NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


AGÊNCIA BRASIL


Maior feira de defesa da América Latina começa nesta terça no Rio

Indústria espera crescimento do setor nos próximos anos

Gilberto Costa | Publicada em 01/04/2019 17:09

A partir de amanhã (2), no Riocentro (Rio de Janeiro), mais de 120 fabricantes e fornecedores da indústria de defesa nacional deverão se encontrar na Laad Defence & Security, considerada “a mais importante feira de defesa e segurança da América Latina”. A expectativa é que até sexta-feira (5) mais de 37 mil visitantes de 80 países (183 delegações oficiais) passem no local.

De acordo com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), o setor gera 60 mil empregos diretos e 240 mil empregos indiretos no Brasil e movimenta R$ 202 bilhões por ano (4% do PIB). Conforme os dados da Fipe, seis de cada dez reais gastos com segurança ou defesa no Brasil são feitos pelo governo federal (R$ 142 bilhões), principalmente pelas Forças Armadas.

A 12ª edição da Laad Defence & Security ocorre em um momento de otimismo entre os fabricantes quanto ao crescimento desses números nos próximos anos. Além dos exercícios regulares de guerra, controle e observação do território nacional (o quinto maior do mundo), e missões especiais, as Forças Armadas precisam de equipamento e tecnologia para atividades como o controle do tráfego aéreo, construção de obras de infraestrutura, transporte, policiamento em parte das áreas de fronteira, combate ao crime e guarda costeira.

“Nós estamos mais otimistas em relação às perspectivas futuras de aparelhamento das Forças Armadas via fornecimento da indústria brasileira”, diz Glauco Côrte, presidente do Conselho Temático da Indústria de Defesa (Condefesa), órgão consultivo da Confederação Nacional da Indústria. “O governo atual enxerga o gasto de defesa como estratégica”, acrescenta Roberto Gallo, presidente da Associação Brasileira das Industriais de Materiais de Defesa e Segurança (Abimde).

Há mais de razões para a visão positiva dos representantes do setor por causa de nova legislação que pode criar mais demandas para a indústria de defesa. Em dezembro de 2018, o então presidente Michel Temer sancionou lei criando o Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP). O fundo (com recursos de apostas em loteria) deverá acrescentar mais R$ 1,6 bilhão nos gastos da União, estados e municípios na área segurança este ano. Quinze dias após a posse presidencial, Jair Bolsonaro assinou decreto flexibilizando a posse de armas de fogo.

Orçamento aprovado

Além dessas iniciativas, a indústria da defesa espera que o governo federal cumpra integralmente o orçamento aprovado pelo Congresso Nacional para as Forças Armadas. “Vamos nos alinhar no Condefesa com os pleitos das Forças Armadas para o que seu orçamento uma vez aprovado não sofra ao longo dos anos cortes. Isso tem acontecido nos últimos anos. As Forças Armadas estão com dificuldade de fazer um planejamento de longo prazo”, aponta Glauco Côrte.

Roberto Gallo concorda e ressalta que “talvez mais importante do que a quantidade de recursos, seja previsibilidade e a perenidade de gastos”. Segundo ele, a manutenção dos recursos é indispensável para que o setor produza continuamente. “A indústria da defesa é por excelência tecnológica. Isso significa que, para passar a fabricar alguma coisa, precisa de um ciclo de pesquisa, de desenvolvimento e, depois, para a fabricação e provimento do material necessita de outro ciclo, de serviços e suporte”.

De acordo com o Portal da Transparência, da Controladoria-Geral da União, nos últimos cinco anos o gasto efetivo com Defesa Nacional sempre ficou aquém do previsto no orçamento. Entre 2015 e 2018, cerca de R$ 35 bilhões deixaram de ser gastos (valor superior ao total de despesas executadas em 2015 na rubrica).

Gallo lembra que “o orçamento é autorizativo, mas não impositivo”. Ele pondera que a garantia definitiva de recursos depende do ajuste nas contas públicas. “As perspectivas são boas ainda que exista arrocho de orçamento. Mas a médio e longo prazo, precisa da reforma fiscal”, avalia.

Côrtes sugere que os gastos com as aquisições da indústria de defesa não constem como despesa, mas como investimento. Em sua visão, além das razões de segurança e proteção, a sociedade se beneficia com inovações. “Boa parte das demandas tecnológicas das Forças Armadas acabam sendo utilizadas pela economia civil".

