NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


PORTAL UOL


Waldir quer equiparar alíquota de militar com a de outras carreiras policiais


Idiana Tomazelli | Publicada em 02/04/2019 18:41

Após criticar o envio de uma proposta para militares que inclui uma ampla reestruturação de carreiras, o líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (PSL-GO), defendeu nesta terça-feira, 2, a equiparação das regras propostas para as Forças Armadas com as exigências das demais carreiras policiais. Ele citou como exemplo a alíquota previdenciária.

Na proposta dos militares, o desconto na remuneração passará de 7,5% para 10,5%. Já na reforma da Previdência, os servidores (inclusive policiais) que hoje recolhem 11% para a Previdência poderiam pagar até 22%, caso recebam mais que o teto do funcionalismo, hoje em R$ 39,2 mil.

Waldir alertou ainda que a proposta será alterada no Congresso Nacional. "É papel do Parlamento", avisou.

PORTAL G1


Mourão e ministro da Defesa participam da abertura de feira de segurança no Rio

Vice-presidente destacou que Bolsonaro está empenhado em promover reformas estratégicas para destravar a economia, como as reformas da previdência e tributária.

Alba Valéria Mendonça | Publicada em 02/04/2019 10:13

O presidente em exercício Hamilton Mourão participou nesta terça-feira (2) da abertura da 12ª edição da feira internacional de segurança LAAD Defence & Security, feira de defesa e segurança, que se realiza até o dia 5 não Riocentro, na Zona Oeste do Rio.

Mourão ressaltou que “a arte da guerra foi e continua sendo uma ação política” e destacou que Bolsonaro está empenhado em promover reformas estratégicas para destravar a economia, como a reforma da previdência e a reforma tributária.

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, destacou a importância da feira e da necessidade de todas as nações de defender a paz. Destacou que a indústria de defesa representa 6,7% do PIB e que emprega, diretamente, 60 mil pessoas.

O governador Wilson Witzel destacou a importância da integração entre as Forças Armadas e as forças de segurança, principalmente no estado que passa por um momento difícil de crescimento do crime organizado. Witzel agradeceu o legado de mais de R$1 bilhão em armas, equipamentos e treinamento deixado pela intervenção na segurança do estado.

“Hoje é preciso investir em tecnologia e nas parcerias com as Forças Armadas para evitar ou reduzir a entrada dessa quantidade de armas e munições que chegam ao Rio”, disse Witzel, acrescentando que é fundamental investir em segurança para mudar a imagem do país e aumentar o turismo.

Além de Mourão e Azevedo e Silva, também participaram do evento o o governador do Rio de Janeiro, Wlson Witzel, o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, entre outras autoridades.

A feira traz, entre as novidades, um dispositivo multibomba, uma câmera ativada pelo coldre e um sistema antidrones. Segundo o ministro da Defesa, são esperados 38 mil visitantes, oriundos de mais de 170 países.

“A indústria de defesa é essencial para preservar, manter e aprimorar a capacidade operacional das Forças Armadas em qualquer país. É um setor relevante para o crescimento econômico e que tem efeitos multiplicadores. Um setor que rompe a fronteira do conhecimento científico”, garantiu Azevedo e Lima.

PORTAL R7


A cada 4 horas, Brasil registra um caso de colisão de aviões com aves

Órgão da FAB registrou 2.222 incidentes deste tipo, com 75 aeronaves danificadas, em 12 meses. Caso registrado em Recife ontem é o mais recente

Márcio Neves | Publicada em 02/04/2019 04:22

O Brasil registrou 2.222 ocorrências de "bird strike" — como é chamado, na aviação, as colisões de aviões com aves — nos últimos 12 meses. É como se, a cada 4 horas, um avião batesse contra pássaros em algum momento do voo.

Os dados são de um relatório do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), órgão da FAB (Força Aérea Brasileira), com base no registro de ocorrências com aves feitas por pilotos e outros profissionais do setor da aviação no Brasil entre abril de 2018 e abril de 2019.

Nesta segunda-feira (1º), por exemplo, um avião Boeing 737 da Gol precisou cancelar a decolagem em Recife (PE) depois de algumas aves serem sugadas pelos motores, causando danos ao equipamento. No sábado (30) uma outra aeronave, um A-320 da Azul, sugou um pássaro quando decolava de um aeroporto em Belém (PA).

"Colisão com aves realmente tem ocorrências diárias, ainda mais num país como o nosso, que tem grande quantidade de aves. Isso não é uma coisa incomum", diz o professor de engenharia aeronáutica da USP de São Carlos, Fernando Catalano.

Do total de ocorrências registradas, 75 resultaram em danos aos aviões e 137 em alguma tomada de decisão do piloto em relação ao voo. Entre os exemplos estão abortar a decolagem, pousar a aeronave por precaução ou corrigir uma instabilidade no avião causada pelo impacto com aves.

