TRÁFEGO AÉREO

Esquadrão Morcego realiza Exercício Operacional Cabo Branco

O esquadrão deslocou seus radares de Natal (RN) para João Pessoa (PB) para treinar mobilidade e pronta-resposta
Publicado: 05/04/2019 17:00
Imprimir
Fonte: DECEA, por Denise Fontes
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Gabrielli - Revisão: Capitão Landenberger

O Esquadrão Morcego (3º/1º GCC) encerrou, no dia 28 de março, a realização do Exercício Operacional Cabo Branco IV. Por mais de duas semanas, o esquadrão de comunicações e controle deslocou de Natal (RN) para João Pessoa (PB) - no Aeroporto Internacional Castro Pinto - alguns de seus radares e sistemas. O objetivo foi treinar a mobilidade e a pronta-resposta do esquadrão frente a acionamentos inopinados. 

"Com este exercício corroboram-se as capacidades técnico-operacionais nas quais são capazes de transformar qualquer pista de pouso em um aeródromo dotado de controle de terminal e recolhimento de precisão, independente das condições meteorológicas presentes", pontuou o comandante do 3°/1° GCC, Major Aviador Adriano Geraldo Gonçalves Pereira.

Foi deslocado o sistema MGCA (Mobile Ground Controlled Approach), um sistema de aproximação transportável, composto por um radar de vigilância (ASR/SSR) e um radar de aproximação de precisão (PAR 2000-T) operado por controladores de tráfego aéreo com qualificação específica. Como um dos objetivos do treinamento foi a utilização de toda a potencialidade do sistema MGCA, foi estruturado um controle de terminal (APP) de 25NM (46,3 km) em torno do aeroporto Castro Pinto, além do controle de aproximação de precisão (PAR). 

“O 3º/1º GCC mostrou-se um elo importante para prover o apoio a todas as aeronaves que cruzavam ou se destinavam à nova Terminal João Pessoa, auxiliando tanto o Controle Recife como o Controle Natal, garantindo uma melhor fluidez da navegação aérea”, enfatizou o chefe da Seção de Operações do Esquadrão Morcego, Capitão Aviador Yuri Carneiro de Souza.

O Suboficial Especialista em Controle de Tráfego Aéreo Thomas Michael Steppan, destaca que o Esquadrão Morcego é uma pequena célula do DECEA. "Trazemos nossa contribuição ao treinamento e aprimoramento do controlador através de modernos equipamentos em desafios tais como essa missão em João Pessoa. Instalar, operar e manter em funcionamento um controle de aproximação radar em uma localidade desprovida de tais auxílios faz parte da nossa missão. Dessa forma, possibilitamos, através de homens capacitados e de modernos equipamentos, o voo seguro e ordenado de todas as aeronaves na nossa área de responsabilidade. Com nosso radar de aproximação de precisão, garantimos a qualquer aeronave uma aproximação segura até o ponto de toque na pista", reforçou.

Fotos: 3°/1° GCC