NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


TV GLOBO - JORNAL NACIONAL


Rodrigo Maia (DEM) é reeleito pela 3ª vez para a Presidência da Câmara

Deputados eleitos em outubro tomaram posse, 244 em primeiro mandato. Maia foi reeleito com 334 votos; Fábio Ramalho, do MDB, ficou em segundo com 66 votos.

Por Jornal Nacional | Publicada em 01/02/2019 22:01

Os deputados eleitos em outubro tomaram posse cedo nesta sexta-feira (1º), em uma cerimônia na Câmara, 244 assumiram o primeiro mandato.

No plenário, logo no início, Rodrigo Maia (DEM-RJ) comunicou a renúncia do deputado eleito Jean Wyllys, do PSOL. Depois, um a um, 512 deputados prometeram cumprir a Constituição.

O único ausente foi o deputado e atual ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio, do PSL, que está de licença médica. Ele pode tomar posse em até 60 dias.

Os outros três ministros que se elegeram deputados em outubro foram exonerados para tomar posse: da Cidadania, Osmar Terra, do MDB; da Agricultura, Tereza Cristina; e da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, os dois do Democratas.

Onyx anunciou que a proposta de reforma da Previdência, considerada prioridade pelo governo, está com o presidente.

“É o presidente Jair Bolsonaro que vai definir dentre as várias alternativas que nós oferecemos, o modelo que ele acha mais adequado para que a gente traga para o Congresso”, disse Onyx.

Sobre a reforma, o vice-presidente Hamilton Mourão disse que o governo já decidiu aumentar de 30 para 35 anos o tempo de contribuição dos militares para a aposentadoria.

Na Câmara, após a cerimônia de posse, os deputados se concentraram no primeiro compromisso oficial: a eleição do presidente. É ele quem comanda as votações no plenário, escolhe os projetos e decide quando eles serão votados.

Até o início da noite eram sete candidatos: Fábio Ramalho, do MDB de Minas; João Henrique Caldas, do PSB de Alagoas; Marcelo Freixo, do PSOL do Rio; Ricardo Barros, do Progressistas do Paraná; Marcel van Hattem, do Novo, do Rio Grande do Sul; General Peternelli, do PSL de São Paulo; e Rodrigo Maia, do Democratas do Rio, que tenta a reeleição.

Cartazes, santinhos, pressão pesada. Boca de urna nos corredores. Além da presidência, outros dez cargos estão em disputa para a mesa diretora: duas vice-presidências, quatro secretarias e quatro cargos de suplência.

Os deputados federais pediram um minuto de silêncio em homenagem às vítimas de Brumadinho. A votação foi secreta pelo sistema eletrônico. Para ser eleito, o candidato precisa ter a maioria dos votos dos deputados que estão participando da eleição. Se nenhum deles conseguir essa maioria haverá um segundo turno como os dois mais votados. O presidente Rodrigo Maia conseguiu apoio de 21 partidos.

Os 512 deputados tomaram posse e todos participaram da seleção. O presidente Rodrigo Maia foi reeleito pela terceira vez com 334 votos; Fábio Ramalho, do MDB, ficou em segundo com 66 votos. Rodrigo Maia ficou bastante emocionado foi muito cumprimentado.

O JN fez um cálculo: é a 16ª vez desde a redemocratização do país que a reeleição na Câmara é decidida no primeiro turno.

AGÊNCIA BRASIL


Militares israelenses, que ajudaram em Brumadinho, chegam a TelAviv


Por Agência Brasil | Publicada em 01/02/2019 16:01

Os 136 militares de Israel que ajudaram nos resgates aos desaparecidos em Brumadinho (MG) chegaram hoje (1º) a TelAviv, capital israelense. Segundo informações da embaixada israelense em Brasília, a tropa foi recebida pelo comandante do Comando da Frente Interna, o major-general Tamir Yadai, no Aeroporto Internacional Ben Gurion.

Os engenheiros, médicos e técnicos atuaram por quatro dias em Brumadinho no resgate de desaparecidos. Foram utilizados meios tecnológicos avançados nas buscas e técnicas inovadoras. Também vieram cães farejadores.

Antes da partida da delegação israelense, as autoridades de resgate brasileiras realizaram uma cerimônia de agradecimento para delegação israelense.