"Quando acontece um 'bird strike', normalmente acarreta algum dano ou uma tomada de atitude do piloto, que, no mínimo vai causar atrasos, pois é preciso fazer uma inspeção", afirma o piloto e diretor de segurança de voo do Sindicato dos Aeronautas, João Henrique Ferreira Varella.

Urubus, carcarás, gaivotas, garças, andorinhas e até pombos são as aves que mais frequentemente são identificadas após a colisão. Porém, não foi possível identificar a ave que provocou a ocorrência na maioria dos casos.

De acordo com o Cenipa, 34% dos incidentes com aves ocorreram no momento do pouso do avião e outros 26% no momento da decolagem, como ocorreu com a aeronave da Azul no último sábado em Belém (PA). O restante dos casos aconteceu entre as fases de voo ou estacionamento da aeronave.

"A maior frequência de ocorrências na decolagem ou aterrissagem são normalmente com pássaros relativamente pequenos e que não causam grandes danos. Mas há também ocorrências em altitudes maiores, com urubus e outras aves, aí sim uma colisão desta é bastante preocupante", explica Catalano.

Varella, que é piloto, lembra que as aeronaves de grande porte são resistentes e os pilotos se preparam para lidar com situações como a do voo da Gol e da Azul. O comandante lembra que, normalmente, o voo precisa voltar ou ser abortado, apenas por uma medida de precaução, devido aos padrões de segurança das companhias aéreas.

Uma ave pode derrubar um avião?

A resposta para esta pergunta, segundo especialistas ouvidos pelo R7, é que depende. O risco que uma ave pode causar em um avião varia de acordo com o tamanho e até mesmo a quantidade de aves com que a aeronave colidiu.

"Geralmente para derrubar um avião, precisa ser um pássaro de um tamanho relativamente grande ou uma quantidade maior de pássaros. Aves pequenas, mas em grande quantidade, praticamente não afetam em nada o desempenho da aeronave, podendo causar uma sujeira, a quebra de uma coisa ou outra, mas nada que seja fatal", afirma Catalano.

Um dos casos mais famosos em que uma aeronave foi colocada em risco após bater contra aves ocorreu em janeiro de 2009 —  o voo 1549 da US Airways, que chegou até ser representado no filme "O Milagre do Rio Hudson".

Um Airbus A320 com 150 pessoas a bordo, entre passageiros e tripulantes, teve os dois motores danificados por uma revoada de gansos, seis minutos depois de decolar do aeroporto La Guardia, em Nova York, Estados Unidos. O piloto conseguiu fazer um pouso de emergência no rio Hudson, em uma das principais metrópoles do mundo, sem deixar nenhuma vítima fatal.

"Uma revoada pode colocar uma aeronave em uma situação extremamente crítica, mas a probabilidade disso é muito, muito, muito pequena. Normalmente tem que se retornar por precaução, mas os danos causados são contornados e os pilotos são treinados para que saibam agir neste tipo de emergência", conclui Varella.

AGÊNCIA REUTERS


Embraer está em conversas avançadas para vender KC-390 para Portugal


Rodrigo Viga Gaier | Publicada em 02/04/2019 19:55

A Embraer está em conversas adiantadas para vender cinco aviões do modelo KC-390 para Portugal, afirmou nesta terça-feira o diretor do programa do cargueiro na fabricante brasileira de aeronaves, Walter Pinto Jr.

“O estagio está bem avançado e estamos bem confiantes que vamos atender todos os requisitos”, afirmou à Reuters.

O executivo acrescentou que a Embraer participa ainda de uma concorrência pública na Nova Zelândia para fornecer outras cinco aeronaves KC-390.

A Embraer já tem contrato com a Força Aérea Brasileira (FAB) para fornecer 28 aviões KC-390 nos próximos anos, com uma primeira aeronave esperada para ser entregue até o final de junho e uma segunda na última metade do ano.

“O quanto o KC vai vender e seu nível de sucesso depende muito de questões geopolíticas”, afirmou o brigadeiro Márcio Bonotto, presidente da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (Copac), durante a feira de segurança LAAD, no Rio de Janeiro.

“Ninguém vende um equipamento de defesa enquanto a sua força armada não estiver utilizando; aí se tem um visão mais realista os potenciais clientes vão se aproximar”, adicionou Bonotto, afirmando que a Aeronáutica espera fazer o primeiro voo com o KC-390 em agosto deste ano.

Segundo Bonotto, se encomendas do cargueiro forem feitas por outros países, a FAB aceita “ceder um espaço na fila (de produção da Embraer) para os compradores. A FAB tem interesse que KC-390 esteja voando em outros países, porque aí você barateia o custo do ciclo de vida da aeronave”, disse o militar.

“Hoje você gasta de 20 a 30 por cento na aquisição e o resto na manutenção. Com mais gente usando, novas soluções, o custo de manutenção vai baixar . Vamos colaborar com Embraer”, disse Bonotto.

A estimativa é que as encomendas dos 28 KC-390 custem à FAB cerca de 12 bilhões de reais, sendo que aproximadamente 5,5 bilhões foram gastos na fase de desenvolvimento do projeto da aeronave.

