entre Florianópolis e Laguna.

Na capital, na manhã desta quarta, havia pontos de alagamentos em vias públicas no Campeche, Ingleses e Rio Vermelho, segundo a Defesa Civil municipal.

Equipes da prefeitura foram deslocadas para a retirada de galhos em uma avenida no Centro, limpeza no Pântano do Sul e de vias entupidas na Joaquina, e drenagem na Cachoeira do Bom Jesus.

A prefeitura também precisou limpar a marginal da SC-403, no Norte da Ilha, para diminuir o acúmulo de água na pista.

Na terça, a SC-405, no Sul da Ilha, ficou alagada e o trânsito muito complicado na rodovia.

 

PORTAL R7


Falha humana é a principal linha de investigação para a morte de Teori


Publicado Em 10/01 - 14h20

O diretor-geral da Polícia Federal (PF), Fernando Segovia e o delegado da PF Rubens Maleiner se encontraram com a ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal, na manhã desta quarta-feira, 10, por cerca de uma hora e meia para apresentar o andamento da investigação sobre o acidente aéreo que matou o ministro Teori Zavascki e outras quatro pessoas, em janeiro de 2017.

Após a reunião, Maleiner, que preside o inquérito sobre o acidente, afirmou que, embora a investigação ainda não esteja concluída, já se pode afirmar que não houve qualquer ato intencional que tenha provocado a queda da aeronave, descartando as hipóteses de sabotagem no avião que levava o então ministro relator da Lava Jato. O delegado acrescentou que a apuração está em estágio bastante avançado.

— A possibilidade de um ato intencional contra aquele voo foi bastante explorada, em diversos exames periciais, e nenhum elemento nesse sentido foi encontrado, disse o delegado. Para fechar a conclusão da causa do acidente, Maleiner afirmou que são necessárias mais algumas perícias.

— Existe um conjunto de fatores que podem ter levado àquele desfecho, que dizem respeito a condições meteorológicas, trajetórias e alturas desempenhadas pelo piloto naquela tentativa de aproximação para Paraty, e a condição de voo pelo visual e pela questão instrumental, completou. Quando perguntado se a hipótese mais provável para a queda seria a de falha humana, o delegado apenas afirmou "estamos avançando".

De acordo com as investigações, não foram encontrados vestígios de qualquer falha que pudesse ter sido evitada antes da decolagem da aeronave. Também não foi possível encontrar nenhum vestígio de explosivos ou produtos químicos que pudessem causar incêndio dentro do avião.

Desde o dia da queda, os motivos do acidente são investigados pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes da Aeronáutica (Cenipa) e pela PF de Angra dos Reis. Além de periciar destroços da aeronave e gravações das conversas entre piloto e torre de controle, o inquérito realizou exames nos corpos do piloto, do ministro e das outras vítimas para descartar qualquer tipo de anormalidade que possa ter causado o acidente.

Maleiner explicou nesta quarta-feira que as duas linhas de investigações tendem a ser independentes "ao máximo". "A Cenipa tem fins exclusivamente preventivos, já a da PF tem um fim de elucidação do fato para investigar eventuais condutas de pessoas que possam ser apontadas como responsáveis por aquele resultado", disse.

A aeronave prefixo PR-SOM, modelo Hawker Beechcraft King Air C90, decolou às 13h01 do Campo de Marte, em São Paulo, e a Marinha foi informada da queda às 13h45. O avião caiu perto da Ilha Rasa, em Paraty (RJ), a 2 km da cabeceira da pista do aeroporto onde pousaria.

Além do ministro Teori, morreram no acidente o empresário Carlos Alberto Filgueiras, dono da avião, o piloto Osmar Rodrigues, a massoterapeuta Maíra Panas e sua mãe, Maria Hilda Panas Helatczuk.

 

AGÊNCIA REUTERS


PF pede cooperação até da ONU para combater tráfico de armas


Ricardo Brito E Lisandra Paraguassu Publicado Em 10/01 - 17h56

Um relatório da Polícia Federal que traça um diagnóstico sobre o tráfico de armas no país recomenda que o combate à prática precisa contar com o apoio de organismos nacionais e internacionais, citando nominalmente a Organização das Nações Unidas (ONU), a Organizações dos Estados Americanos (OEA) e o Mercosul.

A polícia defende que os Estados Unidos -origem da grande maioria de armas longas ilegais apreendidas no Brasil- acompanhem movimentos atípicos de compra de armas em excesso por uma pessoa e grupo de pessoas, segundo uma fonte da corporação com conhecimento do assunto.