Destaque

Neta de brasileiros, a soldado israelense Amit Levi, 21 anos, e falando português, se transformou em uma espécie de integração entre as Forças Armadas de Israel e do Brasil.

Simpática, Amit disse que era uma honra participar das operações de resgate em Brumadinho. A foto dela, olhando com respeito para as bandeiras do Brasil e de Israel presas no uniforme, destacou-se entre tantas imagens tristes e tensas.

JORNAL DIÁRIO DO NORDESTE


Tráfego internacional no Aeroporto cresce 60% em 2018

Foram transportados 151,9 mil passageiros a mais que em 2017

Publicada em 01/02/2019 22:43

Após a inauguração de várias rotas ao exterior, o número de passageiros a bordo de voos internacionais na Capital deu um salto de 60% no ano passado em comparação a 2017, conforme dados divulgados ontem pelo Fortaleza Airport. Em 2018, 402 mil viajantes internacionais passaram pelo terminal, 151,9 mil a mais que no ano anterior, que registrou a movimentação de 250,3 mil passageiros, segundo a antiga operadora, Infraero.

O resultado reflete o crescimento de voos internacionais a partir do terminal, que aumentaram 46,75% ante 2017, principalmente devido ao início da operação do hub do grupo Air France-KLM e Gol Linhas Aéreas. De acordo com o secretário do Turismo, Arialdo Pinho, o crescimento foi "além das expectativas". "É um belo crescimento para um ano de crise e nós vamos continuar crescendo. Nós vamos ser líderes no Nordeste".

Na avaliação do professor Alessandro Oliveira, pesquisador do Núcleo de Economia do Transporte Aéreo do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (Nectar-ITA), os números reforçam a tendência de que aeroportos privatizados tendem a captar mais demanda. "É importante que a administração aproveite isso bastante, porque, mais adiante, muitos aeroportos serão privatizados. Tem que reforçar essas vantagens iniciais", aponta.

Já o engenheiro aeronáutico Igor Pires aponta que o crescimento da movimentação internacional em Fortaleza é sem precedentes. "Uma nova era", ressalta. "Hoje, temos empresas de fortíssima presença global. Nós devemos passar de 500 mil passageiros internacionais em 2019".

Movimentação de passageiros internacionais do Aeroporto no ano passado foi recorde em 2018, em reflexo do aumento de voos para o exterior a partir do hub do grupo Air France-KLM

PORTAL CAMPO GRANDE NEWS


Órgão captados no interior beneficiam pacientes da Capital, no DF e São Paulo


Adriano Fernandes | Publicada em 01/02/2019 23:41

Um paciente, de 37 anos, que teve os órgãos doados e captados no Hospital da Vida, em Dourados, mesmo após o falecimento ajudou a melhorar a rotina de vida de outras três pessoas, uma em Brasília, em São Paulo e na Capital.

A captação dos órgãos foi acompanhada pela equipe da OPO (Organização de Procura de Órgãos) da Santa Casa de Campo Grande, nesta quinta-feira (31). Este foi o segundo acompanhamento externo deste ano.

O fígado doado foi captado pela equipe de Brasília e levado com o apoio da Aeronave da Força Aérea Brasileira. Um dos rins do doador foi encaminhado para São Paulo por meio de voo comercial e o outro foi trazido para a Santa Casa e transplantado em uma paciente na tarde desta quinta-feira (31).

A equipe responsável pela extração dos rins foi o médico urologista, Waldemar Abe e o residente em urologia, Antônio Deotti. O responsável pelo acompanhamento de todo o processo foi enfermeiro responsável da OPO, Rodrigo Gomes.

A equipe da Santa Casa contou com a ajuda da Coordenadoria de Transporte Aéreo da Casa de Aviação de Mato Grosso do Sul para o transporte em tempo hábil de captação dos órgãos de Campo Grande até Dourados.

Terceira captação do ano

Na última terça-feira (29) a Santa Casa de Campo Grande também sediou a terceira captação de órgãos no hospital, neste ano. A doadora de 53 anos que evoluiu para morte encefálica doou múltiplos órgãos ajudando na qualidade de vida de outras cinco pessoas.

A equipe de Brasília veio até o hospital para captar e levar o fígado doado e um dos rins da paciente, o outro permaneceu para transplante no mesmo dia pela equipe de urologia e nefrologia.