Perigosamente defasado

Segundo o general Eduardo Villas Bôas, ex-comandante do Exército e atual assessor especial do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, o fato de não haver percepção de eventual ameaça de confronto militar, torna mais difícil o convencimento sobre a alocação de recursos para a defesa.

Na reunião do Condefesa, realizada em Brasília no último dia 27, Villas Bôas disse que o Brasil está ficando “perigosamente defasado” no aparato de defesa. Conforme o conselho da CNI, o país está em 11º lugar no ranking mundial dos países que realizam gastos militares. As despesas, no entanto, representam menos de 2% do gasto militar global.

Conforme Rodrigo Fracalossi, especialista em defesa do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea), o momento atual pode resultar em mais atenção aos pleitos das Forças Armadas por longo prazo. “O cenário político atual favorece o envolvimento das Forças Armadas em várias áreas”.

Ele pondera que que alguns segmentos da sociedade defendem que militares atuem em várias áreas do Estado brasileiro, e destaca que "militares estão assumindo posições no governo, e estão adensando redes de colaboração, visto que a presença de um leva à presença de outros”.

PORTAL DEFESANET


AKAER - Revitaliza aeronaves P-3AM da FAB

Projeto, que estende a vida útil das aeronaves, será destaque da empresa durante a LAAD 2019

Publicada em 01/04/2019 18:02

A Akaer – empresa certificada como EED (Empresa Estratégica de Defesa), com controle acionário nacional e gestão independente – participa da LAAD Defence & Security 2019, que acontece de 2 a 5 de abril, no Riocentro, Rio de Janeiro (RJ). A empresa, que está no estande H55, localizado no Pavilhão 3, destaca o projeto de revitalização das aeronaves P-3AM, da FAB (Força Aérea Brasileira).

O projeto de revitalização iniciou-se no final de 2018, quando equipes da Akaer participaram de treinamentos em uma empresa americana, parceira da ação. Os primeiros conjuntos de asas a serem revitalizadas serão levados para as modernas instalações da Akaer, localizada no complexo industrial da empresa em São José dos Campos (SP). Desmontagem e montagem serão realizadas na Base Aérea da FAB no Rio de Janeiro (RJ).

A revitalização estenderá a vida útil das aeronaves. Para isso, a Akaer fará a substituição de diversos elementos da asa – revestimentos superiores, longarinas dianteiras e traseiras, painéis superiores dos caixões centrais asa/fuselagem – entre outras ações. Esse projeto evita a fadiga estrutural das asas, o que limitaria o tempo de uso das aeronaves.

As aeronaves P-3AM de patrulha marítima são empregadas na vigilância das águas territoriais brasileiras e utilizam os mais modernos sensores eletrônicos embarcados. Conhecido como o “guardião do pré-sal”, o avião P-3AM possui capacidade de detectar, localizar, identificar e, quando necessário, atacar alvos de superfície e submarinos, contribuindo na manutenção da soberania nacional.

Além do patrulhamento, o P-3AM é o único vetor aéreo capaz de desempenhar as atividades de busca e salvamento em toda área marítima sob a responsabilidade do Brasil além de realizar importante papel na defesa do meio ambiente, identificando crimes ambientais.

“As Forças Armadas precisam cumprir suas missões e para isso necessitam de equipamentos operacionais. Num cenário de restrição orçamentária, a solução de melhor custo benefício é a Modernização & Revitalização que estende a vida útil e aumenta a disponibilidade dos equipamentos que as Forças Armadas já possuem.

A Akaer traz também uma abordagem diferente da normalmente trazida pelas OEM’s e/ou fornecedores de equipamentos isolados. No caso da Akaer, as soluções adotadas são focadas nas análises de engenharia que, em um primeiro momento, permitam a revitalização e/ou extensão da vida operacional das soluções existentes, com um mínimo de intervenção”, destaca o presidente e CEO da Akaer, Cesar Augusto Teixeira Andrade e Silva.

Sobre o Grupo Akaer

O Grupo Akaer, fundado em 1992, é especializado no fornecimento de soluções tecnológicas em diferentes áreas de atuação como aeroespacial, defesa, energia e automotiva. Com mais de 350 funcionários altamente capacitados, tem atuado no desenvolvimento em projetos estratégicos para o Brasil como o Gripen, KC-390, além de câmeras para satélites.

