NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


TV GLOBO - JORNAL NACIONAL


Moro fala sobre planos para combater a corrupção e o crime organizado


Publicada em 06/11/2018 04:48

Numa longa entrevista coletiva, o juiz Sérgio Moro explicou por que aceitou o convite para ser ministro da Justiça. Ele refutou críticas de que a nomeação dele tenha alguma relação com a condenação do ex-presidente Lula.

PORTAL G1


Bolsonaro tem encontro com militares em primeira viagem a Brasília como presidente eleito

Ele almoçou nesta terça com o ministro da Defesa, general Joaquim Silva e Luna, e terá encontros com os comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica.

Guilherme Mazui | Publicada em 06/11/2018 13:22 | Atualizado em 06/11/2018 15:39

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, reservou parte de sua agenda na primeira viagem a Brasília após ganhar a eleição para encontros com militares.

No início da tarde desta terça-feira (6), Bolsonaro, que é capitão reformado do Exército, se encontrou com o ministro da Defesa, general Joaquim Silva e Luna.

Depois, a agenda de Bolsonaro prevê reunião com o comandante da Marinha, almirante Eduardo Bacellar Leal, e com o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas.

Um encontro com o comandante da Aeronáutica, brigadeiro Nivaldo Rossato, está agendado para a manhã de quarta-feira (7). No mesmo dia, Bolsonaro terá reuniões com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, e com o presidente Michel Temer.

Após a reunião na Defesa, Bolsonaro disse que conversou com Silva e Luna para começar a se inteirar sobre a situação da pasta.

Questionado sobre a importância de não contingenciar recursos do orçamento das Forças Armadas, o presidente eleito disse que os militares tiveram de lidar com esse dificuldade nos últimos anos.

“É importante para todos os ministérios, não é só para nós da Defesa aqui, mas sempre nós fomos ao longo dos últimos anos um dos primeiros a ser contingenciados nos momentos mais difíceis”, declarou.

O ministro da Defesa definiu o encontro com Bolsonaro como “cordial”, uma “conversa de camarada”.

Silva e Luna reforçou que o futuro governo tem um compromisso de evitar o contigenciamentos de verbas para as Forças Armadas.

“É positivo, porque a gente precisa de planejamento desde o início do ano, já que os contratos são feitos desde o início do ano”, declarou.

Silva e Luna defendeu um orçamento mais previsível para que as três Forças consigam acelerar projetos estratégicos, como os caças Gripen, o programa de submarino nuclear e ações de defesa cibernética.

Depois, já no Ministério da Marinha, o presidente eleito disse que militares terão espaço de destaque em seu governo.

"As Forças Armadas são as guardiãs da nossa Constituição. As Forças Armadas ocuparão lugar de destaque e voltarão a fazer parte da mesa ministerial, mesmo na informalidade, se for o caso".

Na manhã desta terça, Bolsonaro participou de uma sessão solene no Congresso em homenagem aos 30 anos da Constituição. Ele estava ao lado de autoridades como o presidente Michel Temer, o ex-presidente José Sarney e os presidentes do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Em um breve discurso, Bolsonaro disse que a Constituição é o único norte da democracia.

AGÊNCIA BRASIL


Bolsonaro chega a Brasília pela primeira vez como presidente eleito


Pedro Peduzzi | Publicada em 06/11/2018 10:04

O presidente eleito Jair Bolsonaro já está em Brasília, onde participa, às 10h, de cerimônia comemorativa dos 30 anos da Constituição, no Congresso Nacional. A agenda é intensa e inclui encontros com o presidente Michel Temer, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, além de reuniões com comandantes militares.

 

O avião da Força Aérea Brasileira (FAB) que trouxe Bolsonaro a Brasília pousou na Base Aérea por volta das 8h55. Acompanhava o presidente eleito o seu vice, general Hamilton Mourão.

Jair Bolsonaro e sua comitiva foram recebidos pelo tenente-brigadeiro do ar Bermudez, comandante-geral de Pessoal da Aeronáutica.

Assim que pousou, a FAB, publicou em seu Twitter a seguinte mensagem para o presidente eleito: "Jair Bolsonaro acaba de realizar o primeiro voo com a Força Aérea Brasileira como presidente eleito".

Bolsonaro deixou a base por volta das 9h30, em vários carros, sob a segurança de policiais federais, em direção ao Congresso Nacional.

