NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


PORTAL UOL


Militares montam base em complexo de favelas usado como refúgio de ladrões de cargas no Rio


Publicado Em 07/07 - 20h27

Há cerca de 10 dias ocupando os complexos de favelas do Chapadão e da Pedreira, controlados por facções rivais na zona norte do Rio de Janeiro, militares das Forças Armadas montaram uma base temporária no local e removeram mais de 150 barricadas desde o início da operação na região, no dia 28 de junho.

A remoção de barricadas erguidas por facções criminosas tem o objetivo de facilitar a atuação dos militares e da polícia na região e enfraquecer o crime organizado, segundo o Comando Conjunto da intervenção federal no Rio.

Críticos das ocupações das Forças Armadas em favelas dizem que elas não resolvem o problema, pois os criminosos se esconderiam durante as ocupações e retornariam após a saída dos militares. Defensores da medida dizem que as ações ostensivas não resolvem o problema do crime organizado, mas elas seriam necessárias para enfraquecer periodicamente as facções criminosas.

O órgão disse que foi necessário montar a base temporária em um galpão da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), no Complexo da Pedreira, para facilitar a logística e tornar a resposta a eventuais crimes mais rápida. Militares estão abrigados em tendas e a instalação é usada como base de veículos e equipamento pesado do Exército.

Os complexos de favelas são usados como núcleos para ações de roubos de cargas. Os caminhões que viajam pela rodovia Presidente Dutra são abordados na Avenida Brasil e levados para dentro das favelas - que eram fortemente guardadas por homens armados e barricadas - e descarregados. Os produtos eram então vendidos em pontos de comércio informal do Rio. Em muitos casos, mesmo sabendo dos roubos, a polícia não conseguia entrar na região para recuperar as cargas.

O Chapadão é controlado pela facção CV (Comando Vermelho) e a vizinha Pedreira, por grupos rivais, entre eles o ADA (Amigos dos Amigos). A região abriga 1,2 milhão de pessoas e vive sob tensão constante devido a ameaças frequentes de ambos os lados de invasão da área dos rivais.

A ação para ocupar o Chapadão e a Pedreira, na quinta-feira (28), foi a maior desde o início da intervenção federal no Rio, em fevereiro, e envolveu mais de 5.500 agentes das Forças Armadas e da polícia. O general Antônio Barros, chefe do Comando Conjunto e da Primeira Divisão de Exército visitou as instalações da base temporária neste sábado (7).

A intervenção federal classifica esse tipo de ação ostensiva de tropas como emergencial. Ela ocorre em paralelo a um processo nos bastidores que visa reestruturar, reequipar e melhorar a gestão das polícias do Rio de Janeiro.

 

PORTAL CAMPO GRANDE NEWS


A partir de segunda, Projeto Rondon leva atividades a 12 cidades de MS

O projeto é do Ministério da Defesa, e além de professores e estudantes, integra a brigada militar como exército, marinha e aeronáutica

Guilherme Henri E Mirian Machado Publicado Em 07/07 - 14h03

A partir desta segunda-feira (16), equipes do projeto Rodon estarão em 12 municípios de Mato Grosso do Sul onde desenvolverão ações de comunicação, saúde, cultura, educação, meio ambiente, trabalho, tecnologia, produção e justiça. O lançamento desta edição do projeto foi realizado neste sábado (7), na UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) em Campo Grande.

Os municípios que receberão os rondonistas serão: Bandeirantes, Bodoquena, Corguinho, Corumbá/Ladário, Dois Irmãos do Buriti, Jaraguari, Miranda, Nioaque, Rio Negro, Rio Verde, Rochedo e Terenos.

As equipes são compostas por dois professores e 18 acadêmicos, de fora do Estado. À nível nacional, o projeto recrutou 252 pessoas que foram distribuídas em equipes em todos os estados da federação.

O projeto é do Ministério da Defesa, e além de professores e estudantes, integra a brigada militar como exército, marinha e aeronáutica. Por isso, em Mato Grosso do Sul todas as equipes receberão suporte e serão acompanhadas por militares lotados no Estado.

Conforme o coordenador geral do projeto, vice-almirante Victor Cardoso Gomes, as ações serão desenvolvidas até o dia 22 de julho. E os municípios que receberão as equipes demonstraram interesse por meio de seus administradores.

“Neste período alunos e professores desenvolverão gincanas, palestras, oficinas e darão assistência as comunidades passando conhecimento. Todas as atividades serão passadas com apoio de lideranças e administradores do Poder Público que ao fim do período eles deem continuidade ao trabalho”, detalha.

Devido ao período eleitoral, todos os prefeitos das cidades que receberão o projeto foram representados pelo chefe do administrativo municipal de Bandeiras.

Alex Pellin, 19 anos é um dos rondonistas que atuará no Estado. Ao Campo Grande News, ele conta que é de Santa Catarina e esta é a primeira vez que participa do projeto. “Vou atuar na parte de comunicação social, onde vou filmar um pouco de todas as ações nos municípios. Com isso, espero ganhar experiência profissional e de vida, por conhecer muitas culturas”, afirma.

O Estado já recebeu o projeto outras duas vezes, em 2011. O Projeto Rondon foi criado em julho de 1967.
 