MINISTÉRIO DA DEFESA


Ministério da Defesa destaca projetos estratégicos na LAAD 2019


Publicada em 01/04/2019 14:00

O Ministério da Defesa vai estar presente na 12ª edição da Laad Defence & Security 2019 – Feira internacional de Defesa e Segurança, que ocorre de 2 a 5 de abril, no Riocentro. O evento apresenta as últimas novidades em soluções, tecnologias, equipamentos e serviços para toda a cadeia de defesa, segurança pública e corporativa.

A abertura da feira, na terça (02/04) será presidida pelo vice-presidente da República, Hamilton Mourão, ocasião na qual o ministro da Defesa, Fernando Azevedo, discursará. O ministro da Defesa participará, ao longo da semana, de reuniões com as empresas expositoras e também de encontros bilaterais com autoridades brasileiras e estrangeiras.

A LAAD reúne os principais representantes do setor e deve contar com mais de 450 marcas nacionais e internacionais em áreas como engenharia aeronáutica e naval, equipamentos pessoais e táticos, munição e armamento. Nos quatro dias de evento, são esperadas cerca de 40 mil pessoas e 195 delegações oficiais de 80 países.

Com entendimento que ser um país pacífico não significa ser passivo e indefeso, o Brasil investe numa capacidade militar de dissuasão que possibilite reagir não apenas contra ameaças externas, mas também contra riscos contemporâneos como o terrorismo, o crime organizado transnacional, a pirataria e os ataques cibernéticos.

Neste contexto, o Ministério da Defesa e as Forças Armadas trazem para a LAAD produtos estratégicos como o Programa Estratégico de Sistemas Especiais (PESE), o primeiro Satélite Geoestacionário de Defesa de Comunicações Estratégicas (SGDC-1), o Projeto H-XBR e o Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB). 

No evento, o MD e as Forças Armadas exibirão seus principais projetos estratégicos. Com 56 metros quadrados, o estande do MD está localizado no Pavilhão 3.

Missão

O Ministério da Defesa tem como missão principal zelar pela atuação integrada das três Forças Armadas (Marinha, Exército e Aeronáutica) buscando a garantia da soberania nacional, com foco na otimização de recursos.

Criado em 10 de junho de 1999, as ações do Ministério estão norteadas por dois documentos-base que representam o posicionamento da pasta frente ao cenário militar e civil, seja nacional ou internacional. São eles: Política Nacional de Defesa e Estratégia Nacional de Defesa.

Existe ainda um documento que reúne todas as informações sobre as Forças Armadas, como funções, efetivo, equipamentos, dando transparência às atividades dos militares. O Livro Branco de Defesa Nacional (lançado em 2012 e revisto em 2016) tem caráter informativo e traz um retrato do que são as Forças Armadas no Brasil.

Serviço

Estande do Ministério da Defesa na LAAD – Pavilhão 3
Data: 2 a 5 de abril 
Local: Riocentro – Av. Salvador Allende, 6.555 – Barra da Tijuca – Rio de Janeiro – RJ
Horário da Exposição da 12º Laad: De terça-feira (02/04) a quinta-feira (04/04), das 10h às 18h. Sexta-feira (02/04), das 10h às 17h.

OUTRAS MÍDIAS


AEROFLAP - Aeronaves C-130 Hércules da FAB pousam em Moçambique com ajuda humanitária


Tenente Jonathan/cecomsaer | Publicada em 01/04/2019 12:29

As duas aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) que levaram ajuda aos atingidos pelo Ciclone Idai pousaram, por volta das 12h50 (07h50 no horário de Brasília) desta segunda-feira (01/04), na cidade de Beira, em Moçambique.

Os dois C-130 Hércules transportaram mais de 20 toneladas de suprimentos e equipamentos, além de 40 militares da Força Nacional e do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais.

Após 19 horas e 20 minutos de voo, em quatro dias, as equipes brasileiras foram recebidas pelo

Embaixador do Brasil em Moçambique, Carlos Alfonso Iglesias Puente; pela Diretora-Geral do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades de Moçambique, Augusta Maita; e pelo Adido de Defesa do Brasil em Moçambique. No desembarque, um grupo de brasileiros recepcionou os militares no aeroporto com bandeiras e gritos de apoio e agradecimento.

“Esta ajuda do Brasil é muito bem-vinda, se junta a todo um esforço internacional que apoia nossa população que sofre desde o dia 14 de março com o ciclone e com os alagamentos. Ao todo, 518 pessoas já morreram em nosso país. Estamos agradecidos ao Brasil e sensibilizados com esse apoio”, disse Augusta Maita.