GRIPEN

O brigadeiro também afirmou que espera em breve já ter à disposição da FAB um protótipo do avião de combate Gripen NG, da fabricante sueca Saab.

O protótipo já deve começar a fazer os primeiros voos em teste na Suécia em agosto desse ano e, a expectativa, é que ele esteja disponível no Brasil em meados do ano que vem, em caráter de teste.

O primeiro caça Gripen de série para a FAB previsto na parceria com a Saab deve ser entregue ao Brasil em 2021. O valor do contrato é de aproximadamente 4,5 bilhões de dólares. A previsão é que a parceria com os suecos resulte na entrega de 36 aviões até 2026.

AGÊNCIA BRASIL


Primeiro avião cargueiro KC-390 deve ser entregue no primeiro semestre


Vladimir Platonow | Publicada em 02/04/2019 16:01

O primeiro avião cargueiro KC 390 será entregue pela Embraer à Força Aérea Brasileira (FAB) ainda no primeiro semestre deste ano. A informação foi divulgada hoje (2) pelo executivo da empresa responsável pelo projeto, Walter Pinto Júnior, durante a Laad Defence & Security, principal feira de segurança e defesa nacional, que acontece no Rio de Janeiro.

Segundo ele, uma segunda entrega do avião será feita até o fim do ano, de uma encomenda de 28 unidades encomendadas pela FAB. Walter Pinto lembrou que o projeto do KC 390 foi apresentado em uma das edições da LAAD, em 2007.

Os KCs irão substituir cargueiros antigos, como os Hércules C-130, com a vantagem de serem mais rápidos, com maior capacidade de carga e mais modernos. O avião brasileiro tem capacidade de transportar até 26 toneladas de carga.

O executivo explicou que a joint venture entre a Embraer e a americana Boeing prevê dois acordos, um sobre aviação comercial, já assinado, e outro, futuro, especificamente sobre o KC, no qual o Brasil deterá 51% e a Boeing, 49%.

Walter Pinto falou que a possibilidade da construção de uma fábrica nos EUA para produzir os KCs ainda é uma ideia prematura. "Temos muito orgulho desta aeronave. Fomos ousados. Ela é 100% nacional", declarou o executivo.

JORNAL DO SENADO


Ayrton Senna deve ser reconhecido como herói da Pátria, decide CE — Senado Notícias


Publicada em 02/04/2019 13:34

O piloto de automobilismo Ayrton Senna poderá ser considerado oficialmente herói da Pátria. Um projeto de lei que propõe a inclusão do nome do tricampeão mundial de Fórmula 1 no livro de aço que reúne personalidades que tiveram papel importante na história do Brasil foi aprovado nesta terça-feira (2) pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE). A proposta (PLC 45/2018) depende agora de confirmação do Plenário do Senado.

Ser incluído no Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria é receber um reconhecimento formal do Estado brasileiro de grandes feitos para o país. A obra, que inclui heróis e heroínas como Getúlio Vargas, dom Pedro I, Tiradentes, Santos Dumont, Zumbi e Anita Garibaldi, está depositada no Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves, em Brasília.

O projeto foi apresentado pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).  O relatório favorável é de autoria do senador Zequinha Marinho (PSC-PA), que destaca o trabalho filantrópico de Senna e suas demonstrações de amor ao país.

— O maior legado que nos deixa é o de seu exemplo admirável e inspirador, hasteado em uma enorme força de vontade e em um forte sentimento de amor a seu país — disse.

O presidente da CE, senador Flávio Arns (Rede-PR), afirmou que a inclusão de Senna entre os heróis e heroínas da pátria é uma justa homenagem.

Nascido no dia 21 de março de 1960, em São Paulo, Ayrton Senna da Silva morreu aos 34 anos, no dia 1º de maio de 1994, quando seu carro colidiu contra uma mureta de proteção no Grande Prêmio de San Marino, em Ímola, Itália.

Patrono

Outra homenagem aprovada pela Comissão de Educação é dirigida ao tenente-coronel Aldo Augusto Voigt. O colegiado aprovou o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 113/2018, que concede o título de Patrono do Quadro de Oficiais Especialistas em Controle de Tráfego Aéreo da Aeronáutica ao especialista em controle de tráfego aéreo.

A relatora, senadora Soraya Thronicke (PSL-MS), proferiu parecer favorável à matéria e destacou os feitos da vida do homenageado e suas importantes contribuições para as áreas de defesa aérea e controle de tráfego aéreo no Brasil.

— Por toda sua história no setor de controle de tráfego aéreo, entendemos que é meritória a homenagem — justificou.

Aldo Augusto Voigt nasceu em Timbó, Santa Catarina, em 1942. Ingressou na Força Aérea Brasileira em 1959, como aluno da Escola de Especialistas de Aeronáutica. Como oficial, teve atuação destacada na área de controle de tráfego aéreo. Em Brasília, foi membro da Comissão de Implantação do Sistema de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cisdacta). Morreu em 2001, aos 59 anos, vítima de complicações cardíacas.

