ORDEM DO DIA

Força Aérea Brasileira comemora 78 anos

Leia a Ordem do Dia alusiva ao Aniversário de Criação do Ministério da Aeronáutica e da Força Aérea Brasileira
Publicado: 21/01/2019 16:00
Imprimir
Fonte: Comando da Aeronáutica

Brasília, 20 de janeiro de 2019.

O futuro não é um lugar para onde estamos indo, mas um lugar que estamos criando. O caminho para ele não é encontrado por acaso, mas construído, e isso muda tanto o realizador quanto o destino.

Nossa tarefa, portanto, é permitir o futuro.

Inspirados por este pensamento, há 78 anos, homens idealistas e visionários promoveram a aproximação das asas da Aviação Naval, da Aviação Militar e Civil, permitindo que uma nova Instituição alçasse voo solo: o Ministério da Aeronáutica.

No mesmo ano, 1941, o Decreto-Lei 3.302, criou a nova denominação: Força Aérea Brasileira.

Desde então, convivemos com uma trajetória ponteada por desafios, todavia, plena em vitórias.

Foi assim que, acreditando que o êxito na vida não se mede pelo caminho que você conquistou, mas sim pelas dificuldades que superou, nossos valorosos guerreiros do 1º Grupo de Aviação de Caça partiram para seu batismo de fogo nos céus da Itália. O mesmo aconteceria no litoral brasileiro com a nossa Aviação de Patrulha.

Nosso valioso legado de tradições e glórias foi concebido no fragor da batalha.

Nascemos do arrojo, da união, da coragem e da determinação dos que nos antecederam; homens que, irmanados por uma inigualável identidade de propósitos, vislumbravam um Brasil integrado por rotas aéreas; que redesenharam a face do país, aproximando irmãos e consolidando, em definitivo, os marcos extremos que definem nossas fronteiras.

Homens que afirmavam que nossa soberania estaria garantida na guarda dos céus por meio da aviação.

O tempo não os desmentiu. A sólida identidade cultural e a soberania dos nossos céus atestam essa realidade.

Eles acreditaram na grandeza de suas obras e no futuro que nos legaria.

Ao longo desses anos, assistimos ao vertiginoso crescimento da estrutura, da indústria e das atividades ligadas à aviação transmutarem-se num respeitado Poder Aeroespacial.

Mantivemos firme nossa proa, acreditando na grandeza de nossas atitudes, cujos fundamentos repousam na nobreza das ações e nos propósitos a que estas se destinam.

Hoje, somos a Força dos 22 milhões de km quadrados.

A Força do azul nos céus.

A Força de todos os dias e de todas as horas.

Somos Controle, Defesa e Integração.

Somos o Brasil.

Somos a Pátria.

Plenamente sintonizado com os legítimos anseios da sociedade, o Comando da Aeronáutica cresceu e se modernizou. Criou um ambiente institucional de transparência e de entrega de resultados.

A palavra Governança ganhou destaque na Administração. A Secretaria de Economia, Finanças e Administração da Aeronáutica obteve, recentemente, a “Menção de Destaque”, concedida pela Secretaria do Tesouro Nacional, em reconhecimento à boa utilização da informação de custos para a melhoria dos processos e da qualidade do gasto público.

A SEFA é o único Órgão da Administração Pública Federal a alcançar a marca de 57 meses sem receber restrição contábil do Tesouro Nacional.
Sempre acreditando no futuro desta nação, a FAB tem priorizado o aporte de investimentos nos projetos estratégicos, que garantem nossa capacidade de controlar, defender e integrar uma área de 22 milhões de km2.

Manteremos o compromisso com a qualidade de nossas instituições de ensino, reconhecidas nacional e internacionalmente, vislumbrando êxitos e progressos que possam dignificar a assertiva de que: “quantos mais vastos forem os vossos conhecimentos, mais fáceis e perfeitas serão vossas obras”.