Para amanhã (7) está previsto café da manhã com o comandante da Aeronáutica, o brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato. Haverá ainda encontro com os presidentes do STF, Dias Toffoli, e do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio de Noronha.

 

JORNAL O TEMPO (MG)


Volta dos voos para Pampulha pode ser definida ainda nesta quarta

TCU julga nesta quarta-feira o processo que pode liberar operações interestaduais no terminal

Queila Ariadne | Publicada em 07/11/2018 04:00

O destino do aeroporto da Pampulha pode ser definido nesta quarta-feira (7). O processo que envolve a volta dos voos interestaduais está na pauta do dia do Tribunal de Contas da União (TCU). Já existe uma recomendação da área técnica do tribunal para permitir a retomada das operações domésticas regulares. Se o acórdão for favorável, a medida cautelar que suspendeu a autorização para tais operações deixa de valer, e a Portaria 911/2017 do Ministério dos Transportes, que determinou a volta desses voos, entra em vigor imediatamente. A partir daí, a reativação ficará por conta dos pedidos das companhias aéreas e da avaliação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Segundo a Anac, não há nenhum impedimento técnico em relação à infraestrutura do terminal, que tem o nome de Carlos Drummond de Andrade. Em setembro, a agência até homologou a pista para aeronaves de maior porte.

Como os pedidos de voos dependem de análise, ainda é cedo para estimar uma data para a retomada. No entanto, se depender do apetite das companhias aéreas, não vai demorar. Gol, Latam, Azul e Avianca já manifestaram interesse, caso o terminal seja reaberto para operações entre Estados.

Entretanto, há uma forte resistência por parte dos moradores do entorno e, principalmente, da BH Airport (consórcio formado pelo Grupo CCR e pela Zurich Airport), que administra o Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins. Esse terminal já opera abaixo da capacidade e teme que a liberação do aeroporto da Pampulha piore a situação, com a migração de voos e passageiros.

O presidente da Zurich Airport da América Latina, Stefan Conrad, destaca que Confins teria que mais do que triplicar para justificar a entrada em operação de outro aeroporto. “Em Belo Horizonte, hoje, a demanda é de 10 milhões de passageiros/ano. Estudos internacionais independentes, como o da consultoria Leigh Fisher, concluíram que, na economia de países emergentes, a eficiência do sistema de múltiplos aeroportos ocorre quando o primário processa mais de 35 milhões de passageiros/ano. Ou seja, o Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, nessa perspectiva, precisaria crescer 3,5 vezes para atingir esse gatilho de 35 milhões”, justifica Conrad.

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), que é responsável pela administração do terminal da Pampulha, e o Ministério dos Transportes, que defende a volta dos voos – embora tenha elaborado um parecer técnico reconhecendo todos os impactos que esse retorno traria para Confins –, só vão se manifestar após a decisão do TCU.

Vistas

Pode demorar. Há chance de a definição não sair nesta quarta-feira. Nos últimos dois dias, foram registrados dez pedidos de sustentação oral e quatro de vista. O TCU não informou quem solicitou.
 
Demanda aérea mundial cresce 5,5%

São Paulo. A demanda aérea mundial (medida em número de passageiros por quilômetro voado, ou RPK) cresceu 5,5% em setembro ante o mesmo mês do ano passado, informou a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês). Esse desempenho corresponde a uma desaceleração frente a agosto, quando o indicador avançou 6,4% no comparativo anual, aponta a entidade.

Já a oferta de assentos (assentos-quilômetros ofertados, ou ASK) aumentou 5,8% ante setembro de 2017. “Estimamos que os impactos de severo furacão e da atividade de tufões em setembro tenham cortado 0,1 ou 0,2 ponto percentual do crescimento esperado (para o tráfego)”, diz a Iata por meio de nota.

Na América Latina, a demanda aumentou 6,3% ante setembro de 2017, enquanto a capacidade subiu 8,3%.

Especificamente para o Brasil, a Iata reporta que o tráfego no mercado doméstico cresceu 3,5%. Já a oferta de assentos subiu 6%.

JORNAL A TARDE (BA)


Aireon assina memorando de entendimento de integração e automação de dados com Atech


Publicada em 05/11/2018 23:00

MCLEAN, Virgínia, EUA, 6 de novembro de 2018 /PRNewswire/ -- A Aireon anunciou hoje que assinou um Memorando de Entendimento (MOU) com a Atech Negócios em Tecnologias S/A, uma empresa do Grupo Embraer, desenvolvedora e fornecedora líder de plataformas de automação para Controle de Tráfego Aéreo (ATC, na sigla em inglês). Esse MOU dá início ao estágio de evolução da incorporação por parte da Atech de dados de vigilância de tráfego aéreo baseados em espaço (ADS-B) da Aireon ao sistema SAGITARIO, desenvolvido pela Atech, em parceria com o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) do Brasil.