Projeto que prevê mulheres no serviço militar está na pauta da CRE — Senado Notícias


Publicada em 01/04/2019 15:46

A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) analisa na quinta-feira (4) um projeto que prevê o direito das mulheres de prestarem o serviço militar. Pelo texto (PLS 213/2015), da ex-senadora Vanessa Grazziotin, elas poderão escolher prestar o serviço militar ao completarem 18 anos, a exemplo dos jovens de sexo masculino, mas sem o caráter obrigatório.

O relator na CRE é Marcos do Val (PPS-ES), que chamou a proposta de "louvável".

"A prestação desse serviço pode, entre outras coisas, proporcionar o descobrimento de novas vocações para a carreira castrense. As mulheres têm plenas condições de cumprir este serviço, caso desejem. As Forças Armadas já admitem oficiais e praças do sexo feminino", lembra o senador.

Tal como ocorre com os homens, a proposta mantém a preservação do poder discricionário da autoridade competente na adoção do serviço militar opcional para cada candidata, vinculando-o à oportunidade e conveniência de assim proceder. Caso o projeto seja aprovado, poderá seguir para a análise da Câmara dos Deputados.

PORTAL DEFESANET


Helibras destacará sua importância estratégica para a indústria nacional na LAAD


Publicada em 02/04/2019 22:15

Há 40 anos no Brasil, empresa já entregou mais de 800 helicópteros e reforça seu papel no desenvolvimento da indústria aeronáutica brasileira Rio de Janeiro, 01 de abril de 2019 – A Helibras, única fabricante de helicópteros da América Latina, vai expor sua ampla gama de produtos e serviços, destacando a parceria de mais 40 anos com o Brasil na LAAD (Latin America Aerospace and Defence).

A empresa participará da 12ª edição da feira mais importante de defesa e segurança da América Latina, que será realizada de 2 a 5 de abril, no Rio de Janeiro. A Helibras destacará a importância estratégica da indústria nacional. “Temos um papel fundamental na transferência de tecnologia e desenvolvimento da indústria aeronáutica no país, contribuindo para a soberania nacional.

A LAAD é uma excelente oportunidade para ressaltarmos nossa posição no país e na América Latina”, afirma Richard Marelli, presidente da Helibras e Head of Country da Airbus no Brasil.

Aeronaves em exposição

No estande OUT.30, a Helibras vai expor o primeiro H225M em versão de combate naval, desenvolvido e fabricado pela empresa para atender as exigentes missões da Marinha do Brasil. A aeronave, a mais complexa versão do H225 já produzida, foi concebida, desenvolvida e testada pelo Centro de Engenharia da Helibras.

A versão estará equipada com míssil antinavio AM39 Exocet B2MK2 e oferece avanços na guerra antissuperfície e capacidades de Comando e Controle através do inovador Sistema Tático de Missão Naval (NTDMS). Sua certificação final e entrega está prevista para 2019.

Os visitantes também poderão conhecer o Fennec modernizado (AS550A2) do Exército Brasileiro, equipado com braços de armamento, casulo de metralhadora e lançador de sete foguetes. Além disso, também estará exposta uma maquete em tamanho real do helicóptero bimotor H145M, mais avançado helicóptero multifunção, leve, que pode ser armado e usado para uma ampla gama de operações militares, incluindo serviços públicos, reconhecimento, busca e salvamento (SAR), ataque e observação e evacuação médica EVAM).

Quem passar pelo estande da Helibras também terá a chance de experimentar a inovadora ferramenta de realidade virtual do sistema de armas HForce, um sistema modular de armamento axial de última geração, compatível com diversas aeronaves. Além disso, serão feitas demonstrações da suíte aviônica Helionix, projetada pela Airbus Helicopters para oferecer maior flexibilidade de missão, segurança operacional e comunalidade já em serviço nos modelos H135, H145, H160 e H175.

Por fim, especialistas demonstrarão como clientes podem melhorar a disponibilidade de suas aeronaves, otimizar custos, ampliar segurança de voo, bem como melhorar o valor de ativo, por meio do HCare, um completo suporte da frota por hora de voo (tipo CLS), oferecido pela Airbus/Helibras. O serviço contempla manutenção do helicóptero, gerenciamento de material, treinamento e operações de voo, suporte técnico e acesso a serviços online.

PORTAL DEFENSA.COM (Espanha)


Amplia presencia de Saab en LAAD: Del Gripen a sistemas de misiles o submarinos no tripulados


Javier Bonilla | Publicada em 02/04/2019 06:32

Saab estará presente en la edición de 2019 de LAAD International Defence and Security con su amplia cartera de soluciones para la tierra, el aire y el mar. Además de la réplica en tamaño real  del simulador de caza Gripen, los visitantes podrán conocer sus soluciones navales, como el buque de contramedidas de minería (MCMV) y el sistema de gestión de combate 9LV; soluciones terrestres como el Sistema de Baja Altura Telecomandado RBS 70 NG y el portafolio de Entrenamiento y Simulación  de la compañía.