OUTRAS MÍDIAS


AEROFLAP - Companhias Aéreas do Brasil transportaram 8,7 mil itens para transplantes de órgãos em 2018


Publicada em 01/02/2019 12:43

A aviação comercial brasileira transportou gratuitamente 8,7 mil itens para transplantes (órgãos, tecidos, equipes médicas, entre outros) no Sistema Único de Saúde (SUS) do país em 2018.

Os dados são da Central Nacional de Transplantes (CNT) e mostram que AVIANCA, AZUL, GOL, LATAM e PASSAREDO, integrantes da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), foram responsáveis pelo transporte de 79,6% dos itens (pouco mais de 20% foram transportados por companhias aéreas estrangeiras, Força Aérea Brasileira, voos particulares, Correios e transporte terrestre). Ao todo, foram transportados 10.948 itens no ano passado.

Fundadoras e associadas da ABEAR realizaram 4.495 voos com algum tipo de apoio para os transplantes em 2018. O número representa 86% do total de movimentos.

“A participação das empresas aéreas da ABEAR no sistema de transplantes é fundamental em um país de dimensões continentais como o Brasil. Só a agilidade do transporte aéreo permite que um órgão percorra grandes distâncias em tempo hábil para um transplante”, diz o diretor de Segurança e Operações de Voo da ABEAR, Comandante Ronaldo Jenkins.

Asas do Bem

Órgãos, tecidos, equipes médicas e insumos são transportados gratuitamente pela aviação comercial para a realização de transplantes no SUS. Tal apoio ajuda o Brasil a figurar como detentor do maior sistema público de transplantes do mundo. A contribuição da aviação teve início ainda em 2001.

O esforço, hoje formalizado em acordo de cooperação renovado anualmente, inclui, além das companhias aéreas, Ministério da Saúde, Central Nacional de Transplantes (CNT), Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), órgão do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), e operadores aeroportuários.

Em 2014, a ABEAR lançou o programa Asas do Bem, com o objetivo de divulgar o transporte gratuito de órgãos realizado diariamente no país por suas associadas

SÓ NOTÍCIAS.COM - Piloto e avião que decolaram de Alta Floresta estão desaparecidos e polícia abre inquérito


Cleber Romero | Publicada em 01/02/2019 16:25

O delegado da Polícia Civil, Carlos Francisco de Moraes, confirmou, ao Só Notícias, que decidiu abrir inquérito policial para investigar o possível desaparecimento do piloto Valdemir Elias do Couto, de 33 anos. Ele estava em um avião monomotor modelo Embraer EMB-710 (Carioca) e “decolou de Alta Floresta por volta das 9h30 do último domingo. Já ouvimos testemunhas e a única coisa que temos de concreto é essa decolagem, mas sem saber para qual o ponto de pouso. Temos apenas a saída do ponto A, mas sem definição do ponto B. Temos as gravações da saída, mas como não temos a certeza que estamos investigando um crime não podemos divulgar e manter em sigilo”, explicou Moraes.

Ainda de acordo com o delegado, a esposa do piloto também não soube repassar qual seria a rota de voo utilizada. “Ninguém sabe informar nada de concreto. Está um mistério. A esposa não soube informar nada de concreto e também não apareceu o dono de avião. Não tem como fazer buscas porque não há informações dos possíveis destinos traçados”, explicou.

Carlos Francisco informou que a Força Aérea Brasileira (FAB) deve ser acionada para tentar encontra a aeronave. “Ainda não acionamos nenhuma autoridade porque não há dados concretos. Como que vamos pedir ajudar se não nada concreto do que ocorreu. Ele está desaparecido de Alta Floresta em um avião e que foi para uma região de garimpo. A linha de investigação é apenas de desaparecido. Ele não informou ninguém para onde iria”.

REVISTA PEQUENAS EMPRESAS E GRANDES NEGÓCIOS - Ele ajuda jovens de baixa renda a entrar na faculdade

Bernardo de Pádua é o fundador da Quero Bolsa, que ajuda estudantes a se matricular em um curso que podem pagar

Por Bel Moherdaui, Felipe Datt E Marcelo Moura | Publicada em 01/02/2019

Bernardo de Pádua é um empreendedor com uma missão: ajudar pessoas de baixa renda a entrar na faculdade.

Sua empresa, a Quero Bolsa, funciona assim: o usuário entra no site querobolsa.com.br, seleciona sua localização e o curso (de graduação ou pós) que procura, determina o valor máximo da mensalidade que deseja pagar e deixa que o sistema escolha entre 1,3 mil instituições parceiras.

