CARREIRA

Instituições de Ensino da FAB realizam conclusões de cursos

Oficiais concluíram cursos de Altos Estudos, Comando e Estado-Maior e Aperfeiçoamento de Oficiais
Publicado: 17/12/2018 15:45
Imprimir
Fonte: ECEMAR, EAOAR, UNIFA
Edição: Agência Força Aérea, por Ten Emília Maria - Revisão: Capitão Landenberger

A Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR), localizada no Rio de Janeiro (RJ), realizou nos dias 5 e 7 de dezembro o encerramento do seu calendário letivo. Na quarta-feira (05), houve a Diplomação Interna dos Cursos de Altos Estudos Militares (CAEM) e de Comando e Estado-Maior Presencial (CCEM-P), na qual os 29 Oficiais-Alunos do CAEM e 108 do CCEM-P receberam os distintivos dos cursos. Também fizeram parte da turma seis Oficiais das Nações Amigas (ONA) do Peru, dos Estados Unidos, da Argentina, do Canadá e da Guatemala.

Na sexta-feira (07), aconteceu a diplomação externa no Auditório Marechal Fontenelle. A cerimônia militar foi presidida pelo Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, acompanhado pelo então Comandante-Geral do Pessoal, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez; pelo Comandante da Universidade da Força Aérea, Major-Brigadeiro do Ar José Isaias Augusto de Carvalho Neto; e pelo Comandante da ECEMAR, Brigadeiro do Ar Flávio Luiz de Oliveira Pinto; além de oficiais-generais e de autoridades militares e civis.

O Coronel Médico Geraldo José Rodrigues, oficial mais antigo do CAEM, foi o orador das turmas CAEM e CCEM-P de 2018 e destacou o importante papel dos alunos na liderança da Força Aérea. “Aqui se encontram os militares mais bem preparados para a composição da melhor assessoria ou para liderarem grupos aprestados nas mais diversas atividades pertinentes à missão da Força Aérea, onde quer que se faça necessário”, disse.

No encerramento da cerimônia, o Comandante da UNIFA proferiu palavras de homenagem ao Comandante da Aeronáutica. “Aproveitando este momento solene, jamais poderíamos encerrar essa formatura sem render homenagens e agradecimentos ao principal responsável pelo sucesso do dia de hoje. A visão estratégica do Tenente-Brigadeiro Rossato, seu empenho e coragem em reestruturar a Força Aérea Brasileira, encontrou eco no processo de formação desses líderes que hoje devolvemos à operacionalidade e que serão responsáveis pela consecução desse legado”, ressaltou.

 

Estágio de Comando

A Universidade da Força Aérea (UNIFA), por meio da Pró-Reitoria de Ensino Especializado e Idiomas (PROEEI), promoveu o Estágio de Comando da Força Aérea Brasileira (ECFAB), no período de 3 a 7 de dezembro, no Rio de Janeiro (RJ). Participaram 70 oficiais designados para funções de comando, chefia e direção das Organizações Militares (OM) da Força Aérea Brasileira (FAB).

Neste estágio, o corpo docente é composto por oficiais-generais e por oficiais superiores dos Órgãos de Direção-Geral, Setorial e de Assistência Direta e Imediata ao Comandante da Aeronáutica, bem como por membros do Alto-Comando da Aeronáutica, do Superior Tribunal Militar e da Justiça Militar, que contribuíram com seus conhecimentos e experiências.

O ECFAB tem como objetivo capacitar os novos comandantes na identificação dos aspectos mais relevantes da rotina laboral de suas futuras organizações no que tange ao inter-relacionamento com as demais instituições militares e civis nos diversos níveis; na interpretação das diretrizes estabelecidas pelos Comandos-Gerais e Departamentos; no propósito da política traçada pelo COMAER nas áreas administrativas e operacionais; no que concerne às orientações, às diretrizes e às experiências a respeito dos cargos de comando, enfatizando aspectos sobre chefia e liderança; e na identificação dos pontos de interação com a justiça civil e militar.

O Tenente-Coronel de Infantaria Marcus Janoti, explica que o estágio agrega conhecimentos e experiências valiosas. “São instruções de autoridades altamente capacitadas e experientes. Isso passa a ser fundamental, pois certamente aumenta a capacidade de gestor. Além disso, você está num ambiente seleto com setenta outros oficiais extremamente gabaritados”, ressalta.

O promotor de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, Bruno Guimarães, abordou o tema de crimes militares em sua palestra e destacou a importância da integração entre as instituições jurídicas e militares. “Para mim é uma honra ministrar essa instrução, permite um intercâmbio muito grande entre o ambiente jurídico e as Forças Armadas. Dentro da UNIFA o nível dos alunos é muito alto, todos são extremamente bem preparados, ocupam postos elevados e posições estratégicas na Aeronáutica e no país”, disse.

 

Curso de Aperfeiçoamento

A Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais da Aeronáutica (EAOAR), localizada no Rio de Janeiro (RJ), realizou, no dia 6 de dezembro, no Campus da Universidade da Força Aérea (UNIFA), a diplomação da segunda turma do Curso de Aperfeiçoamento (CAP) de 2018.

A cerimônia militar foi presidida pelo então Comandante-Geral do Pessoal, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, acompanhado pelo Diretor de Ensino da Aeronáutica, Major-Brigadeiro do Ar Rui Chagas Mesquita; pelo Comandante da UNIFA, Major-Brigadeiro do Ar José Isaias Augusto de Carvalho Neto; pelo Comandante da EAOAR, Coronel Aviador Helmer Barbosa Gilberto, além de oficiais-generais e de autoridades militares e civis.

O Capitão Aviador Peterson Flávio Lima de Souza, primeiro colocado do CAP 2/2018, recebeu das mãos do Comandante-Geral do Pessoal o diploma de conclusão e a medalha Marechal do Ar Eduardo Gomes - Aplicação e Estudo.

Ao longo de 19 semanas, a EAOAR desenvolveu nos 101 formandos competências em gestão, assessoramento e liderança relacionadas às questões de natureza administrativa e operacional nos seus respectivos níveis de atuação. Nesta turma, 32 oficiais alunos foram indicados a instrutor.

A Turma CAP 2/2018 diferenciou-se das anteriores por ser a primeira a realizar dois módulos por meio da Educação a Distância, além do curso presencial. Foram vivenciadas novas metodologias pedagógicas, entre elas, a Sala de Aula Invertida, em que o protagonismo na relação de ensino-aprendizagem é deslocado para o aluno. Ao conjugar várias técnicas de ensino, adotando, em um processo reverso de construção do conhecimento, pedagogias mais ativas – como leituras prévias e debates – é possível dar autonomia ao aluno para planejar a aprendizagem, utilizando o tempo disponível em sala de aula para o exercício e retirada de dúvidas. Essa abordagem de ensino facilita a obtenção de níveis cognitivos mais elevados para o conteúdo proposto, como os de análise e síntese, essenciais para incrementar a capacidade crítica dos oficiais.

Os formandos também testemunharam que a utilização, de maneira pedagógica, de dispositivos móveis - celulares e tablets - otimizou o aprendizado durante a realização dos trabalhos acadêmicos.

“Tenham uma vida em que façam valer a pena todo o empenho de vocês no curso. Utilizem os conhecimentos adquiridos nas suas unidades. Turma Cap 2/2018 missão cumprida!”, disse o Tenente-Brigadeiro do Ar Bermudez aos formandos.