Con  fuertes lazos en Brasil y asentando su presencia en América Latina, Saab considera LAAD, que se realizará entre los días 2 y 5 de abril en el centro de exposiciones Riocentro en Río de Janeiro, un importante espacio en su estrategia de objetivos en Latinoamérica. El encuentro es también una importante marco para discutir el futuro de la industria de defensa y seguridad en la región, principalmente en un momento de cambios de escenarios en todo el mundo.

"América Latina es una región estratégica para Saab, con gran potencial de mercado. Pero, más que eso, tiene un enorme potencial para grandes alianzas. Además de suministrar productos y servicios, buscamos desarrollar, en asociación con las empresas nacionales, la industria de defensa local, a imagen de lo que ya ocurre en el Programa Gripen brasileño ", señala Marianna Silva, directora general de Saab en Brasil.

Saab llevará a su stand una amplia gama de productos altamente tecnológicos para atender las necesidades de las tres fuerzas: Marina, Ejército y Aeronáutica. Algunas de estas soluciones ya están en uso en América Latina, además de soluciones para entrenamiento y simulación, cuyo primer contrato de entrenamiento  en la región fue firmado por la Marina de Brasil en 2007 para el suministro de simuladores de armamento portátil. Los visitantes de la feria también podrán ver una réplica en tamaño real de la cabina del Gripen y visitar el simulador de vuelo del caza adquirido por la Fuerza Aérea Brasileña.

Entre los productos que Saab promociona en la LAAD están:

-Caza Gripen, incluyendo réplicas en tamaño real y simulador

-Buque de contramedida de minado MCM

-Sistemas de radares navales

-Familia de radares de superficie

-Sistemas de control de armas

-Vehículo submarino operado remotamente Double Eagle

-Sistema de gestión de combates 9LV

-Sistema de misiles antinavio RBS 15

-Sistema de misiles de baja altura Telecomandado RBS 70 NG

-Soluciones para entrenamiento y simulación

-Saab presentará sus soluciones en el Pabellón 3, stand J.10

La Fuerza Aérea Brasileña presenta en LAAD sus grandes programas estratégicos


Publicada em 02/04/2019 13:03

La Fuerza Aérea Brasileña (FAB) está presentando en LAAD  diversos programas estratégicos: el carguero KC-390; el caza multimedial F-39 Gripen; el Programa Estratégico de Sistemas Espaciales (PESE), y otros proyectos aeroespaciales de interés de Brasil. De los 14 proyectos presentados en la LAAD, doce son del Departamento de Ciencia y Tecnología de la Aeronáutica (DCTA), uno del Comando de Preparación (COMPREP) y uno del Departamento de Control del Espacio Aéreo (DECEA).

Para exhibir estos proyectos, el Comando de la Aeronáutica ha montado una estructura de 250 metros cuadrados en su stand principal. Además, otros 198 metros cuadrados se han destinados a la realización de reuniones institucionales y un área externa de 2.520 metros cuadrados para la exposición del Módulo de alimentación a puntos remotos (MAPRE) y del vehículo suborbital (VSB-30).Entre los programas presentados están:

GRIPEN (F-X2) - El proyecto F-X2 marcó la compra de 36 aeronaves sustituyendo, inicialmente, los MIRAGE 2000, desactivados en 2013, y posteriormente a los F-5M y A1M. La finalidad es modernizar y estandarizar la flota, posibilitando el desarrollo de la industria de defensa nacional mediante la transferencia de tecnología.

AERONAVE MULTIMISIÓN NACIONAL (KC-390) - Mayor aeronave militar ya producida en Brasil, el KC-390 es un proyecto estratégico compuesto por sistemas embarcados de última generación. Con capacidad para operar en diversos escenarios, del Bosque Amazónico a las pistas de aterrizaje de la Antártida, el KC-390 será empleado en una serie de misiones, involucrando transporte logístico y reabastecimiento en vuelo. La aeronave puede acomodar grandes equipamientos, como armamentos, aeronaves semidesmontadas y hasta blindados, con un peso máximo de 23 toneladas.

PITER-N, enfocado en el desarrollo de tecnología, busca la extracción automática de informaciones a partir de gran cantidad de imágenes y datos en el menor tiempo posible. El objetivo es el procesamiento de datos en tiempo real.

INICIAL LA FIBRA ÓPTICA (IFO) - Objetiva el desarrollo de una Unidad de Medición Inercial (UMI) a Fibra Óptica (IFO) en la FAB, como componente estratégico y de soberanía nacional, con aplicación en sistemas bélicos.

ERISA-D - Concebido a fin de establecer un sistema para proveer conocimiento y medios de prevención, mitigación, protección y control necesarios para garantizar la seguridad de una operación y del efectivo de sectores o unidades operativas de la FAB que actúen en escenarios sujetos a los efectos dañinos de radiaciones ionizantes.