“Nossa missão é ampliar o acesso à educação de qualidade. Por meio do Quero Bolsa, ajudamos jovens de baixa renda a se matricular no curso dos sonhos por um preço que possam pagar”, diz Pádua

De quebra, a plataforma permite que faculdades se livrem de vagas ociosas. Fundada em 2012 por três colegas do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), a startup, que já passou por duas rodadas de aceleração da Y Combinator (que investiu em empresas como Airbnb e Reddit), contabiliza 320 mil jovens impactados.

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA.COM - Empresas brasileiras inovadoras


Com Informações Da Agência Fapesp | Publicada em 01/02/2019

Você acha que o Brasil não conta com empresas inovadoras?

A maior cervejaria do mundo utilizará uma tecnologia da I.Systems para aumentar a eficiência das linhas de produção em suas fábricas nos Estados Unidos. O Departamento de Defesa (DoD) dos Estados Unidos escolheu a Griaule Biometrics como fornecedora de sistema de identificação e certificação de dados biométricos de mais de 80 milhões de cidadãos do Iraque e Afeganistão. E a GM norte-americana, assim como a Peugeot, na Alemanha, adotaram recentemente sistema inteligente de inspeção de qualidade de peças desenvolvido pela Autaza Tecnologia.

Além do apoio do Programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE) da FAPESP, essas empresas têm em comum a mesma visão de negócios: a de que a inovação tecnológica não deve conhecer fronteiras.

"A FAPESP espera e incentiva que as empresas do PIPE tenham alvos mundiais, o que é levado em conta na seleção dos planos de negócios dos projetos de pesquisa mais promissores. Romper os limites do mercado interno precisa ser um desafio permanente para a indústria no Brasil, especialmente quando beneficiada por subsídios com recursos do contribuinte", diz Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da fundação paulista.

"O processo de internacionalização da I.Systems começou em 2016, quando introduzimos a Leaf na mineradora BHP, na Austrália", conta Igor Santiago, presidente da empresa instalada em Campinas. Produto de estreia da I.Systems no mercado, a tecnologia Leaf utiliza inteligência artificial para o controle e estabilização de processos industriais. Mas foi com o seu segundo produto, o Flowe, baseado em aprendizado de máquina, que a empresa chegou à Ambev, que por sua vez a recomendou à sua holding, a AB Inbev, a maior cervejaria do mundo.

A multimodalidade do software desenvolvido pela Griaule - identifica indivíduos por impressões digitais e palmares, voz, imagens faciais e íris - garantiu à empresa de Campinas um contrato de US$ 75 milhões com o DoD em setembro do ano passado. No mês seguinte, a empresa foi escolhida também pelo Departamento de Segurança Pública do estado norte-americano do Arizona para auxiliar investigações policiais e de antecedentes criminais de funcionários públicos.

O caráter inovador do sistema de inspeção inteligente abriu à Autaza, de São José dos Campos, os mercados norte-americano e europeu. A história remonta a 2016, quando três pesquisadores do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) desenvolveram, em parceria com a General Motors (GM), em São Caetano do Sul, o protótipo de sistema que utiliza visão computacional e inteligência artificial para detectar defeitos na carroceria de veículos, em substituição à inspeção visual.

Além de testar a tecnologia, a GM autorizou o uso da propriedade intelectual do sistema - assim constituiu-se a Autaza - e ainda o adotou nas fábricas dos Estados Unidos e da Alemanha, onde, até 2017, produzia a marca Opel - a unidade alemã foi posteriormente vendida para a Peugeot e BNP Paribas, mas segue cliente da Autaza. A mesma tecnologia de inspeção inteligente também é utilizada para identificar defeitos na pintura de materiais compósitos utilizados pela aeronáutica, o que abriu à empresa um outro mercado, trazendo clientes do porte da Embraer.

Várias outras empresas apoiadas pela FAPESP já se instalaram fisicamente no mercado norte-americano. É o caso da Finamac, fabricante de máquinas de sorvete, em São Paulo, com 60 empregados. "Tínhamos um escritório nos Estados Unidos e, agora, temos também um galpão e cinco funcionários responsáveis pela montagem dos equipamentos", diz Marino Arpino, fundador da Finamac.

