HOMENAGEM

Piloto da FAB que lutou na Segunda Guerra é homenageado na Itália

Homenagem ao Tenente Santos foi realizada na cidade de Spilimbergo 74 anos após sua morte
Publicado: 15/04/2019 16:47
Imprimir
Fonte: Adidância da Itália
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Emília Maria - Revisão: Capitão Landenberger

No sábado (13), um grupo de pessoas se reuniu em frente ao monumento dedicado ao Tenente Aviador Frederico Gustavo dos Santos, na cidade de Spilimbergo, na Itália, para homenagear sua atuação durante a Segunda Guerra Mundial. Piloto da Força Aérea Brasileira (FAB), ele faleceu em combate no ano de 1945. 

A cerimônia foi precedida de uma missa realizada por um capelão militar; na sequência, a Guarda de Honra, fornecida pelo 32º Regimento de Carros de Combate, tomou posição no dispositivo para a solenidade, que teve início com o canto dos Hinos Brasileiro e Italiano, seguido do toque de silêncio e da colocação de uma coroa de flores em memória do Tenente Santos.

“A cidade de Spilimbergo faz essa justa homenagem a esse herói brasileiro, pois o povo daqui sempre lhe será grato pela sua bravura e pelo seu sacrifício”, disse o Prefeito da cidade, Enrico Sarcinelli, em seu discurso.

Além do prefeito, estavam presentes autoridades civis e militares representando o governo italiano, como o Comandante da Base Aérea de Istrana (que opera a aeronave italo-brasileira AMX e é a organização da Força Aérea Italiana mais próxima de Spilimbergo); o Coronel Aviador Massimiliano Pasqua; o Comandante do 32º Regimento de Carros de Combate do Exército Italiano, Coronel Paolo Fanin; e o Comandante do Depósito de Munições de Spilimbergo, Tenente-Coronel Antonio Boccongelli, entre outros.

Da parte brasileira, compareceram o Cônsul-Geral do Brasil em Milão, Embaixador Eduardo dos Santos; o Adido de Defesa e Aeronáutico do Brasil na Itália, Coronel Aviador Reginaldo Pontirolli; o Adido Naval do Brasil na Itália, Capitão de Mar e Guerra Rodolfo Gois de Almeida, e a Cônsul Honorária do Brasil em Trieste, Judith Moura.

O Embaixador Eduardo dos Santos ressaltou que a homenagem é motivo de orgulho. “A cerimônia deve ser reverenciada, comemorada e divulgada, pois o Brasil e os brasileiros lutaram pela liberdade e democracia no mundo”, disse. “Parabenizo a Força Aérea Brasileira e o Ministério da Defesa pela organização da solenidade, que consolida uma profunda amizade entre o Brasil e a Itália, para além do nível militar e de governo, extrapolando para o nível de povo e sociedade”, completou.

O Coronel Pontirolli destaca que é dever das futuras gerações conhecer e divulgar a história e reverenciar a memória do militar, cujo sacrifício deve ser motivo de orgulho para todos os brasileiros. “A Adidância na Itália tem um papel adicional em comparação às demais, com a particularidade e incumbência de manter e desenvolver intensa atividade militar-diplomática, organizando diversas cerimônias cívico-militares para a manutenção da memória dos heróis brasileiros que vieram lutar e sacrificar suas vidas na Itália”, explicou.

Ainda, compareceram à cerimônia diversas Associações representativas dos militares e ex-combatentes de guerra italianos, assim como moradores de Spilimbergo e região.

História

No dia 13 de abril de 1945, há 74 anos, o Tenente Aviador Frederico Gustavo dos Santos, com apenas 20 anos, mas já com 43 missões de guerra, marcava a história da cidade de Spilimbergo e entrava para a galeria dos heróis da FAB, quando ofereceu sua vida em sacrifício pela liberdade dos cidadãos italianos.

Sua missão era atacar e destruir um depósito de munições que estava em poder dos nazistas, dentro do território italiano. O depósito estava tão cheio de munições que as chamas da explosão resultante do ataque se ergueram à sua frente. O aviador continuou seu ataque, passando em meio às chamas com sua aeronave, que tomada pelo fogo, caiu logo depois, resultando em sua morte.

Fotos: Tenente-Coronel Antonio Boccongelli e Arquivo

Leia aqui a reportagem sobre as homenagens aos pilotos brasileiros na Itália.

Leia aqui a reportagem sobre a atuação do Primeiro Grupo de Aviação de Caça na Segunda Guerra.