CALIBRACIÓN DE SENSORES - Prevé la Calibración de Sensores Imageadores Orbitales y Aerotransportados para el Comando de la Aeronáutica (COMAER), con miras a la implantación del Sistema Carponis, del Programa Estratégico de Sistemas Espaciales (PESE).

AMBIENTE DE SIMULACIÓN AÉREA (ASA) - Se pretende el desarrollo de un entorno de simulación de escenario aeroespacial para identificar, describir, modelar y evaluar capacidades operativas y misiones en la Fuerza Aérea.

MOTOR L75 - Motor Cohete a Propelente Líquido para etapas superiores de Vehículos Lanzadores de Satélites; utilizará el par propelente oxígeno líquido y etanol, presurizados por turbobomba y será capaz de generar 75 kN de empuje en el vacío.

TURBORREATOR DE 5000N (TR5000) - Un proyecto de desarrollo de una turbina nacional con un empuje nominal de 5000N que también pretende ampliar la infraestructura de ensayos de desarrollo de motores tipo turbina de gas del DCTA.

VLM-1 / VS50 - El proyecto VLM-1 pretende desarrollar un cohete destinado al lanzamiento de cargas útiles especiales o microsatélites (hasta 150kg) en órbitas ecuatoriales y polares o de reentrada, con tres etapas a propulsor sólido en su configuración básica: dos etapas con el motor S50, con cerca de 10 toneladas de propelente, y una etapa orbitadora, con el motor S44.

IFF MODO 4 NACIONAL (IFFM4BR) - Sistemas IFF (Identify Friend or Foe) identifican plataformas (aeronaves y embarcaciones) en el combate, dando soporte a las reglas de compromiso permitiendo el empleo seguro de misiles además del alcance visual (BVR, del inglés Beyond Visual Range). El proyecto IFF Modo 4 Nacional pretende desarrollar y calificar los principales componentes del Sistema, entre ellos el criptocomputador nacional, dotado de algoritmos criptográficos de Estado. La intención es capacitar a la FAB para realizar clasificación segura y autónoma de plataformas.

PROGRAMA ESTRATÉGICO DE SISTEMAS ESPACIALES (PESE) - Vigente desde 2018 frente a la Estrategia de Defensa Nacional, la PESE depende de la Comisión de Coordinación e Implantación del Sistema Espacial (CCISE) produciendo productos dobles (civil y militar) que se utilizarán de forma integrada en beneficio de toda la sociedad.Puede proporcionar servicios de comunicaciones, observación de la Tierra, mapeo de informaciones y monitoreo espacial. Además del Satélite Geoestacionario de Defensa y Comunicaciones Estratégicas (SGDC-1), lanzado en 2017, desde 2021 otros satélites deben entrar en operación: la constelación Carponis (sensoriamento remoto óptico), SGDC-2, ATTICORA (comunicaciones tácticas), y LESSONIA (comunicaciones tácticas) sensor remoto de radar). La PESE también contempla el acceso al espacio por medio de vehículos lanzadores (VLM y Familia Aquila) y de las instalaciones del Centro de Lanzamiento de Alcántara (CLA).

TWR REMOTA - Busca optimizar los recursos técnicos y operativos actuales mediante la implementación de Servicios de Tráfico Aéreo Remoto Regionales. Operará este año en Santa Cruz (R-TWR SC).

PROCEDIMIENTO DE PLANIFICACIÓN DEL PREPARO OPERACIONAL (PPL-PO) - Se trata de una metodología, desarrollada en 2018 por el COMPREP (Comando de Preparación), que permite sistematizar el proceso de planificación institucional. Posibilita el encadenamiento lógico-racional de todas las fases que componen un proceso de planificación. Su uso pretende asegurar el análisis completo de la situación, la programación detallada de la preparación operativa y el seguimiento sistemático de las acciones proyectadas. (Javier Bonilla, corresponsal del Grupo Edefa en Brasil)

El M109A5 , estrella de BAE Systems en LAAD 2019


Javier Bonilla | Publicada em 02/04/2019 06:27

El obús autopropulsado M109A5 +, usado por el Ejército Brasileño, es la pieza central de la exposición de BAE Systems en LAAD.  El M109 fue seleccionado por el Ejército Brasileño en 2012 y BAE Systems, en asociación con el Ejército, llevó a cabo la actualización a la versión A5 +, con entrega prevista este año. El M109A5 + incorpora diversos sistemas digitales capaces de enfrentar los desafíos actuales de la Artillería de Campo.

La exhibición de BAE Systems en el stand incluye un modelo del versátil Buque de Patrullaje Offshore, el radar 3D Artisan, el cañón naval 40 Mk 4, todos utilizados y en servicio por la Marina de Brasil. Los modelos de cañón naval 57 Mk 3, el obus M777 y el Vehículo Anfibio Dassault, entregados por BAE Systems recientemente también serán exhibidos. La compañía también expone algunas de sus más avanzadas soluciones en electrónica, incluyendo el cohete guiado láser APKWS, probado en combate. El kit de orientación, fabricado por BAE Systems, que transforma un cohete no guiado de 2,75 pulgadas (70 milímetros) en un cohete guiado con precisión, permite una capacidad de ataque precisa y de bajo costo.