Esse rastreamento é importante porque investigações identificaram três principais formas de entrada desses equipamentos no país. O primeiro deles é o contrabando de arma completa diretamente dos EUA para o Brasil. A segunda via é o contrabando de componentes de armas entre os dois países. Por último, o contrabando dos EUA ao Brasil por meio de outros países, como a Bolívia e o Paraguai.

O relatório, concluído no final de 2017 e ao qual a Reuters teve acesso, destaca que recentemente foi firmado um memorando de entendimentos entre a PF e o Escritório de Álcool, Tabaco, Armas de Fogo e Explosivos dos EUA (ATF, na sigla em inglês) para criar um sistema de pedidos e respostas de rastreamento de armas pela internet.

Entretanto, o texto, elaborado pela Divisão de Repressão a Crimes contra o Patrimônio e ao Tráfico de Armas da PF, ressaltou que é necessário realizar um treinamento de policiais federais que já foram cadastrados pelo ATF para que o sistema tenha eficácia.

MERCOSUL

O relatório compreende o período em que a PF iniciou o rastreamento das armas, de 2014 a 2017, e menciona uma série de providências a serem adotadas por países do Mercosul, região em que se concentra a “maior parte das questões e gargalos relacionados ao tráfico de armas”.

“Nesse sentido, além de apoiar a implementação de normas previstas em tratados e convenções internacionais que o Brasil é parte, e que auxilia a Polícia Federal a obter cooperação internacional, compete à divisão buscar o estabelecimento de acordos bilaterais para facilitar sua atuação, como, por exemplo, os memorandos de entendimento para o intercâmbio de informações e combate ao tráfico de armas”, destacou.

O texto defende que poderia ser replicado junto a outros países o modelo do memorando de entendimento firmado entre o Brasil e o Paraguai para a Cooperação em Matéria de Combate à Fabricação e ao Tráfico Ilícitos de Armas de Fogo, Munições, Acessórios, Explosivos e outros Materiais Correlatos, que foi celebrado em novembro de 2006.

Esse memorando prevê uma série de ações bilaterais para ampliar a cooperação e coordenação entre os países a fim de prevenir e combater o tráfico ilícito de armas de fogo, munições, acessórios, explosivos, entre outros equipamentos correlatos.

O texto sugere oito iniciativas para incrementar o combate ao tráfico de armas no Mercosul. Entre as sugestões, destacam-se a defesa de uma estruturação de um setor responsável e que adote um sistema informatizado de controle de armas a fim de responder eventuais pedidos de rastreamento dos equipamentos e peças que chegam ao país.

Há ainda a sugestão para se aumentar os controles sobre armas importadas e revendidas ao comércio, que estão sendo vendidas a “laranjas” (cidadãos que emprestam seus nomes para figurar como compradores e proprietários –as armas estão sendo desviadas e apreendidas no Brasil), a cassação de autorizações ou a adoção de controles mais rígidos para a instalação de estabelecimentos comerciais de armas de fogo na região de fronteira.

Consta ainda no relatório a sugestão de aumento dos controles, com a realização de inventário periódico de armas dos arsenais públicos das Polícias e Forças Armadas.

 

AGÊNCIA BRASIL


Ministério da Defesa espera 1,8 milhão de inscrições para o Serviço Militar


Maiana Diniz Publicado Em 10/01 - 20h10

Jovens brasileiros do sexo masculino que nasceram no ano 2000 têm até 30 de junho de 2018 para fazer o Alistamento Militar Obrigatório. O Ministério da Defesa espera que 1,8 milhão de cidadãos façam o alistamento este ano e que cerca de 100 mil sejam incorporados a organizações militares da Marinha, do Exército ou da Aeronáutica para o serviço militar.

A partir deste ano, quem tiver inscrição no Cadastro de Pessoa Física (CPF) poderá fazer o alistamento para o Serviço Militar Obrigatório pela internet, por meio da página www.alistamento.eb.mil.br. Após cumprir essa etapa, os inscritos poderão acompanhar o processo seletivo por meio do site, podendo ser encaminhados à seleção geral ou serem dispensados.

Os rapazes que completam 18 anos em 2018 e que ainda não têm CPF, ou que têm dificuldade de acesso à internet, devem procurar a Junta de Serviço Militar (JSM) mais próxima de sua residência. É preciso apresentar os originais de um documento de identificação (certidão de nascimento ou carteira de identidade ou de motorista ou de trabalho), duas fotos 3x4 recentes e comprovante de residência. Os que moram no exterior devem procurar consulados ou embaixadas do Brasil para fazer a inscrição.