Precisamos de homens e mulheres que estejam aptos a operarem o moderno sistema de controle do espaço aéreo do Brasil; que sejam capazes de implementar o projeto estratégico de sistemas espaciais que permitirá aplicações para a sociedade brasileira nas áreas de comunicações, meteorologia, navegação e monitoramento do espaço.

Da mesma forma, muito conhecimento será demandado dos operadores dos equipamentos embarcados nas aeronaves KC-390 e F-39 Gripen; plataformas responsáveis pela integração e defesa da Amazônia e do Atlântico Sul, regiões que ostentam potencialidades e atraem cobiças que conflitam com os interesses maiores da nação brasileira.

Temos a missão de assegurar que a FAB continuará a conduzir em suas asas altaneiras a esperança e o progresso, aproximando famílias; vigiando e defendendo o espaço aéreo; assegurando aos aflitos, na terra e no mar, a certeza do resgate.
Que continuará a conduzir a bandeira do Brasil mais longe, aproximando povos amigos, apoiando missões de paz e oferecendo solidariedade às nações afligidas por fenômenos da natureza.

Continuaremos a ser o vetor de pronta-resposta aos Poderes da República. Esse é o nosso dever.

Precisamos consolidar o processo de integração e interoperabilidade com a Marinha do Brasil e com o Exército Brasileiro, sob a coordenação do Ministério da Defesa, para avançarmos em projetos estratégicos para o país, tais como: o Plano de Articulação de equipamento de Defesa, PAED; Plano de mobilização Nacional; Projeto de Geoinformação de Defesa, que tem a finalidade de preencher a lacuna existente, no nível estratégico, com relação à interoperabilidade entre as Forças Armadas, dentre outros.

Desafios existem, quem não os tem? Só aqueles que já pararam de caminhar.

Como Comandante da Aeronáutica, sinto-me honrado em comemorar os 78 anos da nossa Instituição, estando na liderança de homens e mulheres que possuem um espírito de devoção e altruísmo; que, a cada manhã, oferecem em holocausto suas próprias vidas.

Nessa ocasião, concito-os a refletirem sobre o significado do domínio dos céus e seus desafios, sobre a responsabilidade que repousa sobre os ombros de cada integrante da nossa Força.

Concito-os a tornarem os exemplos dos que nos antecederam uma determinação para vencermos os óbices naturais na idealização de uma Força Aérea forte, coesa e vibrante, devotada ao futuro do Brasil.

Aos militares que hoje se afastaram dos seus lares no cumprimento das missões, abrindo mão do convívio dos entes queridos, em proveito da família brasileira; aos que, neste exato momento, singram os céus, de Tiriós a Livramento, de Tabatinga a Fernando de Noronha, transportando ou cumprindo alerta de voo; aos que em suas consoles, controlam o nosso espaço aéreo; aos que no exercício da Medicina oferecem o lenitivo aos que sofrem de dor; aos que nos laboratórios de engenharia promovem o aumento da nossa tecnologia; aos que preparam seus materiais didáticos para o início do ano letivo em nossas escolas; aos que sob o sol escaldante, fazem a manutenção das nossas áreas verdes e prédios; aos guerreiros, muitas vezes em postos isolados e de forma anônima, que fazem a guarda e segurança de nossas instalações; aos que, nos hangares ou nas pistas de voo, fazem a manutenção de nossas aeronaves; aos que, nos grupamentos de apoio, labutam para um eficiente controle dos recursos públicos que nos são alocados; aos civis e prestadores de serviços. Enfim, a todos que fazem a Força Aérea Brasileira, saibam que cada gota de suor dedicada ao cumprimento da nossa missão tem colaborado de forma fundamental para o engrandecimento do país.

Os senhores e as senhoras são merecedores de reconhecimento e admiração.

Recebam, pois, meu mais elevado respeito e meu profundo orgulho em comandá-los.

Parabéns! Que Deus nos proporcione decolagens seguras, voos serenos e, sempre, um feliz retorno ao lar.

Tenente Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez
Comandante da Aeronáutica