"BAE Systems es una empresa de alta tecnología con un historial de colaboración en toda América Latina. Queremos apoyar al gobierno brasileño en el suministro de soluciones de defensa de alta calidad y bajo costo para ayudar a proteger el país y contribuir al desarrollo de la industria "Nuestra presencia en esta importante exposición fue proyectada para mostrar no sólo nuestra capacidad, sino también la forma en que operamos", concluye Marco Caffe, Gerente General de BAE Systems para Brasil.

BAE Systems actúa en los dominios terrestre, marítimo y aéreo en Brasil desde hace más de 50 años y opera a través de alianzas locales, transfiriendo tecnología a la industria brasileña. Esto se puede ver en los buques de patrullaje de la clase Amazonas, elegidos por la Marina de Brasil en 2010. La empresa proporciona una variedad de productos y servicios para sus clientes brasileños, incluyendo sistemas de software y hardware, servicios de diseño, soporte e integración para aeronaves , artillería de campo, armas navales y vehículos blindados.

La empresa trabaja en asociación con Embraer para proporcionar barras laterales activas como parte de los controles generales de la cabina del avión de transporte militar KC-390. Esto proporciona una amplitud de capacidad que abre el camino para una mayor colaboración en el futuro. Entre otros ítems utilizados en Brasil, destacan la artillería para cañones navales, vehículos blindados para sistemas de guerra electrónica, los buques de patrulla de la Clase Amazonas y el Sistema de Gestión de Combate Artisan 3D y DNS-2 en el porta-helicópteros A-140 Atlántico (ex- HMS Ocean). (Javier Bonilla, corresponsal del Grupo Edefa en Brasil)

PORTAL AIRWAY


Embraer aceitou vender KC-390 para Portugal com “desconto”, aponta jornal

Parceiro no programa de desenvolvimento do novo cargueiro militar, Portugal negocia a compra de cinco aeronaves por 827 milhões de euros

Thiago Vinholes | Publicada em 02/04/2019

Cotado para ser o primeiro cliente internacional do novo cargueiro militar KC-390, Portugal pode estar perto de concretizar sua compra. Segundo o jornal português Diário de Notícias, a Embraer aceitou a condição do governo lusitano em pagar 827 milhões de euros por cinco aeronaves.

De acordo com a publicação, a Embraer pedia “algumas dezenas de milhões de euros” acima dos 827 milhões. Esse valor é o orçamento máximo inscrito da proposta de Lei de Programação Militar (LPM) aprovada, em novembro de 2018, pelo Conselho de Ministros em Lisboa, para o programa de substituição dos C-130 Hercules da Força Aérea Portuguesa. A cifra pedida pela fabricante brasileira não foi divulgada.

O incomodo dos portugueses com o valor cobrado pela Embraer veio a público em janeiro deste ano, durante uma audição parlamentar do então chefe do Estado-Maior da força aérea sobre o teto da nova LPM. Dias depois, o ministro da Defesa de Portugal reforçou que país desistiria de comprar os KC-390 se a fabricante não baixasse o preço dos aviões, e escolheria outro modelo para substituir os Hercules.

Além das cinco aeronaves, o acordo com a Embraer ainda abrange um simulador de voo e manutenção durante o clico de vida útil dos aviões, acrescentou o jornal.

Apesar de todo envolvimento dos portugueses no programa KC-390, com importantes fábricas de componentes da aeronave instaladas no país, Portugal ainda não é um cliente do novo jato militar da Embraer. A compra dos aviões ainda depende da LPM ser aprovada no parlamento em Lisboa e só depois o contrato pode ser assinado.

Citando fontes não identificadas no ministério da defesa de Portugal, a publicação apontou que está afastada a possibilidade de um “contrato promessa” com a Embraer, porque esses documentos normalmente incluem multas se for ultrapassado o prazo acordado para assinar o contrato definitivo.

Em entrevista ao jornal português, o ministro da Defesa de Portugal, João Gomes Cravinho, disse que a compra dos cinco KC-390 está em fase “pré-final de negociação”. O parlamentar ainda afirmou que a decisão final sobre a aquisição deve ser divulgada em até três meses.

Além de Portugal, parceiro no programa e potencial cliente do KC-390, outros países também tem esse mesmo status, embora com participações menores no desenvolvimento. São eles a Argentina, Chile, Colômbia e República Tcheca.

Até agora o único cliente confirmado do KC-390, a Força Aérea Brasileira deve receber sua primeira aeronave no primeiro semestre deste ano e a segunda no próximo semestre. A encomenda da FAB é de 28 aeronaves.