Responsável por todo o desenvolvimento e modernização do controle do tráfego aéreo e de sistemas de defesa aérea no Brasil, a Atech continua trabalhando com meios para modernizar o controle do tráfego aéreo no Brasil. O SAGITARIO está em funcionamento em 5 Centros de Controle de Área (ACCs) - Brasília, Curitiba, Recife, Amazonas e Atlântico - e em vários Centros de Controle de Aproximação (APPs), entre eles, os de São Paulo, Brasília, Curitiba, Belo Horizonte, Recife, Belém, Campo Grande, Porto Alegre e Rio de Janeiro. O SAGITARIO proporciona um controle de tráfego aéreo completo, de ponta a ponta desde o aeroporto de origem ao de destino para o DECEA.

"Permanecendo à frente da curva, a integração e a implementação são essenciais para nós nessa etapa do jogo, e estamos empolgados em trabalhar com um líder mundial no espaço da automatização de ATM (Gerenciamento de Tráfego Aéreo)", declarou Cyriel Kronenburg, vice-presidente de Serviços de Aviação da Aireon. "Ao trabalhar com a Atech, poderemos criar uma fonte de dados do tipo "plug-and-play" (pronta para entrar em operação), com perfeita integração e fluxo de dados para o Brasil, ajudando a simplificar o processo de integração em nível de cliente, o que representa um componente essencial de nosso sucesso."

"O contrato com a Aireon permitirá a Atech adaptar seus sistemas para lidar com dados ADS-B baseados em espaço, expandindo a competência do SAGITARIO para realizar uma vigilância aeroespacial mais integrada e completa, aprimorando a segurança e otimizando as operações dos centros de controle de tráfego aéreo ANPS", declarou Delfim Miyamaru, diretor ATM da Atech Negócios em Tecnologias S/A, uma empresa do Grupo Embraer.
O trabalho com parceiros de integração e automatização de ATM de ponta, como a Atech, representa um grande avanço na simplificação da implementação dos dados ADS-B baseados em espaço da Aireon para os ANSPs ao redor do mundo. Além de prover cobertura oceânica, o sistema da Aireon é ideal para países com vastas quantias de terreno remotos, onde a implementação de radar baseados no solo e a infraestrutura ADS-B podem ser caras e impraticáveis. Como ativo baseado no espaço, o sistema da Aireon ajuda a proporcionar uma solução a esse problema, tornando a vigilância do tráfego aéreo confiável e em tempo real, disponível a cada ANSP, independentemente do local, tipo de terreno e tamanho do espaço aéreo.

Sobre a Aireon - LLC A Aireon está implementando um sistema de vigilância de tráfego aéreo baseado no espaço para aeronaves equipadas com o sistema de vigilância dependente automática por radiodifusão (Automatic Dependent Surveillance-Broadcast - ADS-B) em todo o mundo. A Aireon potencializará as tecnologias de próxima geração de vigilância no setor da aviação que são atualmente baseadas em terra e, pela primeiríssima vez, ampliará seu alcance global para aprimorar significativamente a eficiência, otimizar a segurança, reduzir emissões e fornecer benefícios de economia de custo para todos os participantes. A vigilância do ADS-B em tempo real abrangerá regiões oceânicas, polares e remotas, além de ampliar os sistemas existentes baseados em terra que se limitam ao espaço aéreo terrestre. Em parceria com os principais provedores de serviços de navegação aérea (Air Navigation Service Providers - ANSPs) de todo o mundo, como a NAV CANADA, a Irish Aviation Authority (IAA), Enav, NATS e Naviair, assim como a Iridium Communications, a Aireon fornecerá um sistema de vigilância de tráfego aéreo baseado no espaço global e em tempo real para todas as partes interessadas na aviação. Para obter mais informações sobre a Aireon, visite www.aireon.com.