Para o Embaixador, o esforço da FAB foi essencial para a chegada da ajuda brasileira. “Senti muito orgulho de ver a bandeira do Brasil e essas duas aeronaves chegando em um momento tão difícil. Essa ajuda era muito esperada. O apoio da FAB foi fundamental para o transporte de suprimentos e militares. Uma ajuda muito necessária”, ressaltou.

Esforço aéreo logístico

A missão de assistência humanitária, considerada de grande complexidade pelo Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), foi acionada na quinta-feira (28/03) por meio do Ministério da Defesa e por determinação do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República.

Já na sexta-feira (29/03), as duas aeronaves da FAB e suas tripulações estavam prontas para o cumprimento de uma rota que envolveu a travessia do Oceano Atlântico e pousos técnicos em dois países antes da chegada a Moçambique.

Os aviões do Primeiro Grupo de Transporte – Esquadrão Gordo (1ºGTT), saíram do Rio de Janeiro na sexta-feira (29/03), às 18 horas, com insumos de assistência humanitária fornecidos pelo Ministério da Saúde.

Na primeira parada, em Belo Horizonte (MG), bombeiros e militares da Força Nacional embarcaram com quatro veículos, botes, equipamentos de logística e recursos tecnológicos para operações de busca e salvamento.

Ainda no Brasil, os aviões fizeram uma última parada técnica no Recife (PE). Lá, as aeronaves foram reabastecidas e as tripulações substituídas: de seis homens em cada Hércules, as equipes passaram a contar com 10 militares.

Na África, após quase nove horas cruzando o Oceano Atlântico, os Hércules C-130 pousaram em Abidjan, na Costa do Marfim. “Aqui realizamos o reabastecimento da aeronave depois dessa grande quantidade de horas. Apenas um pouso técnico”, comentou o comandante de uma das aeronaves, Capitão Aviador Roberto Lopes Gomes.

As 5 horas e 40 minutos, os aviões do 1º GTT chegaram a Luanda, em Angola. O Embaixador do Brasil no país, Paulino Franco de Carvalho Neto, se encontrou com os militares da missão. O órgão diplomático prestou apoio ao grupo e o Embaixador ressaltou a importância do trabalho da FAB no transporte.

“A Força Aérea demonstra, mais uma vez, seu profissionalismo, sua capacidade de reagir às emergências e de apoio às demandas do Governo do Brasil. A operação conjunta demonstra também nossa capacidade de agir no plano internacional, incluindo a África, que precisa tanto do nosso apoio”, disse.

A decolagem do Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, em Luanda, com destino à cidade de Beira, aconteceu às 6h10 da manhã (2h10 no horário de Brasília).

“Essa missão gerou uma demanda muito grande. Foram muitos lugares diferentes, negociações, acordos internacionais, precisávamos definir a melhor rota. Mas é uma missão muito prazerosa. A gente treina e fica sempre pronto para isso. É gratificante ajudar a salvar vidas”, declarou um dos pilotos da missão, Capitão Aviador Nelson Dias da Silveira Costa.

Para o Sargento Leandro Francisco Cardoso a missão também é gratificante. “Nossa missão aqui é trazer ajuda e apoiar esse povo tão sofrido. É muito bom se sentir útil e usar tudo aquilo que aprendemos na Escola de Especialistas e na carreira. Estamos ajudando o povo moçambicano a ter um pouco mais de alento”, completou.

Entre os materiais transportados estão água potável, veículos de transporte como camionetes e botes motorizados, barracas, geradores, torres de energia, macas, equipamentos de mergulho, além de ferramentas como motosserras, pás e enxadas.

Um carregamento do Ministério da Saúde também foi levado. Ao todo, são seis kits de medicamentos e insumos, totalizando 870 kg, quantitativo suficiente para atender até 3 mil pessoas por um período de três meses, segundo informações do Ministério.

AEROFLAP - Embraer expõe na LAAD ampla gama de soluções de Defesa


André Magalhães | Publicada em 01/04/2019 18:08

A Embraer participa da 12ª edição da LAAD Defence & Security 2019, a mais importante feira de defesa e segurança da América Latina, que acontece de 2 a 5 de abril no Riocentro, no Rio de Janeiro.

A Empresa marca presença no evento com soluções integradas e aplicações de Comando e Controle, Inteligência, Vigilância e Reconhecimento (C4ISR), em sistemas integrados de informação, comunicação, monitoramento e vigilância de fronteiras, tecnologias de radares e sistemas espaciais, além das aeronaves A-29 Super Tucano, de ataque leve e treinamento avançado, e o KC-390, de transporte militar multimissão.