O Alistamento Militar é obrigatório. Quem não fizer terá que pagar multa, além de ficar impedido de tirar passaporte, ingressar no serviço público, obter carteira profissional, ser matriculado em qualquer estabelecimento de ensino ou receber qualquer prêmio.

 

REVISTA EXAME


Os 10 aeroportos brasileiros entre os mais pontuais do mundo

Aeroporto de Guarulhos ficou em 11º no ranking de aeroportos muito grandes e pontuais

Valéria Bretas Publicado Em 10/01 - 10h09

Dez aeroportos do Brasil estão entre os mais pontuais do mundo, segundo relatório anual da consultoria OAG, que avaliou mais de 57 milhões de viagens referentes a 2017.

O levantamento formou rankings com os 20 terminais mais pontuais do mundo em cinco categorias: pequenos, médios, grandes, muito grandes e megas.

Enquanto o barulho de milhões de turbinas de aeronaves decolando faz coro pelo mundo, alguns arquitetos visionários pensam em construir um sistema de aeroportos mais sustentáveis. A Copastur, especialista em viagens corporativas, aborda o tema!

Considerando a categoria “pequenos aeroportos”, por exemplo, que leva em consideração a oferta de 2,5 milhões a 5 milhões de assentos nos voos por ano, Curitiba (14º), Recife (17º) e Porto Alegre (20º) estão entre os mais pontuais. No ranking dos médios estão Belo Horizonte (4º), Rio de Janeiro – Santos Dumont (6º) e Viracopos (12º).

Já entre os aeroportos grandes mais pontuais estão os de Brasília (4º), Rio de Janeiro – Galeão (5º) e São Paulo – Congonhas (8º). O único aeroporto do Brasil que aparece na categoria “muito grandes” é o São Paulo – Guarulhos (11º).

Na última classificação, dos aeroportos mega, não há nenhum representante brasileiro.

A definição de pontualidade do estudo foi baseada em um voo que decola sem atrasos ou quando o atraso é inferior a 15 minutos do horário previsto.

 

OUTRAS MÍDIAS


AEROFLAP - Aeroporto de Brasília é eleito novamente o 4º mais pontual do mundo na categoria entre 10 e 20 milhões de passageiros


Publicado Em 10/01

O ano de 2017 foi um período com poucos registros de atrasos de voos no Aeroporto de Brasília. Segundo a OAG, consultoria especializada em aviação, 84,58% dos voos analisados pela entidade estão dentro da margem de pontualidade. Não é à toa que se pode afirmar que o terminal brasiliense segue precisamente o horário de Brasília.

Com esta análise o Aeroporto da capital federal aponta pelo segundo ano consecutivo como o 4º terminal aéreo mais pontual do mundo em 2017 dentre os que processam entre 10 e 20 milhões de passageiros por ano, conforme pesquisa da OAG.

O Aeroporto é o 1º brasileiro mais pontual da categoria. Para a consultoria, é considerado pontual o voo que chegue ao destino ou decole em tempo inferior a 15 minutos da programação.

Esta não é a primeira vez que o Aeroporto é bem classificado por sua pontualidade. O terminal foi considerado o mais pontual na categoria com fluxo superior a 100 mil voos em um ano em ranking também realizado pela OAG. Com mais de 125 mil voos operados entre outubro de 2016 e setembro de 2017, o Terminal brasiliense recebeu a qualificação cinco estrelas, pontuação máxima na avaliação.

O Aeroporto de Brasília também foi o único terminal aéreo brasileiro, na categoria grande porte, na lista de pontualidade dos aeroportos da América Latina em estudo realizado entre janeiro a julho de 2017 pela Flight Stats, empresa de monitoramento de voos comerciais.

No mesmo período de estudo, o Terminal brasiliense aparece como 7º da lista mundial junto com os aeroportos do Japão, Austrália e Turquia. Nesta pesquisa a média de pontualidade do Aeroporto ficou em 86,44%.

“Estas colocações são importantes para nós, pois somos um dos maiores centros de conexão do Brasil. Processar um grande número de aeronaves e passageiros no horário requer uma logística alinhada e esta é uma ação que realizamos conjuntamente com as companhias aéreas e o Controle de Tráfego Aéreo da Aeronáutica. Isso demostra que estamos trabalhando em sinergia e que o investimento que realizamos em infraestrutura, tecnologia e bons profissionais vem apresentando resultados positivos”, ressalta Juan Djedjeain, diretor de operações da Inframerica.