Sobre a Atech - A Atech é responsável pela evolução dos sistemas que controlam praticamente 100% do espaço aéreo brasileiro, bem como faz parte das poucas empresas do mundo capazes de implementar, fornecer e integrar esse tipo de solução à sua própria tecnologia. Consolidada no mercado de ATM, a Atech reúne todo o conhecimento e habilidade comercial que construir no decorrer dos anos de experiência a fim de prover um pacote completo de soluções para gerenciamento e controle do espaço aéreo, de aterrissagem a aterrissagem, com segurança, eficiência e eficácia.
Contato com a imprensa:Jessie HillenbrandAireon+1 (703) 287-7452Jessie.Hillenbrand@Aireon.com

Logo - https://mma.prnewswire.com/media/390350/Aireon_LLC_Logo.jpg

FONTE Aireon

OUTRAS MÍDIAS


INFODEFENSA - 100 aeronaves de 14 países se darán cita en el Cruzex 2018 - Noticias Infodefensa América


Roberto Caiafa | Publicada em 06/11/2018

La Fuerza Aérea Brasileña (FAB) realizará entre los días 18 y 30 de noviembre, en Natal (región nordeste de Brasil), la 8ª edición del Ejercicio Crucero del Sur (Cruzex). Infodefensa.com estará presente en el Ejercicio.

 

Esta edición reúne cerca de 100 aeronaves de 14 países. Brasil, Canadá, Chile, Francia, Perú, Uruguay y Estados Unidos participarán con militares y aviones. Bolivia, India, Suecia, Reino Unido y Venezuela participan como observadores. Portugal traerá fuerzas especiales y militares y, junto con Alemania y Francia, dará conferencias en el seminario sobre el uso de la fuerza aérea en las misiones de las Naciones Unidas.

El ejercicio permitirá que los tripulantes entrenen el combate aéreo en operaciones combinadas, es decir, diferentes naciones actuando en escenarios de conflicto de manera integrada y cooperativa, promoviendo el intercambio de experiencias entre los integrantes de las fuerzas aéreas participantes.

"Cruzex permite el intercambio de competencias operativas. "Además de estrechar los lazos entre los países, posibilita agregar conocimientos de otras naciones que poseen experiencias en escenarios de acción conjunta", afirma el director de la Cruzex, brigadier Luiz Guilherme Silveira de Medeiros.

La Cruzex es el mayor ejercicio de combate aéreo multinacional y conjunto -pues también reúne Ejército y Marina- realizado por la FAB.

Los escenarios preparados para el entrenamiento involucra guerra convencional y no convencional.

En el escenario de guerra convencional, se llevarán a cabo los llamados Comaos, para las operaciones de Composite Air Operations, en las que un paquete con cerca de 40 a 50 aeronaves de distinta naturaleza.

Las aeronaves salen en secuencia para -en tiempo y espacio limitados- realizar misiones con objetivos comunes o complementarios.

Una de las novedades de esta edición de Cruzex es la adición del entrenamiento en escenarios de guerra no convencional, en el inglés UW sigla para Unconventional Warfare, donde el combate es contra fuerzas insurgentes o paramilitares y no entre dos Estados constituidos.

Se trata de situaciones encontradas en misiones donde actúa la Organización de las Naciones Unidas (ONU).

Según el director del ejercicio, la importancia para la FAB de entrenar ese escenario no convencional reside en la posibilidad de que Brasil envíe aviones para integrar misiones de la ONU. "Si ocurre, necesitamos estar preparados", explica el brigadier Medeiros. La Cruzex va a permitir a los brasileños entrenar al lado de militares extranjeros que ya realizan ese tipo de misión en el contexto de la Organización del Tratado del Atlántico Norte (OTAN).

Aeronaves y delegaciones

Los países participantes desplazará aviones de caza, como los F-16 norte-americanos y chilenos; cargueros y reabastecedores, como los CC-130J canadienses.

Los Estados Unidos participan con aproximadamente 130 militares, un reabastecedor KC-135 y seis cazas F-16.

La Fuerza Aérea Chilena participa con un esfuerzo muy similar: son cinco cazas F-16 y un reabastecedor KC-135.

La delegación, entre pilotos y equipos de mantenimiento, tendrá alrededor de 90 militares. Esa es la cuarta vez que Chile participa en Cruzex.

Perú traerá cuatro cazas A-37 y cuatro cazas Mirage 2000P, con una comitiva en torno a cien militares.

Francia participa con un carguero C-235; Canadá con dos cargueros CC-130J; y Uruguay con cuatro cazas A-37.

La Fuerza Aérea Brasileña desplaza al Ala 10 en torno a 70 aeronaves de múltiples aviaciones, además de los cazas AF-1 de la Marina de Brasil, que participan por primera vez del ejercicio.