Nos últimos anos, a Embraer aplicou sua expertise de cinco décadas no desenvolvimento e fabricação de aeronaves e diversificou o portfólio de produtos para o setor de defesa e segurança para além das aeronaves, por meio das empresas coligadas. Entre elas, estão a Atech, empresa brasileira líder em sistemas complexos de missão crítica, provedora de soluções integradas em defesa, segurança, tráfego aéreo e aplicações civis, e a Savis, dedicada a desenvolver, integrar e implantar sistemas e serviços na área de Monitoramento de Fronteiras e Proteção de Estruturas Estratégicas, de acordo com as diretrizes da Estratégia Nacional de Defesa. 

A Visiona Tecnologia Espacial, joint-venture formada entre a Embraer e a Telebras, foi responsável pela integração do sistema do Satélite Geoestacionário de Comunicações Estratégicas e Defesa do governo brasileiro.

A Visiona tem se consolidado no segmento de sistemas satelitais e, recentemente, desenvolveu o primeiro software brasileiro responsável pela orientação de satélites, parte integrante do projeto do Sistema de Controle de Órbita e Atitude.

Durante o evento a Embraer realizará três press briefings:

– Dia 02, terça-feira, às 14h – Press briefing KC-390

– Dia 03, quarta-feira, às 11h – Press briefing Atech

– Dia 03, quarta-feira, às 14h – Press briefing Embraer – Saab programa Gripen

Todos serão realizados no Mezanino 2, Pavilhão 2.

O estande da Embraer está localizado no Pavilhão 3, K-60.

AEROFLAP - Helibras destacará sua importância estratégica para a indústria nacional na LAAD 2019


André Magalhães | Publicada em 01/04/2019 18:25

A Helibras, única fabricante de helicópteros da América Latina, vai expor sua ampla gama de produtos e serviços, destacando a parceria de mais 40 anos com o Brasil na LAAD (Latin America Aerospace and Defence).

A empresa participará da 12ª edição da feira mais importante de defesa e segurança da América Latina, que será realizada de 2 a 5 de abril, no Rio de Janeiro. A Helibras destacará a importância estratégica da indústria nacional.

“Temos um papel fundamental na transferência de tecnologia e desenvolvimento da indústria aeronáutica no país, contribuindo para a soberania nacional. A LAAD é uma excelente oportunidade para ressaltarmos nossa posição no país e na América Latina”, afirma Richard Marelli, presidente da Helibras e Head of Country da Airbus no Brasil.

No estande OUT.30, a Helibras vai expor o primeiro H225M em versão de combate naval, desenvolvido e fabricado pela empresa para atender as exigentes missões da Marinha do Brasil. A aeronave, a mais complexa versão do H225 já produzida, foi concebida, desenvolvida e testada pelo Centro de Engenharia da Helibras.

A versão estará equipada com míssil antinavio AM39 Exocet B2MK2 e oferece avanços na guerra antissuperfície e capacidades de Comando e Controle através do inovador Sistema Tático de Missão Naval (NTDMS). Sua certificação final e entrega está prevista para 2019.

Os visitantes também poderão conhecer o Fennec modernizado (AS550A2) do Exército Brasileiro, equipado com braços de armamento, casulo de metralhadora e lançador de sete foguetes.

Além disso, também estará exposta uma maquete em tamanho real do helicóptero bimotor H145M, mais avançado helicóptero multifunção, leve, que pode ser armado e usado para uma ampla gama de operações militares, incluindo serviços públicos, reconhecimento, busca e salvamento (SAR), ataque e observação e evacuação médica (EVAM).

Quem passar pelo estande da Helibras também terá a chance de experimentar a inovadora ferramenta de realidade virtual do sistema de armas HForce, um sistema modular de armamento axial de última geração, compatível com diversas aeronaves. Além disso, serão feitas demonstrações da suíte aviônica Helionix, projetada pela Airbus Helicopters para oferecer maior flexibilidade de missão, segurança operacional e comunicabilidade já em serviço nos modelos H135, H145, H160 e H175.

Por fim, especialistas demonstrarão como clientes podem melhorar a disponibilidade de suas aeronaves, otimizar custos, ampliar segurança de voo, bem como melhorar o valor de ativo, por meio do HCare, um completo suporte da frota por hora de voo (tipo CLS), oferecido pela Airbus/Helibras. O serviço contempla manutenção do helicóptero, gerenciamento de material, treinamento e operações de voo, suporte técnico e acesso a serviços online.