Ranking de 10 a 20 milhões de passageiros transportados:

1º Osaka – 88.45%
2º Salt Lake City – 86.01%
3º Sapporo – 84.73%
4º Brasília – 84.58%
5º Rio de Janeiro (GIG) – 84.25%
6º Brisbane – 83.71%
7º Athens – 82.87%
8º Istanbul Sabiha Gokcen – 82.32%
8º São Paulo/Congonhas – 82.32%
10º Copenhagen – 82.25%
11º Washington Dulles – 81.79%
11º Chennai – 81.79%
13º Portland – 81.62%
14º Helsinki – 80.97%
15º San Diego – 80.91%
16º Oslo – 80.66%
17º Hyderabad – 80.46%
18º Baltimore Washington – 80.35%
19º Auckland – 80.23%
20º Santiago – 79.95%

Ranking nacional:

1º – Confins (84,96%)
2º – Curitiba (84,65%)
3º – Brasília (84,58%)
4º – Santos Dumont/RJ (84,33%)
5º – Galeão/RJ (84,25%)
6º – Recife (83,61%)
7º – Porto Alegre (83,45%)
8º – Viracopos/SP (83,13%)
9º – Congonhas/SP (82,32%)
10º – Guarulhos/SP (79,70%)

 

BOA INFORMAÇÃO - Força Aérea Brasileira é setor da defesa nacional pioneira na inclusão de mulheres


Publicado Em 10/01 - 07:38

No ano passado o ingresso de mulheres na Força Aérea Brasileira completou 35 anos e o aumento constante da presença feminina nas cabines de aviões da defesa nacional prova que lugar de mulher é onde ela quiser.

Um dos maiores exemplos de empoderamento das mulheres na FAB é Carla Borges. Ela é capitã desde 2016, foi a primeira mulher a se tornar pilota de um caça e além disso foi pioneira em comandar o avião presidencial brasileiro.

A paixão da capitã Borges pela aviação vem da infância e assim que teve idade o suficiente, Carla entrou para a Força Aérea e foi quando seu primeiro destaque aconteceu. Ela foi integrante da primeira turma de mulheres do curso de formação de oficiais aviadores da Academia da Força Aérea além disso em 2003.

Depois disso, a capitã brilhou mais uma vez ao se aperfeiçoar em um curso de sete anos e ser, novamente, a primeira mulher a para realizar um voo solo no caça AMX.

Com mais de dez anos de carreira, a capitã Carla Borges é um grande exemplo para outras mulheres que almejam ingressar na Aeronáutica que já é a Força Armada Brasileira com a maior presença feminina.

A Força Aérea Brasileira conta com quase 10 mil mulheres em seu corpo em diversos setores como mecânicas, eletricistas e pilotas em todos os tipos de aeronaves.

 

SÓ NOTICIAS - Seripa aponta que excesso de peso contribuiu para queda de avião em Sorriso; dois morreram


Cleber Romero Publicado Em 10/01 - 07h14

O Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa IV), que faz parte do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), constatou que o excesso de peso no avião agrícola modelo AT-502B contribuiu para queda dele em uma fazenda, localizada nas proximidades do aeroporto sorrisense, em setembro de 2016. Morreram no acidente os pilotos Dari Lorival Zimmermann, 44 anos, e Maurício Seger, 39 anos.

Consta no documento que a aeronave decolou da fazenda, por volta das 15h50, para realizar um voo local. O avião transportava um passageiro na cabine e estava com o funil parcialmente abastecido de água. Após a decolagem, foi feita pulverização com água em uma faixa de mata e sobre a lateral da pista da fazenda, prosseguindo para uma passagem baixa sobre a pista do aeroporto da cidade e retornando para a área da fazenda. Próximo a uma das cabeceiras da pista da fazenda, a aeronave adotou uma atitude de subida, vindo a perder sustentação e efetuar giro para esquerda com perda de altura, resultando na sua colisão contra o solo, de dorso.

Segundo o Seripa, tal aspecto não justificou a quebra das normas e parâmetros estabelecidos, com consequente elevação do nível de risco de operação da aeronave. Considerando a capacidade dos tanques de combustível de 643 litros, 22 litros não utilizáveis (conforme manual da aeronave), o consumo médio de 220 litros/hora (conforme representante do fabricante no Brasil) e, densidade do combustível de 0,823, obteve peso da aeronave de 3.221,8 kg e o Centro de Gravidade (CG) traseiro a 66,71cm, antes da decolagem do voo em que ocorreu o acidente.