OUTRAS MÍDIAS


PORTAL AEROFLAP - Evento Internacional aborda sistemas de combate da aeronave F-39 Gripen


André Magalhães | Publicada em 02/04/2019 11:04

O II Seminário Internacional de Sistemas de Combate foi realizado nesta segunda-feira (01/04), no Rio de Janeiro (RJ). O evento, promovido pela Revista Força Aérea em parceria com a FAB, tratou do novo vetor de combate, o F-39 Gripen, e contou com a presença do Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez; do Comandante da Força Aérea Sueca, Major-General Mats Helgesson; além de oficiais-generais e oficiais das Forças Armadas Brasileiras.

Quatro palestrantes falaram sobre os assuntos relacionados ao novo jato. O Major Aviador Nadav Even, da Força Aérea Israelense, abordou o emprego do datalink em combate.

“Quando pensamos em caças, temos três objetivos: melhorar a eficiência da operação, manter a sobrevivência e aumentar a capacidade letal. A coleta de dados é o primeiro passo para atingir esses objetivos. Ainda, depois de coletar as informações, é preciso processar, fundir e distribuí-las em uma interface automática”, ressaltou.

Segundo o oficial, atualmente, as informações são projetadas para o piloto e ele tem que decidir o que é importante.

“A proposta é que o datalink permita a conectividade de dados, como acontece nas redes sociais, onde é possível compartilhar conhecimento de forma automática. Estamos falando em compartilhar dados como nível de combustível, quantidade de flyer, ameaças, modo de navegação, por exemplo”, complementou.

O Tenente-Coronel Jacobus Boschoff tratou sobre as contramedidas eletrônicas da nova aeronave da FAB. O palestrante abordou os sistemas de missão tática voltados para a consciência situacional.

“Nós precisamos ter a capacidade realçada, pois temos um espaço aéreo congestionado. É muita informação; precisamos ajudar o piloto na tomada de decisão e otimizar o combate efetivo”, afirmou.

O Comandante da Escola de Voo da Força Aérea Sueca, Tenente-Coronel Aviador Jonas Rohlén, abordou o treinamento de pilotos de caça, que é obrigatório para todos os militares oficiais suecos. O palestrante apresentou os critérios de seleção e formação dos pilotos e destacou a preparação tanto dos alunos quanto dos instrutores.

“Nós queremos que os instrutores conheçam cada indivíduo e saibam até onde podem chegar. Aumentamos a dificuldade das tarefas, visando atingi-las com sucesso e autoconfiança, sem promover estresse desnecessário. É importante o instrutor se conhecer e conhecer o seu aluno para compreender a necessidade dele”, ressaltou.

O seminário ainda contou com a palestra do Major Aviador Jonas Jakobsson, piloto de ensaios em voo do Gripen, que explanou sobre displays, configurações e capacidades da aeronave.

O Chefe da Terceira Subchefia do Estado-Maior da Aeronáutica, Major-Brigadeiro do Ar Jefson Borges, acompanhou o evento e fez um balanço positivo.

“Muito interessante como os temas tratados foram correlacionados: a fusão de dados, a transferência de informações entre as aeronaves, a análise de elementos, a formação dos pilotos, o funcionamento da guerra eletrônica do Gripen e, por fim, a apresentação dos dados. Tudo isso é muito importante para a sociedade entender as capacidades que a nova aquisição da FAB trará para o país”, concluiu.

AEROFLAP - Exercício BVR começa na ALA 3 e reúne principais esquadrões de caça da FAB


Publicada em 02/04/2019 12:28

Começou ontem o Exercício multifuncional da FAB de Beyond Visual Range (BNR), o exercício está acontecendo na ALA 3, em Canoas-RS. O exercício voltado para a aviação de caça mas reúne também aviação de asas rotativas, reconhecimento, radar e transporte e logística que apoiam as operações.

O chamado Beyond Visual Range, cujo tem a sigla de BVR, significa ‘Além do Alcance Visual’. Basicamente é treino onde são testados os armamentos BVR, além de treinar toda uma equipe como pilotos, pessoal de solo e controladores.

Em um combate BVR o fator distância e surpresa são os pontos altos. Muitas vezes o inimigo está a 25 ou 50 km de distância e mesmo assim graças a tecnologias e táticas de combates e armamentos é capaz de abater o inimigo, mesmo que não tenha um contato visual.

No cenário atual da caça o modo BVR é o mais comum, graças as tecnologias desenvolvidas com o passar dos anos. Com tudo, os pilotos ainda treinam combate 1×1 a curta distância, os famosos ‘Dogfights’

Esquadrões sediados em Anápolis-GO, em Canoas-RS, no Rio de Janeiro, Manaus-AM, Santa Maria- RS e em Campo Grande-MS, são de onde boa parte dos militares saíram para participarem do exercício em Canoas, na ALA 3.

As aeronaves que estão participando do exercício são os caças F-5EM/FM e A-1M AMX, um KC-130 que cumpre missões de REVO, um R-35 para reconhecimento, aviões -radar como o E-99, um helicóptero H-36 Caracal pra missões de busca e salvamento (C/SAR).