ORDEM DO DIA

Aniversário de Nascimento do Marechal do Ar Eduardo Gomes

Leia a Ordem do Dia alusiva ao Aniversário de Nascimento do Marechal do Ar Eduardo Gomes, Patrono da Força Aérea Brasileira
Publicado: 20/09/2019 12:00
Imprimir
Fonte: GABAER
Edição: Agência Força Aérea - Revisão: Tenente-Coronel Santana

“Ao contrário do que se pensa, as gerações entendem-se, respeitam-se e completam-se. Não há antagonismo entre o moço e o velho quando um e outro perseguem os mesmos ideais nobres e elevados”.

Foi com esse pensamento, que um homem, nascido em 1896, na cidade de Petrópolis, passou à história como o ícone maior da Força Aérea Brasileira. Seu nome: Eduardo Gomes.

Quando completou 80 anos, uma nota foi emitida a seu respeito: “Toda sua vida foi pautada pela retidão de caráter e por um grande amor pelo Brasil, por isso mesmo, um exemplo para a juventude, pela sua defesa dos valores democráticos.”

A figura do Marechal do Ar Eduardo Gomes, seus atos e sua bravura fizeram história e influenciaram gerações de brasileiros. Seu caráter, sua inteligência, sua cultura, seu senso de justiça representam um paradigma a ser seguido.

A natural escolha pela profissão das armas foi fruto das notáveis características que sempre o distinguiram: coragem, correção de atitude e honestidade de propósitos.

Já na carreira, o “Tenente de 22” viu-se chamado pelo dever, defendendo por armas o Brasil no episódio dos “Dezoito do Forte”.

Naquela passagem, o “patriota convicto” desencadeou os atos que iriam emoldurar a história político-militar do país. Ali, arriscou a própria vida na defesa incondicional dos valores nacionais. Evidenciou seu espírito pertinaz e idealista em prol das causas em que acreditava com raro senso de patriotismo.

Empreendedor, abasteceu o peito de coragem e, com energia, ajudou a forjar novos horizontes para o nosso país. O cidadão-soldado, exemplo de fibra e arrojo lançou, sobre os férteis campos do interior do Brasil, as sementes do CAN, colocando o avião a serviço do desenvolvimento.

Como frutos, o país colheu a unidade nacional e uma aviação jovem e forte.

Instado a manifestar-se por convocação da sociedade, o “Brigadeiro da Democracia” apresentou-se com ilibada conduta de político, de homem público e senso ético.

Com irretocável responsabilidade, atuou nas causas institucionais, tendo encontrado irrestrito apoio nos feitos heróicos que, ainda hoje, figuram entre os mais destacados das armas brasileiras.

Chamado a comandar a Aeronáutica, o “Brigadeiro da República” postou-se com a reconhecida firmeza de atitudes, o olhar de um resoluto estadista e o coração de um Tenente. Foi sua a decisão de comprar os valentes C-130.

De tanta devoção, costumava exclamar: “À Pátria tudo se deve. À Pátria nada se deve pedir. Nem mesmo compreensão”.

Não há como deixar de admirar a figura do insígne Patrono da Aeronáutica e, com o pensamento voltado para os atos de coragem e as decisões que tomou em sua vida, render-lhe um preito de gratidão pelo imenso legado que nos foi transmitido, e que, hoje, permite à Força Aérea ter em seu acervo a mais nova aeronave multimissão, o KC-390, que, operando, inicialmente, a partir de Anápolis, será a espinha dorsal da Aviação de Transporte. Sob suas asas, o CAN continuará sendo o vetor do progresso, da solidariedade e da integração nacional.

Comemorar a data do nascimento do Marechal do Ar Eduardo Gomes é perpetuar nas novas gerações, o sentimento de coragem moral para assumir posicionamentos corretos e firmes, espelhando-se na sua liderança militar.

Revivamos então, em toda a nossa Instituição, o amor à Pátria, a fé na observância aos preceitos legais e o comprometimento com o trabalho, na certeza de que tais atitudes são capazes de, verdadeiramente, fazer com que seja cumprida a missão da Aeronáutica.

Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez

Comandante da Aeronáutica