Após a pulverização sobre a mata e a pista da fazenda, “ao iniciar a curva de reversão sobre a cabeceira 10, o CG se encontrava a 71,07cm. Ao iniciar a subida em que ocorreu a perda de controle, o Centro de Gravidade (CG) se encontrava a 71,53 cm e o peso total era de 2.819kg. Caso não houvesse o passageiro na cabine, o CG estaria a 66,40cm. O manual da aeronave estabelecia como limite dianteiro o posicionamento do CG a 45,7cm, com peso total de 3.629kg, e como limite traseiro 71,1cm, com peso total de 3.166kg, sendo 3.629kg o peso máximo de decolagem”.

Com isso, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes considerou que após o esvaziamento do funil, o centro de gravidade da aeronave ficou 0,43cm, além do seu limite traseiro. “Tal aspecto, na proporção em que foi estimado, não inviabiliza o controle longitudinal da aeronave, porém a deixou mais sensível ao comando de profundo no sentido de empregar arfagem positiva (nariz para cima) e menos sensível no sentido contrário (nariz para baixo). O controle de gravidade ficou fora dos limites operacionais da aeronave devido à presença de um passageiro na cabine.”

O Cenipa concluiu que “ se stall (tenda) tivesse ocorrido com a aeronave em atitude normal de voo e com as asas niveladas haveria altura suficiente para recuperação, porém o giro de asa e a entrada da aeronave no dorso impossibilitou a recuperação na altura disponível”.

Conforme Só Notícias já informou, o corpo de Maurício Seger foi enterrado em Sinop. Já o de Dari Lorival Zimmermann foi sepultado em Sorriso.

 

TELETIME - MCTIC planeja reuniões e força tarefa para implantar programa Internet para Todos


Bruno Do Amaral Publicado Em 10/01 - 18h12

Com suporte do Satélite Geoestacionário Brasileiro de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), que está em órbita desde maio do ano passado, o programa de inclusão digital Internet para Todos começará a sair do papel ainda neste mês. Com isso, o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) pretende atender 40 mil localidades sem conexão em 500 municípios de todas as regiões do País. Segundo o ministro Gilberto Kassab, a pasta deverá começar a discutir a estratégia de implantação, pelo menos no Norte e Nordeste, nas próximas semanas."Já estamos planejados para, ainda no mês de janeiro, visitar o Estado da Bahia em uma reunião da União dos Municípios, onde o programa será apresentado. A partir dessa reunião, abriremos para cadastro aqui no ministério para todos os municípios da Bahia", disse ele, durante entrevista para a TV NBR nesta quarta-feira, 10.

Kassab também ressaltou que haverá atendimento na Região Norte com a capacidade do SGDC. "Vai atender muito bem todas as cidades brasileiras, mas na Região Norte, em estados como Amapá, a importância é maior ainda", declarou, referindo-se à cobertura nacional possível com o satélite da Telebras. "Estamos criando uma força tarefa em estados como o Amapá para chegar o mais rápido possível, em especial na área rural", complementou. O ministro não detalhou se a força tarefa será regional e nem quando isso ocorreria, contudo.

O ministro destacou a importância do programa Internet para Todos para avançar na qualidade e na oferta acessível da banda larga no País. "Por isso temos que trabalhar para que (a conexão) seja mais barata, porque isso é questão de justiça social", afirmou.

Neutralidade e novo marco legal da Ciência

Gilberto Kassab voltou a afirmar que, contrário a especulações, a neutralidade de rede no Brasil não está ameaçada. A discussão começou após a proposta da agência reguladora norte-americana, a Federal Communications Commission (FCC), que acaba com a obrigação do tratamento isonômico dos dados. Afirmando ser uma posição "pessoal, do ministério e do governo", Kassab disse que "todos somos terminantemente contra a mudança, somos a favor da neutralidade, contra esse pagamento adicional". Ele diz que o governo fez um "esforço" no Congresso para "paralisar qualquer ação no sentido contrário", mas que não encontrou resistência. "Identificamos em quase todas as bancadas uma disposição em apoiar nossa decisão. É questão de justiça, o Brasil não está preparado para essa discussão", declarou.

Sobre as áreas de Ciência e Tecnologia, Kassab voltou a falar que o orçamento dedicado não é suficiente, pedindo apoio da sociedade para a captação de mais recursos. E destacou que nos próximos dias deverá ser assinado pelo presidente Michel Temer o decreto do novo marco legal da Ciência brasileira. "O presidente Temer autorizou ontem a assinatura e esperamos para os próximos dias a publicação desse decreto", disse. "É algo inovador e vai melhorar muito a retaguarda (da área na política para obtenção de recursos)", completou.