SAÚDE

Seminários do IPA abordam aspectos da avaliação psicológica

Diversos aspectos da avaliação psicológica são foco de seminários promovidos pelo Instituto de Psicologia da Aeronáutica em 2019
Publicado: 12/04/2019 17:05
Imprimir
Fonte: IPA
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Emília Maria - Revisão: Capitão Landenberger

As pessoas são subjetivas e a psicologia pode contribuir para que processos seletivos para cargos públicos se tornem mais eficazes e objetivos. Esse foi o tema do seminário organizado pelo Instituto de Psicologia da Aeronáutica (IPA), na quarta-feira (03), no Rio de Janeiro (RJ). O evento teve como palestrante o Psicólogo e Doutor Fabian Javier Rueda, integrante do Conselho Federal de Psicologia (CFP), e contou também com a participação de psicólogos do Serviço de Seleção Para Militares da Marinha do Brasil e do Centro de Psicologia do Exército Brasileiro.

Com esse evento, o IPA inaugurou um ciclo de curtos seminários com palestras e debates programados para acontecer durante todo o ano de 2019 com o objetivo de levantar informações e atualizar os psicólogos. “Nossa intenção é desenvolver um teste psicológico customizado e informatizado para a Força Aérea Brasileira (FAB) e, com isso, esperamos indicar as pessoas realmente interessadas e mais propensas ao bom desempenho das atividades aérea e militar”, informou o Tenente-Coronel Aviador Bruno Pedra, Diretor Interino do IPA.

O palestrante do primeiro seminário é também o coordenador do Sistema de Avaliação de Testes Psicológicos (SATEPSI) do CFP e baseou-se na Resolução 09/2018 para discorrer sobre os aspectos éticos da Avaliação Psicológica e seu impacto nos processos seletivos da FAB. "A avaliação psicológica é um processo amplo que não se restringe ao uso de testes, que deve conter fontes complementares de dados e levar em consideração a adequação das técnicas e instrumentos ao objetivo da mesma”, destacou Fabian Rueda. Segundo ele, uma avaliação psicológica para uma seleção pública deve ter claramente definidos os aspectos cognitivos e de personalidade adequados ao perfil do cargo e isto define a escolha dos instrumentos a serem utilizados.

Segundo a Chefe da Divisão de Pesquisa do IPA, Tenente Psicóloga Lívia Farias, o médio prazo estabelecido para o projeto se dá em razão das validações dos instrumentos de testagem psicológica. “A pluralidade cultural do nosso país constitui um desafio por si só, mas o nosso plano é desenvolver parcerias com Universidades e Laboratórios de Psicologia em todo o Brasil, pois pretendemos encerrar o ano com um projeto que aponte onde e como conseguir as informações necessárias, que tragam, ao mesmo tempo, credibilidade e celeridade ao processo”, explicou.

Nesta sexta (12), o seminário trouxe, por meio de videoconferência, a Professora Cristiane Faiad de Moura, da Universidade de Brasília (UnB). A apresentação apontou para os desafios entre o que é ideal e o possível no âmbito das avaliações psicológicas em concursos públicos. O seminário também teve a presença do Delegado Anderson Pereira dos Santos, que é Coordenador de Recrutamento e Seleção da Diretoria de Gestão de Pessoal do Departamento de Polícia Federal (PF) e abordou os aspectos jurídicos das seleções. “É fundamental a união de esforços dos institutos de psicologia das Forças Armadas, como instituições de grande credibilidade, no intuito de conscientizar as esferas jurídicas sobre a importância da seleção psicológica nestes certames. Isso garante o ingresso de pessoas mentalmente e emocionalmente aptas para o exercício de suas funções”, afirmou.

Fotos: Cabo Marcos/IPA