PORTAL DEFESANET


ITA Vence V Olimpíada de História Militar e Aeronáutica da AFA


Publicado Em 07/07 - 14h10

Equipe Marechal Montenegro, formada por alunos do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), ficou com a medalha de ouro na quinta edição da Olimpíada de História Militar e Aeronáutica da Academia da Força Aérea (AFA), realizada nos dias 3 e 4 de julho de 2018.

A solenidade de abertura foi marcada por uma homenagem ao Centenário da Royal Air Force, a primogênita dentre as forças aéreas, criada em 1º de abril de 1918, na fase final da Primeira Guerra Mundial. O preito aos britânicos contou com a presença de uma especial representação da Aditância de Defesa do Reino Unido no Brasil, integrada pelo senhor Russell Dowding, descendente do herói da Batalha da Grã-Bretanha, marechal Hugh Dowding. E Ainda a apresentação de vídeo.

Aproveitando o clima de Copa do mundo na Rússia, a palestra de abertura teve como tema “Bruxas da Noite: a história das aviadoras soviéticas na Segunda Guerra Mundial”, proferida pelo coronel Carlos Daróz, que lançará em breve seu livro sobre o assunto. A palestra, com tema bastante interessante, acabou por atrair grande público de Pirassununga e região.

Neste ano, a competição de conhecimentos entre os alunos das escolas de formação de oficiais reuniu 44 integrantes, agrupados em 11 equipes. Além dos cadetes da AFA, participaram da Olimpíada os aspirantes da Escola Naval, os cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) e os alunos do ITA, estes em sua primeira participação.

O segundo lugar coube à Equipe Saldanha da Gama, da Escola Naval. Em terceiro lugar ficou a Equipe General De Gaulle, composta por cadetes da AFA. As premiações se deram em forma de medalhas, livros e presentes doados pelas instituições apoiadoras do evento. O evento educacional, instituído pela AFA em 2014, conta com o apoio do Instituto Histórico Cultural da Aeronáutica (INCAER), da Biblioteca do Exército Editora (BIBLIEX) e da FHE-POUPEX.

Esteve presente observadores da Polícia Militar do RJ, que devem enviar equipe para os próximos eventos.

Durante a Olimpíada aconteceu também a tradicional feira de livros de história e militaria. A oportunidade serviu para o lançamento do livro “1964, Precursores da Academia da Força Aérea – O Novo Ninho Das Águias”, de autoria do coronel Cláudio Passos Calaza e do professor Hermelindo Lopes Filho.

Mediante pesquisas, e se valendo das memórias dos integrantes da turma de aspirantes aviadores de 1964, os autores resgataram o intrincado processo de mudança de sede da Escola de Aeronáutica, do Campo dos Afonsos, no Rio de Janeiro, para a cidade de Pirassununga, no interior de São Paulo.

 

OUTRAS MÍDIAS


O DOCUMENTO (MT) - Seis aeronaves já foram aprendidas com drogas este ano


Publicado Em 07/07 - 12h00

Nos últimos seis meses, de janeiro a junho, seis aeronaves foram apreendidas como parte das ações de repressão ao tráfico internacional de drogas. Estas ações resultaram na apreensão de mais de duas toneladas de entorpecentes. Os dados são do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) e o trabalho repressivo foi realizado com a integração das forças de segurança do Estado, a Polícia Federal (PF) e a Força Aérea Brasileira (FAB).

O último caso de aeronave abatida em Mato Grosso ocorreu em 20 de junho deste ano, em uma região de fazenda próximo ao município de Denise (209 km a Sudoeste de Cuiabá) e vinha da Bolívia. Somente nesta operação, foram apreendidos 420 quilos de droga.

Criado em 2006, o Ciopaer opera em ações conjuntas com as forças de segurança, Polícia Militar (PM), Polícia Judiciária Civil (PJC), Corpo de Bombeiros Militar (CBM), Politec e Detran, visando atividades repressiva, preventiva e de salvamento.

De janeiro a junto de 2018, foram realizadas pelo Ciopaer 625 horas de voo, totalizando a execução de 452 missões diversas. Ainda no semestre, 58 veículos roubados ou furtados foram localizados com o emprego da aeronave.

“Obtivemos importantes resultados neste primeiro semestre e nosso trabalho continua, no intuito de auxiliar as unidades de segurança a reduzir os principais índices criminais”, destacou o comandante do Ciopaer, tenente-coronel PM Juliano Chiroli.

O Centro Integrado atuou em 44 apoios em ocorrências, 19 buscas e capturas, 05 prisões de suspeitos, 30 localizações de veículos, 25 apoios operacionais para a Polícia Militar, 12 para a Polícia Federal e 29 da Polícia Judiciária Civil, dentre outros.

Ciopaer

As atividades do Ciopaer foram regulamentas pelo Governo do Estado em 17 de novembro de 2006, com o objetivo de centralizar em um único órgão o controle, operação e manutenção de aeronaves rotativas e de asas fixas empenhadas em atividades policiais.

Atualmente, possui o efetivo de cerca de 90 profissionais das Polícias Civil e Militar e Corpo de Bombeiros que atuam em funções como piloto, tripulante, mecânicos e serviço administrativo. Houve ingresso de 32 novos profissionais, após o investimento no curso para tripulantes em 2015, além de pilotos, equipamentos e reforço nos recursos para as operações. Em 2018 foi criada a primeira unidade descentralizada do Ciopaer no município de Sorriso. Já em junho deste ano, foi inaugurada o novo hangar do Centro Integrado, com mais de 4 mil metros quadrados.