Outro exemplo é o da Agrosmart, de manejo integrado de pragas, instalada em Campinas, com clientes no México, Guatemala, Peru, Honduras Colômbia e Israel e que, recentemente, instalou uma subsidiária nos Estados Unidos. "O carro-chefe de nossas vendas externas são as tecnologias de monitoramento climático, envolvendo controle de pragas e previsão meteorológica, que utilizam inteligência artificial para soluções mais assertivas," diz Marcus Sato, engenheiro agrônomo da empresa.

Inovações para o mercado externo

Algumas das empresas emergentes de alta tecnologia brasileiras conceberam sua inovação mirando o mercado externo. A Hoobox Robotics, que desenvolveu plataforma de reconhecimento facial, batizada com o nome de Wheelie, que traduz expressões do usuário em comandos para cadeira de rodas, arquitetou seu plano de negócios de olho em demanda dos Estados Unidos. Hoje, a empresa tem cerca de 60 clientes em 14 estados norte-americanos e "uma lista de espera de 300 pessoas", conforme Paulo Gurgel Pinheiro, CEO da Hoobox.

A CFlex, de Campinas, também tem, atualmente, clientes exclusivamente no exterior. A empresa desenvolveu ferramenta de planejamento de tráfego ferroviário - que permite a gestão da circulação dos trens, cruzamentos, tempos de parada, alocação de equipe de maquinista, dentre outros, implantada na mineradora Rio Tinto, na Austrália; na Ferrosur Roca, na Argentina; e na Empresa de los Ferrocarriles del Estado (EFE), no Chile.

A inserção de um produto nos mercados nacional ou internacional pode exigir certificações, seja da empresa ou do produto. A Kryptus, empresa de segurança de informação instalada em Campinas - que tem entre seus clientes no Brasil a Savis, subsidiária da Embraer, o Centro de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército de Brasileiro (CCOMGEX) e a Mectron Comm, entre outras -, é qualificada como Empresa Estratégica de Defesa (EED) pelo Ministério da Defesa, e alguns de seus produtos são homologados junto à ICP-Brasil - Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira, do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI).

Apoiada pela FAPESP, a empresa desenvolveu um módulo criptográfico de alto desempenho (HSM), testou a viabilidade técnica de sua aplicação em nuvem e preparou o produto para a sua comercialização no mercado interno e externo.

 

TELETIME.COM - Telebras oferta 22 pontos de Internet via SGDC em Brumadinho


Por Redação | Publicada em 01/02/2019 18:01

Após uma semana de trabalho em Brumadinho (MG), a Telebras chegou ao total de 22 antenas instaladas para a oferta de serviços de comunicações, com Wi-Fi de 20 Mbps cada, por meio de capacidade em banda Ka do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC) na região. O serviço está disponível aos órgãos de Defesa Civil, que desenvolvem o trabalho de busca e resgate às vítimas onde ocorreu o rompimento de uma barreira da mineradora Vale na última sexta-feira, 25, e também à comunidade, de forma gratuita.

Do total, a estatal informa em seu balanço, que nove pontos se referem à conexão banda larga do programa Gesac em escolas municipais e estaduais da região. O levantamento da Telebras também aponta que, nos sete dias de comunicação na região, trafegaram pela rede mais de 300 Gbps de voz e dados.

As últimas estações ativadas foram no final da tarde desta quinta-feira, 31, para atender às famílias das vítimas na Estação do Conhecimento, no próprio município, e à Comunidade Parque das Cachoeiras, que fica nas proximidades de Brumadinho, para disponibilizar comunicação tanto à Defesa Civil e como à população local.

Nesses sete dias de buscas por vítimas do rompimento da barragem da Vale, nove profissionais, entre engenheiros e técnicos da Telebras vêm atuando na região, para viabilizar a conectividade do serviço de internet via satélite. O serviço é oferecido de forma gratuita ao Comando Central de Operações, às Polícias Federal e Militar de Minas Gerais, à Força Aérea, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, aos militares israelenses no apoio às operações de campo, ao serviço de cadastramento das famílias necessitadas e à comunidade na região.

