INTENDÊNCIA

Conheça o trabalho da Intendência da Aeronáutica

A atividade é relevante para o sucesso das missões da Força Aérea
Publicado: 22/08/2019 20:00
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Ten Cristiane dos Santos
Edição: Agência Força Aérea - Revisão: Capitão Monteiro

Nesta sexta-feira (23/08), a Força Aérea Brasileira (FAB) celebra o 74º aniversário da Intendência da Aeronáutica. A Intendência exerce um trabalho contínuo e permanente que deve, necessariamente, estar focado na atividade fim e nos resultados operacionais, sem deixar de estar atenta aos princípios regentes da administração pública. O Quadro de Intendência possui atuação multidisciplinar, que abrange atividades afetas ao Direito, à Administração, à Contabilidade, às Finanças e à Gestão de Projetos. Isso torna as possibilidades de trabalho do Oficial Intendente bastante diversas.

O Adjunto da Seção de Análise Remuneratória da Secretaria de Economia, Finanças e Administração da Aeronáutica (SEFA), Major Intendente Adriano Maia Ribeiro de Azevedo, explica que as atividades exercidas pelos intendentes são transversais a praticamente todas as áreas de atuação da FAB. “Antes de efetivar o emprego do Poder Aeroespacial, ou até mesmo a consecução das atividades de preparo, uma série de atividades administrativas é realizada”, exemplifica.

Ele ainda explica que a Intendência da Aeronáutica teve relevante envolvimento na aquisição dos novos vetores, as aeronaves KC-390 e F-39 Gripen. “Ocorreram atividades relacionadas ao processo de compra dessas aeronaves, à gestão dos contratos de desenvolvimento do projeto e de transferência tecnológica, assim como ao provimento da infraestrutura operacional necessária”, disse.

FORMAÇÃO

A formação do Oficial Intendente começa na Academia da Força Aérea (AFA). Durante quatro anos, os cadetes intendentes recebem instruções militares de formação básica e cursam o bacharelado em Administração, com ênfase em Administração Pública, além de Ciências da Logística, com habilitação em Intendência da Aeronáutica.

A Comandante do 4º Esquadrão do Corpo de Cadetes da Aeronáutica, Major Intendente Fabiana Magalhães dos Santos, fala da formação dos futuros líderes da Força. “É possível ver uma evolução bastante grande na formação dos cadetes nos últimos anos. O currículo está cada vez mais adequado às necessidades do Comando da Aeronáutica”, disse.

A Cadete Pamella Silva de Oliveira, do último ano do curso, afirma que o diferencial da formação de Oficiais Intendentes é a multidisciplinaridade. “A Intendência está envolvida em diversas áreas, por isso, é preciso ter um conhecimento amplo", afirmou.

INTENDÊNCIA EM CAMPANHA

A Intendência em Campanha tem uma atuação bastante diversificada. Seu engajamento pode se dar em situações de ajuda humanitária, calamidade pública, desastres naturais, acidentes aéreos, ações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) e, até mesmo, em conflitos. Seu objetivo é prover apoio de alojamento, alimentação, higienização (banho e sanitários), áreas de recreação e de manutenção do bem estar e da moral, a fim de proporcionar a recuperação diária dos militares, de modo que eles possam seguir a rotina de trabalho, distante de suas casas, de seus familiares, e sob condições de estresse.

Há alguns exemplos de ações da Intendência em Campanha registrados ao longo dos anos, no Brasil e no exterior. Entre eles destacam-se o apoio logístico durante o trabalho de resgate no acidente da aeronave Gol 1907, no ano de 2006; a Operação Serrana, em 2011, no Rio de Janeiro (RJ); e a Operação Capixaba de GLO, no Espírito Santo, no ano de 2017. O Socorro às vítimas do terremoto no Haiti, em 2010, também contou com o trabalho dos Intendentes da FAB.

O Grupamento de Apoio Logístico de Campanha (GALC), localizado no Campo dos Afonsos, no Rio de Janeiro (RJ), concentra a maior parte do material de campanha utilizado nas operações. Em situações de crise, em um período de 24 a 48 horas, a logística operacional deve estar pronta para operar na plenitude. E, dependendo da região e do tipo de operação, são separados os equipamentos e insumos necessários.

O Chefe da Subdivisão de Logística do GALC, Tenente Intendente Gabriel da Silva Vaz Pereira, destaca a importância de um adequado planejamento logístico para atender às demandas que se apresentam em localidades remotas. “Eu me recordo de uma missão, em 2016, no Campeonato Mundial Militar de Orientação, em São Pedro da Aldeia (RJ). Era um local totalmente inóspito, onde não tinha nem água. Tivemos que providenciar desde o caminhão pipa para suprir a água potável até soluções para o descarte adequado de resíduos”, relembra.

Fotos: Sargento Johnson, Sargento Bianca Viol, Sargento Batista, Sargento Gaedke, Cabo André Feitosa e Cabo V.Santos

imagens/original/39037/1_Galeria.jpg
imagens/original/39037/2_Galeria.jpg
imagens/original/39037/3_Galeria.jpg
imagens/original/39037/5_galeria.jpg
imagens/original/39037/6_galeria.jpg
imagens/original/39037/7_galeria.jpg