TELETIME.COM - Pernambuco quer agilizar início de programa PE Conectado, mas há risco de judicialização


Bruno Do Amaral | Publicada em 01/02/2019 17:41

O governo de Pernambuco planeja modernizar a rede que interliga os órgãos estaduais de todos os municípios com o projeto PE Conectado, mas isso pode não sair tão depressa. Atualmente, o programa está em fase licitatória, tendo já passado pelo pregão em novembro e análise de qualificação técnica e jurídica. O resultado deverá ser publicado em breve, mas a fase de recursos é o que pode impedir a rápida implantação, de acordo com o diretor da Agência Estadual de Tecnologia da Informação (ATI-PE), Romero Guimarães. "Até a homologação, normalmente isso acontece em, no máximo, 15 dias. Mas acredito que vai ter recurso, resposta recurso e até judicialização", contou ele a este noticiário.

A possibilidade de judicialização, diz Guimarães, se dá porque o governo recebeu uma denúncia anônima, "provavelmente de uma das grandes operadoras", ainda na fase de recurso. Ele explica que a equipe técnica fez uma diligência e constatou que estava tudo regularizado, permitindo a homologação da proposta técnica do vencedor na época do pregão. Essa homologação deverá ser publicada em breve. "A gente está com a procuradoria a postos, a comissão de licitação tem uma procuradoria geral dentro da comissão. A judicialização faz parte do jogo, mas estamos seguros e espero que não tenha postergação, até porque teremos grande benefício para o Estado", declara.

O contrato do Estado de Pernambuco atualmente é com a Oi, que opera o backbone desde 2002. A operadora chegou a competir no pregão, mas ficou em terceiro lugar para o lote principal, vencido pela Embratel. A Oi chegou a ganhar um lote de telefonia fixa, entretanto. Procurada por este noticiário, a Oi preferiu não comentar o assunto.

Caso não ocorra atrasos, contudo, há uma chance de a implantação acontecer de forma relativamente rápida. Guimarães estima que, no máximo em um mês, encerraria-se a fase de homologação e o projeto estaria liberado para dar início. A agilidade, inclusive, foi um dos pontos que o edital do PE Conectado previu – por isso, estabeleceu o modelo de parcerias com provedores regionais. No caso do lote principal, do backbone, a Embratel estabeleceu um consórcio com a operadora corporativa local Smart Networks, ligada ao Porto Digital. "Tem que chegar a locais e todos os municípios com fibra em menos de 12 meses, e sem parcerias, [uma grande operadora] não consegue chegar", afirma.

No entendimento do governo do Estado, a modernização também permitirá uma redução de custos, como a de contratação de serviços de roaming e de comunicação unificada. A estimativa de investimento original era de R$ 1,2 bilhão aplicados em 48 meses, mas a licitação permitiu que o valor ficasse abaixo dos R$ 500 milhões.

Infraestrutura

O governo de Pernambuco não chegou a considerar o uso do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações (SGDC), por meio do Gesac, para ajudar no projeto. A justificativa é que o link de dados deve ser utilizado também para voz (VoIP), e que a comunicação satelital geraria uma latência muito grande. Há algumas excessões onde cabe o uso de satélite, como em escolas em regiões mais remotas do Estado, ou na ilha de Fernando de Noronha, mas não necessariamente será utilizado o SGDC nesses casos. Outro ponto, explica Guimarães, é que o governo pretendia viabilizar a chegada da rede ótica até os municípios pequenos por meio do esquema filé com osso – a vencedora da licitação consegue chegar à capital Recife, mas precisa atender também as cidades do interior. "É onde entra o pequeno provedor local. Para eles, é interessante chegar lá", diz.

O backbone é desenhado para chegar nas principais cidades e microrregiões de Pernambuco. O consórcio vencedor precisava apresentar prova de atuação em 12 cidades já com base instalada, para agilizar ainda mais a implantação. Recife será o ponto de concentração, e os demais municípios pernambucanos que servirão como pontos regionais de implantação de infraestrutura são: Goiana, Fernando de Noronha, Palmares, Caruaru, Toritama, Garanhuns, Arcoverde, Petrolândia, Serra Talhada, São José do Belmonte, Ouricuri e Petrolina.

Romero Guimarães destaca que o projeto de Pernambuco se difere do que o governo cearense implantou com o Cinturão Digital do Ceará. Neste, a ideia era de construir um anel ótico de propriedade estatal, mas o diretor afirma que o governo não conseguiu dinheiro para manter a infraestrutura, levando à busca por parcerias público-privadas (PPP) com provedores regionais. "Ficou bom no final, mas para eles chegarem a essa rede toda, fizeram investimento muito alto, e depois constataram que eles mesmos não conseguiriam dar manutenção", analisa. Segundo Guimarães, Pernambuco se interessou pelo modelo de PPP e planeja realizar um projeto do tipo no futuro. Passado o projeto PE Conectado, mais focado na evolução tecnológica, a ideia seria estender as parcerias para permitir "investimento pesado na rede", com a garantia de um "grande cliente para bancar boa parte do custo". 

Possibilidades

A vencedora do principal lote do PE Conectado, a Embratel, está animada com o projeto. Após ter recebida a aprovação da documentação técnica – composto por um relatório de mais de 32 mil páginas – a companhia está planeja a implantação. "Estamos na fase inicial, gerando 380 empregos diretos", destaca a diretora executiva para Governo da Embratel, Maria Teresa Lima. A expectativa de investimentos da empresa é de R$ 180 milhões no consórcio com a Smart Networks. Além de soluções de comunicação unificada, rede LTE privada (utilizando a faixa de 1,8 GHz), Wi-Fi indoor, centros de gerência da solução e gestão de 180 mil itens, as empresas fornecerão o link de Internet para conectar todos os órgãos estaduais. Será um link de 10 GB com soluções de segurança anti-DDoS.

Lima explica que a Embratel está criando um grupo de trabalho com a Claro e a Net com unidade dedicada a empresas e governo com o objetivo de explorar melhor a expansão da rede em Pernambuco para fortalecer a oferta de serviços de TV por assinatura e serviço móvel nos demais municípios do Estado. "Nosso plano é sentar com a equipe técnica da Claro e da Embratel para ver como fazemos a operação de forma mais eficiente e rápida, fazendo o serviço completo." A executiva explica que ainda é necessário tempo para concluir o projeto. Ela não confirmou se a Net aproveitaria a rede para oferecer fibra até a residência (FTTH) nos novos municípios.

"Estamos sendo cobrados internamente por agilidade e queremos fazer o mais rápido possível. Em um mês espero ter o projeto bem consolidado para colocar em desenvolvimento – até porque nesse período já imaginamos que começaremos a implantar o PE Conectado", declara. O prazo contratual é de 12 meses, que deverão ser iniciados logo se, de fato, não houver judicialização. "Imaginamos que a assinatura do contrato aconteça em fevereiro, e a previsão é de ter 100% do projeto funcionando até o final do ano", argumenta Maria Teresa Lima. 

TELECOMPAPER.COM - Telebras triples satellite internet sites in Brumadinho


Publicada em 01/02/2019

Telebras has increased the number of Wi-Fi access sites in the flood-hit region of Brumadinho in the federal state of Minas Gerais to 12. Three Telebras teams, made up of nine engineers, remain on site, following closely the rescue and relief work, bringing assistance through the services provided by the high-capacity and high-quality communication terminals, using the SGDC satellite.

Telebras has also activated a high-power antenna to propagate the Wi-Fi signal around the main area of the accident, with a capacity five times higher than ordinary antennas. At no cost to users, each site has a 20 Mbps speed link per activated unit.

TELETIME.COM - Telebras e Viasat finalizam renegociação exigida pelo TCU


Bruno Amaral | Publicada em 01/02/2019 10:17

A renegociação do contrato entre Telebras e Viasat para o uso da capacidade do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações (SGDC) foi concluída. Em fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta sexta-feira, 1º, a estatal brasileira comunicou que assinou no dia anterior o Termo Aditivo ao Acordo de Compartilhamento de Receitas de Capacidade Satelital com a operadora norte-americana. O novo contrato com as modificações será agora protocolizado junto ao Tribunal de Contas da União (TCU) ainda nesta sexta.

A renegociação com a Viasat foi uma determinação do próprio TCU, no acórdão nº 2488/2018, proferido no processo TC 022.981/2018-7. O prazo final para que as empresas entregassem o termo aditivo era dia 6 de fevereiro. "A Telebras reafirma sua missão, garantindo comunicações seguras e estratégicas, oferecendo uma alternativa em Internet para o governo brasileiro", destacou a companhia no fato relevante.

Em outubro, o Tribunal reconheceu o modelo de celebração do contrato entre a Telebras e a Viasat, mas determinou que o modelo de precificação fosse modificado, reduzindo o pagamento mensal por cada estação VSAT que será instalada. Além disso, a estatal precisava renegociar cláusulas de compartilhamento de receitas.